5 de outubro de 2015

Nakagima com o "título nas mãos" do Super Surf 2015

Muitos surfistas já estão treinando nas ondas da Praia de Itaúna para a grande final do SuperSurf 2015, que começa na próxima quarta-feira, 7, em Saquarema, Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Serão 160 competidores de 13 estados do país disputando mais 6.000 pontos no ranking da Associação Brasileira de Surf Profissional, que vem sendo liderado por Flavio Nakagima desde a sua vitória na etapa que marcou a volta do SuperSurf na Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo. O "Japonês Voador", como o paulista de Praia Grande é conhecido, está determinado a conquistar o título brasileiro esse ano e é um forte candidato a vencer a última etapa em Saquarema.
Flávio Nakagima / Foto Oi Super Surf
Nakagima mostrou confiança quando perguntado sobre um favorito ao título de campeão brasileiro de 2015, que não fosse ele mesmo. A resposta veio firme, com uma boa dose de humor: "Acho que (o campeão) será o Flavio Nakagima (risos). Não consigo imaginar ninguém que não seja eu", disse o surfista, que em seguida destacou a força dos Top 10 do ranking brasileiro no momento: "Está tudo embolado e acho que todos têm chances reais de vencer em Saquarema, mas os 10 primeiros do ranking são os mais perigosos".

Apesar do foco total no SuperSurf, Flávio Nakagima não foi bem na segunda e terceira etapas, ocorridas respectivamente na Praia Grande de Ubatuba (SP) e na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC). Ele acabou sofrendo uma lesão em um dos joelhos durante esses eventos, o que motivou um desempenho abaixo do esperado, mas contou estar 100% recuperado e com outra expectativa. Flavio Nakagima também falou sobre a volta do evento que durante uma década - de 2000 a 2009 - promoveu o circuito nacional mais rico do mundo e ficou cinco temporadas sem acontecer. Além de cada vitória valer decisivos 6.000 pontos na disputa pelo título brasileiro da ABRASP, será definido em Saquarema o campeão das quatro etapas do Oi SuperSurf, cujo ranking é liderado pelo baiano Bino Lopes, com o capixaba Krystian Kymerson em segundo e Nakagima em terceiro lugar entre os 191 surfistas de 13 estados do Brasil que participaram das três provas anteriores.
O "japonês voador" pode ser o próximo campeão brasileiro de surf / Foto Pedro Monteiro
"Fiquei supercontente, pois o surfe brasileiro estava apagado em nosso país e na melhor hora ele retornou com força total. O Brasil precisa desse circuito, que foi por muitos anos o circuito nacional mais forte do mundo. Temos muitos talentos no Brasil sem oportunidade de mostrar seu potencial, pois competir somente no Circuito Mundial WQS (WSL Qualifying Series) é muito caro e muitos não têm apoio para isso. E o Oi SuperSurf eleva o nível de todos, prepara o atleta para chegar no Mundial e dá visibilidade na mídia. Com certeza, sairão grandes nomes que estarão futuramente na elite mundial", finalizou o líder do ranking brasileiro, que tem como ídolo Adriano de Souza, o Mineirinho.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário