6 de novembro de 2015

Ítalo quer bom resultado no São Paulo Open, em Maresias

No ano passado, a Praia de Maresias, em São Sebastião, lotada, viu o potiguar Ítalo Ferreira garantir sua vaga para a elite mundial. Por pouco não viu o jovem talento na final, parando na semi, em terceiro lugar. Este ano, ele voltou, sem pressão por resultados, mas logo em sua estreia no evento já mostrou ser um dos fortes candidatos ao título do São Paulo Open. Assegurou o recorde do evento até agora, somando 17,33 pontos de 20 possíveis, com direito a uma nota 9,33, ao esbanjar dos aéreos muito altos. Melhor estreante na elite mundial este ano e vindo de um excelente segundo lugar na etapa de Portugal, o surfista de Baia Formosa demonstra estar “leve” para tentar a vitória. “É diferente. Estou surfando sem pressão. Ano passado estava disputando vaga. Agora, o cenário é outro”, comentou.
Italo no palanque do OI HD São Paulo Open / Fabio Maradei
Atual sexto colocado no ranking do WCT em sua primeira temporada, à frente de um dos candidatos ao título, Julian Wilson, e do ícone Kelly Slater, o surfista de 21 anos vem fazendo uma campanha exemplar entre os 34 melhores do Mundo e deve ser confirmado como o “Rookie of the Year”, o prêmio de melhor novato do Tour. Além da final na etapa portuguesa, soma um terceiro lugar, no Rio e Janeiro, e três quintos lugares, dois deles nas respeitadas ondas de Fiji e Taiti. “As coisas aconteceram muito rápido. Consegui muitos resultados bons e só aproveito o meu momento. Lógico que estou me dedicando muito e isso é resultado. Tinha muitos objetivos, alcancei alguns deles e espero terminar o ano entre os top 10 do Mundo. Vou correr atrás. Como falei, estou surfando sem pressão. Vou me divertir e espero subir cada vez mais no ranking”, disse Ítalo, que também tem na carreira o título brasileiro e o vice mundial pro júnior, em Portugal, ambos conquistados no ano passado.

Para a etapa de Pipeline, ele prefere ser comedido e quer usar as esquerdas de Fiji e Taiti como exemplo no Havaí. “Acho que posso surpreender muitas pessoas. Vou me dedicar muito para esta etapa, como fiz em Fiji e Taiti, ondas que não conhecia, nunca tinha surfado, e consegui bons resultados. Espero fazer o mesmo em Pipe”, afirmou o atleta, orientado pelo técnico e manager Luiz “Pinga” Campos.

Para 2016, os planos são ambiciosos. “Tem muita coisa boa pela frente. Vou me dedicar o dobro. Já vi que tudo é possível e vou buscar meus sonhos”, revelou Ítalo, que assim como nas baterias, é agitado fora do mar e gosta muito de brincar com os companheiros de Tour, sobretudo o parceiro de viagens Jadson André. “Não fico quieto um minuto sequer. Gosto de brincar muito, principalmente com o Jadson”, contou o surfista, fã do rapper Chris Brown, usando a música para diminuir a intensidade. “Estou sempre ouvindo música. Me deixa mais relaxado”, completou.

Por Fábio Maradei

Nenhum comentário:

Postar um comentário