18 de dezembro de 2015

Mineiro conquista o 2º título mundial para o Brasil

Num dia histórico, dramático, Adriano de Souza e Gabriel Medina festejaram mais feitos inéditos para o Brasil na meca do surfe mundial. Medina foi o primeiro brasileiro a conquistar a prestigiada Tríplice Coroa Havaiana, tirando Mick Fanning do caminho de Mineirinho, que conseguiu o seu tão perseguido troféu de campeão da World Surf League ao derrotar o havaiano Mason Ho na outra semifinal. Pela primeira vez, o Billabong Pipe Masters foi encerrado com uma decisão verde-amarela no Havaí e Adriano de Souza se tornou o primeiro brasileiro a ser campeão no maior palco do esporte, com Medina repetindo o vice-campeonato do ano passado nos tubos de Pipeline e Backdoor.
Adriano de Souza (SP) / Foto Kirstin Scholtz / WSL
Muito emocionado, Mineirinho também lembrou do seu início sofrido no esporte, por ser de uma família humilde do Guarujá. "Eu também dedico esse troféu de campeão do mundo ao meu irmão (o Mineiro que originou seu apelido), que por 30 Reais ele comprou uma prancha de surfe pra mim quando eu era criança. Na época, eu sei que era muito dinheiro pra ele poder comprar essa prancha e hoje eu estou no topo do mundo por 30 Reais, então muito obrigado meu irmão, eu te amo, amo toda a minha família e não vejo a hora de ver todos vocês com esse troféu gigante nas minhas mãos".
Adriano de Souza (SP) / Foto Masurel / WSL
Para aumentar a dramaticidade do dia que Adriano de Souza conquistou o segundo título mundial consecutivo do Brasil no World Surf League Championship Tour, com ele recebendo o seu tão desejado troféu das mãos do campeão do ano passado, Gabriel Medina, no pódio do Billabong Pipe Masters, as condições do mar estavam muito difíceis. Poucas ondas boas entravam nas baterias e a maioria foi decidida com notas baixas, pois eram raros os tubos que não fechavam rapidamente nas séries de 4-6 pés da quinta-feira em Pipeline.
Gabriel Medina e Adriano de Souza / Foto Kirstin Scholtz - WSL
Os melhores surfistas do mundo voltam em 2016 para a abertura da temporada no início de março na Gold Coast, em Queensland, na Austrália. No ano que vem, a "seleção brasileira" que dominou 2015 com os títulos de Mineirinho e Medina e ainda o potiguar Italo Ferreira sendo premiado como o "Rookie of the Year", estreante do ano, terá três reforços classificados pelo WSL Qualifying Series, Caio Ibelli que foi o campeão do ranking, o também paulista Alex Ribeiro e o catarinense Alejo Muniz, que volta à elite depois de 1 ano fora. Agora serão dez brasileiros entre os top-34 da World Surf League, contando com os sete desse ano, os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Wiggolly Dantas, Jadson André e Miguel Pupo.
Gabriel Medina (SP) / Foto Masurel / WSL
Nesse ano, o Brasil mostrou e comprovou definitivamente ao mundo ser uma das maiores potências do esporte, junto com a Austrália e Estados Unidos. Os brasileiros decidiram os títulos em incríveis nove das onze etapas do Samsung Galaxy WSL Championship Tour 2015, ganhando seis delas com duas finais 100% verde-amarelas seguidas fechando a temporada. Ela já começou com três brasileiros invadindo as semifinais na Gold Coast. Adriano de Souza e Miguel Pupo perderam e dividiram o terceiro lugar, mas Filipe Toledo festejou a sua primeira das três vitórias no ano derrotando o australiano Julian Wilson com seus aéreos mortais.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário