3 de dezembro de 2015

Carissa festeja título mundial e Brasil fora da elite

A havaiana Carissa Moore, 23 anos, festejou seu terceiro título mundial com um bicampeonato no Target Maui Pro conquistado numa apresentação fantástica, recebendo até nota 10 num tubaço surfado na decisão contra a australiana Sally Fitzgibbons, 24, nas boas ondas de 4-6 pés que rolou na última quarta-feira, 2, em Honolua Bay. Foi a quarta vitória em cinco finais da campeã nas dez etapas do World Surf League Championship Tour 2015 completadas na ilha de Maui, Havaí. O título foi confirmado logo na primeira rodada do dia, quando a também havaiana Coco Ho, 24 anos, derrotou sua única oponente, a norte-americana Courtney Conlogue, 23, na segunda chance de classificação para as quartas de final. Carissa repete a rotina de ser a melhor do mundo ano sim, ano não. A primeira vez foi em 2011, depois 2013 e agora em 2015.
Carissa Moore (HAV) / Foto Kelly Cestari / WSL
A havaiana já tinha garantido classificação para as quartas de final no domingo, 29, com Courtney Conlogue perdendo a bateria seguinte para a australiana Nikki Van Dijk. A segunda-feira amanheceu com ondas pequenas e o Target Maui Pro foi sendo adiado até a quarta-feira, para fechar a temporada feminina da World Surf League em ótimas condições, com séries de 4-6 pés em Honolua Bay. Courtney surfou bem, mas foi derrotada pela havaiana Coco Ho na segunda rodada classificatória para as quartas de final e saiu da briga pelo título mundial.

O Target Maui Pro também marcou a saída do Brasil e da América do Sul do seleto grupo das dezessete surfistas que disputam o título mundial no Samsung Galaxy WSL Championship Tour. A cearense Silvana Lima até surfou uma boa onda, sendo a primeira a receber nota acima de 9 em Honolua Bay no domingo, mas a havaiana Alessa Quizon fez três no critério excelente para vencer esta bateria que fechou a segunda fase da competição.

Silvana ficou de fora do grupo das dez primeiras colocadas no CT e da lista das seis indicadas pelo ranking do QS, que ela venceu no ano passado. A brasileira de 31 anos de idade e a australiana Dimity Stoyle, 24, perderam suas vagas na elite feminina da World Surf League para a australiana Keely Andrew, 20, e Chelsea Tuach, 19, de Barbados. As outras quatro vagas do G-6 ficaram com surfistas da elite de 2015 que não conseguiram confirmar suas permanências entre as top-10 do CT, a norte-americana Sage Erickson, 24, as havaianas Alessa Quizon, 21, e Coco Ho, 24, e a australiana Laura Enever, 23 anos.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário