.

.

25 de fevereiro de 2016

Surf Talentos Oceano SC 2016 em novo formato

As inscrições para a primeira etapa do Circuito Surf Talentos Oceano 2016 já estão abertas na Fecasurf -  fecasurf@fecasurf.com.br

O Circuito Surf Talentos Oceano 2016 vem com grandes novidades, entre elas, novas categorias e novo formato de competição.  A abertura já está marcada para os dias 12 e 13 de março, e o palco da primeira etapa será a Praia da Saudade, popular “Prainha” de São Francisco do Sul, a terceira cidade mais antiga do Brasil, considerada uma das melhores ondas do litoral norte do estado. O evento terá oito categorias em disputa: Petit (sub 10), Infantil (sub 12), Iniciantes (sub 14), Mirim (sub 16), Junior (sub 18), Feminino (sub 16), Feminino Open e ainda, uma competição especial Pro/Am que distribuirá R$ 2.000,00 de premiação por etapa. A competição especial Pro/Am ainda oferece 08 vagas de pré-classificados na segunda fase do evento para os quatro melhores Mirins e Juniores de cada etapa. Todas as categorias pontuam para o ranking da Fecasurf 2016.
Prainha, São Francisco do Sul(SC) / Foto Basílio Ruy
Essa é uma experiência inovadora e muito interessante, já que o formato desenvolvido junto a Fecasurf dará aos 04 melhores Mirins e aos 04 melhores Juniores da competição entrar como pré-classificados na 2ª fase da competição Pro-Am. A ideia é colocar estes jovens atletas competindo contra os melhores profissionais de nossa região, treino essencial para que eles ganhem a experiência necessária para competir nos formatos Pro Juniors internacionais. Esse formato vai permitir a inclusão de outras categorias de base no futuro, tanto no masculino, quanto no feminino,”  declarou Reiginaldo Ferreira, atual presidente da Fecasurf.
Quem garante a qualidade da realização deste novo projeto é o Promotor de Eventos Frederico Leite, ex-presidente da Fecasurf, que conta  uma experiência de 20 anos na realização de campeonatos de surf profissionais e amadores pelo estado. Fred, assim como a diretoria da Fecasurf e os patrocinadores, acreditam que este novo modelo vai com certeza aumentar o nível técnico dos atletas e trazer excelentes resultados para o surfe de Santa Catarina. “O Brasil conquistou definitivamente seu espaço no cenário do surfe mundial depois da conquista dos dois últimos títulos mundiais, e o esporte agora vive um momento muito especial em nosso país. É hora de reavaliar as formas de se lapidar o talento dos nossos futuros campeões, e estamos apostando forte nesse novo projeto, completou Fred Leite.

Por Norton Evaldt


Golfinho ou tubarão?

Enquanto aguarda ansioso a estreia no WCT, o surfista de Praia Grande, Alex Ribeiro, já está na Austrália em ritmo intenso de treinos. Ele está em Newcastle, onde disputou uma etapa do QS, e ao chegar na casa onde está hospedado, depois do surf, teve uma surpresa. Ao receber uma foto, viu uma barbatana logo atrás dele.
Foto Arquivo Pessoal do surfista Alex Ribeiro
Até brincou nas mídias sociais “Tan tan tan tan... RS”, referindo-se a um possível tubarão, ao lembrar a famosa trilha sonora do filme. “Na hora nem vi nada. Me mandaram a foto e aí que fui ver”, contou o surfista da equipe Nossolar. “Mas espero que seja golfinho. Tem bastante lá”, complementou. Vale lembrar que na etapa do WCT de Jeffreys Bay no ano passado, o tricampeão mundial Mick Fanning sofreu um ataque de tubarão em plena final.

Agora, Alex se prepara para disputar o QS 6000, em Manly Beach, e no dia 6 segue para a Gold Coast, para a etapa inicial do WCT, entre os dias 10 e 21. “Estamos treinando muito. Não vejo a hora de ir para lá. Tem altas ondas. Estou muito animado, motivado”, destacou o atleta de 26 anos, que se classificou ao WCT ao terminar o ranking QS na oitava posição.

Por Fábio Maradei


Está confirmado o Eddie Aikau

O evem em memória de Eddie Aikau está confirmado para quinta-feira, 25/2, na famosa baía de Waimea Bay. Os organizadores deram o sinal verde ontem (quarta-feira) depois de consultar as últimas previsões que garantem as condições mínimas para a realização do evento. Esta será a 9ª edição do "The Quiksilver In Memory of Eddie Aikau" em 31 anos de história e o último foi realizado em Dezembro de 2009, vencido pelo californiano Greg Long. O surfista Danilo Couto está a posto para o evento. O brasileiro já se encontra no Havaí e está na condição de alternante junto com Mason Ho (HAW), Mark Mathews (AUS), Koa Rothman (HAW) e Ben Wilkinson (AUS).
Os organizadores também anteciparam a previsão de um dia sólido de ondas que condizem com as condições requeridas para a realização do Eddie com ventos brandos pela manhã e se mantendo com boas condições à tarde, garantindo um dia completo de evento.

"Nós esperamos seis anos para puxar o gatilho, mas este é o primeiro swell que vimos nestes tempos que realmente justificam o nome do Eddie" disse o diretor do evento Glen Moncata. Moncata e os organizadores continuam a conferir essa evolução junto com o patriarca do evento George Downing, que fez todas as chamadas desde a sua primeira edição. "Podemos dizer a famosa frase de George, 'The Bay Calls the Day' e será nessa quarta-feira," completa Moncata.

No Hawaii o evento será transmitido pela televisão e na internet: www.quiksilver.com/eddie e www.worldsurfleague.com

Por Daniela Vinci

24 de fevereiro de 2016

Alexandre Ferraz encara Jaws na remada

A Temporada Havaiana 2015/16 funcionou como um divisor de águas para o big rider pernambucano Alexandre Ferraz. Com performances sólidas nos maiores swells do Inverno haviano - incluindo a épica ondulação que quebrou 15 de janeiro, em Jaws, no qual encarou a maior onda da sua vida, na remada -  feito que  pode lhe render uma classificação para a final do XXL, o Oscar do Surfe em ondas grandes.  
Ferraz encara uma das mais poderosas ondas havaianas na remada / Foto Bidu
Formado em Educação Física, Xandinho fez uma preparação intens  ao longo do ano, o que de acordo com ele, fez a diferença: “com certeza meu treinamento fez total diferença. O funcional, a natação, a yoga e uma alimentação balanceada foram fundamentais para o sucesso da empreitada. Essa rotina me ajudou muito a manter o alto nível de performance no Havaí”, analisa ele lembrando dos perigos do local: “passei o maior perrengue da minha vida ficando duas ondas embaixo da água durante minha sessão em Jaws. Nesse dia pensei que ia apagar e ali tive a certeza de que todo esforço valeu a pena”, completa. Ainda sobre Jaws, diz ele:

“A Temporada rendeu mais do que esperava. Eu estava preparado para isso, pois em ano de "El Niño" nós, surfistas de ondas gigantes, sabíamos que teríamos um grande desafio pela frente e que o Hemisfério Norte iria bombar. Durante o mês de janeiro tivemos quatro grandes ondulações, das quais consegui estar presente em três, e pegar uma onda que acredito ter sido uma das maiores já surfadas na remada até hoje”, diz ele rerferindo-se ao 15 de janeiro em Jaws. Xandinho lembra da importância da preparação realizada ao longo do ano. Xandinho acredita que Jaws é o maior desafio para qualquer surfista que goste do big surf. Ele acrescenta que surfar ali é para uma minoria muito bem preparada e experiente.

Fernando de Noronha 2016 -  Sua próxima parada será o Arquipélago de Fernando de Noronha, onde segundo ele lapidou seu surfe e aprendeu a domar as maiores da série. “Pensar em Noronha sempre causa uma boa ansiedade, pois foi na Cacimba do Padre onde aprendi a encarar ondas grandes, inclusive ganhando o premio Greenish 2008, pela maior onda surfada no Brasil na época. Já são mais de 15 temporadas, tenho muitos amigos, lá é minha casa”, afirma o big rider que já tem planos pós Noronha: "pretendo surfar no México e monitorar os swells que entrarão em Teahupoo, noTahiti, ondas dos meus Sonhos. Mas ainda estou fazendo o planejamento  junto aos patrocinadores", conclui.

Fonte Mídia Bacana

Kelly Slater celebra os 40 anos dos Buffalo’s Big Board

O 11x campeão mundial de surf abrilhantou o 40º aniversário do Buffalo’s Big Board Surfing Classic, tradicional evento que ocorre desde 1976 como um campeonato de surf na praia de Makaha, e celebra a cultura havaiana e o surf, mas também a vida de Richard “Buffalo” Keaulana, um verdadeiro waterman que esteve toda a sua vida ligado ao oceano, e aos 81 anos ainda pratica o surf.
Durante a festa são apresentados 14 modalidades diferentes, entre elas o surf, canoa, longboard, bodyboard, stand up paddle e alaia. Outras exibições tradicionais das ilhas compõem o evento que este ano contou com a participação de Kelly Slater.
“Foi um prazer participar e escutar algumas histórias de Buffalo Keaulana neste quadragésimo aniversário. Participei de canoa de quatro lugares, da competição de SUP. Acredito que este foi o ano que mais me deparei com pessoas tão animadas", aproveitou para escrever Kelly Slater nas redes sociais.

Redação InnerSport / Fotos Keoki

23 de fevereiro de 2016

Hot Buttered lança receituário inspirado no H-Bomb

O solar H-Bomb foi inspirado em uma das lendárias pranchas do surfista e fundador da marca HB - Hot Buttered, o australiano Terry Fitzgerald. O modelo se tornou um dos campeões de venda e agora traz todo o seu sucesso para a versão em receituário, o modelo 93116.
Fabricado em Polytech, um material ultraleve, que resiste às mais extremas condições, o 93116 possui hastes com agulha que possibilitam ajustes, combinando flexibilidade, conforto e design, características indispensáveis para os consumidores HB. O modelo é a união perfeita de qualidade, estilo e tecnologia que só a HB - Hot Buttered é capaz de produzir.

Por Daniela Vinci

Eddie Aikau em "stand by" para quinta-feira

A organização do evento volta a ficar atenta a poucos dias da janela da espera terminar. O arquipélago havaiano recebeu uma enorme ondulação na última segunda-feira (23). As ondas massivas atingiram até 40 pés de altura.
Final de tarde na segunda-feira, 22/2 / Foto Andy Santoge
Por este motivo o Quiksilver In Memory of Eddie Aikau, que tem lugar pela 31ª vez em Waimea Bay, na ilha de Oahu, voltou a emitir um novo comunicado onde revela que o evento pode ter lugar na quinta-feira, 25 de fevereiro. Esta é uma nova tentativa da organização uma vez que a janela de espera termina na próxima segunda-feira, 29 de fevereiro.

Redação InnerSport





Maratona do Rio lança ​novo ​portal​ na internet

A Maratona da cidade Rio de Janeiro colocou no ar​,​ na última sexta-feira, dia 19, um novo portal​ na internet www.maratonadorio.com.br​, mais moderno, interativo e fácil de navegar. O lançamento ​do site ​aconteceu a 100 dias da realização da maior maratona do Brasil e marcou o início da campanha “Viva Histórias para contar”​, que tem a intenção de aproximar o público ainda mais da prova, consolidar e amadurecer a marca, além de abraçar ainda mais a cidade do Rio de Janeiro. Uma das provas mais atraentes e desejadas do país, a Maratona do Rio acontece no dia 29 de maio com número recorde de corredores - 29 mil. O evento é dividido em três distâncias (6km, 21km e 42km) e conta com participantes de todos os estados. As inscrições esgotadas seis meses antes da realização da corrida confirmam o sucesso da Maratona.

“Entre as novidades ​do novo site estão uma plataforma interativa de compartilhamento de fotos vídeos e histórias de superação dos nossos corredores, formato de navegação mais fácil, maior interação com as redes sociais, além de melhor distribuição do conteúdo. Mas uma coisa permanece inalterada: o foco no corredor. Buscamos ampliar a plataforma e fechar parcerias que são relevantes para a marca Maratona do Rio, mas que tenham como principal objetivo gerar mais benefício para quem se prepara o ano todo para nossas três provas ”, declara Luiz Paulo Moura, Diretor de Propriedades Esportivas da DreamFactory, uma das empresas que organiza o evento. Es​s​as são as primeiras das ações que a organização pretende implementar ao longo do ano e durante 2017. O objetivo é consolidar a Maratona do Rio como uma plataforma contínua de corrida, comunicação e negócios.

Por Fernanda Villas

22 de fevereiro de 2016

Bodyboard Pro Cearense define seus campeões 2015

A Praia do Futuro viveu fortes emoções no penúltimo final de semana de Fevereiro, com a última etapa do Circuito Cearense de Bodyboard 2015 e primeira de 2016. Os principais atletas cearenses além de grandes nomes do esporte em nível regional, nacional e mundial se fizeram presentes atraídos pelo alto nível do circuito e pela boa premiação, que entre os profissionais foi de R$ 15 mil. O ranking final de 2015 se definiu assim: João Paulo Jeff terminou como o grande campeão da categoria profissional masculino. Entre as mulheres Patrícia Setúbal levou o título do circuito e da etapa, uma conquista muito esperada.
Foto Lima Jr.
Entre os amadores o grande destaque foi o atleta da Escolinha Geração Bodyboard, Diego Gomes. Ele não somente conquistou o título do circuito na categoria Open, a principal entre os amadores, como também levou a etapa na profissional, se tornando o primeiro atleta da história do bodyboard cearense a conseguir uma vitória na categoria logo após tornar-se profissional.

Na Open Feminino quem levou o título do circuito foi Sabryni Sayori, que acabou também levando o título da etapa. Na Estreante e na Iniciante os títulos do circuito e da etapa ficaram com Weverton Matousa e Mateus Gomes, respectivamente. Na Pro Junior o grande campeão do circuito foi Guilherme Câmara com troféu da etapa ficando nas mãos de Erick Silvino. Entre os Masters o quem levou a melhor foi Gleuson Farias.

Por George Noronha

Rip Curl Grom Search apresenta os campeões da etapa de Saquarema

O último domingo (21), foi de competições e muito surf durante a decisão da 2ª etapa do Rip Curl Grom Search, na praia de Itaúna, em Saquarema/RJ. Na mirim e na iniciante, o catarinense Leonardo Barcelos e o paulista Daniel Adisaka repetiram as vitórias conquistadas em Garopaba/SC, respectivamente. Entre as meninas, Tainá Hinckel, também de Santa Catarina, aproveitou a experiência da temporada havaiana para faturar o primeiro lugar, enquanto que na grommet, outro paulista, Caio Costa, levou a melhor. No total, foram 112 surfistas de seis estados e além dos quatro vitoriosos, destaque para Leo Casal, mais uma revelação catarinense, que chegou a duas finais, sendo o terceiro na grommet e o quarto na iniciante.
Tainá Hinckel / Foto Basilio Ruy
Com os resultados desta disputa, alguns surfistas ficaram mais próximos do título 2016. A melhor situação é de Daniel Adisaka, de Ubatuba, que comemora o caneco chegando à semifinal, sem depender dos resultados dos rivais. Em grande fase, ele ainda é o quarto colocado no ranking da mirim, confirmando a grande fase. Leo Barcelos também compete em situação mais cômoda e já confirma o título, se fizer nova final, independente dos outros concorrentes.
A primeira na água foi da grommet, para os caçulas do evento, com até 12 anos. Num final de semana inspirado, Léo Casal saiu na frente, mas logo Caio Costa, que vem da mesma praia do campeão mundial Gabriel Medina, foi para primeiro lugar. O surfista catarinense tentou dar o troco, ficando muito perto. No final da bateria, Raphael Castro, que veio direto da Califórnia, onde estava competindo, iniciou uma reação e assumiu a ponta. Mas o surfista da Praia de Maresias deu o troco, com a mesma nota.

Os dois terminaram com a mesma pontuação nas duas ondas que entram para a somatória e o desempate veio na terceira melhor nota de cada um. Leo Casal ficou em terceiro com outro catarinense, Caetano Silveira, repetindo o quarto lugar da etapa inicial. Na iniciante, para atletas com no máximo 14 anos, o paulista Kauê Germano começou em primeiro, mas Daniel pulou superou e não perdeu mais a posição, com uma nota 7,25, em sua quarta onda. O potiguar Mateus Sena, destaque no início do dia, terminou em terceiro, seguido de Leo Casal. Na disputa feminina (limite de 16 anos), Tainá Hinckel já havia garantido a melhor performance entre todos os os competidores do sábado e seguiu muito bem. Na decisão abriu com um 6,5 e administrou a vantagem até o fim. Competindo “em casa”, Carol Bonelli, vencedora da etapa inicial, tirou um 6,75 no final, chegou a esquentar a briga, precisando de 5,65 para virar, mas não teve tempo de uma nova onda.
Foto Basílio Ruy
A última final do evento foi a mirim, para competidores com no máximo 16 anos. Com uma nota 8,5, Leonardo Barcelos ficou na frente. No final, para garantir a mesma emoção das outras decisões, o talento local, João Vitor Chumbinho, pegou um aéreo, para iniciar uma reação, tirando 6,75. Ficou precisando de 6,76 para vencer e em sua última onda tirou 6,5, com o placar ficando 13,50 a 13,25.
Prestigiando o evento, o tube rider Bruno Santos resumiu bem o que viu nos dois dias de disputas em Saquarema. “Foi um verdadeiro espetáculo”, ressaltou o aniversariante do dia, que completou 32 anos de idade e durante o final de semana interagiu com os novos valores do surf brasileiro.
A definição dos campeões da temporada será na 3ª e última etapa, na Praia de Maresias, em São Sebastião, nos próximos dias 5 e 6. Os campeões da mirim e da feminina estarão classificados para representar o Brasil na final internacional do Rip Curl Grom Search em 2017, em algum lugar do Mundo, com passagens aéreas e hospedagens pagas pela Rip Curl.

As inscrições já estão abertas e até terça-feira (23) são exclusivas para atletas que já estejam no ranking. A partir de quarta-feira (24), as vagas remanescentes serão liberadas para todos os competidores. Os atletas devem enviar e-mail para inscricao@fpsurf.com.br, mencionar nome, categoria, data de nascimento, local onde mora e aguardar a confirmação. A taxa de R$ 85,00 será paga na praia, antes da primeira participação no evento, junto com a entrega de um quilo de alimento não perecível (exceto sal e açúcar), para doação a uma entidade social.

Por Fábio Maradei

18 de fevereiro de 2016

Carol Bonelli defende a liderança do Rip Curl Grom Search

Com uma vitória em grande estilo na abertura do Circuito, em Garopaba/SC, a revelação Carol Bonelli tem agora a vantagem de competir “em casa” e garantir outra ótima performance na 2ª etapa do Rip Curl Grom Search, em Saquarema/RJ. A competição em nível nacional será nestes sábado e domingo (20 e 21), na praia de Itaúna, com lotação máxima, reunindo 112 surfistas com até 16 anos de idade.
Carol Bonelli na etapa inicial, em Garopaba / Foto Basílio Ruy
Mais do que o título, ela sabe que está em jogo a vaga para representar o Brasil na final internacional do evento de 2017, em algum lugar do Mundo (junto com o campeão da mirim). “Foi incrível para mim. Toda a estrutura do Rip Curl Grom Search e a visibilidade que ele traz tem sido alucinante. Estou treinando com muita vontade de agarrar esta oportunidade de defender o Brasil no próximo ano”, afirma a surfista, que a etapa inicial deu um show, primeiro com uma nota oito e depois não deixou dúvidas, com um 7,4.

“Fiquei muito feliz em vencer em Santa Catarina. Isso me motivou muito, mas também aumenta a minha ansiedade por um bom resultado nesta segunda etapa. Competir em casa tem o lado bom da intimidade com o pico e de conhecer as possibilidades que ele pode apresentar, mas também aumenta a pressão de fazer certo com toda a galera daqui por perto”, confessa. “Mas acho que no final das contas é mais confortável”, complementa.

Na disputa, aparecem como principais rivais Louise Frumento, Manu Pacheco, Maju Freitas, além das promessas Sophia Medina e Thainá Hinckel. O evento também conta com as categorias grommet (sub12), iniciante (limite de 14 anos) e a mirim (no máximo 16 anos, como a feminina).

Por Fábio Maradei

Raphael Castro chega da Califórnia com foco no Grom Search

Ele nasceu na Califórnia, é local do Arpoador, Rio de Janeiro, e sempre que pode surfa na Região dos Lagos, em Búzios e Saquarema. Vindo direto de mais uma passagem pelo litoral norte-americano, onde foi treinar e competir, a revelação Raphael Castro será um dos destaques na 2ª etapa do Rip Curl Grom Search nestes sábado e domingo (20 e 21), na Praia de Itaúna, em Saquarema/RJ.
Raphael Castro na Califórnia / Foto Luiz de Lima Castro
“Vim para a Califórnia para treinar e competir. Atualmente estou em quinto no ranking do Circuito NSSA e meu objetivo é me classificar para o Nacional, em Lowers, em abril. Agora, estou indo para Saquarema, porque sempre foi meu sonho ganhar o Rip Curl Grom Search”, conta. “Vou surfar em casa, com meus amigos e onde gosta muito de pegar ondas”, acrescenta o atleta patrocinado pela rede de lojas WQSurf.

Apesar de ter apenas 11 anos, Rapha já conta com grande experiência nas ondas. Além de ter a Califa como local de treino, já esteve no México, Havaí e Indonésia. É tricampeão carioca, e também foi campeão no Circuito Paulista, com 100% de aproveitamento na petit (10 anos). Aprendeu a surfar no Arpoador e se inspira no surf de Mick Fanning e Gabriel Medina.

A competição neste final de semana no “Maracanã do Surf” já está com lotação máxima, reunindo 112 surfistas. Eles estarão divididos nas categorias grommet (sub12), iniciante (até 14 anos), mirim e feminina (ambas com limite de 16 anos). Além das disputas no mar, o evento conta com atrações como pintura de pranchas. Transmissão ao vivo, link.

Por Fábio Maradei

17 de fevereiro de 2016

Maresias recebe o IV Desafio Waterman Powerade

O maior desafio aquático do Brasil está de volta. O Desafio Waterman Powerade retorna à praia de Maresias para uma competição emocionante que reúne natação, SUP Race e surf. Os competidores são grandes atletas nacionais convidados pela organização para concorrer ao título na categoria Pro feminina e masculina e também é aberto a atletas amadores na categoria Open. Nesta edição, que homenageará o grande Waterman havaiano, Duke Paoa Kahanamoku, os atletas amadores também poderão testar os seus limites nos três esportes. A inscrição para homens e mulheres é gratuita e a prova espera receber cerca de 60 participantes que no sábado irão concorrer pelas vagas da grande final. A primeira etapa da open é composta por 1 km de natação, 6km de remada e 5 ondas. Para a decisão do pódio, as distâncias dobram. As distâncias da categoria Pro são: 1,5 km de Natação, 8 km de SUP Race e 7 ondas surfadas.
Foto Divulgação
O idealizador do evento, Romeu Andreatta, conta que o desafio que motiva pouquíssimos “heróis da praia”, na sua grande maioria já consagrados pelo big surf, pela performance no Stand Up Paddle e nas grandes remadas marítimas, seja no braço ou em canoas, o que forma um seleto grupo de esportistas. Ainda sobre o evento, Andreatta explica que o conceito busca a essência da cultura surf e olha para a história do esporte que começou no Havaí e Polinésia, onde um jovem só está pronto para surfar depois que já se tornou um bom nadador, por exemplo. “Waterman é um conceito que nasceu da energia da prática esportiva no mar, que é invariavelmente associado à coragem e força. E, mais do que tudo, da harmonia do praticante com o oceano e a natureza, que lhe ensina a suportar situações extremas de superação”, define.

Alemão de Maresias, co-idealizador e diretor de prova diz que “o Waterman é respeitado em todos os países desenvolvidos que apresentam grandes costas litorâneas e que tem origens no oceano”. Para participar da categoria Open os atletas deverão se inscrever no site www.desafiowaterman.com.br ou pelo email contato@desafiowaterman.com.br

Convidados
A organização da prova convidou os maiores atletas de diversos esportes para estarem presentes na 4a edição do Waterman. Alguns nomes já confirmados:

Masculino
I. Alemão de Maresias
2.Rodrigo de Deus
3.Danylo Grilo
4.Thiago Bove
5.Guto Camargo
6.Marcelo Dias

Feminino
I. Andrea Lopes
2. Aline Adisaka
3. Naomi Costa

Por Adriana Fernandes

Canoas Havaianas - XIII Volta à Ilha de Santo Amaro

Prova mais longa do Mundo na canoagem oceânica, o 13º Desafio Onbongo Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoas Havaianas está confirmado para o dia 12 de março. Nesta edição, serão 20 equipes, a maior participação até hoje, enfrentando os 75 km de percurso, entre mar, trecho de rio e do Porto de Santos, numa disputa de resistência, força e estratégia. Os atletas largarão na praia da Aparecida, em Santos, e circundarão toda a ilha onde fica Guarujá, passando pelo Rio Bertioga. Cada equipe terá nove competidores, sendo seis na canoa e três para o revezamento (indo no barco do apoio), feito em qualquer ponto do trajeto, com a embarcação em movimento, garantindo ainda mais emoção à competição. “A cada ano temos procurado aumentar o número de equipes e, desta vez, passamos de 14 para 20. As vagas foram preenchidas rapidamente e com muita facilidade, porque o esporte tem crescido muito”, destacou o organizador do evento e um dos principais entusiastas da canoa havaiana. “Que tenhamos registro, esta é considerada a maior prova do mundo, feita direta, sem parada e no mesmo dia”, disse.
Foto Douglas Aby Saber
Responsável pelo desenvolvimento da canoa havaiana em várias partes do Brasil, Fábio Paiva destaca particularidades da prova, que hoje tem como recordistas os bicampeões da equipe Samu Team Brasil, com incríveis 5 horas 52 minutos e 3 segundos. “É sem dúvida a prova muito mais difícil do que qualquer outra. Muito complexa e começa com a seleção dos nove atletas. Os apoios também são fundamentais, pois ficam horas no barco e se enjoarem, atrapalharão todo o trabalho”, afirma. “Lógico que o preparo físico conta bastante, mas o emocional e a estratégia são fundamentais. Todos que já fizeram esta prova são unânimes em dizer que entramos uma pessoa e saímos outra”, complementa Paiva, ressaltando a participação de equipes da Bahia e do Distrito Federal (treinam no lago Paranoá). Também participarão times de Santa Catarina e Rio de Janeiro, além dos paulistas.

Outra atração é a equipe Imua Loucaos, só com atletas da categoria júnior, dos 13 aos 18 anos, com destaque para o campeão de SUP infantil, Guilherme Cunha, de 13 anos. Ainda entre os destaques, o experiente canoísta de Bertioga, da equipe Brucutus, Everdan Riesco, presente em todas as edições do evento. Em disputa as categorias open masculina, feminina, mista (sempre três homens e três mulheres na canoa) e master.

A prova terá concentração, início e final em frente ETEC Dona Escolástica Rosa, à Avenida Bartolomeu de Gusmão, 111, na Praia da Aparecida, próxima ao Canal 6. A largada será no estilo “Le Mans”, com as canoas saindo da areia, às 9h30. O primeiro trecho será pelo mar, com cerca de 40 km, passando por todas as praias de Guarujá. O restante será em águas calmas pelo Canal de Bertioga até o Porto e depois para a chegada. As equipes que não chegarem ao Forte de São João, em Bertioga, até 14h30, terão a participação encerrada.

Junto às disputas no mar, o 13º Desafio Onbongo Volta à Ilha de Santo Amaro terá uma função social. Todas as equipes doarão latas de leite Nan, Sustagem ou Nutren Kids, que nesta edição serão entregues para a Abraccii – Associação Brasileira de Apoio e Combate ao Câncer Infanto-Juvenil. “Todos os anos colaboramos com uma entidade que faz um trabalho social na comunidade e teremos uma premiação especial para a equipe que trouxer mais latas de leite Nan, Sustagem ou Nutren Kids. Em todas as edições sempre damos muita atenção ao projeto social e a receptividade é muito boa”, anuncia Carla Greco, da organização do evento.
Foto Douglas Aby Saber
13º Desafio Onbongo Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoas Havaianas tem os patrocínios de Caiaques Opium Hightec, Onbongo, Embraport e Farma Conde. Apoio: Semes (Promifae), Prefeitura Municipal de Santos, FMA Notícias, 98 FM, Vit Shop, Panificadora Rainha da Barra, Thiago Árias Personal Studio & Pilates, Navega São Paulo Praia Grande, IDK – Instituto DAKPA, Capitania dos Portos, Praticagem e Corpo de Bombeiros. Organização da Canoa Brasil, com supervisão da Abracha – Associação Brasileira de Canoa Havaiana.

 Por Fábio Maradei

Powerman Brasil vale vaga na Suíça

O Powerman Brasil 2016 já tem data confirmada. O dia 31 de julho marca a segunda edição da maior série de duathlon do mundo no Brasil e mais uma vez a prova será realizada em Jurerê Internacional, norte da Ilha de Santa Catarina, desafinado os duoatletas nas distâncias Classic – 10km de corrida, 60km de ciclismo e 10km de corrida – e Sprint – 5km de corrida, 20km de ciclismo e 5km de corrida. Vencida em 2015 pelos catarinenses Matheus Ghiggi e Mariana Andrade, a prova reuniu também centenas de atletas amadores em busca das vagas para o Mundial da categoria, que acontece no mês de setembro, em Zofingen, na Suíça.
Powerman Brasil 2016  / Foto Rafael Dalalana
Entre eles, alguns conhecidos do público como o maratonista Adriano Bastos. Multicampeão em provas de asfalto, o corredor retornou ao início de carreira, quando competia em provas de duathlon e triathlon e garantiu sua vaga para a competição suíça. “Meu principal objetivo no Powerman era conquistar a vaga para o mundial na Suíça. Foi muito bacana voltar a pedalar e correr depois de um bom tempo fora das provas de duathlon e triathlon”, explica Adriano Bastos.

Já confirmaram presença no Mundial deste ano, após terem conseguido a vaga na prova de 2015, os atletas Leandro Castagna (Caxias do Sul – RS), Arthur Chaudon (Florianópolis – SC), Rosane Marques (Nova Friburgo – RS) e Patricia Scolari (Valinhos – SP). Além das já conhecidas provas de Classic e Sprint, o Powerman Brasil traz uma novidade para o ano de 2016 com a realização da prova em duplas, que será realizada no percurso de 10km de corrida, 60km de ciclismo e 10km de corrida. As equipes de revezamento podem ser compostas por duplas masculinas, femininas, mistas ou Portadores de Necessidades Especiais (PNE).

As inscrições para o Powerman Brasil 2016 já estão abertas e podem ser feitas pelo site www.powermanbrasil.com

Por Danilo Caboclo

Saldanha de olho na 2ª etapa do Grom Search 2016

Ele nasceu e mora em São Paulo. Mas a distância do mar não interfere na sua paixão pelo surf, muito menos na qualidade de suas manobras. Aos 11 anos de idade, Rodrigo Saldanha vem despontando como uma das grandes promessas da modalidade e mostrou isso com a vitória na categoria grommet (sub12) na abertura do Rip Curl Grom Search, em Garopaba/SC.
Foto Divulgação de Rodrigo Saldanha em Garopaba/SC
No sábado e domingo (20 e 21), ele estreia nas ondas da praia de Itaúna, em Saquarema/RJ, na 2ª etapa do principal circuito do País nas categorias de base, querendo outra boa atuação. “Já surfei na Barra, no Recreo, no Arpoador, em Itacoatiara, mas nunca em Saquarema. Sei que lá as ondas são bem potentes, o que é legal para mandar boas manobras”, afirma.

A 2ª etapa do Rip Curl Grom Search, já está com inscrições esgotadas. A disputa no “Maracanã do Surf”, terá 112 atletas, divididos nas categorias grommet (sub12), iniciante (até 14 anos), mirim e feminina (ambas com limite de 16 anos). Depois de Saquarema, será disputada a final na Praia de Maresias, em São Sebastião/SP, nos dias 5 e 6 de março, sendo que os campeões da mirim e feminina garantem vagas para representar o Brasil na final internacional do evento em 2017, em algum lugar do mundo.

Todas as disputas terão transmissão ao vivo pela internet.

Por Fábio Maradei

16 de fevereiro de 2016

Fora da competição, Leco aposta em Caio Vaz e Márcio Grillo

O primeiro campeão brasileiro e também dono de um título mundial de Sup Wave, Leco Salazar, mesmo tendo apresentado um bom rendimento nas ondas havaianas não conseguiu se classificar na prova de repescagem para as quartas de final do Sunset Beach Pro, primeira etapa do Mundial de Stand Up World Tour 2016, que começou dia 8, com janela até o dia 20 de fevereiro, em North Shore de Oahu, Hawaii.
O santista dominou a situação até os últimos minutos e teve uma eliminação muito contestada, pois fez uma bateria espetacular, surfando ótimas ondas de 8 a 10 pés que quebraram no último domingo (14), segundo dia de competição, e finalizou com a pontuação de 13.33, porém, foi superado pelo australiano Kai Bates, que virou a bateria minutos antes do soar da corneta e fechou com 15.44 pts. A última colocação ficou para o japonês Jun Adegawa, com 5.66 pts. "Sinceramente, eu estou muito satisfeito com o meu desempenho. Infelizmente o Kai teve muita sorte no final da bateria e conseguiu virar. Agora, é se preparar para a próxima etapa, e voltar mais forte. Com certeza eu ainda continuo na disputa pelo titulo", declarou. 

Dois brasileiros estão classificados para as quartas de final: o atual campeão mundial Caio Vaz, com 16.66 pts, e Márcio Grillo, com 13.33 pts. O havaiano Kai Lanny garantiu sua vaga com a maior somatória do dia,  17.5 pts. "O nível técnico dos atletas aumenta a cada mundial. O Grillo pegou altos tubos, tem grandes chances. O Caio está fazendo a lição de casa perfeitamente. Os havaianos Mo Freitas, Kay Leny e Noa Ginela surfaram muito também em Sunset Beach. Enfim, todos quebraram em um dia clássico com ondas subindo durante o dia e chegando à tarde em quase 15 pés, perfeitos" comentou Leco. "Agora é aguardar e torcer pelos brasileiros Caio Vaz e Márcio Grillo. Os dois estão fazendo uma bela campanha com grandes chances de pódios", finalizou Leco. 
Os atletas Ian Vaz, Adriano Trinca Ferro, Felipe Gaspar e Kaiona Teixeira também se despediram da primeira etapa do mundial. Leco Salazar conta com o patrocínio da HD - Hawaian Dreams, pranchas New Advance, Surf Trip, Ocean Travel e do Restaurante Okumura Temakeria. Além do apoio da Fundação Pró-Esporte de Santos (Fupes). Acompanhe ao vivo http://watermanleague.com/stand-up-world-tour

Texto e fotos Gibasurftrips
Edição InnerSport

Filipe Toledo e o mundial de surf 2016

O jornalista Fábio Maradei entrevistou uma das promessas ao título mundial de surf de 2016. Curtindo seus últimos dias de férias do WCT, Filipe Toledo, direto do Rio de Janeiro, falou sobre as expectativas para a temporada deste ano, entre outros temas.
Imagem extraído do vídeo da ESPN
Ele também comenta sobre as férias, preparação, equipamentos, as etapas preferidas, e a briga pelo título.

Fonte FMA Notícas

15 de fevereiro de 2016

Alex Ribeiro fala sobre sua estreia no WCT 2016

O jornalisa Fábio Maradei entrevistou o reforço brasileiro no WCT de 2016, o praiagrandense Alex Ribeiro, que embarcou para a Austrália, onde fará a sua estreia em duas etapas do QS. 
Foto Leandro Barsocchini
No vídeo abaixo Alex fala sobre sua expectativa, sobre a preparação, sobre os equipamentos e patrocínios. Acompanhe!
Fonte FMA Notícias

Encerraram as inscrições para a 2ª etapa do Grom Search 2016

As inscrições estão encerradas para a 2ª etapa do Rip Curl Grom Search. O evento ocorrerá nos próximos dias 20 e 21, na Praia de Itaúna, em Saquarema/RJ. O campeonato reunirá 112 atletas, divididos em quatro categorias – grommet (sub12), iniciante (até 14 anos), mirim e feminina (ambas com limite de 16 anos). Estas duas últimas valendo para os campeões do ranking 2016 vagas para representar o Brasil na final internacional do evento em 2017, em algum lugar do mundo.
Rip Curl, Saquarema / Foto Pedro Monteiro
A competição tem início no sábado de manhã e além do surf, várias atrações serão promovidas para os atletas e também ao público, como as ações #Boralá, como pintura de pranchas com o artista Marcello Macarrão, e o inovador Campeonato de Sup, um momento de diversão aos atletas. Há, também, a distribuição de pipas e mudas nativas, de conscientização socioambiental.

Para completar, todos os atletas inscritos doam um quilo de alimento não perecível, destinado a uma entidade social da Cidade. “Tudo comprovando o nosso slogan Muito mais do que um campeonato de Surf”, afirma Fernando Gonzalez, do marketing da Rip Curl no Brasil.

Quem não puder acompanhar as disputas na praia, terá a opção de assistir todas as baterias ao vivo pela internet, com imagens das ondas surfadas, som direto da locução, as notas dos juízes e a possiblidade de envio de mensagem de texto para interagir com o evento. Clique aqui!

Por Fábio Maradei

12 de fevereiro de 2016

Leco Salazar treina forte em Off The Wall, Sunset e Makaha

Os organizadores prometem  mais uma chamada para às 7 hora desta sexta-feira, 15 horas no horário de Brasília, será o início da fase qualificatória com a participação de 20 atletas

Enquanto não começa oficialmente o Sunset Beach Pro, primeira etapa do Mundial de Stand Up World Tour 2016, o santista Leco Salazar continua centrado em seus treinos nas poderosas ondas havaianas para manter a boa forma, e foco em sua estreia. "Estou pegando forte nos treinos neste início de temporada, espero conseguir um bom resultado logo de cara", confessou  o campeão mundial de 2012.
As praias de Sunset , Makaha , e Off The Wall são os picos que o atleta usou para treinar, e testar seu quiver. "Faço duas quedas por dia: uma de manhã e outra à tarde". destacou Leco que aproveitou e testou, aporvou as novas pranchas. "Elas foram feitas para o Havaí. O Neco preparou todas fortes e resistentes, perfeitas para as ondas que gosto de pegar".

Os organizadores prometem  mais uma chamada para às 7 hora desta sexta-feira, 15 horas no horário de Brasília, será o início da fase qualificatória com a participação de 20 atletas. A chave do atleta Leco já está fechada e ele irá enfrentar o carioca Ian Vaz, irmão do atual campeão mundial da modalidade, Caio Vaz, além do campeão da França em 2015, Alexis Deniel, e de outro francês, Peyo Lizarazu.
"A chave já está formada e será um bom 'heat'. Estou confiante, é só pegar as ondas certas", disse Leco, que aproveita a viagem ao lado do irmão Matheus - campeão brasileiro de 2013 - que também disputa o título, e do filmmaker e técnico, Giba.

Como todos sabem a especialidade do Leco é surfar de sup paddle, o que faz com muita maestria.  Os números provam: em 2009 sagrou-se o primeiro campeão brasileiro. Em seguida conquistou o título mundial de SUP, em 2012, foi vice em 2011, terceiro em 2013, em 2014 garantiu lugar entre os oito melhores do Mundo. Em 2015, Campeão da Etapa Guarujaense.
O período de espera começou dia 8 de fevereiro e vai até o dia 20. O primeiro campeão brasileiro representa a HD - Hawaian Dreams, as pranchas New Advance, a Surf Trip, a Ocean Travel e o Restaurante Okumura Temakeria. Além do apoio da Fundação Pró-Esporte de Santos (Fupes).

Redação InnerSport / Fotos Gibasurftrips

11 de fevereiro de 2016

Quiksilver In Memory of Eddie Aikau em terra firme

Estava tudo pronto para um dia inesquecível de surf em Waimea Bay, com a realização do Quiksilver in Memory of Eddie Aikau, mítico evento de ondas grandes que já não vai para a água desde o inverno 2009/10. O swell prometira ondas gigantes, mas as expectativas foram contra tudo o que se esperava, e o Eddie acabou mesmo fora da água. Os olhares colaram-se ao webcast, mas para espanto geral o diretor do evento, Glenn Moncata, acabava de decidir que o evento ia ser cancelado. O swell não atingiu o seu potencial e as ondas não estavam da dimensão exigida para um evento do nível do Eddie Aikau.

Photo: Joli
A praia já estava lotada em Waimea, com inúmeros curiosos que invadiram o areal para assistir ao tão aguardado evento. Mas não havia nada a fazer. Ainda assim, não faltou ação. Muitos dos big riders que se preparavam para entrar no evento acabaram por realizar uma concorrida sessão de free surf, que acabou por passar no webcast da WSL. Agora, depois deste balde de água fria, resta esperar que até dia 29 de fevereiro, final da janela de espera do Quiksilver in Memory of Eddie Aikau, o North Shore de Oahu receba uma grande ondulação que coloque finalmente o Eddie na água. O tempo escasseia, mas é bom lembrar que o Havai ainda está sob o efeito de um dos maiores El Niños de sempre.

Fonte SurfPortual

Toledo prestigia Escola de Surf do "Águia"

Em alguns dias o top 4 do WCT, Filipe Toledo, estará de volta à ativa, aos treinos, visando a etapa inicial do Circuito Mundial, na Gold Coast, Austrália, onde defenderá a vitória de 2015. Ainda de férias, ele aproveitou sua passagem pelo Rio de Janeiro, em pleno domingo de Carnaval (7), para prestigiar a escola de surf do campeão brasileiro profissional de 1989, Pedro Muller, na praia da Barra. A ação foi promovida pela Hurley, do Brasil, também patrocinadora da Pedro Muller Surf Club. Num encontro descontraído, Filipinho conversou com os alunos e pais da escolinha, convidados da marca e aproveitou para surfar na praia onde foi o vencedor de uma das etapas mais badaladas até hoje, no ano passado. Curtiu, interagiu, se divertiu. “Foi muito divertido, legal, ficar um tempo com essa galera e com o Pedro. Passar um pouco da minha experiência e aprender com todo mundo. Fiquei feliz com o resultado”, disse o surfista de 20 anos.
Foto Fábio Maradei
Ele também fez a relação com a praia da Barra, uma de suas etapas preferidas no tour. “É muito bom estar aqui, especialmente na Barra. Realmente a galera é muito carinhosa, me recebe muito bem. Saber do carinho dos fãs é muito gostoso, muito legal e muito gratificante saber que está sendo reconhecido”, ressaltou o surfista, avisando o que a torcida pode esperar de 2016: “O mesmo trabalho que fiz ano passado, com muito foco e determinação”. Pedro Muller, por sua vez, agradeceu a visita de Filipinho, sabendo da importância de ter um ídolo perto dos alunos. “Bom demais, uma oportunidade única, porque sabemos que o Filipe tem uma agenda cheia, viaja o ano inteiro. Poder vir aqui, dar uma atenção, é tudo o que os alunos querem. É um incentivo a mais”, falou o ex-competidor, hoje comentarista da transmissão, via web, das etapas do Circuito Mundial.

“Eu acompanho a trajetória do Filipe há muito tempo, já que competi com o pai dele (Ricardo Toledo) e hoje ver o filho de um amigo meu se saindo tão bem, um garoto que está ditando os padrões do surf mundial, que vai disputar o título mundial, é um orgulho. Para a gente foi uma surpresa muito boa ter o Filipe aqui”, complementou Pedro Muller, que começou a dar aulas de surf em 1998 e tem sua escola na Barra há 15 anos, entre os postos 5 e 6, em frente ao número 4000 da Avenida Lúcio Costa. Filipe embarca para a Califórnia, onde inicia a sua preparação para a etapa inicial do WCT, que tem a janela de 10 a 21 de março.

Por Fábio Maradei

Samuel Pupo mandando bem no Mundial

Ele também é de Maresias, mesma praia que revelou Gabriel Medina, o primeiro brasileiro campeão mundial profissional. Tem apenas 15 anos e já vem confirmando ser mais um grande talento que deve brilhar no Circuito Mundial Profissional. Na última quinta-feira (4), o paulista Samuel Pupo começou muito bem a sua trajetória no ranking QS (Qualifying Series), garantindo o terceiro lugar na etapa 1000, em Cabarita Beach, Austrália, o seu primeiro evento profissional no exterior. Esta foi a sua segunda experiência no QS. Sua estreia havia sido no evento 6000 em Maresias, no ano passado, depois de vencer a triagem. Samuca disputa as etapas menores para somar pontos e ter “seeding” para poder participar dos eventos principais do Tour. “Estou muito feliz de meu primeiro QS ter ido até a semi e ficado muito perto da final. Foram várias baterias difíceis e um monte de surfistas que estavam tirando notas altas”, vibrou o atleta patrocinado por Rip Curl, Monster Energy, HD, Construtora Nossolar, Vult Cosméticos e pranchas OHP.
Wagner e Samuca - Austrália 2016 / Foto Divulgação
“Eu estava pensando bastante nos pontos para conseguir algumas vagas nas etapas 3000 e deu certo. Viemos para isso, para começar bem o ano. E agora vamos para os próximos com o mesmo pensamento. Começar assim a minha carreira profissional, com uma semifinal, foi demais”, destacou o surfista, que compete acompanhado do pai e treinador, o ex-surfista profissional e hoje shaper, Wagner Pupo. Samuel segue na Austrália e tem prevista a presença em outras duas etapas, também 1000, em Avoca e Boomerang Beach. “Como não tem seeding, ele vai começar pelas etapas menores, para pontuar e chegar nos eventos fortes e competir sem ter de passar por triagens. Ele competiu muito bem, surfou bem. Foi um campeonato difícil e espero que ele consiga fazer novas finais”, afirmou o pai.

Irmão do top do WCT, Miguel Pupo, Samuca é apontado como um dos novos fenômenos do surf brasileiro e forte candidato a reforçar a seleção brasileira no WCT num futuro próximo. Como amador, já teve outros resultados internacionais. Em abril do ano passado, em Maresias, faturou o Rip Curl Grom Search, campeonato sub16, enfrentando atletas de vários países e garantindo o mesmo título que Gabriel Medina comemorou em 2010 na Austrália. Depois, em junho, venceu o Quiksilver Canggu Challenge, na categoria júnior, nas ondas de Bali, na Indonésia.

Por Fábio Maradei

5 de fevereiro de 2016

Davizinho se junta a Medina e Mineirinho

A Oi anunciou o patrocínio a David Teixeira, vice-campeão mundial de surf adaptado. Davizinho, surfista de apenas 10 anos, é também skater, mas, mais do que isso, é o fato de já ser considerado uma celebridade em nível nacional, e agora ele se junta aos campeões mundiais Gabriel Medina e Mineirinho, além de Filipe Toledo, e Silvana Lima.
Em setembro do ano passado, em La Jolla, Califórnia, Davizinho alcançou a medalha de prata nos ISA World Adaptive Surfing Champioships, que juntou atletas de cerca de 20 países, perdendo apenas para Jesse Billauer na categoria de surf assistido.

Edição InnerSport (SurfTotal)

O Campeão está de volta

O surfista brasileiro é um dos candidatos à vitória na Praia do Norte. No ano em que se estreou no Allianz Capítulo Perfeito powered by Billabong, o brasileiro Bruno Santos, reconhecido tube rider, não fez por menos e venceu na praia de Carcavelos. Agora, ele está de volta para defender o título.
Lembramos que o Allianz Capítulo Perfeito powered by Billabong se encontra em período de espera até 17 de março, e pode acontecer a qualquer dia num prazo de 72 horas, em condições perfeita de surf na Praia do Norte (Nazaré).
Da lista final de surfistas do Allianz Capítulo Perfeito powered by Billabong 2016 fazem parte: Nic von Rupp, Tiago Pires, João Guedes, Francisco Alves, Miguel Blanco, Alex Botelho, Bruce Irons, Pedro Vianna "Scooby", Miguel Tudela, Marco Giorgi, Damien Hogbood, Bobby Martinez, Bruno Santos, Bruno Grilo, Ruben Gonzalez e Koa Rothman.

Edição InnerSport (SurfTotal)

4 de fevereiro de 2016

Oceanos podem ter mais plásticos que peixe em 2050

O alerta foi dado recentemente pela Fundação Ellen MacArthur, uma reconhecida velejadora de origem britânica, num artigo que chegou a ser publicado na revista Fortune. Atualmente, estima-se que mais de 150 milhões de toneladas de plástico estejam boiando nos Oceanos.
O estudo que serve de base informa que todos os anos 8 milhões de toneladas de plástico acabam nos Oceanos (o equivalente a um caminhão de lixo por minuto) e que a proporção de toneladas de plástico é relativamente a mesma de peixe existente, e vem aumentando drasticamente. Caso a situação se mantenha, a previsão é que em 2030 falemos de dois caminhões por minuto, número que sobe para quatro em 2050. Segundo o relatório, a proporção entre as toneladas de plástico e as toneladas de peixe registradas nos oceanos era de um para cinco em 2014. Em 2025, será de um para três e em 2050 irá evoluir de um para um.

Ben McNeil, um dos responsáveis pelo estudo, propõe a criação de um novo sistema para reduzir o desperdício de plástico na natureza, especialmente nos oceanos, e incentiva à procura de alternativas ao petróleo e ao gás natural na produção desse material. Um novo órgão independente que regule o setor também foi apontado. Só uma mudança de consciência e a cooperação mundial entre as empresas, políticos e organizações ambientais poderão fazer a diferença. Vários países tentam atualmente limitar o uso de sacos plásticos. Atualmente, mais de 26% do plástico produzido no mundo destina-se a embalagens.

Edição InnerSport (SurfTotal)

Mineirinho de aliança no dedo

No dia 23 de janeiro, um sábado, o campeão mundial de surf, Adriano de Souza, alcançou uma das mais importantes conquista de sua vida: casou com a modelo e empresária brasileira Patricia Eicke. A cerimônia aconteceu em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.
Gabriel Medina, Adriano de Souza e Tiago Pires / Foto Marcelo Schmoeller
Gabriel Medina, Miguel Pupo, Jadson André, Raoni Monteiro, Silvana Lima, Yago Dora e Jacque Silva compareceram a festa de casamento. Também esteve presente o surfista português Tiago Pires, companheiro de muitos anos no tour mundial e amigo pessoal de Mineirinho.

Após a cerimónia, na mesma noite, o casal embarcou para as Maldivas onde já se encontra a passar a lua de mel. Um dado que nós achámos deveras curioso: quem apanhou o ‘boquet’ foi Tayna Hanada, atual namorada de Gabriel Medina.

Edição InnerSport (SurfTotal)

Kelly Slater salva mãe e filho de afogamento no Havaí

O situação desesperadora da mãe e seu filho aconteceu na última quarta-feira, no North Shore de Oahu, mas só agora apareceu nas redes sociais. O 11 vezes campeão mundial, Kelly Slater, salvou salvou mãe e filho de morrerem afogados.
Segundo informações captadas pelo site SurfTotal, Kelly Slater, após não ficar muito satisfeito com as condições de surf em Waimea Bay, decidiu ir até Log Cabins dar uma checada nas condições. O swell, na última quarta-feira, estava bem grande e algumas ondas tinham tanta força que, por vezes, chegavam à Kam Highway (estrada que atravessa as praias do North Shore).

Foi no caminho entre as duas praias que ele deu de caras com a situação, prestando toda a ajuda possível. A história acabou com um final feliz para a Sarah e seu filho Van, mulher e filho de Chris White, um reconhecido fotógrafo australiano, que deixou um recado no Instagram:
"Estou muito agradecido que os deuses do surf não levaram o Kelly Slater. Por alguma razão, ele estava ali, no local certo, para salvar a minha mulher e filho, que estavam na estrada e foram varridos por uma onda enorme. Estou eternamente grato".

Edição InnerSport (SurfTotal)

A temida onda de Jaws

Algumas "vacas" (quando o surfista cai da prancha) foram as atrações nos últimos dias em Pe’ahi (Jaws), a famosa onda grande Maui. Tom Dosland, surfista experiente, foi vítima e passou sufoco. Ele foi pego desprevenido, envolvido num momento alucinante, e concorre seguramente ao troféu de queda do ano. Kai Lenny, de SUP (Stand Up Paddle), Ian Walsh, Nic Lamb, Jamie O’Brien, Francisco Porcella e Dean Morrisson são outros dos nomes que se destacam das sessões ocorridas nos últimos dias desta semana. No entanto,
Alex Botelho
"Na ocasião o swell movia-se muito rapidamente com um período de cerca de 19 segundos. Na verdade não havia muito vento, mas o fato das ondas se moverem tão rápidas numa enorme massa de água, fez com que a superfície das mesmas contasse com vento. Isto, obviamente, equivale a muitas quedas! A determinada altura estamos seguros que uma das duas coisas pode acontecer: o drop da tua vida... ou o maior wipeout de sempre! Também podemos ir nas melhores, mas nem sempre resulta", relatou o surfista português, Alex Botelho, em seu Facebook.

Confira o vídeo que faz o resumo dos melhores momentos:

Edição InnerSport (SurfTotal)

Surfando entre os Icebergues

Uma expedição de surf a um dos lugares mais frios do planeta, mas também um dos mais belos e marcantes - a Islândia.
Neste vídeo podemos ver como um trio de aventureiros surfistas - Adrián Fernández de Valderrama, Lucía Martiño e Aritza Saratxaga - percorre milhares de quilômetros em busca de ondas e dão de cara com centenas de icebergues que flutuantes.


Filmagem e edição de Igor Bellido - Fonte Surftotal

3 de fevereiro de 2016

Pedro Henrique leva o QS 1500 de Israel

O luso-brasileiro Pedro Henrique sagrou-se campeão do QS1500 de Israel numa final contra o surfista da Polinésia Francesa, Mihimana Braye. Pedrinho não deu qualquer chance ao adversário, tendo colocado em combinação muito rápido na bateria. Braye não conseguiu responder à altura até a final, e Pedro administrou a vantagem de forma tranquila e confiante que perdurou ao longo de todo o evento.
Pedro Henrique arranca no circuito QS em grande estilo / Foto WSL
Com a vitória no Seat Pro Netanya, Pedro Henrique garantiu 10 mil dólares de prize money e 1500 pontos para o ranking QS. Um excelente início de 2016 para o surfista.
Na prova feminina Camilla Kemp foi a vice-campeã, ao perder na final com a francesa  Maud Le Car. A surfista portuguesa arrancou uma excelente classificação no QS1000 israelita, com o segundo lugar e somou 750 pontos para o ranking QS e 1.200 dólares de prize money. Camilla terminou com 9,00 pontos (4,10 + 4,90), contra os 12,00 da francesa (7,00 + 5,00).

Edição InnerSport


Kelly Slater volta ao pódio

O 12 vezes campeão do mundo Kelly Slater volta a ganhar uma competição da WSL depois de uma ausência de dois anos afastado do lugar mais alto do pódio, e logo em condições perfeitas em Pipeline. “As ondas estavam perfeitas. Ganhar esta competição foi excelente, mas as ondas é que foram o espetáculo”, afirmou Slater depois de triunfar nas morras que quebraram durante a final do Volcom Pipe Pro, evento QS3000.
Kelly supera e vence numa final contra Bruce Irons, Jamie O’Brien e Makai McNamara / Foto WSL
A grande final, disputada em condições épicas, contou também com a volta de Bruce Irons às grandes decisões - numa prova que o surfista havaiano está curtindo sua melhor performance, com a lenda local Jamie O’Brien e Makai McNamara, que fez uma prova de grande qualidade.

Slater dominou a final de forma categórica, com esquerdas e direitas perfeitas, amealhando a 10ª vitória da sua carreira em Pipeline, com 7 Pipe Masters, 2 Volcom Pros e um Da Hui Backdoor Shootout. Kelly totalizou 16,56 pontos na final (8,73 + 7,83), contra os 6,73 de Bruce Irons, 9,94 de Jamie O’Brien e os 8,90 de Makai McNamara. Para terminar, e já no pódio, o eternamente ‘stoked’ Slater afirmou: “Foi incrível. Nem acredito que somos pagos para isto.”

Fonte SurfTotal

Carlos Burle é finalista no WSL Big Wave

O brasileiro Carlos Burle foi um dos seis surfistas que enfrentaram as ondas gigantes de 30-40 pés do domingo no Sul da Califórnia em três baterias, para decidir o título da terceira etapa da temporada 2015/2016 do WSL Big Wave Tour nos Estados Unidos. O campeão do Todos Santos Challenge foi o experiente top da elite da World Surf League, Josh Kerr, que está morando na Califórnia. Ele foi o único a conseguir completar duas ondas na bateria final e Carlos Burle terminou em terceiro por uma pequena diferença de 18,84 a 18,33 pontos do local de Todos Santos, Greg Long, que era o único invicto na decisão. Outros três americanos disputaram a final, Damien Hobgood (4.o), Nic Lamb (5.o) e Rusty Long (6.o). O vice-campeão, Greg Long, lidera o ranking dos desafiadores de ondas gigantes da World Surf League. “Eu tenho muito respeito por esses caras que disputam esse circuito e aqueles que se dedicam regularmente em surfar ondas grandes”, disse Josh Kerr. “Eu passei o dia todo com um largo sorriso no rosto apenas por estar surfando essas ondas com eles, me senti muito bem durante todo o dia e tinha total confiança na minha prancha. Estou muito grato pela oportunidade de surfar aqui hoje (domingo)”.
Carlos Burle / Foto Danny Ecker 
Josh Kerr terminou em 11º no ranking WSL Championship Tour encerrado um mês atrás com Adriano de Souza conquistando o segundo título mundial consecutivo do Brasil no Havaí. No domingo, testou sua habilidade em surfar em condições extremas, tendo que dropar paredes enormes em ondas gigantescas de alto risco, como as de Todos Santos, em Baja California. Carlos Burle foi o único a derrotar o campeão no domingo, deixando Kerr em segundo lugar na primeira fase. Depois o australiano venceu o brasileiro nas semifinais e também na decisão do Todos Santos Challenge, com as notas 8,20 e 7,87 que recebeu nas maiores ondas que surfou na bateria.

O pernambucano Carlos Burle e o californiano Greg Long até surfaram uma onda maior do que Josh Kerr na final na avaliação dos juízes, mas faltou uma segunda nota para somar. A do americano valeu 8,67 e a do brasileiro 8,50, com os dois tendo que computar 1,50 e 1,33, respectivamente. No formato especial das etapas do WSL Big Wave Tour, todas baterias são formadas por seis competidores e são computadas as duas maiores notas, mas a maior onda surfada por cada um é multiplicada por dois. Greg Long então terminou em segundo lugar com 18,84 pontos contra 18,33 do brasileiro, que superou os outros três americanos da final.

Ranking Big Wave – O norte-americano Greg Long lidera o ranking das três etapas do WSL Big Wave Tour completadas no Todos Santos Challenge. Com o vice-campeonato em casa, o californiano atingiu 21.266 pontos e Makuakai Rothman está em segundo lugar com 16.994, seguido pelo também havaiano Billy Kemper com 16.714 e o americano Nic Lamb em quarto com 16.594. Com a vitória, Josh Kerr assumiu a quinta posição com 13.589 e Carlos Burle subiu para o sétimo lugar com 12.845. O outro sul-americano entre os top-10 é o chileno Cristian Merello em nono lugar com 10.416 pontos na única etapa que participou em casa no Chile.

Por João Carvalho

Um Sorriso que se Eterniza

Existem irmãos que são presentes vindo das mães, os de sangue que a força superior escolhe para você… Porém existem aqueles amigos que o universo coloca no seu caminho e você escolhe como irmão. O Andrezinho (André Hiena) é um desses irmãos que a gente escolhe na vida para estar ao nosso lado, aquela pessoa que quer acima de tudo o seu bem, que se importa com você, nas minimas coisas:
“E ai McGregão como você está”?
“Fala McGregão, já almoçou, não vai sair daqui sem almoçar… mãe pega um prato que o McGregão vai almoçar com a gente”.
“McGregão sumiu, to te ligando para saber se você está bem”!
Foto Divulgação
Coisa de irmão, que só quem tem amizade assim sabe do que eu to falando, como irmãos brigamos algumas vezes entre nós mas, ai de quem fosse contra a gente.
Discutiamos bastante e muitas vezes discordávamos de nossas ideias, mas sempre estavamos ali um para o outro quando fosse necessario. Mesmo que em certos momentos da vida nos encontravamos com menos frequencia pelos compromissos da vida, a amizade fraterna sempre permaneceu até os dias de hoje.

Sua amizade fará falta, e sua lembrança estará sempre em minhas memórias e em meu coração.
De mais de duas décadas de amizade e entrega com um grande coração e um sorriso aberto. Vá em paz e que seu sorriso irradie luz e alegria aonde quer que esteja. Nos encontraremos em breve!

Por Alessandro McGregor (fonte campeonatosdeskate) / Fotos Erick Bollmann

Gabriel Medina e as expectativas ao WCT 2016

O Jornalista Fábio Maradei entrevista o primeiro Campeão Mundial de Surf brasileiro, Gabriel Medina, que conquistou o título em 2014.
O atleta, no vídeo, fala sobre as etapas e ondas preferidas, o Pipe Masters, o foco, a vontade, o que pode melhorar nas manobras, e a preparação para o Tour. Acompanhe:

Por Fábio Maradei

2 de fevereiro de 2016

Pedro Barros é Tricampeão do Mundial Oi Bowl Jam

O skatista catarinense sagrou-se tricampeão na cidade Maravilhosa, no último domingo, 31/01, do Mundial Oi Bowl Jam. Pedro Barros não deu chance aos adversários e faturou o Mundial disputado no Parque Madureira, Rio de Janeiro. Pentacampeão mundial na modalidade bowl, Pedro superou os sete skatistas que disputaram a final da etapa Brasil do circuito da WCS e AIS. O jovem mostrou de cara que não tinha vindo ao Rio para brincar: na primeira volta, acertou a linha e conseguiu uma média 91, seguido de perto pelo americano Chris Russell.
Pedro Barros é TRI no Oi Bowl Jam 2016 / Foto Divulgação
Mas o melhor estava por vir. A segunda volta de Pedro levantou o público, que ignorou o fortíssimo calor e encheu a arquibancada do Parque Madureira. Com uma linha que honrou seus cinco títulos mundiais e mostrou o quanto está disposto a conquistar o hexa, ele conseguiu uma média de 95,33 pontos, que não seria batida. Antes mesmo de a volta terminar, a torcida já o saudava, aos gritos de “Éééé campeããããooo”.

“Um dos motivos de eu estar aqui, poucos dias depois de ser operado, é a força que os cariocas sempre dão ao skate, fazendo com que o esporte cresça a cada dia. Obrigado a todos os que vieram prestigiar o campeonato”, agradeceu o campeão, do lugar mais alto do pódio.
Pedro acrescentou considerar a etapa Brasil do mundial de bowl uma das de mais alto nível no circuito. Segundo ele, a disputa foi acirrada. “Eu tentei criar uma linha diferente, pra ver se funcionava. Felizmente, deu tudo certo”, disse Pedro, que agradeceu à equipe médica que cuidou dele e o deixou pronto para competir.

Resultado final:
1. Pedro Barros (BRA) – 95.33
2. Alex Sorgente (EUA) – 90.00
3. Chris Russell (EUA) – 86.67
4. Bob Burnquist (BRA) – 84.33
5. Ivan Federico (ITA) – 82.33
6. Felipe Foguinho (BRA) – 80.00
7. Murilo Peres (BRA) – 77.33
8. Vi Kakinho (BRA) – 75.67

Por Flavia Flores

Vídeo: assista o que rolou na abertura do Grom Search

Disputas acirradas, muita animação, diversão, talentos da nova geração, visita do campeão mundial Gabriel Medina, sol, praia cheia. Tudo o que rolou na abertura do Rip Curl Grom Search, nos dias 23 e 24, na Praia da Ferrugem, em Garopaba/SC, está no vídeo produzido pela Flow Cinema.
Leonardo Barcelos / Foto Basílio Ruy
A competição reuniu mais de 100 surfistas de sete estados e teve como vencedores Leonardo Barcelos, de Imbituba/SC, na mirim, Carol Bonelli, de Saquarema/RJ, na feminina, Daniel Adisaka, de Ubatuba/SP, na iniciante, e Rodrigo Saldanha, de São Paulo, na grommet.
Junto às disputas acirradas, os participantes tiveram muita diversão, com distribuição de pipas, pintura de pranchas, além do inovador Campeonato de Sup, comprovando o slogan “Muito mais do que um campeonato de Surf”. Houve, também, a distribuição de mudas nativas para o público na praia, no programa Rip Curl Planet, de conscientização socioambiental. Mas sem dúvida, a grande atração aconteceu sábado, com o campeão mundial Gabriel Medina na praia, interagindo com a garotada, no mesmo evento onde iniciou a sua trajetória vencedora.

Fonte FMA Notícias

Luigi Cini focado na Mega Rampa

Ele ganhou um skate aos 5 anos de idade, mas foi aos 8 anos que Luigi Cini se interessou após visitar uma pista de skate em Curitiba, naquele dia foi quando nasceu o amor pelo skate. Com muito apoio da família, principalmente dos pais, Luigi decidiu se aventurar no Vertical, que segundo ele foi o que mais se identificou e por ter mais facilidade para praticar. Agora, aos 13 anos sua meta é conquistar a gigantesca Mega Rampa.
Influenciado por vídeos e principalmente pelos amigos de role, Luigi, apesar da pouca idade, já esta com metas traçadas para seu futuro. “Agora que sou Campeão Brasileiro de Vertical na categoria Iniciante, tenho mais responsabilidades e irei me dedicar ainda mais. Porém, fora isso nada mudou, continuo andando de skate e me divertindo como fazia antes, mas com mais metas e objetivos pela frente”. Neste ano de 2016, Luigi pretende competir em campeonatos fora do Brasil, divulgar o seu skate pelo mundo, lançar vídeos novos e principalmente: dropar a Mega Rampa.

Por Erick Bollmann / Foto Arquivo Pessoal

Leco afirma que título mundial seria presente perfeito de aniversário

O dia em que embarcou para participar de mais uma etapa do mundial de SUP, foi também o seu aniversário. O atleta profissional, campeão mundial, Leco Salazar, está muito focado na primeira etapa: "Se der para começar com a vitória me deixa mais próximo do título", comentou confiante. "seria o presente perfetio de aniversário", finalizou Leco que completou 28 anos na última terça-feira (2), mesmo dia que viajou para o Havaí.
Leco Salazar e Giba embarcaram para a 1ª etapa do Mundial de SUP 2016 / Foto Gibasurftrips
O santista levou cinco pranchas shapeadas por Neco Carbone. Quatro SUPs round pin (9'0; 8'4; 7'7; 7'2), com caixa para variação de quilhas e totalmente reforçadas, e uma pranchinha. Junto com o seu técnico Giba, ele também carrega muita "garra, foco e surf no pé". Desde 2009, quando conquistou o título brasileiro Leco vem se destacando numa das modalidades que mais cresce no Brasil e no mundo. Em 2012, veio o tão esperado título mundial. Em 2013, Leco Salazar terminou em 4º no ranking mundial. Já em 2014, fez uma semi-final no Hawaii/Sunset e, em 2015, foi Campeão da Etapa Guarujaense.
Leco Salazar, em ótima forama para o Mundial de 2016 / Foto Marcio Dja
O primeiro campeão brasileiro de SUP está hospedado na casa de seu irmão mais novo, Matheus Salazar, que também participará do Mundial. O Sunset Beach Pro começa dia 8 e vai até o dia 20 de fevereiro. Leco representa a HD - Hawaian Dreams, a New Advance, a Surf Trip, a Ocean Travel e o Restaurante Okumura Temakeria. Além do apoio da Fundação Pró-Esporte de Santos (Fupes).

Redação InnerSport