17 de dezembro de 2015

Quem levanta o caneco, em Pipe?

Não, não tenho bola de cristal. Não sei quem vai se consagrar com o título mundial de Surf hoje em Pipeline.  Mas, sei com antecedência que o título estará em boas mãos, porque qualquer um dos 3 candidatos ao título merecem muito. Seja pelo ano que tiveram como pela história de vida e Surf de cada um. Mick Fanning é um dos maiores da história do esporte. Arcos característicos, força e muito técnica fazem o Surf dele se encaixar em qualquer tipo de onda. Tudo parece fácil. Some-se a isso 3 títulos mundiais e um ano para lá de difícil para ele. Nunca na história desse esporte, um atleta foi atacado por um tubarão em uma competição, e ainda por cima ao vivo!! Poderia ter ficado traumatizado e acabar com o ano de qualquer um, mas o dele não.
Foto Kirstin Scholtz
Como se isso não fosse suficiente, na véspera da decisão do título mundial, Mick Fanning recebe a notícia que seu outro irmão faleceu enquanto dormia, digo outro porque há muito tempo atrás ele já havia perdido um irmão em um acidente de carro. Não se abalou, e venceu ontem a super bateria contra os maiores tube riders do mundo: Kelly Slater e John John Florence. Muito drama e superação. Merece o título! Mineirinho tem a história de vida mais difícil e talvez seja o atleta mais focado e determinado que o Surf já viu em sua história. Nasceu de uma família super humilde, como tantos outros no Brasil, mas seu talento e força de vontade fez dele um caso de sucesso e superação no nosso esporte. Isso já faz 10 anos, e ele não perdeu o pique, muito pelo contrário está cada vez surfando melhor, nas mais diversas condições! Muita garra e força de vontade. Merece o título.

Medina é um monstro. Não consigo pensar em outras palavras para definir nosso primeiro campeão mundial. Começou o ano com muita pressão e um pouco de “ressaca” do tão almejado título do ano passado. Parecia até desmotivado, até que o leão ressurgiu no meio do ano. Mas como o seu talento, a volta por cima foi meteórica: 2º no Tahti, 3º em Trestles, 1º na França, 5º em Portugal. Sem sombra de dúvidas ele sobrou no segundo semestre e além dos resultados, foi o surfista que melhor surfou em quase todas essas etapas. E em Pipeline está “on fire”, parece confortável, confiante e imbatível.  Medina é show de Surf. Merece o título.

Quem vença o melhor porque os 3 merecem. Mas espero que o discurso do título seja em português e que a festa role em rítimo de samba!
Aloha!

Por Caio ComSurf

Nenhum comentário:

Postar um comentário