7 de novembro de 2015

Bruno Baroni na cola do Toledo

Onde Filipe Toledo vai surfar, seja para competir ou treinar, certamente Bruno Baroni estará junto. O filmmaker exclusivo do atual vice-líder do WCT registra todos os momentos para a produção de filmes para a internet, criando uma aproximação ainda maior com os fãs. A parceria começou no início deste ano, primeiro com o projeto do filme da conceituada Surfing Magazine “Spinning At The Speed of Now”, e com o sucesso, o trabalho prossegue em todas as disputas que Filipinho competir, como agora no São Paulo Open of Surfing, na Praia de Maresias, em São Sebastião, onde defende o título. “A ideia surgiu por parte de alguns patrocinadores do Filipe. O objetivo é mostrar os treinos que acontecem antes dos campeonatos e também possibilitar que a galera tenha um contato maior com a rotina dele, que vai muito além das baterias. O treinamento é intenso e diário”, conta Bruno. “Claro que essa ideia me deixou muito empolgado, porque essa preparação do Filipe para as competições rende muita imagem boa”, diz.
Filipe e Bruno / Foto Carlos Muriongo
O material é tão rico, que já existe o projeto de uma série, com vídeos postados na internet a cada dois meses e um clipe mais curto postado no Instagram semanalmente. “Sendo que as melhores imagens serão guardadas para um novo filme previsto para o final de 2016”, revela o filmmaker. “No momento não tenho plano relacionado à TV. Todos os projetos estão voltados para internet, um veículo de alcance mundial”, explica Bruno. Alguns vídeos já estão à disposição no Youtube, como o “Two Sessions In Europe” e o “Legacy Califas”. A parceria profissional também se tornou amizade, até mesmo pelo constante contato mundo afora. Bruno sabe que há muito a crescer, tanto pelo talento de Filipinho nas ondas quanto por seu carisma com os fãs. “É fácil trabalhar com o Filipe, dentro e fora do mar. O resultado sempre fica muito bom. Estamos com muitos projetos para 2016”, comenta.

O próprio Filipinho expõe a relação criada entre os dois, que já extrapola o lado profissional. “O Bruno é um cara de um coração gigante, um moleque sangue bom. Ele veio para somar na nossa equipe, mantendo aquela vibe totalmente nossa, que estou acostumado. Tem os mesmos costumes, se contenta com as mesmas coisas que a gente. Hoje é muito mais amizade do que trabalho”, ressalta. “Tem um vínculo bem grande, mas quando tem de dar dura, eu dou, não estou nem aí”, brinca Filipe, rindo.

Por Fábio Maradei

Nenhum comentário:

Postar um comentário