19 de outubro de 2015

Os melhores do surf das categorias de base em 2015

O Hang Loose Surf Attack, circuito paulista das categorias de base, foi encerrado em alto nível, à altura da qualidade técnica dos atletas que competiram, no último domingo (18), na Praia da Baleia, em São Sebastião. Nem mesmo o frio e as ondas pequenas tiraram o brilho do evento, que é realizado desde 1988, sendo os últimos 21 anos com patrocínio da Hang Loose. Nas cinco categorias em ação, decisões muito disputadas, definindo os novos campeões estaduais de 2015 – Nathan Kawani, representando Guarujá, na júnior (até 18 anos); Eduardo Motta, outro talento guarujaense, na mirim (limite de 16 anos); Kauê Germano, de São Sebastião, na iniciante (no máximo 14 anos); Diego Aguiar, de Ubatuba, na estreante (sub12); e Ryan Kainalo, de São Paulo, na petit (10 anos para baixo). Já na disputa por cidades, Guarujá voltou a ser a número 1 do Estado.
Roberto Alves foi pódio na Petit / Foto Munir El Hage
Dos cinco títulos, apenas Eduardo Motta e Ryan Kainalo disputaram as finais já como campeões paulistas. Nas outras três, não faltou emoção. A primeira decisão foi a da petit. Ryan já tinha garantido para a capital o caneco, mas queria uma nova vitória, porém Roberto Alves, de Itanhaém, “carimbou a faixa” vencendo na Baleia, para assegurar o vice do ranking na temporada, com a melhor nota da bateria: 7,5. Na sequência foi a vez da iniciante. O então líder, Mateus Lima, de Itanhaém, foi derrotado na semi, mas ainda tinha chances. Na água, Kauê Germano precisava vencer e não deu chances. Pegou apenas as duas ondas necessárias para a pontuação final e soube escolher muito bem. Primeiro uma onda excelente, nota 8, e para liquidar, um 7,5, levando a etapa e o ranking. Heitor Duarte, também de São Sebastião, teve um 7,25, mas não chegou a ameaçar, enquanto que Eduardo Motta (único em duas finais), não achou as ondas, ficando em quarto, atrás do carioca Daniel Templar.

Com o resultado, ele passou os rivais por muito pouco, com a diferença do campeão para o terceiro sendo de apenas 36 pontos. “Nem estava pensando no título do ranking. Queria ganhar a etapa. Graças a Deus foi tudo certo”, confessou Kauê, de 13 anos. Na final mirim, Eduardo Motta continuou no mar e, desta vez, fez muito bem o seu papel de campeão. Mesmo em sua segunda final seguida, abriu a bateria com uma nota 9. Gabriel Ramos, de Ubatuba, foi melhor ainda, com um 9,5. No final, precisava de 5,5 para virar o placar e nos instantes finais, animou a disputa, com uma onda, mas tirou quatro. Mesmo assim, Mottinha ainda ampliou a vantagem, garantindo um 7,5. “Estou muito feliz. É uma categoria acima da minha. Também tentei na minha, dei meu máximo na iniciante, mas não deu”, afirmou. “O Gabriel surfou muito bem e está de parabéns”, complementou.
Vitor Mendes / Foto Munir El Hage
Na estreante, Diego Aguiar e Gustavo Giovanardi, de Praia Grande, entraram no mar para mais um duelo. Diego saiu na frente, Gustavo assumiu e depois o novo campeão recuperou a ponta, competindo na praia onde aprendeu a surfar. Com o resultado, Didi, como é mais conhecido, garantiu mais um título - foi campeão petit em 2013. Na última final do dia, mais emoção nas ondas. Nathan Kawani e Renan Pulga, de São Sebastião, disputaram a final pela terceira vez cada um. Na etapa, quem comandou a festa foi Vitor Mendes, garantindo a sua segunda vitória na temporada. Em segundo, a surpresa Ayrton Dylan, de Praia Grande. Já Renan ficou em terceiro e Nathan em quarto. Vale destacar que em todas as etapas, o evento proporcionou aos atletas tendas com várias brincadeiras, como ping pong, pebolim, cabo de guerra, caça ao tesouro, e ações educativas voltadas ao meio ambiente, como gincanas e limpeza da areia, além da distribuição de frutas. “O objetivo é proporcionar para a molecada um momento de descontração e também criar uma consciência ambiental”, disse o responsável pelas ações, Júlio Osório, o Bro.

Por Fábio Maradei

Nenhum comentário:

Postar um comentário