22 de outubro de 2015

Red Nose manterá o Pro Florianópolis SC em 2016

Antes mesmo de chegar às fases finais, o Red Nose Pro 15 Florianópolis SC já está sendo avaliado como um grande sucesso. Tanto que o empresário Marcelo Cunha Leitão, diretor da Red Nose, anunciou que quer manter o evento em 2016. A competição - válida pela 32ª etapa do Circuito Mundial Qualifying Series (QS) - teve início terça-feira e segue até domingo (25), na Praia do Santinho, reunindo surfistas de 24 países, entre eles nomes que vão compor a elite mundial do WCT na próxima temporada. “Estamos muito satisfeitos com o evento. Só está faltando o sol”, diz animado. “Esse é o nosso segundo evento profissional de surf, o primeiro QS e já estamos com ideia de manter outros anos. Está tudo perfeito, estamos divulgando a nossa marca e ajudando o surf brasileiro a crescer”, acrescenta Marcelo, lembrando que no ano passado, a Red Nose realizou uma etapa do Sul-Americano Pro-Júnior, no Rio Grande do Norte.
Fred Leite da Fecasurf e Marcelo Cunha, gerente da Red Nose / Foto Divulgação
Ele ressalta que realizar um grande evento com pagamento em dólar na situação atual da economia brasileira é um grande desafio. “Ainda bem que somos bem estruturados, planejamos muito, para não errar. O Brasil é um país difícil, não podemos errar. Durante anos nos mantemos bem, tivemos crescimento, então temos uma reserva para poder investir”, ressalta. “Todo mundo retraiu, tirou o pé e a gente está investindo, na contramão”, argumenta o executivo. Marcelo ressalta que o Red Nose Pro 15 Florianópolis SC é um evento para posicionar a marca. “Faz parte dos nossos investimentos. A marca é extreme. É o nosso mundo. Tudo que tem a cara da marca, a gente investe e queremos continuar nessa parceria com a Fecasurf. Só preciso que o Brasil melhore”, complementa.

O Red Nose Pro 15 Florianópolis SC tem US$ 150 mil em premiação, sendo US$ 25 mil ao vencedor, além dos importantes 6.000 pontos no ranking QS.

Por Fábio Maradei




Nenhum comentário:

Postar um comentário