.

.

30 de janeiro de 2016

Carlos Burle lança seu e-commerce

Carlos Burle deu início a mais uma empreitada fora d'água. Em dezembro, o campeão mundial de ondas grandes lançou sua loja virtual, com produtos assinados por ele, ou que estejam diretamente ligados ao seu universo. Das pranchas aos filtros de água alcalina, passando por acessórios para a prática do surf, bonés, óculos, skates e muitos outros itens - tudo o que ele já tenha testado e aprovado no seu dia a dia. "Meu desejo é retribuir para as pessoas toda experiência de vida que acumulei em todos os anos de viagens e treinos. Os produtos que hoje desenvolvo, junto com parceiros específicos, são ideais para quem quer manter a forma e ter um estilo de vida saudável,” disse o atleta.
As pranchas de surfe merecem destaque. A encomenda pode ser feita sob medida, para o peso e altura do seu comprador, além de receber uma consultoria do campeão. O cliente preenche um formulário específico, descrevendo seu biotipo, seu nível no esporte e em que tipo de onda o produto será utilizado. Após uma análise da equipe do site, o próprio Carlos Burle dá sua sugestão de prancha, baseada no relatório enviado. Ela, então, é encaminhada para produção com o mesmo shaper e fábrica que desenham e produzem as pranchas do Burle. "Quero ter contato direto com o cliente da loja, sempre que possível. Ajudar quem quer melhorar a performance no surfe e ter uma vida mais saudável e equilibrada é uma das coisas que mais me deixa feliz!” Explicou Burle, que pretende lançar a página em inglês em 2016, permitindo acesso para vendas no exterior.

Sempre envolvido em questões ligadas ao meio ambiente, Burle fez questão de que parte do faturamento do site fosse revertida em doações para projetos sócio-ambientais. A primeira causa a ser apoiada é a limpeza da praia de São Conrado, no Rio de Janeiro, através da ação 'Água Limpa é a Onda' (www.agualimaeaonda.com), que já contou com a participação do atleta na campanha de lançamento. "Quero mostrar que o grande diferencial da loja, apesar de ser online, é a proximidade real que o cliente tem com o atleta Carlos Burle. Por isso, toda compra feita segue com um 'brinde' meu: um pôster exclusivo autografado," concluiu Carlos Burle.

Durante a temporada havaiana, um item único vai estar a venda no site: o pôster do Eddie Aikau Invitational, o mais tradicional campeonato de ondas grandes do mundo. Ele virá com a assinatura do Burle, único brasileiro a participar do evento até hoje. Uma peça rara, que só é encontrada na costa Norte da ilha de Oahu, perfeita para aqueles que conhecem e amam a história do surfe em ondas grandes.

Por Daniel Vianna

28 de janeiro de 2016

Rony Gomes confirmado no Oi Bowl Jam

A temporada para o skatista paulista Rony gomes está começando com novos desafios. Embora Rony tenha como modalidades principais o Vertical, onde foi campeão mundial em 2013, e a MegaRampa (com dois vice-campeonatos, em 2014 e 2015), o pro skater busca novas experiências e tem como objetivo disputar mais provas da modalidade bowl em 2016. O palco dessa primeira etapa será o Rio de Janeiro, com a pista do Parque de Madureira, que recebe o Oi Bowl Jam pelo terceiro ano consecutivo, entre os dias 29 e 31 de janeiro. No início do mês, Rony disputou uma competição no Chile e foi um dos melhores brasileiros no evento. "O bowl é uma modalidade nova para mim, como profissional. Sempre fiz algumas sessões, mas não focava tanto no bowl quanto no vertical ou na MegaRampa. Agora que ampliei a estrutura em Atibaia (SP) com o bowl, minha intenção é aprender cada vez mais e somar experiência nessa modalidade também", comenta Rony Gomes, de 24 anos.
Rony Gomes / Foto Felipe Puerta
Para o Bowl Jam, em Madureira, o paulista espera conseguir se destacar mais uma vez e dar trabalho aos tops. "Minha expectativa para o evento é sempre a melhor possível. Sei que não posso me cobrar muito resultado, já que o bowl é uma modalidade nova para mim. Tem muita gente andando muito bem e eu acredito que estou melhorando o meu desempenho em cada competição. Em 2016 pretendo me aprofundar mais nas competições de bowl, para pegar mais experiência e tentar dar trabalho para os tops", diz Rony. Um dos pontos de destaque na linha de Rony são as manobras aéreas, já que sua base vem do vertical. Por isso, no bowl, o setor preferido do campeão mundial é o mais fundo, com paredes mais altas, que possibilita mais aéreos e giros.

Fonte FGCom

Quiksilver USA contra a falência

Quiksilver, Inc. anunciou que seu Plano de Reorganização foi confirmado pelo Tribunal de Falências dos Estados Unidos no Distrito de Delaware, com significativo suporte dos principais acionistas da companhia, inclusive da Comissão Oficial de Credores Não Garantidos. A previsão da empresa é sair da falência no próximo dia 5 de fevereiro. "Este é um marco importante na evolução da Quiksilver e estamos satisfeitos com a confirmação do Tribunal de termos saído da falência apenas alguns meses depois de termos arquivado nossas petições voluntárias, " disse Pierre Agnes, CEO da Quiksilver. "Isso é um atestado de nossa visão sólida, das marcas líderes e resilientes, dos funcionários apaixonados e dos clientes leais. "
Para Agnes, "hoje se inicia um novo começo para Quiksilver, Roxy e DC Shoes. Nós vamos emergir como uma empresa mais forte e revitalizada com a liderança experiente, operações racionalizadas, um balanço limpo e um parceiro de classe mundial, a Oaktree Capital, que traz a experiência estratégica e operacional adicional para a nossa companhia. O plano de reorganização que pusemos em prática nos fornece a base sólida operacional e financeira de longo prazo para impulsionar o sucesso de nossas marcas globalmente e nos posiciona positivamente para reafirmar nossa liderança na indústria de esportes de ação."

"A Quiksilver tem marcas importantes que os clientes de todo o mundo ainda procuram. Essa nova estratégia permitirá que se concentrem em produtos inovadores, ao mesmo tempo em que se expande o alcance e a relevância de suas principais marcas. Simultaneamente, permitirá que a companhia acelere a sua jornada contínua de excelência operacional ", afirma David Tanner, Diretor Gerencial da Diretoria da Oaktree Capital, L.P. "Estamos ansiosos para firmar parceria com a gestão Quiksilver para continuar a moldar e dirigir o seu programa de recuperação plurianual. "

Como já foi anunciado, o Plano de Reorganização confirmado pelo Tribunal (que deverá tornar-se efetivo por volta de 05 de fevereiro), permitirá que a Quiksilver execute uma reestruturação financeira e operacional - desenhada para recuperar a saúde financeira da companhia em longo prazo. Além disso, nos termos do plano, a Oaktree irá converter suas participações substanciais existentes de dívida nos Estados Unidos em um acionista majoritário da companhia que irá se extinguir. Através do processo de falência, a Quiksilver foi efetivamente capaz de enfrentar as dificuldades financeiras a curto e longo prazo, além de criar uma base sólida para o sucesso futuro de suas marcas. Quiksilver é, e como resultado desse processo vai continuar a ser, um líder icônico no mercado de esportes de ação.

Fonte MKT Mix

Segundo dia do Circuito Oceânico da Ilha de SC

O segundo dia de competições do 27º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina, foi marcado por chuva intensa na raia de Jurerê. Mesmo com todas as adversidades, a comissão de regatas conseguiu realizar as duas disputas de barla-sota previstas para o dia e diversas mudanças marcaram a classificação geral da competição. Na classe mais numerosa da competição, a ORC, os gaúchos do San Chico 3 assumiram a liderança da competição após um segundo e um primeiro lugares nas duas regatas do dia. Nono colocado na regata longa, disputada na quarta-feira, a equipe do Rio Grande do Sul assumiu a liderança com doze pontos perdidos. Logo atrás aparece o catarinense Catuana Kim, do Iate Clube de Santa Catarina.
Foto Sergio Vignes
O veleiro do comandante Alexandre Back recuperou-se do décimo lugar conquistado no primeiro dia, repetindo as posições do San Chico 3, primeiro e segundo, agora com 13 pontos perdidos. O Flash Best Fellow, de Leonardo Deboni, manteve a terceira posição no geral após dois quintos lugares. Atual bicampeão e vencedor da regata longa na estreia, o carioca Ângela Star VI, do comandante Peter Siemsen, caiu para o quinto lugar no geral.

Entre os veleiros C30, o Zeus segue liderando as disputas. Repetindo o bom desempenho de quarta-feira, a equipe do comandante Inácio Vandressen venceu mais duas nessa quinta e soma apenas 3 pontos perdidos. Katana, com 7, e Corta Vento, com 9, vem na sequencia. Na IRC, o Itajaí Sailing Team está na frente, mas trava um duelo parelho com o veleiro Boto IV. As duas equipes somam cinco pontos perdidos, com vantagem para os catarinenses que tem duas vitórias em três regatas.

Segunda classe mais numerosa da competição, a RGS também conta com um duelo equilibrado pela liderança. Líder no primeiro dia, o veleiro Bruxo perdeu o posto para o Zephyrus, vencedor das duas regatas dessa quinta-feira. Agora, o líder computa 4 pontos perdidos, contra 6 do adversário. O Argonauta ocupa a terceira posição com 13 pontos perdidos. Fechando as disputas, o Força 12 lidera solitário na HPE-25, enquanto o Blu 1 aparece na primeira posição na Bico de Proa.

Por Danilo Caboclo

Santa Catarina e Rio largam na frente, no Rip Curl Grom Search

Leonardo Barcelos, de Imbituba/SC, e Carol Bonelli, de Saquarema/RJ, saíram na frente nas disputas pelos títulos do Rip Curl Grom Search, que aconteceu no último domingo (24), nas ondas da Praia da Ferrugem, em Garopaba/SC. Os dois venceram as categorias para atletas mais velhos, com até 16 anos, a mirim e a feminina, respectivamente, que garantem aos campeões do Circuito as vagas para representar o Brasil na final internacional, em 2017, em algum lugar do Mundo. Nas outras duas categorias em ação, vitórias paulistas, com Daniel Adisaka, de Ubatuba, na iniciante (limite de 14 anos) e Rodrigo Saldanha, da capital, na grommet (sub12). Com sol, praia lotada e ondas de um metro, a competição reuniu mais de 100 surfistas de sete estados.
Sofia Medina em sua primeira competição / Foto Basílio Ruy
Sem dúvida, a grande atração aconteceu sábado, com o campeão mundial Gabriel Medina na praia, interagindo com a garotada, no mesmo evento onde iniciou a sua trajetória vencedora. Ele incentivou a nova geração e também ficou de olho na irmã caçula, Sophia Medina, que aos dez anos, estreou no Circuito. O dia decisivo da etapa começou com grandes atuações, como o catarinense Mateus Herdy, garantindo a melhor apresentação do evento, com nota 9,80, para somar 18,70 de 20 pontos possíveis.

Dos 16 finalistas nas quatro baterias, uma disputa à parte, com sete atletas de SP e seis de SC. Entre os destaques, Eduardo Motta, de Guarujá, que chegou em duas finais, ficando em segundo em ambas.
O Rip Curl Grom Search 2016, terá a próxima etapa na emblemática Praia de Itaúna, em Saquarema, nos dias 20 e 21 de fevereiro, e a grande final na badalada Praia de Maresias, em São Sebastião, nos dias 5 e 6 de março. Os campeões do ranking na mirim e na feminina representarão o Brasil na final internacional do evento, em 2017, com passagens aéreas e hospedagem pagas pela Rip Curl.

Por Fábio Maradei

27 de janeiro de 2016

O Dia do Surfista, em Santos

Com “casa cheia”, o Dia do Surfista foi comemorado em grande estilo na quinta-feira (21), no Salão Nobre da Prefeitura de Santos. Criada pela lei municipal 2172, em 2003, pelo então vereador Fábio Nunes (hoje secretário municipal de Cultura), a homenagem tem como objetivo valorizar a história do esporte na Cidade onde o surf “nasceu” no Brasil, ainda na década de 40. Mais do que isso, reforçar o modo de vida, que virou um esporte e hoje é conhecido e admirado. Nesta edição foram quatro pioneiros reconhecidos, todos da década de 60, com destaque para o aniversariante do dia, Homero Naldinho, considerado o inventor da indústria do surf. Junto, três companheiros de viagens, da famosa “Turma do Conde do Mar”: Sergio Barros Barletta, Wanderley Paschoal, o Milica, e José Roberto Pereira Barreto Júnior, o ZeBeto.
A solenidade também fez menção ao novo campeão mundial de surf, Adriano de Souza, o Mineirinho, que não pode comparecer (devido a uma lesão na perna), mas enviou uma mensagem por vídeo e foi representado pelo assessor de comunicação, Fábio Maradei. O evento foi marcado pelo clima festivo, descontraído, como é característico em encontros de surfistas. Ainda na parte da noite, a comemoração, reunindo os quatro homenageados, foi na Cinza Store, no Gonzaga, um novo espaço, que também tem o surf como um de seus pilares. “O surf é uma grande manifestação cultural e fico feliz de ter sido o vetor dessa homenagem realizada todos os anos”, disse Fábio Nunes. “Esse é um momento de celebração da cultura do surf, do legado que vocês deixaram para a gente”, destacou o presidente da Associação Santos de Surf, Marcos Andrade, dirigindo-se aos homenageados.
Discursando pelos homenageados, Sérgio Barletta ressaltou que o surf no Brasil é dividido em duas fases: antes e depois de Homero. “Tive a honra de fazer parte de sua equipe”, falou. Para Homero, ser lembrado na Prefeitura por seu pioneirismo foi algo indescritível. “É uma surpresa tão grande saber que a gente ia se transformar numa tribo tão grande. Foi uma emoção que nunca imaginei passar”, comentou o primeiro fabricante de pranchas, que nesta quinta-feira completou 72 anos.

Fonte FMA Notícias / Fotos Divulgação

Nova tecnologia aos competidores do WSL

A World Surf League anunciou que o Samsung Gear poderá ser utilizado nas etapas do Circuito Mundial a partir de 2016, depois de passar pelos testes finais no Havaí. Sempre buscando novas ferramentas para os competidores, o diretor de informática da WSL, Mano Ziul, brasileiro de Niterói (RJ), criador do sistema de computação das notas dos surfistas nas competições, vinha desenvolvendo um equipamento para que os atletas não ficassem dependendo da locução dos eventos para saber a situação das baterias. A entrada da Samsung como patrocinadora do World Championship Tour aumentou a esperança e neste ano os surfistas poderão usar no pulso o novo Samsung Gear com informações importantes, como o tempo da bateria, a maior nota e a da última surfada por cada um, a pontuação necessária para vencer ou se classificar, além da prioridade de escolha das próximas ondas. "Essa ideia durou dois anos para virar realidade", conta Mano Ziul. "Os competidores só contavam com o sistema de som para receber as informações da bateria e elas mudam com muita frequência, a cada onda surfada. No entanto, em praias onde a arrebentação é muito longe, como Sunset Beach, no Havaí, por exemplo, ou quando está ventando muito e as ondas estão muito grandes, fica difícil de eles ouvirem a locução e não é raro quando o competidor não tem a mínima noção do que está acontecendo".
Mano Ziul / Foto Divulgação
Ele explica que pensou em criar algum equipamento para ficar na prancha dos surfistas, mas ela pode quebrar durante a bateria, o que é comum acontecer, aí tudo iria por água abaixo. "Logo que surgiram os primeiros avanços tecnológicos de transmissão e recepção de sinal, começou a ficar mais claro que a solução era um "wearable", ou seja, algo que focasse no competidor e não na prancha", continua Mano Ziul. "No começo, resolvemos o problema de bateria (do equipamento), depois o da transmissão e depois o da recepção. Foram vários testes para fazer os protótipos à prova d´água, com qualidade para poder receber o impacto e a pressão das ondas no mar". O Samsung Gear tem tela de 5,8 cm de altura por 3,7 de largura. Na parte superior, um cronômetro mostra o tempo que resta para o término do confronto. No restante da tela, apresenta as notas de cada competidor em linhas horizontais com as mesmas cores das lycras de competição. Elas são ordenadas de acordo com a classificação da bateria, com o líder na primeira linha abaixo do cronômetro. Existem também três colunas verticais, a da esquerda com a nota mais alta de cada um, a do meio com a nota da última onda e a da direita com quantos pontos precisa para vencer ou se classificar. Além disso, o equipamento informa quem tem a prioridade de surfar a próxima onda e quem está punido com interferência.

O "mago" da informática nos campeonatos de surfe pelo mundo inteiro, destaca que para o funcionamento perfeito do Samsung Gear é necessária uma boa velocidade de transmissão de dados e será utilizado o sistema 3G/G4. "Atualmente, o cronometro oficial e o dos competidores batem no mesmo segundo, ou seja, todos têm que ter a informação ao mesmo tempo para não oferecer vantagem diferenciada. Existe um algoritmo especial que compensa a diferença de recepção e disponibiliza tudo ao mesmo tempo em uma velocidade que não atrasa a transmissão, verificando ainda a integridade dos dados enviados". As informações transmitidas são basicamente as notas das ondas surfadas pelos competidores, a maior e a última de cada um, o tempo e a prioridade, dados gerenciados e enviados pela equipe Ziulscores, que já é responsável pelo sistema oficial de tabulação dos resultados. Mano Ziul explica melhor o passo a passo: "No sistema Ziulscores, os juízes dão as notas, o cronometrista o tempo oficial e o juiz de prioridade indica a sequência de prioridade de escolha das próximas ondas. O operador do sistema Ziulscores aciona o stream de dados para o servidor e o servidor faz a distribuição dos dados para o App no device do competidor, que também conecta ao servidor para receber as informações transmitidas".
Os surfistas que já usaram o Samsung Gear em competições, aprovaram a novidade. "A adaptação foi impressionantemente rápida e transparente. Podemos considerar que os testes finais foram na Vans World Cup, em Sunset, Havaí, em novembro passado. Todos os atletas e "caddies" tinham à disposição um device pronto para ser usado, aferido e em funcionamento. E já foi aprovado também para acabar com a grande dificuldade para se escutar as informações da locução em dias de muito vento, chuva e ondas grandes. Além dos próprios surfistas, agora os "caddies" e os treinadores poderão saber as notas e as informações de todos os adversários também, para traçar e ajustar a estratégia dinamicamente durante a bateria". Além disso, os locutores dos eventos não terão mais a obrigatoriedade de divulgar as notas de cada onda surfada pelos competidores durante o dia todo, ficando mais livres para promover o evento de outras formas, interagindo e passando mais informações para o público na praia. "Acredito que essa será a maior mudança na dinâmica dos eventos de surfe. Sem ter que ficar só passando as informações para os atletas pelo sistema de áudio, os locutores vão ter mais liberdade para animar e promover o evento para o público em geral. E tudo isso sem atrapalhar os competidores e treinadores. Basta ter o Samsung Gear no pulso com tudo das baterias", encerrou Mano Ziul.

Por João Carvalho

Começou o 27º Circuito Oceânico da Ilha de SC

Um Regata Longa abriu o 27º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina, principal competição de vela oceânica do estado. Com ótimas condições, fornecida por vento sul, que variaram entre 10-12 nós no início da regata, favoreceu o atual bicampeão na ORC, o Ângela Star VI, que foi o Fita Azul. Os ventos chegaram aos 20 nós ao longo do dia. Divididos em dois grupos, as embarcações das classes ORC, IRC, C30 e HPE-25 cumpriram o percurso saindo próximo da Sede Oceânica, em Jurerê, passando pela Ponta do Forte, Ilha do Francês, Cachoeira do Bom Jesus, Ilha do Arvoredo, Ilha do Mata Fome, novamente Ilha do Francês retornando a chegada.
Atual bicampeão, Ângela Star VI, do Rio de Janeiro, foi o Fita Azul na abertura da competição / Foto Sergio Vignes/ICSC
Bem acostumados as condições de Jurerê, o carioca Ângela Star dominou a regata do início ao fim, completando o percurso quase sete minutos à frente do segundo colocado após o tempo corrigido. Único HPE-25 na competição, o Força 12 mostrou que está com a tripulação bem entrosada e acabou em segundo lugar. Campeão na RGS Geral em 2015, o Flash Best Fellow velejou muito bem nessa quarta e foi o terceiro no geral da ORC. Atual campeão da competição na classe C30, o veleiro Zeus também teve um dia excelente, acertando nas escolhas durante a regata. “Hoje (qauarta) foi um dia muito bom. Conseguimos ser bem rápidos e velejamos muito bem. A gente sabe que contra os barcos maiores será difícil manter-se na frente, mas hoje conseguimos segurar bem, chegando à frente de muitos deles. Esperamos fazer uma boa competição na C30”, disse Felipe Linhares, timoneiro do veleiro Zeus, vencedor do dia na classe C30.

Vice-campeão em 2015, o Itajaí Sailing Team apresentou um barco novo para a temporada 2016 e neste primeiro dia foi o grande vencedor na classe IRC. Destaque também para o Bruxo, que após o tempo corrigido conquistou a vitória colocando quase sete minutos de vantagem para o segundo colocado, Zephyrus, na RGS Geral. Fechando a quarta-feira, o Blu 1 foi o melhor na Bico de Proa.

Por Danilo Caboclo

Jeri Acqua Sports completa 17 anos

A primeira surf shop que aportou numa das praias mais belas do Brasil, está quase na maioridade. Criada por Carlos Clécio, até então um vitorioso competidor da categoria longboard, foi quando decidiu que ali construiria a Jeri Acqua Sports, que há 17 anos faz a cabeça do surf de Jericoacoara.
E, para comemorar uma data tão importante Clécio convidou a vila inteira para, ao som de muito reggae, celebrarem o décimo sétimo aniversário da loja que já realizou o sonho de milhares de pessoas que puderam conhecer a incrível sensação de surfar uma onda.
A festa dos 17 anos da Jeri Acqua Sports / Foto Arley Ribeiro
“Além de disponibilizarmos tudo o que uma pessoa precisa pra surfar como pranchas, cordinhas, antiderrapante, parafina, quilhas, bermudas, lycras etc, Jeri é um dos melhores lugares do mundo para aprender a surfar. A onda é muito fácil, raso e o visual é incrível! Pessoas de todo o Brasil e de diversas partes do mundo já tiveram a oportunidade de aprender a surfar conosco e muitos continuaram, chegando inclusive a surfar algumas das melhores ondas do mundo. Sei disso porque a maioria de nossos clientes viram nossos amigos”, declarou Clécio.

Por George Noronha / Foto Divulgação

Mitsubishi Motors do Brasil renova com Medina

Dando continuidade a um trabalho que alcançou conquistas históricas, a Mitsubishi Motors renovou a parceria com Gabriel Medina, o primeiro brasileiro a se tornar campeão mundial de surf e um dos principais nomes da modalidade no mundo. O surfista continuará a contar com todo apoio da marca dos três diamantes nos torneios mais importante do planeta.  "Amarradão em renovar a parceria com a Mitsubishi. Estou sempre viajando, e com eles tenho todo o suporte e segurança nas estradas e praias pelo mundo", comemora Gabriel Medina.
Foto Mitsubishi / Dibulgação
Medina faz parte de um time de 12 atletas de ponta que representam a marca nos principais campeonatos esportivos pelo mundo, como o também campeão mundial de surf Adriano de Souza, os surfistas Carlos Burle, Maya Gabeira, Everaldo Teixeira, Chloé Calmon, Sylvio Mancusi, os canoístas Fernando Fernandes e Pedro Oliva, a montanhista e aventureira Karina Oliani, e a dupla off-road Guiga Spinelli e Youssef Haddad. "A Mitsubishi Motors sempre apoiou o surf brasileiro.

Renovar essa parceria vitoriosa com o Gabriel Medina e continuar contando com ele em nosso time de Atletas Mit é muito importante para a marca. Esperamos ajudar o Gabriel a alcançar novas conquista nos próximos anos", comemorou Fernando Julianelli, diretor de marketing da Mitsubishi Motors, após renovação intermediada pela Go4it, agência do atleta brasileiro. Em 2016, Medina buscará seu segundo título na WSL, a Liga Mundial de Surf, que começa no dia 10 de março, em Gold Coast, na Austrália, e passará pelo Brasil entre os dias 10 e 21 de maio, no Rio de Janeiro.

Fonte MIT Imprensa

26 de janeiro de 2016

Leco Salazar parte em busca do bi no Mundial de SUP 2016

O campeão mundial de SUP Leco Salazar, local de Santos/SP, embarcará no próximo dia 2 de fevereiro, com destino ao Havaí (EUA), onde disputará a primeira etapa do Mundial de Stand Up World Tour 2016, o Sunset Beach Pro.
Leco Salazar mostrando o que sabe em cima de um SUP
Os organizadores também confirmam a presença do fenômeno El Niño no evento, que acontece entre os dias 8 a 20 de fevereiro (janela de espera), e promete grandes ondulações para a abertura da temporada. "Estou muito confiante este ano. E quero repetir o feito de 2012, aproveitar esta fase mágica que os brasileiros estão tendo no surf, e trazer mais um título para o Brasil. Tenho treinado constantemente para o mundial. Embarco no início de fevereiro, e vou ter quase uma semana para treinar e me adaptar nas ondas havaianas", comenta Salazar, que até gravou um vídeo onde convoca o apoio da torcida brasileira para mais este desafio (vídeo abaixo).
Leco viaja acompanhado do seu treinador e filmmaker Giba, que há três meses assumiu este compromisso. "O Leco é um atleta completo, não terei muito trabalho com o seu posicionamento, estilo de surf, e comportamento dentro do mar. Minha missão focará na parte piscológica, que eu enxergo como uma das mais importantes em momentos como este, de muita cobrança e pressão que irá sofrer, ainda mais ele, que é filho de um dos ícones do surf mundial, o Picuruta. Também vou ajudá-lo na organização de logísticas de viagens profissionais, e no dia a dia", explicou Giba - Picuruta Salazar tem mais de 42 anos de surf e soma mais de 180 títulos na carreira. Foi campeão mundial na categoria longboard, e ainda figura entre os melhores do mundo.
Leco Salazar foi o primeiro campeão brasileiro de Stand Up. Atualmente com 27 anos, 23 só de surf, vai levar na bagagem um quiver shepeado pelo experiente Neco Carbone, além de representar as marcas Hawaian Dreams, New Advance, Surf Trip, Fupes, Ocean Travel e Okumura Temakeria. Conheça melhor este atleta. O irmão Matheus Salazar, campeão brasileiro de SUP Wave, já está no Havaí e também participará do Mundial de SUP 2016.

Redação InnerSport / Fotos Gibasurftrips

Chico Paioli foi o hemaneado

Relembrar e valorizar ícones do surf paulistano. Essa é uma das missões do “Surf Trip apresenta Festival Paulistano de Surf”, que em sua segunda edição homenageou o lendário Chico Paioli, um dos precursores do surf nos anos 60, colocando-o em toda comunicação visual do evento. No vídeo você confere depoimentos de veteranos renomados, como Neco Carbone, Reinaldo Andraus, Daniel Miranda, entre outros, sobre este ícone do esporte.
Chico começou a surfar aos 14 anos, acompanhando o irmão Zé. Em julho de 1967 estampou a capa do “Jornal da Tarde” deslizando sobre uma prancha na praia de Pitangueiras, no Guarujá. Prestes a completar 64 anos (no próximo dia 6 de abril), ele mostra fôlego de garoto - e junto com o irmão - formou um verdadeiro clã do surf. Paulistano criado nas ondas do Itararé, tornou-se uma referência no longboard. Inclusive, é o surfista mais velho a disputar o Surf Trip SP Contest. "O surf no início da década de 60 era um esporte novo e tinha uma ligação próxima com a natação. Éramos nadadores e meu irmão (Zé Paioli) viu alguém surfando em São Vicente, onde morávamos. Ele fez uma prancha de madeirite e foi tentar surfar na praia do Itararé. Fui junto, conseguimos e foi paixão à primeira onda. No contexto dos anos 60 o importante era ficarmos juntos. O objetivo era desfrutarmos e curtir tanto a sua onda como a dos amigos. Surfar não tem preço, é uma sensação de liberdade indescritível", comenta Paioli.
Para ele, o segredo da longevidade é estar sempre que possível no outside. Fora da água, nada, corre, faz flexões, abdominais e agachamentos a fim de manter-se no rip. “Passou muito rápido. Não dá nem para acreditar. O esporte cresceu, se desenvolveu, mas a alegria de surfar é única, e é a mesma desde o início”, afirma Paioli. Para Dadá Nascimento, organizador do festival, reconhecer os ídolos é importante para fomentar o esporte. “É uma tendência mundial. Lá fora, os pioneiros são valorizados, lembrados e estão sempre presente nos eventos. Aqui, desde o ano passado criamos essa homenagem e o objetivo é perpetuar essa ideia. Criamos um ambiente de confraternização, com uma troca muito bacana entre a velha guarda e a nova geração”, analisa Nascimento.
O Festival Paulistano de Surf é apresentado pela rede de lojas Surf Trip e incentivado pelo Governo do Estado de São Paulo. Patrocínio InnerWaves e BHS e organizado pela Associação de Surf da Grande São Paulo em parceria com a Sumatra Marketing Esportivo. Apoio: Garbo Moda Masculina, Golden, Paganini e Casa Flora Importadora, prefeitura Municipal de Bertioga e Associação Bertioga de Surf.

Por Nancy Geringer  / Fotos Munir El Hage

Santos realiza a 5ª edição do FreeSession

Baixada Santista - SP - A Casa da Frontaria Azulejada, uma das arquiteturas símbolos da cidade de Santos, volta a ser cenário da 5ª ação Free Session, um dos principais eventos da Cidade de Santos quando o assunto é esportes radicais, cultura, música, e muita vibe positiva, além de promover os pontos históricos e turísticos da cidade, o evento também é beneficente. Confira o vídeo do último evento do FreeSession, em 2015.
O Free Session acontecerá das 9 às 23 horas, durante três dias do mês de maio (que ainda serão divulgados) e oferecerá muita interatividade para quem comparecer. "Teremos muitas ações esportivas, culturais, artíticas e sociais nesta 5ª edição deste evento que já faz parte do calendário da cidade de Santos. É válido informar para quem comparecer não esquecer de trazer um alimento não perecível. Toda a arrecadação será doada ao Centro de Solidariedade da Prefeitura de Santos, que fará a distribuição para as Instituições cadastradas", comunica Leonardo Branco, idealizador do Free Session.

Redação InnerSport

Boiçucanga recebe o Arena Verão 2016

Começou dia 22 de janeiro o Arena Verão 2016, na Praia de Boiçucanga, evento gratuito que oferece oportunidade de muita prática esportiva, e também a inclusão social. Este ano o evento conta com o patrocínio da Santher, empresa 100% nacional e referência em segmentos de higiene e beleza. Para quem quiser participar desta grande ação, as atividades vão permanecer no local até o dia 31 de janeiro.
Os organizadores prepararam uma série de atividades especiais para quem passar pela praia. Dentre elas estão: futevôlei, vôlei de praia, beach tennis, aula aeróbica, dança, zumba, futebol de areia, parede de escalada, stand up paddle e cama elástica. Voltado para toda a família, o evento terá também o espaço kids, que está repleta de atividades recreativas pensadas para divertir as crianças. Os participantes ainda terão à sua disposição guarda-sois para relaxar.

O projeto também conta com o apoio da Prefeitura Municipal de São Sebastião e produção Sumatra Marketing em parceria com Event Tools.  A realização é da Associação de Surf da Grande São Paulo e da Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo, através da Lei Paulista de
Incentivo ao Esporte.

Ficha Técnica - Arena Verão 2016
Local: Praia de Boiçucanga – São Sebastião (ao lado da Praça Pôr do Sol)
Data: 22 a 31 de Janeiro de 2016
Horario: 10 às 17 horas
Atividades: futevolei, volei de praia, beach tennis, stand up paddle, frescobol, escalada, cama elastica, aeróbica, dança e espaço kids
Evento gratuito

Redação InnerSport

22 de janeiro de 2016

"Brazilian Storm" num freesurf

O vídeo contém imagens de 2015, de uma session free surf captadas durante o QS 10000 Sata Azores Pro, na ilha de São Miguel, Açores, de alguns brasileiros bons de surf mostrando, sem cobrança, o que mais gostam de fazer
Imagen captada do vídeo / Divulgação
Um verdadeiro show de surf promovido por David do Carmo e Hizunome Bettero, mas também Krystian Kymerson, Michael Rodrigues, Jesse Mendes, Ian Gouveia, Wigolly Dantas, Marco Giorgi, Deivid Silva, Caio Ibelli e ainda o basco Aritz Aranburu.

Fonte Art Image Edit /Leo Baier

21 de janeiro de 2016

Aline Adisaka estreia hoje o Costa Rica Por Elas, no OFF

Depois de conquistar as ondas do Brasil de norte a sul, Aline Adisaka, uma das melhores surfistas de SUP da atualidade vai estrear hoje, dia 21, às 22h30, mais uma aventura do programa Por Elas, do Canal OFF, desta vez nas ondas da América Central.
Foto Arquivo Pessoal / Divulgação
A campeã brasileira de SUP em 2013, juntamente com as surfistas Claudia Gonçalves, Gabriela Leite, Michelle Des Bouillons e Rayane Amaral vão explorar as belezas e riquezas da Costa Rica, que tem o privilégio de suas praias serem banhadas pelo Mar do Caribe a leste e oceano Pacífico a oeste. Teaser do Costa Rica Por Elas
O programa vai mostrar, com muito charme e beleza, as aventuras dessas cinco telentosas surfistas na alta temporada de surf da Costa Rica. Aline Adisaka, única representante da sua modalidade na aventura, teve resultados expressivos nos últimos anos, tanto no circuito brasileiro, quanto mundial, e recomenda: "todas as pessoas devem experimentar essa sensação maravilhosa que é o SUP”.

Redação InnerSport

Lenny Kravitz quer surfar

Lenny Kravitz, famoso músico norte-americano, tem um objetivo para 2016: aprender a surfar. Kravitz, que tem passado grande parte do último ano vivendo em Eleuthera, uma ilha nas Bahamas, explicou à Rolling Stone o porquê desta decisão.
“Não surfo, nem sequer nado muito bem, mas é um objetivo para este ano de 2016. Um plano que há alguns meses já estou traçando. Surfar vai mudar a minha música. Vai me oferecer algo que não tenho e que preciso para evoluir. Ultimamente tenho ouvido “God Only Knows” (dos Beach Boys) repetidamente. Uma fase Brian Wilson não seria má!”

Em breve teremos um grande astro da música numa das maiores tribos do mundo em cima de uma prancha, e com novas músicas. Antes de entrar no mar, Lenny curte o seu retiro espiritual nas Bahamas...

Redação InnerSport

Alexandre Ferraz surfa grandes ondas em Jaws

No último dia 15 de janeiro, a emblemática onda de Jaws, em Maui, no Havai, recebeu uma grande ondulação que movimentou a comunidade do surfe internacional. Renomados big riders de várias nacionalidades remaram em ondas que chegaram a 50 pés de face.  O pernambucano Alexandre Ferraz, o Xandinho, foi um dos destaques do dia.
Xandinho botando pra baixo em Jaws, Hawaii / Foto Bidu
O brazuca pegou algumas das maiores das séries. Segundo o surfista, que fez um intenso trabalho de preparação física e mental fora da água em Recife. “Esse foi o maior mar que já surfei na remada, e um dos o maiores já surfados na história" A onda de Alexandre foi documentada pelos principais veículos do surfe internacional  que apontou o dia como épico.


O big rider conta que tudo em Jaws é desafiante. Desde o momento em que se avista as ondas, passando pelo crítico momento de pular das pedras, até chegar ao momento em que tem que remar nas ondas. “Usei uma prancha 10’10” emprestada do meu amigo Inaldo Vieira, shapeada pelo Paulo Mendonça. Ela funcionou muito bem alem de ter me dado sorte”, analisa. O surfista tem como objetivo principal nesta temporada pegar ondas cada vez maiores.

Fonte Mídia Bacana


Circuito Oceânico da Ilha de SC

Entre os dias 27 e 30 de janeiro, o Iate Clube de Santa Catarina organiza a 27ª edição do Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina. A competição, considerada como uma das três maiores do país, terá um peso ainda maior em 2016, pois além dos títulos da competição os velejadores de ORC e RGS disputam também o Campeonato Brasileiro das categorias. Participam da competição, além das classes ORC e RGS, embarcações de IRC, C30 e HPE-25. Durante os quatro dias de evento estão previstas uma regata longa e cinco barla-sota, sendo que uma das regatas barla-sota pode ser substituída por uma média. Todas as disputas estão previstas para início ás 12h, na raia de Jurerê, exceto no dia de regata de percurso longo, que terá sinalização de partida a partir das 11h.
Fotos Gabriel Heusi/ICSC
O Itajaí Sailing Team tem uma árdua missão pela frente. Atual bicampeão da competição na classe ORC, o carioca Ângela Star já confirmou presença na competição e vem atrás de mais um título. Vice-campeão na edição passada, a equipe de Itajaí protagonizou um duelo acirrado com a embarcação do Rio de Janeiro e em 2016 a disputa promete ser ainda mais equilibrada com a presença de mais equipes. Além do Ângela Star, a edição de 2015 teve como campeões os catarinenses Zeus Team (C30) e Flash Best Fellow (RGS) e o gaúcho Tereza (HPE-25). A expectativa da organização é de que aproximadamente cinquenta embarcações participem do Circuito Oceânico.

Inscrições: as inscrições para o 27º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina já estão abertas. Para mais informações basta entrar em contato com a Secretaria de Eventos Náuticos do Iate Clube de Santa Catarina através do email eventosnauticos@icsc.com.br ou no (48) 3225-7799 com Lucas, Fogaça ou Bruno.

Por Danilo Caboclo

20 de janeiro de 2016

O campeão catarinense 2015

Da categoria Open foi o surfista de Navegantes Derek Adriano com 7.257 pontos, após 9 etapas, com três descartes. Na categoria Junior o bicho pegou e Leonardo Barcelos, que também é local da Praia da Vila, foi o grande campeão da etapa com uma nota 10 no seu somatório, mostrando conhecer muito bem as ondas do quintal de casa.  Leonardo foi um dos destaques da competição surfando muito bem e cravando o recorde da maior nota da competição.  Mesmo ficando com a terceira colocação na etapa o surfista de São Francisco do Sul, Luan Garcia de 17 anos de idade, consagrou-se tri campeão catarinense. Luan foi campeão em 2013 na categoria Iniciantes, 2014 na categoria Mirim e 2015 na categoria Junior.
Campeões Catarinenses 2015 / Foto Márcio David
A categoria Mirim não foi diferente, mais um local da Praia da Vila fez bonito na grande final e venceu seus adversários somando o dobro da pontuação.  Foi o surfista Anderson Junior, um dos novos talentos do surf catarinense, que foi campeão do Rip Curl Grom Seach 2015 na categoria Mirim, e representará Santa Catarina e o Brasil na final mundial da competição este ano, possivelmente na Indonésia. O campeão catarinense 2015 da categoria foi o surfista Luan Piazera, 16 anos, de Balneário Camboriú somando 8.710 pontos.

Na categoria Iniciantes a vitória da etapa ficou com o surfista de Itajaí Walley Guimarães e o campeão catarinense de 2015 foi o atleta Ryan Cordeiro, 14 anos, de Itapoá no litoral norte do estado.  Na categoria Infantil o atleta Léo Casal, 11 anos, da Praia do Campeche em Florianópolis, foi o grande campeão vencendo a etapa e confirmando o título de campeão catarinense 2015 na categoria Infantil. A final da categoria Máster também foi disputadíssima e o surfista Álvaro Bacana, maranhense radicado em Floripa, achou as melhores ondas da final e garantiu o lugar mais alto do pódio na Praia da Vila. Com a vitória Bacana conquistou também o título de tricampeão catarinense na categoria Máster.

Na categoria Kahuna o surfista Ricardo Goufal foi o melhor na final e venceu a etapa de Imbituba. O campeão catarinense 2015 da categoria Kahuna foi o surfista de Balneário Camboriú Saulo Lyra, de 52 anos de idade, muitos deles dedicados ao surfe. Na categoria Feminino a campeã da etapa foi a paranaense Andressa Carvalho e quem ficou com o título de campeã catarinense 2015 foi a surfista Manu Pacheco, 15 anos, local da Praia Brava de Florianópolis.

Por Norton Evaldt


Pernambucanos são os campeões do Brasileiro de Optimist

Tiago Monteiro e Marina da Fonte, ambos do Cabanga Iate Clube, foram os grandes campeões do 44º Campeonato Brasileiro de Optimist. Em um dia perfeito em Jurerê, as três regatas finais da competição foram realizadas no último domingo, 17, em condições de vento nordeste, com vento soprando entre 8 e 12 nós.  Após doze regatas e apenas um descarte, Tiago Monteiro fechou a competição com 52 pontos perdidos, doze a menos do que o vice-campeão Gabriel Kern, do Clube dos Jangadeiros. Giovanne Pistorello, também do Clube dos Jangadeiros, ficou em 3º, completando o pódio. Em seu sétimo e último Campeonato Brasileiro, o velejador pernambucano era só alegria após o anúncio dos resultados.
 Tiago Montieiro dominou a competição / Fotos Sergio Vignes/ICSC
Entre as meninas, mais uma vitória para Pernambuco. Marina da Fonte, também do Cabanga Iate Clube, foi a melhor durante todo campeonato e confirmou o resultado. Marina Hutzler, também do Cabanga, foi a vice-campeã, enquanto Luiza Moré, do Clube dos Jangadeiros – RS, completou o pódio na 3ª colocação.

O 44º Campeonato Brasileiro de Optimist definiu a equipe brasileira que disputará o Campeonato Sul Americano, a ser realizado em Salinas, no Equador, no mês de março. E entre os classificados estão dois velejadores do Iate Clube de Santa Catarina. José Irineu foi o melhor atleta catarinense na competição, encerrando na sétima posição, enquanto Guilherme Durieux ficou com a última vaga, terminando o evento na 12ª posição geral. Após o Sul Americano, em março, as atenções da classe Optimist estarão todas voltadas para Ilhabela, em São Paulo. No mês de abril a cidade paulista sedia a seletiva que definira as equipes nacionais para o Mundial, Europeu e Norte-Americano.

Por Danilo Caboclo

"Brazilian Storm" participa do Nas Ondas

O novo campeão mundial, Adriano de Souza, Filipe Toledo, Miguel Pupo, Alex Ribeiro, e o tambem da elite mundial, Jessé Mendes, destaque no QS, vão participar da gravação do programa Nas Ondas, da Rede Globo, em Fernando de Noronha, que tem formato de competição, reunindo as principais feras do surf brasileiro.
Foto Abdul Hadi Kathib
Vencedor de três etapas no Tour em 2015 e top 4 do Mundo, Filipinho destacou o clima de total harmonia e diversão entre todos os participantes. “Foi bem divertido. Uma semana irada, deu altas ondas. Curtimos um pouco as nossas férias (risos). Foi bom ver os amigos fora do nosso ambiente de trabalho. Foi demais”, disse o surfista. “Vou aproveitar um pouco mais das férias para relaxar e logo após o Carnaval volto à realidade, para treinar firme na Califórnia e chegar 100% na Gold Coast”, complementou.

Para o novo reforço brasileiro no WCT, Alex Ribeiro, a gravação serviu como incentivo para a estreia. “Foi alucinante, maior vibe. A galera se divertiu bastante, pegamos altas ondas. Um puxando o nível do outro e estar entre os melhores do Mundo, literalmente, foi uma experiência incrível. Estou ansioso para começar a competir”, falou.

Por Fábio Maradei

Rio Grande do Sul é a melhor equipe brasileira de Optimist

Após dias de competições individuais, o 44º Campeonato Brasileiro de Optimist teve a disputa por equipes, e o Rio Grande do Sul foi o grande vencedor com sua equipe número 1. Formada pelos atletas Guilherme Plentz, Vitor Paim, Giovanne Pistorello e Gabriel Kern, todos do Clube dos Jangadeiros, o quarteto gaúcho confirmou mais um título da competição.
Equipe formada por Guilherme Plentz, Vitor Paim, Giovanne Pistorello e Gabriel Kern / Fotos Sergio Vignes/ICSC
“No ano passado nós ficamos com o primeiro e o segundo lugar, e essa garotada que venceu hoje é justamente a mesma equipe vice-campeã do ano passado”, explica o treinador do Clube dos Jangadeiros, Átila Pellin. “A competição por equipes é muito importante, pois além de tudo que envolve dentro d´água ela traz bons ensinamentos para os garotos, que aprendem a trabalhar em grupo”, completa.

Na decisão, os gaúchos venceram a equipe de Pernambuco 1 em uma decisão emocionante. Na disputa em melhor de três, a equipe de Porto Alegre levou a melhor na primeira, mas os pernambucanos devolveram a vitória empatando a série em 1 a 1. Na regata de desempate, melhor para a Flotilha da Jangada, como é conhecido o time gaúcho, que fechou a decisão por 2 a 1. A equipe da Bahia 1 completou o pódio na 3ª posição. A competição por equipes se desenvolveu toda com ventos rondados, que variaram de Leste a Sul, com 8 a 9 nós de intensidade, exigindo bastante dos atletas. “Foi um dia muito difícil e de regatas técnicas. Vimos bastante equilíbrio nas disputas e um bom nível por parte de todos os competidores”, ressalta Ricardo Navarro, Presidente da Comissão de Regatas.

Por Danilo Caboclo




19 de janeiro de 2016

HD contrata Deivid Silva

Patrocinadora do novo campeão mundial de surf, Adriano de Souza, a HD – Hawaiian Dreams, marca 100% nacional, contratar o bicampeão sul-americano pro-júnior, Deivid Silva, de Guarujá, o novo reforço da equipe, com foco de ingressar na elite mundial ainda este ano. Na temporada passada, ele foi o atleta que mais cresceu de rendimento, iniciando fora dos tops 100 do ranking Qualifying Series (QS), para terminar na importante 24ª posição, brigando por uma das vagas no WCT até a última etapa, em Sunset no Havaí.
Deivid Silva HD / Foto Valclei Lemos
Deivid assinou contrato de três anos com a HD, garantindo toda a estrutura necessária para disputar o Circuito Mundial. Aos 20 anos, se destacou em 2015, com a vitória na etapa 6000 em Florianópolis e o vice em Pantin, na Espanha. Ele reforça o time que além de Adriano de Souza, conta com a promessa Vitor Mendes, e o campeão mundial de Sup Wave, em 2012, Leco Salazar.

Fonte FMA Notícias

Sofia Medina estreia no Rip Curl Grom Search

Aos 10 anos de idade, Sofia Medina carrega um sobrenome que impõe respeito no mundo das ondas e, incentivada pelo irmão mais velho, também quer seguir carreira como surfista. Nestes sábado e domingo (23 e 24), ela dará outro importante passo para alcançar seu sonho, competindo na abertura do Rip Curl Grom Search, o mais importante circuito das categorias de base do País em nível nacional.
A competição será na praia da Ferrugem, em Garopaba/SC, marcando a estreia de Sofia em disputas fora do Estado, com a importante companhia do pai, Charles, que pretende preparar a filha assim como fez com Gabriel, desde o seu início nos campeonatos amadores até chegar ao título mundial do WCT. A participação da atleta tem total apoio de Charles e também da mãe, Simone, e claro, de Gabriel Medina.

Conhecido por ser sério e metódico na preparação de Gabriel Medina, Charles já adianta que a ideia é fazer o mesmo trabalho de preparação com Sofia. “Agora tenho mais experiência. Sei que quanto menos pressão você coloca, quanto mais calmo tiver o atleta, será melhor. Mas o objetivo é preparar a Sofia para o futuro”, adianta.
Ele também revela um sonho mútuo da família. “Quero muito ver os dois competindo no WCT. Não só eu, como a Sofia, o Gabriel e, claro, a Simone”, comenta. Já a pequena Sofia, por enquanto, quer mesmo é surfar, se divertir, mas sabe que sobrenome Medina exigirá sempre um pouco a mais. “Quero ser igual o meu irmão”, fala a sempre divertida garota, que também se aventura no skate.

Por Fábio Maradei / Fotos Arquivo Pessoal

Barcelos garantido no Rip Curl Grom Search

Catarinense, vencedor em Garopaba e campeão do ranking geral da categoria iniciante no ano passado, Leonardo Barcelos é um dos grandes destaques na abertura do Rip Curl Grom Search 2016. Desta vez, o surfista da Praia da Vila, em Imbituba, disputará a categoria mirim (até 16 anos), que vale ao campeão geral para a final internacional do Rip Curl Grom Search, em 2017. “Espero repetir o bom desempenho. Esse campeonato é muito importante e vai ter um nível muito forte. Agora, a motivação é maior ainda. Estou treinando muito e gosto muito daquela onda”, diz o atleta, que completa 15 anos no próximo mês.
Leonardo Barcelos
No ano passado, ele garantiu o caneco somando o primeiro lugar de Garopaba e o segundo na final em Guarujá. Na disputa, ele terá a companhia do irmão mais novo, Vinicios, 13 anos. Já da areia, os pais, Marcelo e Cida. “Eles estão sempre presentes. É uma força a mais, sem dúvida”, comenta Leo. Os quatro, inclusive, passaram dois meses numa surftrip dos sonhos no segundo semestre do ano passado, em vários picos da Indonésia. “Foi muito importante para o futuro da minha carreira”, diz o surfista. O Rip Curl Grom Search 2016 terá três etapas este ano, sem descartes para a definição dos campeões. Em ação, as categorias  grommet, para atletas com até 12 anos, iniciante, com limite de 14 anos; a mirim e feminina (também no máximo 16 anos e valendo vaga para a final internacional).

Por Fábio Maradei / Foto Silvia Winik

Quinta-feira é o Dia do Surfista, em Santos

Cidade onde o surf “nasceu” no Brasil, Santos comemora todo dia 21 de janeiro o “Dia do Surfista”. Na data, uma homenagem feita pela Prefeitura é prestada aos pioneiros da modalidade, escolhendo alguns personagens importantes que ajudaram a “construir” a cultura do esporte. A solenidade está marcada para quinta-feira, às 17 horas, no Salão Nobre Esmeraldo Tarquínio, na Prefeitura.
Quatro ícones da década de 60 foram escolhidos para receberem as placas nesta edição, de acordo com os fatos levantados pelo especialista na história do surf, Diniz Iozzi, o Pardhal. Destaque para Homero Naldinho, inventor da indústria do surf na região. Também serão homenageados outros três destaques da famosa “Turma do Conde do Mar”: Sergio Barros Barletta, arquiteto que ainda guarda a sua primeira prancha da década de 60; Wanderley Paschoal, o Milica, artista que desenhou a maioria dos logotipos das marcas de surf da região, desde os anos 60; e José Roberto Pereira Barreto Júnior, o ZeBeto, o primeiro a usar uma prancha produzida por Homero.

Neste ano, outro destaque será a menção ao novo campeão mundial de surf profissional, Adriano de Souza, o Mineirinho, que é da vizinha Guarujá, mas muitas vezes competiu e se destacou nas ondas do Quebra-Mar, sobretudo no A Tribuna de Surf Colegial, circuito que o projetou no início da carreira. Ainda no encontro o presidente da Associação Santos de Surf, Marcos Andrade, o Cabeça, apresentará os avanços conquistados em 2015 e as novidades para esta temporada, com destaque o Festival de Longboard e o inovador Centro Municipal de Treinamento Avançado em Surf.

No ano passado, foram lembrados Maurício Tadeu Di Gregório, o “Paulista”, Odmar Fernandes Aguiar Júnior, o “Timó”, Durval Citero Júnior, o “7 Cabeças” e Hélio Silva de Oliveira, o “Coquinho”.

Por Fábio Maradei / Foto Divulgação



Rip Curl Grom Search, sem descarte

O Circuito terá três etapas, iniciando nos próximos dias 23 e 24, na Praia da Ferrugem, em Garopaba/SC, e o regulamento oficial segue as normas da Confederação Brasileira de Surf, com os campeões da temporada sendo aqueles que acumularem o maior número de pontos no ranking.
As inscrições seguem abertas e devem ser feitas na Federação Catarinense de Surf (Fecasurf), pelo e-mail fecasurf@fecasurf.com.br ou pelo telefone (48) 3025.1880. Em ação as categorias grommet, para atletas com até 12 anos, iniciante, com limite de 14 anos e a mirim e feminina – no máximo 16 anos. Estas duas últimas com os campeões garantindo vagas para representar o Brasil na final internacional do Rip Curl Grom Search, em 2017.

Os dois competidores ganharão passagens aéreas (individuais, intransferíveis e que não poderão ser trocadas por dinheiro ou qualquer outro tipo de prêmio, bem como acomodação e alimentação durante o período de disputas. O regulamento completo e mais informações no hotsite oficial do Rip Curl Grom Search 2016: www.ripcurl.com.br, ou pelo telefone (13) 2101-0524.

Por Fábio Maradei / Foto Divulgação


Igor Amorelli inicia 2016 com pódio

O ano competitivo teve início no domingo (10), para o triatleta Igor Amorelli conquistando o quinto lugar no Ironman 70.3 Pucón. O primeiro pódio da temporada em uma prova dura e com bom nível técnico. “Fiquei bem feliz com o meu pedal e com a natação, mas na corrida eu senti muito. O percurso era bem duro e eu comecei a sofrer um pouco. Estou feliz com o resultado final apesar das dificuldades”, afirmou Igor logo após o término da prova.
Quinto colocado no Ironman 70.3 Pucón / Foto FinisherPix
O triatleta brasileiro entregou os 1.9km de natação na sétima posição, com 24’35, junto com os líderes, que saíram da água muito próximos. No ciclismo, o catarinense acelerou ainda mais e fez a segunda transição na liderança, ao lado do americano Benjamin Collins, campeão da prova, após quase 2h08 nos 90km de pedal. Com muitas subidas ao longo dos 21.1km de corrida, Igor acabou sentindo da metade do percurso em diante e acabou perdendo algumas posições. “Tentei segurar o máximo de posições possíveis e o quinto lugar para o começo de ano foi bom”, completou Igor, que fechou a prova em 4h07m.

Com o objetivo de competir mais ao longo do ano, Igor concentra suas forças nas próximas semanas de treinamento. No final do mês, mais precisamente dia 31 de janeiro, Amorelli viaja para o Panamá, onde acontece a importante prova local, válida como campeonato Pan Americano de 70.3. Na sequencia, Igor tem pela frente mais três provas de 70.3, em Buenos Aires e Porto Rico, ambas em março, além do evento em Palmas, em abril, que será válido como campeonato Sul Americano.

Por Danilo Caboclo

17 de janeiro de 2016

Paulistas lideram o Rip Curl Grom Search

O Rip Curl Grom Search 2016, começa nos próximos dias 23 e 24, na Praia da Ferrugem, em Garopaba/SC, reunindo os talentos da nova geração do surf brasileiro. O Circuito terá três etapas, com a segunda disputa na Praia de Itaúna, em Saquarema/RJ, nos dias 20 e 21 de fevereiro; e a grande final na Praia de Maresias, em São Sebastião, nos dias 5 e 6 de março. Em ação, as categorias mirim e feminina (até 16 anos), valendo vagas aos campeões do ranking para a final internacional do evento em 2017, também a iniciante (limite de 14 anos) e grommet (sub12).
Kayene Reis / Foto Silvia Winik
As inscrições para a etapa inicial já estão abertas e devem ser feitas diretamente na Fecasurf, com informações pelo e-mail fecasurf@fecasurf.com.br. Além de revelar talentos, o campeonato tem como atrativo uma disputa internacional entre os campeões da mirim e feminina. O Brasil já faturou duas vezes, com os fenômenos Gabriel Medina e Samuel Pupo. Desde 2004, o Rip Curl Grom Search ganhou status de Circuito (antes eram feitas etapas isoladas). Em 12 anos nesse formato, os paulistas levaram 26 dos 48 títulos, mais da metade das conquistas e mais do que o triplo de outros estados. Também criaram uma hegemonia na grommet, até agora só quebrada em 2013. Os catarinenses têm oito campeões, os surfistas do Rio de Janeiro aparecem logo atrás, com sete, enquanto os paranaenses têm seis. O maior vencedor é Filipe Toledo, de Ubatuba (hoje morando na Califórnia), com cinco títulos em três categorias. Ele faturou dois canecos entre os mais novos, outros dois na iniciante e fechou sua excelente participação comemorando mais uma conquista na mirim.

Na edição inicial do novo formato os campeões foram o catarinense Giancarlo Zampieri, na mirim; o paranaense Rafael Teixeira, na iniciante; o paulista Nathan Brandi, na grommet; e outro destaque do Paraná, Bruna Schmitz, na feminina. No ano seguinte, Bruninha repetiu a dose entre as meninas e nas três categorias masculinas os títulos ficaram com paulistas. Wesley Moraes faturou a mirim, Miguel Pupo a iniciante, e Sidney Guimarães a grommet. Em 2006, o paranaense Peterson Crisanto, o Urso, fez bonito levando a mirim e a iniciante de uma só vez. A paraibana Diana Cristina comemorou entre as meninas, e Filipe Toledo iniciou a sequência de títulos com 100% de aproveitamento na grommet.
O circuito de 2007 teve Filipinho faturando o bicampeonato entre os caçulas. Na mirim, o campeão foi o também paulista Miguel Pupo, filho de outro grande nome do surf nacional, Wagner Pupo. Na feminina, a catarinense Gabriela Leite foi imbatível, enquanto que na iniciante, mais um paulista ergueu a taça. Jessé Mendes ficou com o título no desempate contra Gabriel Medina.

O paranaense Victor Valentim foi campeão mirim de 2008, numa disputa acirrada contra o paulista Nathan Brandi. Na feminina, quem levou a melhor foi a paulista Juliana Meneghel, também numa decisão emocionante contra Kaena Brandi (irmã de Nathan). Filipe Toledo festejou pelo terceiro ano seguido no Rip Curl Grom Search, desta vez na iniciante, enquanto que na grommet, mais um título para São Paulo, com Edgard Groggia. No ano seguinte, o paulista Gabriel Medina foi o melhor na mirim. Isabela Lima, do Rio de Janeiro, levou a feminina, com Filipinho Toledo em mais um título na iniciante e o paulista, Victor Bernardo, o número 1 da grommet. O campeonato de 2010 teve domínio total dos paulistas. Deivid Silva faturou a mirim; Vitória Pereira, a feminina; Igor Morais, a iniciantes; e Vitor Mendes, a grommet.

Em 2011, mais títulos dos atletas de São Paulo e novamente Filipe Toledo no lugar mais alto do pódio, desta vez na mirim, numa demonstração de superação, por competir lesionado. Entre as meninas, novo título para as cariocas, com Carol Fernandes. Igor Morais garantiu o bicampeonato na iniciante, e Samuel Pupo, irmão de Miguel Pupo, foi o melhor da grommet, no desempate com o carioca João Vitor Chumbinho. Já em 2012, apenas Samuel Pupo garantiu o primeiro lugar aos paulistas, com o bi da grommet. Lucas Silveira e Karol Ribeiro fizeram dobradinha do Rio de Janeiro na mirim e feminina, enquanto que o catarinense Gustavo Ribeiro ganhou na iniciante.

Em 2013, foi a vez de Santa Catarina dominar, com os três títulos masculinos, tendo como grande destaque Mateus Herdy, que comemorou na grommet e na iniciante, enquanto Gustavo Ramos levou a mirim. A superioridade foi tamanha que os atletas daquele estado também ficaram com os vices. Ian Tavares foi o segundo na mirim, e Lucas Vicente, a exemplo de Mateus Herdy, chegou nos outros dois pódios, terminando com o mesmo número de pontos do campeão na iniciante. Na feminina, o Rio de Janeiro teve mais uma conquista, agora com Kayane Reis sendo que a segunda também foi catarinense, Sol Maria. 2014 foi a vez de Samuel Pupo fazer dobradinha, desta vez na mirim e na iniciante, para somar quatro títulos no Rip Curl Grom Search. Kayane Reis sagrou-se bicampeã feminina e Eduardo Motta, também de São Paulo, faturou a grommets. No ano passado, Diego Aguiar, o Didi, manteve a força máxima dos paulistas na grommet e Leonardo Barcellos garantiu mais um título para Santa Catarina ganhando a iniciante.

Na mirim e feminina, os títulos foram definidos numa decisão especial, junto ao Rip Curl Grom Search Internacional, realizado na Praia de Maresias. O catarinense Anderson Júnior ratificou o primeiro lugar no ranking, enquanto que Luara Thompson, do Rio de Janeiro, superou a pequena Tainá Hinckel (SC), invertendo a posição na classificação final. Anderson e Luara serão os representantes brasileiros na final internacional do Rip Curl Grom Search este ano, em lugar a ser definido. O Brasil já garantiu dois títulos internacionais do Rip Curl Grom Search, com Gabriel Medina e Samuel Pupo ingressando numa lista de grandes nomes como os irmãos australianos Owen e Tyler Wright e as havaianas Tatiana Weston Webb e Malia Jones. O primeiro a erguer a taça foi Gabriel, competindo na Austrália, em 2010. O segundo foi comemorado no ano passado, “em casa”, na Praia de Maresias, com Samuca.

Fonte FMA Notícias

Lucas Silveira mantém a hegemonia do surf brasileira

O carioca Lucas Silveira aumentou para sete o recorde de títulos mundiais do Brasil na categoria Pro Junior da World Surf League, em Portugal. Ele foi, sem dúvidas, o melhor surfista nas direitas de Ribeira D´Ilhas e fez os maiores placares do último dia, sempre conseguindo notas excelentes acima de 8 nas três baterias que disputou. "A final foi um pouco fraca de ondas, mas eu comecei bem e felizmente terminei muito bem também. Foi um evento muito louco para mim", disse Silveira. Na final feminina, a australiana Isabella Nichols bateu a defensora do título, Mahina Maeda, do Havaí, para ser a campeã mundial de 2015 em Portugal.
Lucas Silveira (RJ) / Foto Masurel / WSL
O título Pro Junior era o único que faltava para o Brasil consolidar o domínio absoluto na temporada 2015 da World Surf League. Lucas Silveira vai completar 20 anos de idade no próximo dia 29 e será mais um brasileiro na concorrida Festa de Gala da WSL para os campeões mundiais, que acontece antes do início do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour na Gold Coast, Austrália. Em dezembro passado, Adriano de Souza coroou a conquista do título mundial sendo o primeiro brasileiro a vencer o Billabong Pipe Masters numa igualmente inédita final verde-amarela com Gabriel Medina no templo sagrado do esporte.

Além disso, o próprio Medina se consagrou mais uma vez ao ser o primeiro brasileiro campeão da Tríplice Coroa Havaiana, Italo Ferreira venceu o prêmio "Rookie of the Year" de melhor estreante da temporada e Caio Ibelli terminou 2015 como número 1 no ranking do WSL Qualifyiing Series. Lucas Silveira completou a extensa lista de conquistas verde-amarelas em 2015 com o sétimo título brasileiro na última edição do Mundial Pro Junior disputada por surfistas com até 20 anos, pois em 2016 o limite de idade da categoria vai baixar para 18 anos.
Campeões mundiais / Foto Poullenot / Aquashot
Lucas foi o sexto surfista do Brasil a vencer o título mundial nas dezessete edições da categoria completadas em Portugal. O primeiro foi o também carioca Pedro Henrique no ano 2000, na última vez que o campeão mundial Pro Junior foi definido na ilha de Oahu, no Havaí. Depois, a competição mudou para a Austrália e Adriano de Souza venceu a edição de 2003, o cearense Pablo Paulino foi bicampeão em 2004 e 2007, Caio Ibelli ganhou a de 2011 e Gabriel Medina foi o campeão de 2013 na única vez que o título foi decidido no Brasil, no HD World Junior Championships na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC).

A partir de 2016, o limite de idade da categoria Junior da WSL diminui de 20 para 18 anos de idade, regra válida já para as próximas seletivas regionais que classificam os participantes da etapa que decide o campeão da temporada, sempre no início do ano seguinte. O calendário da WSL South America ainda está sendo definido e a tentativa é aumentar o número de etapas no continente, além das três de 2015 que já estão com suas datas agendadas para esse ano.

Por João Carvalho

12 de janeiro de 2016

Bruno Fontes se destaca no Brasileiro da Classe Laser

Começou no último domingo, na Baía de Guanabara (RJ), o Campeonato Brasileiro da Classe Laser, na raia dos Jogos Olímpicos 2016. Com presença massiva de atletas estrangeiros, a competição conta com ótimo nível técnico e no primeiro dia de regatas, o atual campeão nacional Bruno Fontes conquistou dois bons resultados – 2º e 4º - iniciando a competição na segunda colocação, atrás apenas de Robert Scheidt, líder com dois primeiros.
Bruno Fontes aparece na segunda posição na primeira competição do ano / Foto Fred Hoffmann
Defendendo o título da competição, Bruno chega motivado ao Brasileiro. Após um ano de altos e baixos, o velejador encerrou a temporada com o título Sul Americano e uma boa participação na Copa Brasil de Vela. A expectativa do atleta é repetir o bom desempenho do ano anterior, quando levantou a taça de campeão diante de uma flotilha composta por alguns dos melhores atletas do mundo.

“Nós teremos ainda mais oito regatas pela frente, segundo a programação, e muita coisa pode acontecer. O objetivo é fazer um grande campeonato e brigar pela ponta. Espero ser bem veloz durante toda semana e acertar bem as largadas”, completa. Após duas regatas realizadas neste domingo, Bruno ocupa a segunda posição com seis pontos perdidos, quatro atrás de Robert. Atual campeão mundial, o britânico Nick Thompson vem logo atrás com sete pontos perdidos, mesma pontuação de seu compatriota Elliot Hanson.

Por Danilo Caboclo

11 de janeiro de 2016

Alex Ribeiro, novo reforço brasileiro no WCT

Foto Anderson Fetter / Agência RBS
O jornalista Fábio Maradei entrevista o novo reforço brasileiro na elite do surf mundial, Alex Ribeiro, que fala das expectativas para o WCT em 2016. Assista:

Fonte FMA Notícias

Final do Pena Little Monster 2015

Está oficialmente confirmado a etapa final da temporada 2015 do Pena Little Monster. O evento será apresentado pela CT WAX entre os dias 22 e 24 de Janeiro nas ondas da Praia do Ronco do Mar, em Paracuru (CE).   Serão distribuídos R$ 30.000,00 em dinheiro, sendo R$ 20 mil na categoria Pro Junior Masculina + bônus de R$ 3 mil ao campeão do circuito e R$ 5 mil na Pro Junior Feminino + bônus de R$ 2 mil à campeã do circuito. Além da Pro Junior, serão ofertadas 72 vagas (masculinas) distribuídas entre as categorias Sub 08, 10, 12, 14 e 16. Uma das novidades desta etapa será a inclusão do sistema de prioridade, o mesmo que é utilizado pelo QS da World Surf League. Isso será válido para todas as categorias em disputa. O objetivo é preparar os atletas para o Circuito Mundial, além de equilibrar a competividade durante as baterias por se tratar de um Point Break. No dia 21/01, às 20 horas, será realizado um meeting técnico para esclarecimento das regras e critérios de julgamento. É indispensável a presença dos atletas, técnicos, pais e/ou responsáveis.
Atenção: como este evento de Paracuru finalizará o Circuito Pena Little Monster de 2015, existem dois limites de idade muito importantes que deverão ser observados pelos competidores, já que esta última etapa está sendo moldada para o ABRASP Pro Junior Tour em cima de um circuito já existente anteriormente e com regras próprias: o limite de idade para participar e competir no Circuito Pena Little Monster é de 21 anos de idade (nascidos até 1994), PORÉM; Como o limite de idade da categoria Pro Junior da ABRASP é somente até 20 anos (nascidos até 1995), será declarado campeão brasileiro profissional Pro Junior o melhor surfista que tenha até 20 anos de idade.

Critério de desempate – caso haja um empate entre dois surfistas que disputam o título brasileiro (ex: os dois terminam o evento na 3ª colocação), haverá uma bateria de desempate de 25 minutos entre os surfistas que estiverem empatados para definição do campeão brasileiro.

Obs.: As inscrições deverão ser realizadas até o próximo dia 20/01 (Quarta-feira). NÃO SERÃO REALIZADAS INSCRIÇÕES NA PRAIA. VAGAS LIMITADAS.

Os atletas interessados em competir na etapa final do PENA LITTLE MONSTER deverão, obrigatoriamente, preencher o formulário de cadastro (clique aqui) e efetuar o pagamento via depósito bancário na Conta da Federação de Surf do Estado do Ceará (BRADESCO | Agência: 0769 | Conta Corrente: 18507-8). É necessário que o atleta envie o comprovante para os e-mails: amelio.junior@uol.com.br e klauskaiser68@gmail.com ou através do WhatsApp: 85 999868538 – Amélio Júnior / 51 81877883 – Klaus Kaiser.

Para maiores informações favor contatar o Sr. Júnior Souza, Gerente do Hotel Vento Brasil, Cel.: +55 85 98180 1125, e-mail: gerencia@ventobrasil.com.br e Site: www.ventobrasil.com.br

Por Lima Jr.

Final do Catarinenses de Surf tem nova data

Após dois adiamentos das competições por falta de ondas, a Fecasurf – Federação Catarinense de Surf e a ASI – Associação de Surf de Imbituba,  confirmaram a nova data para a realização da grande final do Circuito Catarinense Oceano de Surf Amador 2015.  A grande decisão que define os campeões catarinenses desta temporada será dias 15, 16 e 17 de janeiro na Praia da Vila, em Imbituba. O cronograma das competições na Praia da Vila continua o mesmo. Na sexta feira (15) começa a finalização da 3a etapa do Circuito Catarinense Oceano de Surf Amador 2015, que foi interrompida na Praia Central de Balneário Camboriú por falta de ondas, e no sábado (16) inicia a última etapa, fechando no domingo (17) com as grandes finais, onde serão conhecidos os campeões catarinenses de surf de 2015.
Praia da Vila / Foto Basilio Ruy
Esta etapa distribui 2.000 pontos para o ranking final da Fecasurf 2015 e as disputas pela liderança estão bem acirradas em todas as categorias. Na categoria Open o líder do ranking com 6726 pontos é o atleta de Navegantes Derek Adriano, que vem brigando firme para garantir o título deste ano, mas, na segunda colocação com 5850 pontos vem o maranhense radicado em Floripa Álvaro Bacana, que também quer este título para o currículo. A briga está boa na categoria Junior, com pouca diferença de pontos, entre os atletas Luan Garcia de São Francisco do Sul e Ivan Santos de Natal/RN, que está morando em Florianópolis. Luan está na liderança do ranking com 6743 pontos e Ivan com 6666 pontos.

Na Categoria Mirim o surfista de Balneário Camboriú Luan Piazera está praticamente com a taça na mão, e vem vai a Imbituba para confirmar o título de Campeão Catarinense 2015.  Já na categoria Iniciantes apenas 69 pontos separam o líder Ryan Cordeiro, de Itapoá, que está com 6598 pontos, do segundo colocado Walley Guimarães, de Itajaí, que está com 6529 pontos. Na categoria Mirim, os atletas Léo Casal de Florianópolis com 6130 pontos, Luiz Mendes de Balneário de Barra do Sul com 5520 pontos e Gabriel Junior de Florianópolis com 5466 estão na briga pelo título da temporada 2015.

As disputas também estão bem acirradas na categoria Feminino e as atletas Manu Pacheco, Andressa Carvalho e Larissa Adriano se enfrentam na Praia da Vila para ver quem fica com o título. O mesmo acontece na categoria Máster, onde o líder do ranking com 7525 pontos Adriano Lemos, de Florianópolis, vai ter que brigar para garantir o título da categoria contra Álvaro Bacana que está na segunda colocação com 6686 pontos e Márcio Leal que é o terceiro com 6059 pontos. Na categoria Kahuna a disputa pelo título está entre o surfista de Florianópolis Rubens Farias, que lidera o ranking com 7653 pontos, e o surfista de Balneário Camboriú Saulo Lyra que tem 7320 pontos.

Por Norton Evaldt



8 de janeiro de 2016

Inscrições abertas para o Rip Curl Grom Search 2016

As inscrições para primeira etapa na praia da Ferrugem serão realizadas a partir do dia 11, diretamente com a Federação Catarinense de Surf (FECASURF). Os campeões da mirim e da feminina garantirão suas vagas à final internacional do Rip Curl Grom Search 2017, em algum lugar do Mundo, reunindo atletas que competem nesse mesmo circuito em países como Estados Unidos, Austrália, África do Sul, Indonésia, Nova Zelândia e Europa. Eles terão as passagens e hospedagens pagas pela Rip Curl para representar o Brasil.
Com o surf brasileiro em alta no cenário mundial, a nova geração continua sendo preparada para o futuro. Realizado tradicionalmente no início de cada temporada, durante o verão, o principal campeonato do Brasil na modalidade para atletas com até 16 anos de idade já tem definidas as datas e locais das três etapas de 2016.

Em sua 17ª edição consecutiva, o Rip Curl Grom Search terá a abertura agora, nos próximos dias 23 e 24 na Praia da Ferrugem, em Garopaba/SC. Na sequência, os competidores se encontram em outros dois emblemáticos picos do surf brasileiro: a Praia de Itaúna, em Saquarema/RJ, nos dias 20 e 21 de fevereiro; e na Praia de Maresias, em São Sebastião, nos dias 5 e 6 de março.
O campeonato conta com as categorias grommet (sub12), iniciante (no máximo 14 anos), mirim e feminina (ambas com limite de 16 anos). Novamente, a expectativa é atrair os principais nomes da nova geração do surf brasileiro, como forma de incentivá-los para seguirem as mesmas trajetórias de destaques como Gabriel Medina, Adriano de Souza e Filipe Toledo, por exemplo, que competiram neste evento e hoje brilham na elite mundial.

Fonte FMA Notícias