4 de fevereiro de 2016

Oceanos podem ter mais plásticos que peixe em 2050

O alerta foi dado recentemente pela Fundação Ellen MacArthur, uma reconhecida velejadora de origem britânica, num artigo que chegou a ser publicado na revista Fortune. Atualmente, estima-se que mais de 150 milhões de toneladas de plástico estejam boiando nos Oceanos.
O estudo que serve de base informa que todos os anos 8 milhões de toneladas de plástico acabam nos Oceanos (o equivalente a um caminhão de lixo por minuto) e que a proporção de toneladas de plástico é relativamente a mesma de peixe existente, e vem aumentando drasticamente. Caso a situação se mantenha, a previsão é que em 2030 falemos de dois caminhões por minuto, número que sobe para quatro em 2050. Segundo o relatório, a proporção entre as toneladas de plástico e as toneladas de peixe registradas nos oceanos era de um para cinco em 2014. Em 2025, será de um para três e em 2050 irá evoluir de um para um.

Ben McNeil, um dos responsáveis pelo estudo, propõe a criação de um novo sistema para reduzir o desperdício de plástico na natureza, especialmente nos oceanos, e incentiva à procura de alternativas ao petróleo e ao gás natural na produção desse material. Um novo órgão independente que regule o setor também foi apontado. Só uma mudança de consciência e a cooperação mundial entre as empresas, políticos e organizações ambientais poderão fazer a diferença. Vários países tentam atualmente limitar o uso de sacos plásticos. Atualmente, mais de 26% do plástico produzido no mundo destina-se a embalagens.

Edição InnerSport (SurfTotal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário