.

.

28 de março de 2016

Segunda etapa do Surf Talentos será em Abril

Nos dias 02 e 03 de Abril, a Praia do Santinho, no norte da Ilha da Magia, reunirá os melhores surfistas catarinenses da nova geração, na segunda etapa do Circuito Surf Talentos Oceano 2016, válido também pelo Campeonato de Surf Ingleses Santinho, que irá comemorar o 35º aniversário de fundação da ASIS – Associação de Surf Ingleses e Santinho.
Praia do Santinho / Foto Marcio David
“O surf em nosso estado vem crescendo gradativamente em função da participação ativa das associações de surfe e das entidades ligadas ao esporte estarem trabalhando firme na realização de novas competições. Isso com certeza incentiva o esporte na sua base e na formação de novos talentos”, declarou Reiginaldo, que juntamente com seu vice presidente Jordão Bailo Junior e a diretoria da Fecasurf, tem a importante missão de organizar e fomentar o esporte em Santa Catarina.

A etapa de abertura da primeira edição do Circuito Surf Talentos Oceano 2016 foi realizada na Prainha, de São Francisco do Sul, e teve lotação máxima de inscritos, com a participação de 135 surfistas de todo estado, confirmando o grande sucesso desta nova competição do surfe catarinense, principalmente na categoria Petit, para surfistas de até 10 anos de idade, que recebeu 12 novos atletas, com idade entre 05 e 09 anos, que mostraram muita atitude auxiliados pelos  pais e surfe de gente grande logo na estreia da carreira.
As inscrições estão abertas e devem ser feitas somente através de deposito bancário para a Fecasurf no Banco do Brasil, agência 5201-9, conta corrente 844759-4. O comprovante de depósito deve ser enviado à Fecasurf com o Nome do Atleta e as categorias que vai disputar, para que seja confirmada sua inscrição. Dúvidas e esclarecimentos através do fone (48) 3025-1880 das 13 às 17horas.

Por Norton Evaldt


24 de março de 2016

Corrida da Mulher acontece na noite deste sábado no RJ

Celebrando o mês das mulheres, a Corrida da Mulher acontece no próximo sábado, dia 26 de março, e deve reunir mais de duas mil participantes na Lagoa Rodrigo de Freitas, Zona Sul do Rio de Janeiro. A prova, uma das mais charmosas do calendário de corridas da cidade, completa 10 anos de sucesso em 2016 e será realizada à noite pela primeira vez em sua história. O percurso é de 7,5 km e a largada será realizada na altura do Parque dos Patins, às 20h. O evento vai contar com muitas luzes e atrações especiais.
Corrida da Mulher 2016 acontece à noite, na Lagoa Rodrigo de Freitas / Foto Claudio Toros
Todas as mulheres inscritas que completarem a prova ganham medalha exclusiva. As cinco primeiros colocadas no geral ainda levam troféus. Também haverá premiação para as cinco primeiras equipes com o maior número de inscritas (empresas, colégios, universidades, academias, etc). As inscrições estão encerradas, mas o público está convidado a curtir o evento.

A edição especial do evento ainda terá um pocket show do Groovebloco, apresentando um repertório que mistura samba com sucessos do hip-hop, da música eletrônica e do funk, na arena que será montada no Parque dos Patins.

Programação Corrida da Mulher:
Distância: 7,5 km
Largada e chegada: Lagoa Rodrigo de Freitas, na altura do Parque dos Patins
Horário de largada: 20h
Mais informações: www.corridadamulher.com.br

Por Fernando Vieri

23 de março de 2016

João Renato garante vitória em Ilha Bela

O remador vicentino João Renato Moura venceu no último fim de semana a primeira etapa do circuito Aloha Spirit, considerado o maior evento de esportes aquáticos do Brasil (e um dos 10 maiores do mundo), realizado em Ilha Bela. Competindo na categoria OC1 (canoa havaiana) Master, o atual campeão brasileiro e vice Sul-americano, assegurou o lugar mais alto no pódio após travar um duelo contra Gilson Aguillar (2o colocado) e Claudio Chain (3o) nos oito quilômetros de prova no canal de Ilha Bela. "Nossa, foi difícil competir debaixo do sol forte, estava muito calor. Mas, estava com o treino em dia e focado em vencer este importante evento do calendário nacional”, comenta Moura. "No geral eu andei bem, fiz o percurso em 50 minutos e 16 segundos e consegui superar alguns competidores experientes, destaques na categoria Open. Esse desempenho me deixou muito feliz. A disputa foi pau a pau contra o Gilson, que inclusive também integra minha equipe de Oc6, a Brucutus (quinta colocada na volta na ilha de Santo Amaro na semana passada)”.
Agora, o foco é a temporada havaiana, para onde João Renato parte em abril. Depois de duas temporadas consecutivas, ano passado ele ficou de fora e não esconde a ansiedade para retornar ao arquipélago. "Farei a prova de Molokai até Oahu (56 km) de OC1, depois disputarei a tradicional prova de stand up Olukai (em Maliko) e pra fechar com chave-de-ouro participarei de um campeonato de surf em Haleiwa, no North Shore de Oahu”, explica. O freesurf na meca do esporte também está nos planos do competidor. “É sempre bom aproveitar alguns dias de folga entre uma prova e outra para surfar as melhores ondas do mundo”, comenta ele, atualmente com apoio da Board House, Kialoa e Mithus.

Considerado um novato na canoa, João Renato foi lançado ao topo do esporte após conquistar o título nacional e chegar ao vice-campeonato no Sul-americano realizado em novembro passado em Santos. “Realmente, a canoa havaiana chegou de mansinho, mas agora tomou conta da minha trajetória competitiva. Aprendi com grandes mestres e tenho focado intensamento no preparo fora da água com Wagner Spadotto para manter o mesmo ritmo de 2015”, ressalta o competidor. João Renato ganhou notoriedade ao figurar em pódio de competições nacionais e internacionais de longboard e stand up paddle. Há dois anos deu os primeiros passos na canoa havaiana. No ano passado, em sua estreia no circuito nacional acumulou duas vitórias e dois vices para garantir o título brasileiro. Em novembro, participou do Sul-Americano em Santos e ficou atrás apenas de seu mentor Everdan Riesco, conquistando a medalha de prata.
Esportista desde a infância, sua relação com o surf teve início em 1997. Dez anos depois, ficou curioso ao se deparar com um amigo remando em pé, conheceu o stand up e nunca mais parou de remar. Em 2011 iniciou no circuito brasileiro profissionalmente e acumulou temporadas internacionais na bagagem ao disputar as provas mais casca-grossas de travessias do mundo. Domina as modalidades de sup, canoa havaiana e longboard, além de ter treinado e participado de eventos no triathlon. Este mix formou um atleta polivalente que utiliza todo aprendizado como base para encarar as mais variadas provas mundiais. “O triathlon foi um ótimo professor, pois me deu perseverança para trabalhar da melhor forma possível em provas longas. Minha cabeça sabe o que o meu corpo aguenta. O exercício funcional ajuda superar a rotina de provas desgastantes”.

Completa seu perfil, a experiência acadêmica como Educador Físico altamente gabaritado em diversas áreas relacionadas à atividade física, ocupando inclusive atualmente o cargo de preparador físico da Confederação Brasileira de SUP. Educador físico de formação, especializado em fisiologia do exercício pela Escola Paulista de Medicina, e desenvolveu desde 2000 diversos trabalhos voltados para o surf e tem praticado testes e treinamentos com os principais nomes do circuito brasileiro de sup. A experiência como treinador começou na equipe vicentina de surfe, quando ganhou títulos dos jogos regionais. Também foi responsável pela preparação física da equipe brasileira de surfe em um mundial realizado no Peru.

Por Nancy Geringer / Fotos: Aloha Spirit - Divulgação

Circuito Surf Talentos 2016 apresenta os campeões da 1ª etapa

No último fim de semana foi dada a largada na 1ª edição do Circuito Surf Talentos Oceano 2016, na Praia da Saudade, em São Francisco do Sul, com  a participação de 135 competidores. O novo formato visa incentivar a formação de novos talentos do surfe catarinense. Direcionado as categorias de base, o destaque foi a categoria Petit, para surfistas de até 10 anos de idade, onde as vagas se esgotaram rapidamente, e 12 pequenos atletas com idades entre 5 e 9 anos estrearam na carreira.
Os pequenos surfistas competiram pela primeira vez, dando um verdadeiro show e surfando muito bem, auxiliados pelos pais, que também fizeram a diferença torcendo e apoiando a molecada. Entre os destaques da categorias petiz, o pequeno Takeshi Yoama de 9 anos foi o campeão e a pequena Julie Arissa, que com apenas 6 anos de idade, estreou na carreira muito bem, fazendo duas finais, na categoria Feminino Junior ficou na quarta colocação e na categoria Petiz na quinta colocação.
Categoria Petiz do Circuito Surf Talentos Oceano 2016 / Foto Marcio David
A competição também reuniu os principais surfistas desta nova geração do surfe catarinense divididos nas categorias Petiz (sub 10), Infantil (sub 12), Iniciantes (sub 14), Mirim (sub 16), Junior (Sub 18), Feminino Junior (sub 18) e Feminino Open. Entre os destaques presentes nesta primeira etapa, os imbitubenses Anderson Junior e Leonardo Barcelos, que foram os Campeões na categoria Mirim do Rip Curl Grom Search, e irão representar Santa Catarina e o Brasil na final mundial do evento.  Anderson foi o campeão de 2015 e Leonardo agora em 2016.  Ambos participam competindo nos eventos da Fecasurf desde das primeiras categorias, e agora já começam a colher os frutos, mostrando que o trabalho da Fecasurf nos últimos anos vem dando resultado.
Léo Casal e Ian Casal / Foto Marcio David
O pequeno Léo Casal também foi um dos destaques na Prainha.  Léo, que é o atual campeão catarinense da categoria Infantil, surfou como gente grande e conquistou duas belíssimas vitórias nas categorias Infantil e Iniciantes, largando na frente na corrida pelo título do circuito. A surfista da Guarda do Embaú Tainá Hinckel é uma das promessas do surfe catarinense feminino e também marcou presença na competição, fazendo três finais.  Venceu a categoria Feminino Junior, ficou na segunda colocação na categoria Feminino Open, e na terceira colocação da categoria Iniciantes, contra os meninos.
Palanque do Circuito Surf Talentos Oceano 2016 / Foto Marcio David
Quem também marcou presença no evento, retornando as competições, foi a surfista Gabriela Leite, umas das divas do surfe feminino catarinense, que foi bicampeã Catarinense, bicampeã Brasileira e campeã Sul-americana Profissional.  Gabriela mostrou que ainda tem o surfe no pé, vencendo a categoria Feminino Open na Prainha. “O sucesso desta primeira etapa mostra que estamos no caminho certo, e acreditamos que esta nova competição vai atrair novos nomes, e consequentemente novos talentos do surfe catarinense”, declarou o presidente da Fecasurf Reiginaldo Ferreira, muito feliz e satisfeito com os novos objetos da entidade. A próxima etapa já está marcada e será nos dias 02 e 03 na Praia do Santinho, em Florianópolis e as inscrições já estão abertas na Fecasurf www.fecasurf.com.br.

Por Norton Evaldt

Vídeo: 13º Desafio de Canoas Havaianas

O 13º Desafio Onbongo Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoas Havaianas, que aconteceu no dia 12 de maio, está em destaque no vídeo produzido pela Sup Life Brasil. O evento contou com atletas de várias partes do Brasil, até mesmo do Distrito Federal. A competição teve largada e chegada na Praia da Aparecida em Santos, e os competidores remaram a primeira parte do percurso pelo mar, passando por todas as praias de Guarujá, e depois pelo Canal de Bertioga e o Porto de Santos.
Os grandes vencedores foram os atletas da Poseidon, antiga TriboQPira, que já havia faturado o título outras cinco vezes. Eles completaram o trajeto em 6 horas, 16 minutos e 16 segundos, à frente da YCP Koa Va’a, formada em sua maioria por competidores da master, com 6h21min57s. Mas para a maior parte dos participantes, o resultado não foi o primordial. O que valeu foi completar o desafio.

Resultado
1.    Poseidon – 6h16min16s
2.    YCP Koa Va’a – 6h21min57s
3.    Matero (mista 1ª) – 6h37min29s
4.    Floripa Va’a – 6h41min05s
5.    ATR Hoe Mana – 6h44min25s
6.    Brucutus – 6h46min41s
7.    Bahia Va’a Salvador – 6h48mn48s
8.    Tios Floripa Va’a (master 1º) -6h53min42s
9.    Ohana Paddle Club Ilhabela (mista 2ª) 6h54min02s
10.  ATR Loucaos Va’a Júnior – 7h04min04s
11.  Kimi (mista 3ª) – 7h06min12s
12.  Hoa Aloha – 7n08min21s
13.  Wa’a Lost Canoa Brasil – 7h17min27s
14.  SP Va’a (master 2º) 7h18min59s
15. Haleakala (feminina 1ª) – 7h30min52s
16.  ATR Hoe Mana (mista 4ª) – 7h31min10s
17.  ATR Ohana Divas (feminina 2ª) – 8h06min07s
18.  Smile Mauna Loa Niterói (master 3º) – 8h11min32s
Não completaram:
·        Smile Mauna Loa Niterói (mista)
·        Raglan Vit Shop (master)
·        Ava Canoeiros do Paranoá Brasilia (open)

Por Fábio Maradei

Rip Curl lança novas roupas de borracha

Considerada a melhor vestimenta do Mundo pelo próprio segmento. A nova linha de wetsuits da marca evolui a cada coleção e para esse inverno chega com destaque no famoso modelo Flash Bomb E5, que agora está mais leve e flexível que sua versão anterior.
Utilizando a exclusiva tecnologia Flash Lining, um forro interno que permite que o produto seque em até 15 minutos, essa roupa de borracha é perfeita para quem faz mais de uma sessão de surf por dia ou ainda quer mais proteção contra o frio e conforto extra dentro d’água.

Além do Flash Bomb, a nova coleção de inverno apresenta os modelos da linha E-Bomb Pro, as roupas de borracha preferidas pelos surfistas. Mais informações no site www.ripcurl.com.br

Fonte FMA Notícias

Filipe após a lesão


Fala da lesão e da expectativa de sua volta às disputas:




Agradece a torcida pelas mensagens: 



Fonte FMA Notícias


Itafo Ferreira, com as contas em dia

Apesar dos 21 anos de idade, o surfista potiguar Ítalo Ferreira já demonstra muita maturidade e sabe o que quer para a sua carreira. Além de chegar ao título mundial, já organiza a sua vida, deixando o planejamento. Seu novo patrocinador,  a Órama Investimentos, além de toda responsabilidade no apoio também cuidará da gestão financeira do atleta. “O importante é poder surfar tranquilo, ter um time para me auxiliar, e sei que as finanças estão em boas mãos. Estou feliz por mais essa parceria”.
Italo Ferreira / Foto Marcelo Dada 
Italo iniciou a temporada 2016, como finalizou 2015, sufando muito bem. Chegou até o Round 3 no Quiksilver Gold Coast Pro, na Austrália, terminando na 13ª posição. Foi superado, numa decisão apertada – 14,04 a 13,83 – pelo norte-americano Conner Coffin. Agora, segue para  segunda etapa, o Rip Curl Pro Bells, também em águas australianas, que inicia no próximo dia 24. “No ano passado, consegui alcançar todos os objetivos, que era ser Rookie of The Year e terminar entre os dez melhores do Mundo. Esse ano eu quero ir mais além. Subir algumas posições e, quem sabe, no final estar bem no ranking e brigar pelo título”, destacou o surfista.

Por Fábio Maradei

Brasileiros disputam o Mundial de Powerman

Quatro duoatletas brasileiros que competiram no percurso de Jurerê Internacional, em Florianópolis, confirmaram presença para a competição europeia deste ano: o gaúcho Leandro Castanho, a carioca Rosane Marques, a paulista Patricia Scolari e o catarinense Arthur Chaudon. A competição suíça reúne os melhores duoatletas do mundo e, diferente da prova brasileira, conta com uma quilometragem especifica.
Patrícia Scolari é uma das quatro atletas que garantiram vaga para o Mundial de Powerman / Foto powerman Brasil 
No Brasil e em algumas outras etapas do circuito, os atletas encaram 20km de corrida (dividido em duas etapas de 10km cada) e 60km de ciclismo na categoria Classic e 10km de corrida (divido em duas etapas de 5km cada) e 20km de ciclismo na Sprint. Já na prova de Zofingen, a distância é maior, sendo 40km de corrida, com a primeira perna sendo 10km e a última de 30km, e mais 150km de ciclismo.

Além de garantir vaga, outros motivos levaram os atletas brasileiros a optarem na disputa do Mundial. No caso de Patricia Scolari, o percurso de ciclismo foi decisivo para sua confirmação na prova. O gaúcho Leandro Castanho também está em fase de treinamentos visando o Mundial na Suíça. Com uma rotina atarefada, o duoatleta concilia dois trabalhos, a faculdade e de seis a oito sessões semanais de treinos para chegar preparado ao evento em setembro.

Leandro já fechou sua agenda de competições até o Mundial. Antes de embarcar para a Europa, ele participará do Brasileiro de Duathlon, em abril, e do Powerman Brasil, marcado esse ano para o dia 31 de julho, novamente em Florianópolis.

Por Danilo Caboclo 

Vídeo: melhores momentos do Rip Curl Grom Search 2016

A Rip Curl selecionou as melhores imagens da grande final do Grom Search 2016, que ocorreu me Maresias, São Sebastião, nos últimos dias 5 e 6. O principal circuito sub16 do País definiu seus campeões em quatro categorias, duas delas valendo vagas para a finalíssima internacional do evento, no próximo ano, em algum lugar do mundo.
Os quatro campeões de 2016, Louisie Frumento, Leonardo Barcelos, Caio Costa e Mateus Sena / Foto Basílio Ruy
Na final em Maresias, o catarinense Leonardo Barcelos encerrou o circuito com 100% de aproveitamento. Entre as meninas a conquista da paulista Louisie Frumento. Ela entrou na final precisando da vitória e logo fez uma grande apresentação com nota 7 e depois um 7,75, para comemorar sua primeira vitória e o título.
Os dois atletas garantiram as vagas para a final internacional de 2017, com passagens e hospedagens pagas pela Rip Curl. Além dos dois, o Circuito também definiu os campeões da iniciante, com o potiguar Mateus Sena, e da grommet, com o talento local Caio Costa.

Por Fábio Maradei

15 de março de 2016

21º Revezamento Volta à Ilha de SC será em abril

Entre as quatrocentas equipes que participam do Revezamento Volta à Ilha existem atletas amadores, corredores de final de semana, alguns mais experientes e velozes e outros mais arrojados acostumados a longas distâncias, como o caso da dupla carioca Flávio Brito e Leonardo Mello, que participarão do evento na categoria Duplas. Amigos de infância, os corredores decidiram fazer a prova juntos após Leonardo se mudar para Santa Catarina.
O carioca Flávio Brito (foto), preparado para os 140km ao redor da Ilha de SC / Foto Arquivo Pessoal
Morando em Biguaçu há três meses, Leonardo Mello chega a sua terceira participação na prova. No entanto essa será a primeira vez que o corredor fará o percurso em duplas. Mesmo acostumado a participar de provas longa distância, Leonardo e Flávio sabem que a dinâmica da Volta à Ilha exige, além de ótimo preparo físico, uma grande logística para que a dupla não perca tempo em pontos chaves da prova, especialmente nas trocas. Além disso, a dupla traçou uma estratégia inteligente. Leonardo é mais rápido em terrenos como asfalto e praias de areia batida, enquanto Flávio Brito está mais acostumado a enfrentar trilhas e provas de aventura.

Mesmo com a distância, os dois estão com a estratégia afiada. Trocam dicas de treinamento e conversam periodicamente para avaliar como está o andamento dos treinos. Além disso, todos os meses a dupla se encontra para treinar juntos, seja em Santa Catarina ou no Rio de Janeiro.

Mais uma vez, aproximadamente quatro mil atletas participarão do desafio de percorrer os 140km divididos em 17 percursos de asfalto, trilha, praias e dunas, em um cenário paradisíaco em meio as belas paisagens da capital catarinense.  E a expectativa já começa a dominar os atletas garantidos na prova que está marcada para o dia 16 de abril, o Revezamento Volta à Ilha chega a sua 21ª edição em 2016 consolidando-se como a maior prova do gênero na América Latina.

Por Danilo Caboclo 

12 de março de 2016

Primeira Meia Maratona de São José será neste domingo

Superando todas as expectativas, a Meia Maratona de São José acontece neste domingo, 13, com a presença de 1.200 atletas na primeira edição da prova. Com percursos de 21km, 10km e 5km, o evento terá as largadas e chegadas para todos os percursos próximo ao Centro Mulituso, na Avenida Beira-Mar de São José. A largada da 1ª Meia Maratona de São José será às 7h30, e neste momento a Avenida Beira-Mar estará com todas as pistas fechadas para a circulação de carros por aproximadamente 30 minutos. O percurso de 5km e 10km passará pela Avenida Presidente Kennedy e pela própria Beira-Mar, sendo que os corredores que optarem pelos 10km farão duas voltas enquanto os de 5km farão apenas uma volta.
Avenida Beira-Mar de São José (SC), local da prova / Foto Viviana Ramos - Secom/PMSJ
Já os atletas da Meia Maratona (21km) terão uma volta de 7km, que também passa pelas Avenidas Presidente Kennedy e Beira-Mar e uma de 14km, que inclui passagem pelo Centro Histórico e Praia Comprida. (Os percursos completos podem ser vistos aqui. (http://www.correbrasil.com.br/#!percurso-so-jos/c1bd1). A prova faz parte do calendário de comemorações do aniversário de 266 anos da município de São José. "Esse evento é de extrema importância para o esporte josefense. Teremos mais de mil atletas participando da prova, o que mostra potencial esportivo da nossa cidade. É com grande prazer que recebemos mais este evento. Esperamos que ele se consolide no calendário municipal e venha a se tornar uma das melhores provas de corrida de rua do país", afirma Karoline Silva, secretaria de esportes e lazer do município de São José.

Retirada de kits: a movimentação em torno da prova tem início neste sábado com a entrega de kits. A retirada acontece somente no dia 12 de março, entre às 10h e 19j, na Fundação Municipal de Esportes e Lazer de São José, localizada na Avenida Acioni Souza Filho, s/n, Campinas – São José(SC). A organização ressalta que não haverá entrega de kits fora deste prazo. Outro ponto importante é de que apesar do grande número de inscritos, será possível realizar a inscrição da prova no local da retirada de kits. No entanto, o número de vagas é limitado.

Alterações no trânsito: além da interdição da Beira-Mar de São José entre às 7h30 e 8h da manhã para a realização da largada, mais algumas alterações no trânsito estão previstas para a segurança dos atletas. Entre as 7h30 e 10h, as Avenidas Presidente Kennedy e Beira-Mar terão fluxo em meia pista. Já o Centro Histórico terá passagem controlada também no mesmo horário.

Por Danilo Caboclo

11 de março de 2016

Adriano de Souza está na Komunity

O atual campeão mundial do WSL 2015, Adriano de Souza, está de casa nova. Contrato pela marca Australiana Komunity Project, o brasileiro Adriano ao assinar o contrato, afirmou: “Estou muito feliz por fazer parte da Komunity Project ao lado de uma equipe extraordinária. Sempre admirei os equipamentos, como os leashs e capas. Já sei que estão trabalhando no meu pro model de equipamentos e em breve haverá mais novidades.”
Adriano faz parte da estratégia de expansão da marca na América do Sul, onde se junta a Wiggolly Dantas e Silvana Lima, bem como a outros atletas como Bede Durbidge, Clay Marzo, Nikki Van Dyke e Stu Kennedy e ainda de lendas mundiais como Occy e Simon Anderson.

Paul Munten, CEO da Komunity Project, afirmou que estão super contentes por ter o Adriano na equipe para representar a Komunity. "A forma humilde e esforçada de trabalhar do Adriano é uma inspiração para todos nós. As suas origens humildes, seu trabalho, acreditamos que foi a força motriz que o conduziu ao patamar em que está hoje.”

Sobre a Komunity Project
Komunity Project foi fundada em 2006 com escritórios nos USA e Austrália. Hoje é 100% australiana, sendo uma gama de acessórios de surf produzida com vista à performance, durabilidade e qualidade suprema. Toda a Linha da Komunity Project foi projetada e desenhada com vista à performance e surf progressiva dos dias de hoje.

Redação InnerSport

John John Florens focado no título mundial

Está nas mãos dos brasileiros desde 2014, mas o novo foco nesta temporada 2016 da World Surf League,  de John John Florence é o título mundial. Não deixa de ser uma novidade, já há muito tempo o jovem surfista deseja segurar o troféu no lugar mais alto do pódio, mas talvez este ano o havaiano tenha finalmente decidido lutar por algo que seus fãs pedem, que se justifica por pleno e que faz todo o sentido: ser campeão mundial.
John John Florence / Foto Kirstin/WSL
Vale realçar que JJF, de 23 anos, terminou a temporada passada em 14º lugar do ranking e o melhor resultado que conseguiu ao longo de 2015 foi um segundo lugar em Margaret River, a terceira etapa do Tour que foi curiosamente vencida pelo atual campeão mundial, Adriano de Souza. O início em Snapper Rocks também não foi o melhor, ficando em segundo no heat 12, atrás do veterano Joel Parkinson, tendo agora que disputar a permanência no evento na ronda 2.

No entanto, em fevereiro último, o Eddie Aikau em Waimea Bay, foi vencido por ele, um título que pouco surfistas conseguirá alcançar.

Redação InnerSport

Brasileiros começam com "pé direito" em Gold Coast

Quatro brasileiros estrearam com vitórias na temporada 2016 da WSL, na Austrália. O potiguar Italo Ferreira venceu a primeira bateria do Pro Gold Coast nas boas ondas de 3-4 pés, em Snapper Rocks. Os campeões desta etapa de abertura nos dois últimos anos, Gabriel Medina e Filipe Toledo, que defende o título, também passaram direto para a terceira fase. E outro paulista, Wiggolly Dantas, fechou a participação brasileira estabelecendo um novo recorde de 17,26 pontos no penúltimo confronto do dia. O campeão mundial Adriano de Souza perdeu por quatro centésimos a sua primeira bateria do ano. Agora, Mineirinho e outros quatro brasileiros têm uma segunda chance de classificação na repescagem. Com as condições do mar em Snapper Rocks parecendo com as direitas do Pontal de Baía Formosa, onde Italo Ferreira nasceu, o melhor estreante do ano passado marcou com vitória a estreia do Brasil na temporada 2016. Ele liderou a primeira bateria do Quiksilver Pro Gold Coast desde a primeira onda que surfou. Uma das novidades da Austrália na elite dos top-34 deste ano, Ryan Callinan, ficou em segundo lugar e o havaiano Keanu Asing em último.
Gabriel Medina (SP) / Foto Kelly Cestari
Na terceira bateria, estreou o defensor do título do Quiksilver Pro Gold Coast, porém Filipe Toledo não mostrou tudo o que sabe, talvez guardando munição para o decorrer do campeonato. Mas, ele já usou os aéreos de frontside e apresentou a variedade de manobras modernas do seu repertório para conquistar a segunda vaga direta do Brasil para a terceira fase. Filipe Toledo somou as notas 6,53 e 7,83 que recebeu em duas ondas seguidas para vencer por 14,36 pontos.

O potiguar Jadson André também surfou bem, ficando em segundo com 13,30 e o australiano Stu Kennedy em terceiro com 10.67. Gabriel Medina, campeão na Gold Coast em 2014, também largou na frente na disputa seguinte, massacrando uma onda com uma série de seis manobras executadas com pressão e velocidade que tirou nota 7,67 dos juízes. Ele foi aumentando a vantagem a cada onda, mas o havaiano Sebastian Zietz surfou uma excelente, encerrada com um layback incrível jogando muita água para receber a maior nota do dia até ali - 8,67.
Italo Ferreira (RN) / Foto Kelly Cestari
Medina não desistiu e no último minuto pega uma boa onda para mandar uma série de três manobras muito fortes de backside. Ele buscava 7,14 pontos para a vitória e recebeu nota 8,50 para totalizar 16,17 pontos contra 14,80 do havaiano. O estreante Caio Ibelli não conseguiu acompanhar o forte ritmo dos adversários e ficou em último. Com as ondas melhorando na secante da maré em Snapper Rocks, os recordes do Quiksilver Pro Gold Coast começaram a subir. O vencedor da triagem, Wade Carmichael, logo aumentou o de nota para 8,93 e Mick Fanning surfou três ondas muito boas para atingir 17,24 pontos com notas 8,87 e 8,37. O tricampeão já anunciou que não vai disputar o título mundial esse ano, mas que participará de algumas etapas. Ele confessou estar competindo bem mais relaxado sem a pressão por resultados. Fanning foi vice-campeão nos dois anos dos primeiros títulos mundiais do Brasil, perdendo para Gabriel Medina em 2014 e para Adriano de Souza em 2015.

Mineirinho entrou com a lycra amarela de número 1 do Jeep Leaderboard na bateria seguinte, que acabou sendo a mais disputada do dia. O norte-americano Kolohe Andino começou bem, destruindo uma onda com várias manobras para ganhar a maior nota do dia até ali, 9,10. O campeão mundial correu atrás e assumiu a ponta com a nota 6,77 da segunda onda que completou. Mas, o californiano retomou a liderança com o 4,57 que recebeu em seguida. Kolohe ficou na frente até Adriano achar uma boa direita, que abriu a parede para ele fazer duas manobras fortes no outside e seguir atacando a onda até o fim. Ele precisava de 6,91 pontos e a nota saiu 6,93 para virar o placar para 13,70 a 13,67 pontos há três minutos do fim.
Wiggolly Dantas (SP) / Foto Kirstin Scholtz
Adriano ainda mostrou a experiência de campeão mundial para usar a prioridade de escolha numa onda que Kolohe Andino tentou pegar no minuto final. Só que o australiano Michael Wright ainda surfa mais uma onda com grandes manobras precisando de 6,84 pontos para vencer. E ele recebeu o mesmo 6,87 da sua onda anterior para pular do terceiro para o primeiro lugar. Com essas duas notas, o convidado da Quiksilver totalizou 13,74 pontos, contra 13,70 de Adriano de Souza e 9,10 do Kolohe Andino, que perdeu a segunda nota pela penalidade de interferência naquela disputa de onda com Mineirinho. Depois, o estreante na elite dos top-34 da World Surf League esse ano, Alex Ribeiro, também perdeu por pouco para o norte-americano Nat Young no placar encerrado em 12,87 a 12,14 pontos, com o australiano Kai Otton em último com 11,50. No entanto, para colocar o Brasil em destaque no primeiro dia do Samsung Galaxy Championship Tour, Wiggolly Dantas fez uma apresentação brilhante com a potência das suas manobras de backside em Snapper Rocks.

Com notas 8,83 e 8,33, ele aumentou o recorde de Mick Fanning de 17,24 para 17,26 pontos na terceira bateria com participação dupla do Brasil na sexta-feira. Miguel Pupo não achou boas ondas e ficou em último, superado também pelo sul-africano Jordy Smith. A rodada de apresentação dos melhores surfistas do mundo nas etapas do World Surf League Tour não é eliminatória. Os vencedores das baterias avançam direto para a terceira fase, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação. O campeão mundial Adriano de Souza vai abrir a segunda fase enfrentando o australiano Wade Carmichael, que venceu a triagem e deu trabalho para Mick Fanning na sexta-feira. Se Mineirinho ganhar dele, voltará a enfrentar Michael Wright na terceira fase.
Filipe Toledo (SP) / Foto Kelly Cestari
O estreante Alex Ribeiro, que não está 100% fisicamente por estar voltando de contusão, foi escalado na oitava bateria com o australiano Adrian Buchan. Depois tem um duelo brasileiro entre o potiguar Jadson André e o paulista Miguel Pupo no décimo confronto da segunda fase e só um continuará vivo na competição. E a 11.a bateria será entre dois novatos na divisão de elite, o número 1 do WSL Qualifying Series 2015, Caio Ibelli, e o australiano Jack Freestone, que brigaram pelo primeiro lugar no ranking de acesso até a última etapa no Havaí.

Por João Carvalho 

Equipe Matero é mista no Volta à Ilha de Santo Amaro

O nome Matero remete à tradição em provas de aventura, remadas. E estará bem representado na mais longa prova de canoagem do mundo, o 13º Desafio Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoas Havaianas, nesta sexta-feira 12, na Baixada Santista. A equipe paulistana competirá na categoria mista, com três homens e três mulheres sempre remando. Eles enfrentarão 75 km de percurso, entre mar e rio e a expectativa é de um grande desempenho.
Foto Divulgação
A equipe será formada por cinco mulheres e quatro homens (três atletas para o revezamento). Entre os destaques estão Carmen Lucia, com grande vivência na canoagem e uma das pioneiras na modalidade, Sérgio Prietto e Dave Macknight, que competem pela forte equipe Samu masculina, recordista da prova, inclusive, e com conquistas no exterior.

Além de Viviane, Carmen, Sergio e Dave, a equipe Matero, que treina regularmente na raia da Cidade Universitária, em São Paulo, contará com Mariana Capitani, Juliana Ruiz, Patrícia Linger, Vitor Pogetti e Vinicius Sanches.

13º Desafio Onbongo Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoas Havaianas contará com 21 equipes, recorde de participação, entre elas cinco canoas na categoria mista. A disputa, com largada estilo “Le Mans”, será na Praia da Aparecida, em Santos. De lá, os atletas remarão costeando todas as praias de Guarujá, por quase 40 km, até o Canal de Bertioga, para enfrentar trecho de rio. A última parte da prova será no porto de Santos, para a chegada novamente na praia da Aparecida.

Por Fábio Maradei

10 de março de 2016

Futebol Radical entra em campo

Skates de lado e chuteiras nos pés! Entra em campo a 4ª edição do "Futebol Radical", organizado pela ONG Social Skate, presidida pelo educador social e skatista Sandro Testinha. O evento consiste em dois times formados por skatistas profissionais em um jogo de futebol amigável, divertido e com o intuito de ajudar.
Na última edição Sandro Dias e Rony Gomes prestigiaram o evento / Foto Divulgação
A partida acontecerá na Associação Atlético Poaense, em Poá. O evento vai movimentar a cidade e está previsto para o dia 19 de março, às 16 horas. "É um dia de muita diversão, confraternização e também de mostrar a importância dos projetos da ONG, além de reunir os melhores skatistas do Brasil e do mundo numa partida de futebol", explica Testinha.

Sobre a ONG Social Skate
A Associação Social Skate tem por objetivo desenvolver e estimular a transformação, por meio do esporte, entre crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, com conceitos de cidadania, e intuito de estimular o aumento da formação cultural e educacional utilizando o skate como ferramenta de inclusão. Público Atendido: Crianças e Adolescentes de 06 á 17 anos.
A ONG Social Skate é mantida por meio das vendas das camisetas que garante o já tradicional café da manhã e o lanche da tarde dos alunos. Para comprar uma camiseta e ajudar no projeto, envie e-mail para socialskate@hotmail.com e faça parte da família Manobra do Bem ou colabore com qualquer quantia com depósito no Banco do Brasil: Agência 6819-5 – Conta 11347-6

Redação InnerSport

Pro Gold Coast 2016, sem ondas

As condições das ondas fizeram a organização do Quiksilver Pro Gold Coast e do Roxy Pro  adiar a chamada para o início do World Surf League Championship Tour, nesta quinta-feira na Austrália, em Snapper Rocks.  O primeiro dia da janela do evento vai até 21 de março em Queensland. A decisão foi anunciada na segunda chamada do dia, às 11h30, com a próxima marcada para às 7h30 da sexta-feira em Gold Coast - 18h30 desta quinta-feirab pelo fuso horário de Brasília, com transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com
Foto Divulgação - evento de 2011 / Credit: © ASP / SCHOLT
O Brasil estreia na temporada logo na primeira bateria, com o potiguar Italo Ferreira, vencedor do prêmio de melhor estreante do ano passado, enfrentando o havaiano Keanu Asing e o australiano Ryan Callinan. Na terceira etapa Filipe Toledo começa a defender o título, contra o potiguar Jadson André e o australiano Stu Kennedy. Esta primeira rodada não é eliminatória. Os 36 participantes são divididos em doze baterias e os vencedores avançam direto para a terceira fase, mas os perdedores têm outra chance de classificação na segunda fase. Depois de Filipinho, entra Gabriel Medina junto com uma das novidades na "seleção brasileira" deste ano, Caio Ibelli, além do havaiano Sebastian Zietz.

Na disputa seguinte, Mick Fanning, vice-campeão mundial nos títulos brasileiros de Medina e Mineirinho, faz um confronto australiano com Matt Banting e Wade Carmichael, que venceu a triagem disputada na quarta-feira em Snapper Rocks. A outra vaga de convidado ficou para o também australiano Mikey Wright, que completou a sexta bateria do cabeça de chave número 1, Adriano de Souza, e do norte-americano Kolohe Andino. Depois de Mineirinho, o próximo brasileiro a competir será um dos novatos na elite deste ano, o paulista Alex Ribeiro, que vai fazer sua primeira apresentação entre os melhores surfistas do mundo na nona bateria, do norte-americano Nat Young e do australiano Kai Otton. E outros dois brasileiros vão disputar a penúltima classificação direta para a terceira fase com o sul-africano Jordy Smith, os paulistas Wiggolly Dantas e Miguel Pupo.

2015 - Os brasileiros dominaram o circuito no ano passado, que começou e terminou com bicampeonatos inéditos do Brasil na World Surf League. Primeiro, Filipe Toledo ganhou com nota 10 na final a segunda vitória verde-amarela seguida no Quiksilver Pro Gold Coast. E no Havaí, Adriano de Souza sacramentou a conquista do título mundial com vitória na final brasileira com Gabriel Medina no Billabong Pipe Masters. Mineirinho e Filipe repetiram os feitos do fenômeno Medina em 2014. Dessa vez, é Adriano quem vai competir com a lycra amarela de número 1 do Jeep Leaderboard em Snapper Rocks. Medina terminou em terceiro no ranking de 2015 e Filipe em quarto, sendo o único a vencer três etapas na última temporada.

Por João Carvalho

Circuito Surf Talentos Oceano SC 2016

Tudo certo para a abertura do Circuito Surf Talentos Oceano 2016, que acontece neste sábado (12) e domingo (13), na Prainha de São Francisco do Sul(SC). A competição vai reunir a elite da nova geração do surfe catarinense num novo campeonato que busca incentivar a formação de novos talentos direcionado as categorias de base proposto pela Fecasurf para este ano.
Prainha de São Francisco do Sul / Foto Basilio Ruy
As categorias Junior e Mirim são as que revelam o maior número atletas para os circuitos brasileiro e mundial, e acreditando nisto, a Fecasurf juntamente com a organização do Circuito e seus parceiros vão apostar firme em 2016 nas categorias de base, preparando a molecada para disputas nos futuros circuitos profissionais.
 
No ano passado a Fecasurf já havia alterado o formato incluindo o sistema de baterias homem x homem com regras de prioridade nas categorias Junior e Mirim, seguindo o padrão das competições do circuito brasileiro e mundial.  Este ano como os atletas já estão mais acostumados e familiarizados com estas regras, a Fecasurf vai coloca-los em confronto direto com as categorias Open e Profissional numa competição especial que oferece 08 vagas de pré-classificados na segunda fase do evento para os quatro melhores Mirins e Juniores de cada etapa. Assim a molecada vai chegar lá na frente com uma bagagem maior e mais preparados para este tipo de disputa. A competição Pro/Am distribuirá R$ 2.000,00 de premiação por etapa.
 
Além das categorias Junior (sub 18) e Mirim (sub 16), o Circuito Surf Talentos Oceano 2016 terá a Petiz (sub 10), Infantil (sub 12), Iniciantes (sub 14), Feminino (sub 16), Feminino Open, mais a competição especial Pro/Am.

Por Norton Evaldt

Monyca Eleogram faz campanha Roxy 2016

A marca pioneira em surfwear feminino, anuncia a chegada da linha Hero Print para o Inverno 2016. Inspirada na forte influência, as peças vão valorizar a tradição que reforça a sua história através de suas raízes e da moda. A surfista havaiana do time da Roxy, Monyca Eleogram, é o rosto da campanha global realizada em um cenário cheio de natureza e beleza.
Vestido, blusa, casaco, mochila e carteira, vão compor a coleção cápsula. Produtos com cores fortes e estampas florais, além de modernos e estilosos. Feitos para serem usados em todos os momentos e lugares, as roupas remetem ao lifestyle da Roxy, sempre jovem, colorido, alegre e divertido. Para saber mais sobre a Roxy, acesse: www.roxybrasil.com.br

Por Daniel Vinci

João Renato encara a Volta à Ilha de Santo Amaro

O ano promete ser intenso para o remador vicentino João Renato Moura. Atual vice-campeão sul-americano de canoagem Master, ele encara neste fim de semana a dura prova de canoa havaiana que circunda a ilha de Santo Amaro, considerada a maior competição do mundo na modalidade, com percurso total de 75 km. No 13o Volta da ilha de Santo Amaro, ele integra a equipe Brucutus Canoe Club, formada em 2002 e uma das mais tradicionais do Brasil. “Venho treinando com eles e estou otimista para minha estreia neste tradicional evento do calendário nacional”, comenta. A disputa no próximo dia 12, com largada e chegada em Santos, costea toda a ilha, entre trechos de mar e rio. Cada equipe compete com nove integrantes, seis na canoa e três revezando. O primeiro trecho será pelo mar, com cerca de 40 km, passando por todas as praias de Guarujá. O restante será em águas calmas pelo Canal de Bertioga até o Porto e depois para a chegada.
João Renato / Foto Gilmar de Oliveira CAMPBR
No fim de semana seguinte (19 e 20/3) ele alia a canoagem à sua experiência no triathlon para encarar a primeira etapa do circuito brasileiro Aloha Spirit Festival, maior evento de modalidades aquáticas do Brasil e um dos maiores no mundo. Defensor do título nacional Master OC1, ele competirá em três provas distintas: natação, canoagem e apnéia. “Será uma prova intensa, mas a prioridade com certeza é a canoa havaiana. Desde o início do ano tenho treinado intensamente para buscar o bicampeonato em minha categoria. As outras modalidades complementam o treinamento que já faço”, explica. Porém, os olhos de João Renato brilham quando o assunto Hawaii vem à tona. Após disputar as provas mais importantes do mundo duas vezes consecutivas, ele ficou de fora no ano passado e esta ansioso para voltar ao arquipélago. “Lá é o “Iroman” do esporte. É sempre muito bom. Neste ano, colocarei em prática minhas principais habilidades. Farei a prova de OC1 (Molokai até Oahu – 56 km), de stand up e ainda quero fechar com chave-de-ouro disputando um campeonato de surf em Haleiwa, no North Shore de Oahu. Porém, minha grande meta deste primeiro semestre é a participação na travessia entre as ilhas de Molokai e Oahu de OC1”, explica. O freesurf na meca do esporte também está nos planos do competidor. “É sempre muito bom aproveitar alguns dias de folga entre uma prova e outra para surfar as melhores ondas do mundo”.

Agora, é o momento de esquematizar toda logística e ajeitar as parcerias. “A temporada havaiana tem um custo muito alto. Além de o dólar nas alturas preciso bancar o barco de apoio, equipamento, estadia e alimentação. Estou no momento de viabilizar tudo para chegar lá e só pensar na competição”, comenta ele, que conta com apoio da Board House, Kialoa e Mithus. Considerado um novato na canoa, João Renato foi lançado ao topo do esporte após conquistar o título nacional e chegar ao vice-campeonato no Sul-americano realizado em novembro passado em Santos. “Realmente, a canoa havaiana chegou de mansinho, mas agora tomou conta da minha trajetória competitiva. Aprendi com grandes mestres e tenho focado intensamento no preparo fora da água para manter o mesmo ritmo de 2015”, ressalta o competidor.

Por Nancy Geringer

9 de março de 2016

Brasil na noite de gala em Gold Coast

A semana começou positiva para o Brasil na noite de gala da World Surf League na Gold Coast. Foram seis premiados desfilando pelo tapete vermelho entre os destaques da última temporada, começando pelo campeão mundial Adriano de Souza, que centralizou todas as atenções. Também foram chamados para subir ao palco o campeão mundial Pro Junior, Lucas Silveira, Italo Ferreira como o estreante do ano no CT, Filipe Toledo como revelação da temporada e Gabriel Medina e Silvana Lima por terem feito a melhor manobra nas etapas do WSL Championship Tour 2015. Além deles, outro representante da América do Sul foi anunciado para receber o seu segundo troféu de campeão mundial de Longboard, o peruano Piccolo Clemente.
Adriano de Souza (SP) / Foto Kelly Cestari / WSL
"Eu só tenho que agradecer à minha família por estar vivendo este momento especial", destacou Adriano de Souza, que começou a carreira no Guarujá com o apelido de Mineirinho, herdado do irmão mais velho, o Mineiro, que comprou sua primeira prancha. "Eu sei que não é fácil deixar o seu filho de apenas 12 anos de idade viajando sozinho pelo mundo para correr atrás do seu sonho. Minha família me deu todo o apoio para eu ir em busca desse sonho e acredito que isso foi uma grande demonstração de amor".

"É uma sensação incrível estar aqui hoje e muito especial por poder dedicar esse título ao meu bom amigo, Ricardo dos Santos (assassinado em frente à sua casa em janeiro de 2015 na Guarda do Embaú-SC)", continuou Adriano de Souza. "Eu tenho essa tatuagem em memória dele. Ele tinha essa mesma tatuagem com as palavras ‘Força, Equilíbrio e Amor’. E isso era tudo o que eu precisava para ganhar esse título mundial. Dedico o título também ao meu irmão, que comprou a minha primeira prancha por sete dólares e agora estou aqui, no topo do mundo".

Premiados:
Campeão mundial da WSL: Adriano de Souza (BRA)
Campeã mundial da WSL: Carissa Moore (HAV)
Vice-campeão mundial: Mick Fanning (AUS)
Vice-campeã mundial: Courtney Conlogue (EUA)
Campeão mundial Big Waves: Greg Long (EUA)
Campeões mundiais de Longboard: Piccolo Clemente (PER) e Rachel Tilly (EUA)
Campeões mundiais Pro Junior: Lucas Silveira (BRA) e Isabella Nichols (AUS)
Estreantes do Ano no CT: Italo Ferreira (BRA) e Tatiana Weston-Webb (HAV)
Revelações do Ano: Filipe Toledo (BRA) e Courtney Conlogue (EUA)
Melhor Manobra do Ano: Gabriel Medina (BRA) e Silvana Lima (BRA)
Melhor Onda do Ano no CT: Owen Wright (AUS) e Carissa Moore (HAV)
Bateria do Ano no CT: Mick Fanning (AUS) x John John Florence (HAV) x Kelly Slater (EUA) em Banzai Pipeline e Carissa Moore (HAV) x Sally Fitzgibbons (AUS) em Honolua Bay

Por João Carvalho

Marcos Corrêa quer mais pontos

O surfista profissional Marcos Corrêa viajou na última terça-feira (8) para a Flórida, nos Estados Unidos, para competir no Ron Jon Vans Pro, que tem nível de uma estrela QS1000, em Shepard Park Cocoa Beach, que inicia nesta quinta-feira (10). “A expectativa é fazer um resultado bom e, se possível, ganhar. Preciso de pontos na divisão de acesso para poder participar dos campeonatos seis estrelas e dos Primes, onde a pontuação é bem maior”, revela Corrêa, atleta de São Vicente, litoral sul paulista.
Marcos Corrêa / Foto Felipe Santos
Para alcançar seu objetivo, o surfista de 19 anos mantém um treino diário. “Quando o mar está colado, faço o treinamento físico na areia todos os dias, mas quando tem onda, divido entre o mar pela manhã e, à tarde, trabalho a parte física. Os exercícios são baseados nas manobras do surf e a cada treino vejo que estou evoluindo e isso está me trazendo bons frutos no surf”.

 Este será o seu terceiro ano como profissional. Em 2015, Marcos Corrêa conquistou dois importantes resultados: venceu a primeira etapa do Maresia Paulista de Surf Profissional e fechou o ano na terceira colocação geral. Já na última etapa do Oi SuperSurf de Saquarema, ele também fez pódio ao assumir a terceira colocação, encerrando o ano como top-15 no circuito profissional brasileiro.

 Por Marcos André e Araújo

Curitiba recebe a exposição Fotos de Gavetas

No próximo dia 20 de março, Curitiba/PR receberá a exposição de fotografia coletiva FdG - Fotos de Gavetas, que acontece na Drop Dead Skatepark, local com estrutura de 1000 metros quadrados e capacidade de receber mais de 300 pessoas. A intenção do evento é mostrar ao público o talento dos futuros fotógrafos que investem nesta modalidade, e também de profissionais consagrados.
São fotos físicas e virtuais que serão apresentadas no dia. Outros trabalhos em que o skate esteja envolvido também estarão expostos. Além disso, o evento servirá de vitrine para estimular a cena da fotografia de skate para o país.

A finalidade é que o Fotos de Gavetas se torne mais um canal para os profissionais da área apresentarem seus trabalhos, estimular a produção de conteúdo e revelar novos talentos. Saiba mais sobre o projeto por meio do site www.fotosdegaveta.com.br. Atividades multiculturais, best trick, entre outras manifestações culturais envolvendo o skate também fazem parte da programação.

Exposição Fotos de Gaveta:
Data: 20/03 (domingo) – Das 14 às 20 horas na Drop Dead Skatepark
Local: Travessa da Lapa 231 Centro, Curitiba/PR

Redação InnerSport

Circuito Rei e Rainha do Mar lança o Movimento AMO MAR

As inscrições para a primeira etapa do Rei e Rainha do Mar estão abertas no site reierainhadomar.com.br

Foi nas areias e no mar do Rio de Janeiro que o Circuito Rei e Rainha do Mar se tornou o maior festival de esportes de praia do Brasil. E com a preocupação de preservar e cuidar do seu “habitat natural”, que também é o maior atrativo turístico da Cidade Maravilhosa, o evento acaba de criar o Movimento AMO MAR, uma iniciativa que tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a responsabilidade socioambiental com as praias. O AMO MAR tem como porta-voz o ex-nadador Luiz Lima e propõe uma praia limpa e um mar sem lixo. A primeira ativação do movimento acontecerá no próximo dia 13 de março, quando será realizada a primeira edição de 2016 do Rei e Rainha do Mar, nas praias do Leblon e Arpoador.
O AMO MAR ganha força graças às parcerias com outros movimentos, como o Rio Eu Amo Eu Cuido, que programou algumas ações para o evento no dia 13 de março. A parceria vai distribuir bags (sacos de papel), que servirão como depósitos de lixos para os banhistas, além de portas-guimba, uma vez que a bituca de cigarro é um dos grandes vilões da areia. Já Strawplast, maior fabricante de canudos de plásticos do Brasil, também se juntou ao movimento e vai financiar catadores de microlixo durante o Rei e Rainha do Mar, nas areias do Leblon e Arpoador. Esta ação, além de inédita no evento, é também rara nas praias cariocas.

O Movimento Lixo Zero, que é parceiro da Comlurb, também se juntou ao AMO MAR e ao Rei e Rainha do Mar. Eles, que operam a Usina de Reciclagem do Caju, são a garantia de que os resíduos coletados terão um destino correto. Além das parcerias, o AMO MAR vai contar com voluntários no recolhimento do lixo nas praias. Os banhistas presentes nos eventos estão convidados a participar. Mas, o grande objetivo do Rei e Rainha do Mar é manter o AMO MAR vivo durante todo o ano, não só nas praias, mas também levando o movimento para crianças de escolas públicas e privadas, através de palestras com os biólogos marinhos do BrBio Instituto Brasileiro de Biodiversidade, que também abraçou o projeto. Desse modo, a proposta é fazer com que essa conscientização seja constante, em todos os sentidos e oportunidades.

O Circuito Rei e Rainha do Mar está completando oito anos de sucesso. Desde 2014, o evento é o único representante da América do Sul na World Open Water Swimming Series (WOWSS), série que reúne as 13 melhores competições de águas abertas do mundo. Em 2015 o circuito passou a fazer parte também de outra série reconhecida mundialmente: a Global Swim Series. A chancela da GSS caracteriza o Rei e Rainha do Mar como um evento seguro, divertido e competitivo para nadadores de diferentes níveis e países.
No ano de 2015, pela primeira vez em sua história, o Circuito Rei e Rainha do Mar saiu do Rio de Janeiro, desembarcando com sucesso na bela praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis, Santa Catarina, e no Aterro de Iracema, em Fortaleza, Ceará. Em 2016, provas do Circuito Nacional já estão confirmadas nas cidades de São Paulo e Bahia.

As etapas do Rei e Rainha do Mar no Rio de Janeiro são apresentadas pela Light, viabilizadas por Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, através da Lei de Incentivo ao Esporte, com patrocínio da Piraquê, Furnas, Great Britain. Promoção JB FM. As etapas de fora, correspondentes ao Circuito Nacional, contam com patrocínio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte e do Premmia, programa de fidelidade dos postos Petrobras, além do apoio das Prefeituras locais.

Por Fernando Vieri / Fotos Divulgação

8 de março de 2016

Costes sai na frente no Mundial de Bodyboarding 2016

O francês Pierre Louis Costes conquistou na última sexta-feira, 4 - madrugada de sábado Brasil - o título do APB 2016 Mike Stewart Pipeline Invitational, primeira etapa do Circuito Mundial de Bodyboarding da APB. Com uma atuação épica na final, o campeão mundial de 2011 abusou dos tubos, backflips e air reverses em Pipeline para levantar o caneco com uma atuação digna de um grande campeão.
Pierre Louis Costes Foto Joshua Tabone/ APB Media
Em mais um dia clássico de Pipeline, com ondas tubulares perfeitas quebrando entre 6-10 pés (2m a 3m), Pierre dominou a final deixando todos os adversários em combinação. O francês teve ótimos momentos até chegar à decisão, mas o melhor estava por vir e foi justamente na final. Com notas 9,43 e 9,83, Pierre somou incríveis 19,26 pontos em 20,00 possíveis para sacramentar a conquista da etapa e, consequentemente, a liderança do ranking mundial.

Com um estilo muito afinado, o local Jacob Romero bem que tentou parar o francês, mas acabou na segunda posição. Com um ótimo repertório de manobras o havaiano somou 16,17 pontos (7,67 e 8,50 em suas duas melhores ondas) e acabou na segunda posição. Atual campeão mundial, o sul-africano Jared Houston chegou mais uma vez a final (quarta vez) em Pipeline e acabou em terceiro lugar. Lewy Fineggan, da Austrália, completou o pódio na quarta posição.

Brasil - foi muito bem representado na etapa de abertura do Circuito Mundial da APB. Hexacampeão mundial e com residência fixa no Havaí, Guilherme Tâmega mostrou que conhece muito bem a onda de Pipeline chegando as semifinais. O mesmo fez o big rider Dudu Pedra, local de Itacoatiara (uma das paradas do Circuito Mundial). Sócrates Santana, o atual campeão mundial Pro-Junior, também mostrou que está trilhando o caminho certo. Em sua primeira competição oficial na desejada onda de Pipeline, o jovem atleta se destacou nas ondas e chegou até as quartas de final do evento, com muita atitude.

Resultados do APB Mike Stewart Pipeline Invitational
Final: 1o Pierre Louis Costes (FRA) 19.26, 2o Jacob Romero (HAW) 16.17, 3o Jared Houston (SAF) 15.03,4o Lewy Finnegan (AUS) 12.10

Por Danilo Caboclo

Circuito Sun & Fun Adventure 2016

As inscrições para a primeira etapa do Circuito Sun & Fun Adventure 2016 se encerram no próximo dia 10 de março, e podem ser feitas por meio do site www.circuitosunfun.com. Já o evento está programado para começar no 13, na comunidade Caruaru, em Mosqueiro.
O Circuito Sun & Fun Adventure 2016 é, também, um trabalho social. Ao final de cada etapa do circuito, o instrutor e coordenador do evento, Bruno Callderon, irá oferecer aulas gratuitas de stand up paddle para 50 jovens da Comunidade de Caruaru, da cidade de Ponta de Pedras e da ilha de Cotijuba. O objetivo é utilizar o potencial dos esportes aquáticos para o desenvolvimento social das comunidades que circundam o estado do Pará.

“O que queremos é aproveitar a intimidade que muitos dos jovens paraenses tem com a água para formar atletas. Acredito que muito em breve o stand up paddle será uma modalidade olímpica e o Pará pode ser uma potência nesse esporte, então buscamos fazer a nossa parte, tentando desenvolver o potencial desses jovens para que, futuramente, eles possam mudar as suas vidas e a de suas comunidades por meio do esporte.”, explica Bruno Callderon.

Por Denys Sarmanho


7 de março de 2016

Louisie Frumento garante o título do Grom Search 2016

A paulista Louisie Frumento conquistou o lugar mais alto do pódio numa final emocionante do Rip Curl Grom Search, no último domingo, nas ondas de Maresias, em São Sebastião. Com a vitória Louisie representará o Brasil na final internacional no próximo ano. Outro que fará par com a surfista em 2017,  será  o paulista Leonardo Bastos, que no sábado garantiu o título da Mirim. A final mundial do evento acontecerá em algum lugar do planeta, com a viagem e hospedagem custeadas pela Rip Curl.
Louisie e Leonardo vencem o Rip Curl Grom Search 2017
Além dos dois, o Circuito também definiu os campeões da iniciante, com o potiguar Mateus Sena, e da grommet, com o talento local Caio Costa. Das quatro conquistas, a mais tranquila foi de Leo Barcelos na mirim (até 16 anos), que já no sábado definiu o título, mas seguiu surfando bem e foi o único a terminar o Circuito com 100% de aproveitamento. Mas foi na feminina, também com limite de 16 anos, a mais emocionante. Depois de duas semifinais eletrizantes, com Carol Bonelli e Maju Freitas virando em suas últimas ondas para as classificações, e na sequência Thainá Hinckel e Louisie Frumento dando shows nas ondas, com scores altos, a final era promessa de grande disputa. E não decepcionou. Louisie entrou precisando da vitória e logo fez uma grande apresentação, com uma nota 7 e depois um 7,75, não sendo ameaçada.

A briga então ficou pelo segundo lugar, que garantiria a Carol o título. Mas a surfista de Saquarema não repetiu as grandes atuações e ficou a menos de um ponto de superar Thainá. No ranking, Louisie e Carol terminaram com a mesma pontuação e o desempate foi pelo melhor resultado da última etapa, conforme previa o regulamento.

Na categoria iniciante (limite de 14 anos), Mateus Sena também venceu e convenceu. Para ele, só interessava o segundo ou primeiro lugar, para superar o paulista Daniel Adisaka, vencedor das duas etapas iniciais e que acabou perdendo no round 2. Kauê Germano, competindo em casa, também estava na briga pelo caneco e os dois protagonizaram uma bateria de alto nível. O paulista estava na frente, com o surfista do Rio Grande do Norte em segundo. Mas Mateus confirmou o título com uma direita quase perfeita, com duas “pauladas” no lip da onda, que garantiram nota 9,35. Já entre os caçulas da grommet (sub12), Caio Costa voltou a repetir a grande atuação de Saquarema para vencer, superando Raphael Castro, do Rio de Janeiro.

Por Fábio Maradei

Equipe Brucutus é destaque no XIII Desafio de Canoas Havaianas

Das 21 equipes inscritas para o 13º Desafio Onbongo Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoas Havaianas uma pode ser considerada “veterana”. Presente em todas as edições, a Brucutus Canoe Club, de Bertioga, sempre figura entre as principais forças nas remadas neste tipo de embarcação no Brasil. Neste ano, não será diferente. O time chega forte para tentar a inédita vitória, que já esteve muito perto em diversas ocasiões. A disputa no próximo dia 12, com largada e chegada em Santos, é a mais longa do Mundo, com nada menos que 75 km de percurso costeando toda a ilha, enfrentando trechos de mar, com chances de ondulações, e de rio. Cada equipe compete com nove integrantes, seis na canoa e três revezando.
Equipe Brucutus / Foto Gilmar Domingos de Oliveira
Criador e capitão da Brucutus, o sargento do Corpo de Bombeiros, Everdan Riesco é um dos pioneiros da canoa havaiana no País e, sem dúvida, o mais experiente na prova e sabe que a vivência acumulada em 12 edições pode ser um diferencial. “Comecei na primeira travessia e nunca parei. Acredito que junto com o Rafael Leão (hoje na equipe Samu), somos os mais antigos da América do Sul em atividade”, comenta. “A expectativa é sempre a melhor, vencer!”, anuncia Riesco, lembrando das superações que já enfrentou na prova. “Para quem competiu com uma canoa partida ao meio e conseguiu trocar em Bertioga e terminar com glória, estamos sempre prontos para nos superar”, ressalta. “Foram muitos momentos marcantes, mas um em especial, quando remamos mais de 30 quilômetros sem revezamento, porque o nosso barco de apoio quebrou, e a equipe rival nos passou após hora, numa chegada muito emocionante”, conta.

Ele remará junto com Antonio Carlos, Sergio Coelho, Marco Antonio da Silva, Emanuel Amaral, Joao Renato, Diego dos Santos de Jesus, Eduardo Leal e Ícaro Bispo. “Teremos equipes fortes, que não conhecemos, como a da Bahia e de Brasília, além do pessoal do Rio de Janeiro e de Santa Catarina. Vamos respeitar todas de forma igualitária”, diz Riesco, feliz com a evolução do esporte, que viu “nascer”, inicialmente em Santos. “O crescimento já era esperado. O Fábio Paiva escolheu bem os seus parceiros e investiu muito. Eu também investi bastante em competidores, tanto que a maioria dos remadores campeões sul-americanos foram meus atletas de muitos anos. Então posso dizer que o Fábio investiu no material e eu no pessoal”, relata, referindo-se ao organizador do evento e, sem dúvida, o maior entusiasta da modalidade, responsável pela popularização em quase todo o litoral brasileiro e até mesmo em Brasília.
Guarda-vidas, Riesco divide o seu tempo entre o trabalho na praia, os treinos e também realiza um trabalho social, utilizando as canoas, voltadas para a Terceira Idade e comunidades ribeirinhas, no Canal de Bertioga, por onde passa a prova. Tem a vantagem de sempre estar em contato com a canoa e conhecer bem parte do percurso, que pode ser bem difícil, dependendo da condição da maré. “Sempre convivi ali e estou sempre atuando na comunidade”, destaca. A prova terá concentração, início e final em frente ETEC Dona Escolástica Rosa, à Avenida Bartolomeu de Gusmão, 111, na Praia da Aparecida, próxima ao Canal 6. A largada será no estilo “Le Mans”, com as canoas saindo da areia, às 9h30. O primeiro trecho será pelo mar, com cerca de 40 km, passando por todas as praias de Guarujá. O restante será em águas calmas pelo Canal de Bertioga até o Porto e depois para a chegada. Em disputa as categorias open masculina, feminina, mista (sempre três homens e três mulheres na canoa) e master.

Por FMA Notícias

5 de março de 2016

Kauê Alohinha treina forte para 2016

Kaue Alohinha conquistou bons resultados na temporada passada: finalizou o Circuito Santos Surf com a quarta posição na última etapa, e fechou o circuíto na vice liderança no ranking geral da Petit, com 2.529 pontos. Foi o atleta revelação no Festival Lendas do Surfe 2015, que ocorreu na Praia do Tombo, no Guarujá, por conseguir completar manobras sem erros, e adquiriu muita experiência ao participar do Hang Loose Surf Attack.
Alohinha em dia de treino antes da temporada 2016 de surf / Foto Arquivo Pessoal
Para 2016, antes de estrear no Circuito Santos de Surf, o jovem atleta, local da Praia Grande, tem pegado pesado nos treinos para ficar forte e resistente para as etapas do ano. Seu novo apoiador CTF Vivaz é o responsável por isso.
Nas férias, Kauê Alohinha experimentou as ondas de Maresias / Foto Regina Regatieri
O Centro de Treinamento já divulgou um vídeo de Alohinha em treinamento mostrando parte das atividades que realizou em uma das aulas. "Eu pretendo superar os resultados que alcancei no ano passado", disse.
Circuíto Santos - com todas as vagas preenchidas, a primeira Etapa do Circuito Santos de Surf acontecerá no dia em que tiver as melhores condições de surf entre os dias 19 e 27 de março.

Redação InnerSport