9 de dezembro de 2015

Billabong Pipe Masters decide o campeão 2015

Chegou a hora de decidir um dos títulos mundiais mais disputados da história do circuito realizado desde 1976. São seis concorrentes com chances de conquistar o cobiçado troféu de campeão da World Surf League no Billabong Pipe Masters em memória a Andy Irons e o mais inédito é que são três brasileiros na briga contra três australianos. O prazo da etapa final do WSL Championship Tour 2015 começou nesta quarta-feira e vai até 20 de dezembro, no Havaí. Todos os tops da elite já estão escalados para estrear nos tubos de Banzai Pipeline e os candidatos ao título mundial começam a se apresentar a partir da segunda bateria. O primeiro deles a tentar classificação direta para a terceira fase será o australiano Owen Wright, cuja única chance de ser campeão é a vitória no Billabong Pipe Masters. Seus primeiros adversários serão o brasileiro Jadson André e o havaiano Dusty Payne. Nos confrontos seguintes, ainda não estão listados os terceiros oponentes que participarão como convidados ou nas vagas do contundido Matt Banting (AUS) e de Frederick Patacchia (HAV), que se aposentou das competições. Um dos substitutos confirmados pela World Surf League é Bruce Irons, irmão do tricampeão mundial Andy Irons.
Gabriel Medina (SP) / Foto Kirstin Scholtz / WSL
O campeão mundial Gabriel Medina está escalado na terceira bateria com o havaiano Keanu Asing. Adriano de Souza entra na seguinte com o taitiano Michel Bourez. Depois se apresentam os dois principais concorrentes ao título. Filipe Toledo estreia junto com o norte-americano Kolohe Andino na quinta bateria e na sexta o líder do ranking, Mick Fanning, com o havaiano Sebastian Zietz, que necessita de um bom resultado para se manter na divisão de elite para o ano que vem. Na sétima bateria, entra Julian Wilson pressionado em ter que repetir a vitória conquistada em Pipeline no ano passado contra Gabriel Medina. O Billabong Pipe Masters começa com Mick Fanning liderando a corrida do título mundial, mas Filipe Toledo assume a ponta se passar para a terceira fase e terá duas chances para isso. O brasileiro ultrapassa o australiano porque tem 500 pontos para trocar nessa última etapa, contra 1.750 dos demais concorrentes, exceto Julian Wilson. Como a diferença entre os líderes do ranking é de apenas 200 pontos, Filipe Toledo passa a defender a primeira posição a partir da terceira fase. No entanto, a disputa está tão acirrada que Adriano de Souza supera os dois se passar uma rodada a mais que eles. E o campeão mundial pode até ser decidido numa final entre dois destes três primeiros colocados no ranking.

Para Gabriel Medina conseguir o bicampeonato mundial, a condição mínima antes mesmo do início do Billabong Pipe Masters é chegar nas semifinais, enquanto para Owen Wright e Julian Wilson só interessa a vitória. Além disso, eles dependem dos resultados dos três principais concorrentes ao título. Se Mick Fanning ou Filipe Toledo vencerem duas baterias em Pipeline, ou seja, se passarem pela terceira fase da competição, já acabam com as chances de Owen Wright e Julian Wilson. Eles também saem da briga se Adriano de Souza alcançar as quartas de final. Para Medina conquistar o bi mundial, Filipe Toledo não pode chegar nas quartas de final, nem Fanning e Mineirinho nas semifinais.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário