11 de agosto de 2016

Participação feminina em maratona cresce

Silvia Durigon e Debora Simas / Foto Divulgação-Indomit 
Seguindo o mesmo rumo dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a participação das mulheres tanto em corridas de rua quanto de aventura têm crescido. Elas já representam 34% dos atletas, entre amadores e profissionais, segundo a Federação Paulista de Atletismo. Para a atleta Silvia Durigon, 28, a ascensão das mulheres brasileiras no esporte é mérito delas. “Acho que as mulheres estão se assumindo mais, deixando claro para a sociedade que temos a mesma capacidade que os homens”. Silvia é uma das mulheres que chega para aumentar a competitividade da maratona de aventura. Campeã em 2015 dos 50 km da INDOMIT Costa Esmeralda, ela compete pela primeira vez nos 42 km e está empolgada: “sempre tive vontade de fazer essa prova, todo mundo diz que ela é top, já montei minha estratégia do percurso e penso que o grau de dificuldade é o mesmo da prova de 50 km apesar de ser mais curto, por causa do nível das competidoras inscritas”.

Classificada como o encontro nacional do trail run, a Vila do Farol INDOMIT Bombinhas chega à oitava edição, e neste ano a prova tem como grande destaque a participação das mulheres, sendo a feminina da história da competição. “A cada ano que passa a INDOMIT tem recebido mais mulheres e elas estão cada vez mais fortes”, diz Débora Simas, 45. A atleta que participa de todas as edições da prova, desde 2009 quando ainda se chamava Maratona de Bombinhas, afirma que desta vez o nível está incomparável. “Está cada vez mais difícil ficar entre as cinco no ranking geral. Mulheres de todo país e até de fora têm se programado para competir na INDOMIT, que está entre as melhores do Brasil”, completa.


Por Danilo Caboclo

Nenhum comentário:

Postar um comentário