17 de dezembro de 2015

Quinta decisiva: Mineirinho e Medina X Fanning

O Billabong Pipe Masters vai decidir o campeão mundial do World Surf League Championship Tour 2015 nessa quinta-feira no Havaí. A disputa do título pode acontecer até numa grande final entre Mick Fanning e Adriano de Souza. Só que Gabriel Medina também precisa da vitória para conquistar o bicampeonato, mas o australiano e Mineirinho não podem chegar nas semifinais. Os três venceram as duas baterias que disputaram para passar direto para as quartas de final nas ondas de 8-10 pés da quarta-feira de tubos adrenalizantes em Pipeline e Backdoor. Medina vai enfrentar C. J. Hobgood na primeira bateria, Fanning encara Kelly Slater na segunda e o adversário de Adriano sairá do duelo entre Josh Kerr e Jeremy Flores, que ficou para abrir a quinta-feira, às 8h no Havaí, 16h pelo fuso de Brasília.
Adriano de Souza (SP) / Foto Kirstin Scholtz / WSL
O atual campeão mundial fez duas baterias impecáveis, surfando ótimos tubos nas esquerdas de Pipeline sem dar qualquer chance para os adversários. Na bateria que abriu a terceira fase e a quarta-feira em Banzai Pipeline, Gabriel Medina somou notas 8,17 e 7,67 para vencer facilmente o sul-africano Jordy Smith por 15,84 a 4,50 pontos. Com a classificação, ele já acabava com a chance de Filipe Toledo conquistar o título mundial na terceira fase. Se o bicampeonato não vier, Medina ainda pode conseguir dois feitos inéditos para o Brasil no último dia, vencer o Billabong Pipe Masters e a Tríplice Coroa Havaiana. Depois, toda a expectativa ficou para o duelo de Mick Fanning com Jamie O´Brien, mas o havaiano simplesmente não completou nenhuma onda durante toda a bateria. O australiano começou bem com um tubaço nas direitas do Backdoor que valeu nota 8,47 e ganhou fácil também por 12,14 a 2,70 pontos. Com a passagem para a quarta fase, Fanning já tirava o também australiano Julian Wilson da briga do título mundial. Na sequência, o havaiano John John Florence deu um verdadeiro espetáculo surfando três tubos fantásticos para estabelecer um novo recorde de 19,26 pontos de 20 possíveis para o Billabong Pipe Masters, somando notas 9,93 e 9,33. Só que parece não ter sobrado nada para o confronto seguinte. Filipe Toledo só conseguiu pegar sua primeira onda depois de 30 minutos do início da bateria, quando surfou um tubo em Pipeline que só rendeu 4,67. Mason Ho também não tinha feito nenhum até ali, mas achou um maior para tirar nota 5,00 e deixar o brasileiro precisando de 2,26 pontos. Filipe até pegou outro no final, mas não conseguiu ficar entocado lá dentro e valeu nota 2,00, saindo da briga do título mundial.

Faltava Adriano de Souza e ele não teve dificuldades para bater Glenn Hall, mas foi mais uma bateria fraca de ondas. Mineirinho totalizou 10,00 pontos com a nota 5,57 do seu melhor tubo e o irlandês saiu carregado do mar pelos amigos, pois a derrota marcou a sua despedida das competições. Já o brasileiro vibrou bastante com a classificação para a quarta fase. Quando Mineirinho saia do mar, Gabriel Medina pegou um tubaço incrível em Pipeline, sumindo na cortina d´água para reaparecer na baforada da onda que valeu nota 9,30. Com ela, não chegou a ser ameaçado por C. J. Hobgood e Keanu Asing na bateria que abriu a quarta fase. Ele ainda pegou outro bom tubo nota 6,00 para vencer outra bateria por "combination" na quarta-feira, que no surfe é como ganhar de goleada no futebol, abrindo mais de 10 pontos de vantagem sobre os adversários. A primeira vaga para as quartas de final do Billabong Pipe Masters foi conquistada por 15,30 pontos, contra apenas 5,47 de C. J. e 4,27 de Keanu, mas os dois tinham outra chance de classificação na quinta fase.
 
Gabriel Medina (SP) / Foto Kelly Cestari / WSL
Depois começou a que foi chamada de "Super Bateria", entre Mick Fanning com dois mestres nos tubos de Banzai Pipeline, Kelly Slater e John John Florence. Slater surfou o primeiro tubaço para largar na frente com nota 8,17. O primeiro do havaiano rendeu 5,33 e do australiano 6,67. Netuno ajudou e mandou uma das maiores séries do dia, com grandes tubos para Fanning tirar 8,00 e Florence ganhar a maior nota da bateria, 9,83. O australiano ainda surfou outro tubaço nota 9,30 para assumir a ponta com 17,30 pontos. Slater também pegou uma última onda e ficou na expectativa, mas a nota saiu 8,30 e terminou em segundo com 16,47 pontos, com John John ficando em último com 15,16. Na disputa seguinte, Mason Ho arrancou a segunda nota 10 da quarta-feira logo em sua primeira onda, um dos maiores tubos do dia nas esquerdas de Pipeline. Depois de acabar com a chance de Filipe Toledo seguir disputando o título mundial, o havaiano ganhou a terceira vaga direta para as quartas de final derrotando o australiano Joel Parkinson e o francês Jeremy Flores por 16,23 pontos. A outra nota 10 tinha saído para o também havaiano Sebastian Zietz na terceira fase, mas ainda assim perdeu para Jeremy Flores e saiu da briga pela última vaga para o CT 2016, para alívio do brasileiro Jadson André, último da lista.

Já a disputa do título mundial teve mais um capítulo na quarta-feira, estrelado por Adriano de Souza, que garantiu a última passagem direta para as quartas de final com as notas 5,67 e 8,00 dos dois únicos tubos que surfou na bateria contra dois australianos. Josh Kerr ainda tirou a maior nota, 8,40, mas não achou outra onda regular para somar, enquanto Adam Melling sofreu uma queda terrível e ficou fora de combate. Mineirinho venceu por 13,67 pontos, contra 12,13 de Kerr e apenas 1,43 de Melling. A segunda rodada classificatória para as quartas de final foi iniciada em seguida e o veterano C. J. Hobgood surpreendeu um dos favoritos ao título do Billabong Pipe Masters, John John Florence. Dessa vez, o havaiano não achou nenhum tubo como os que surfou quando fez o recorde de pontos do campeonato e só conseguiu 9,76 pontos. O norte-americano totalizou 13,34 e vai enfrentar o atual campeão mundial Gabriel Medina na primeira quarta de final.
Mick Fanning (AUS) / Foto Kirstin Scholtz / WSL
Na disputa seguinte, Kelly Slater fez mais uma bateria brilhante surfando dois tubaços, que valeram notas 9,07 e 8,00, para despachar o havaiano Keanu Asing por 17,07 a 9,77 pontos. Slater agora volta a encontrar Mick Fanning na disputa pela segunda vaga para as semifinais. Para Gabriel Medina continuar com chance do bicampeonato, o onze vezes campeão mundial tem que parar o australiano, que ainda pode conseguir o tetra mesmo perdendo para Slater. Aí a torcida de Fanning ficaria para Mineirinho também ser derrotado nas quartas de final e Medina não vencer o campeonato. Adriano de Souza é o único que ainda não conhece seu próximo adversário. Isto porque as condições do mar se deterioraram bastante no fim do dia e o duelo entre Josh Kerr e Jeremy Flores ficou para abrir a quinta-feira decisiva do Billabong Pipe Masters. A bateria anterior já havia sido muito fraca de ondas, com Adam Melling seguindo vivo na briga pela vaga do brasileiro Jadson André para o CT 2016. Ele superou Joel Parkinson por apenas 5,17 a 4,20 pontos, mas para tirar o potiguar do grupo dos 22 que são mantidos na elite da World Surf League, Melling agora precisa vencer o havaiano Mason Ho na terceira quarta de final.


Por João Carvalho 

Nenhum comentário:

Postar um comentário