20 de outubro de 2015

Fanning pode ser tetracampeão em Peniche

Começou hoje, 20, a janela do Moche Rip Curl Pro Portugal 2015, e prolonga-se até 31 de outubro. A etapa portuguesa é a décima do World Tour Championship da World Surf League - num total de onze - e poderá definir o novo campeão mundial de surf. Observando a vitória por Gabriel Medina na semana passada, em França, que só veio apimentar as contas do ranking e, embora ainda seja matematicamente possível aos nove primeiros classificados alcançar o título, este na verdade parece estar confinado aos seis primeiros da elite mundial: Mick Fanning (1º), Adriano de Souza (2º), Owen Wright (3º), Julian Wilson (4º), Gabriel Medina (5º) e Filipe Toledo (6º).
Gabriel Medina já não vencia uma prova do WCT há tempos, mas quebrou o jejum precisamente no local onde conseguiu a primeira vitória quando entrou para a elite, em 2011. Com o fulminante desempenho nas ondas de Hossegor, o campeão mundial de surf em título voltou a entrar na luta pelo título, embora ele saiba que a missão é complicada.

Para chegar em primeiro no final do ano, Gabriel tem que vencer as duas próximas etapas e esperar que tanto Fanning como Mineirinho percam logo no início da competição. Não vai ser fácil, mas pode acontecer. No entanto, a reação que tem empreendido nos últimos tempos é de assinalar, bem como o fato de se ter tornado o surfista brasileiro que mais vitórias detém em etapas do World Tour. É que, com a conquista do troféu em Hossegor, o brasileiro registra seis vitórias na divisão máxima da WSL contra cinco de Adriano de Souza.

Já as contas para Adriano de Souza, neste momento em segundo lugar no ranking com 49.450 pontos, são simples. Se vencer passa para a liderança e prolonga a corrida ao título para as ondas de Banzai Pipeline (em dezembro). O brasileiro precisa terminar à frente de Mick Fanning e esperar que este não avance muito na competição.

Em todo o caso, Adriano mantém-se fiel à imagem de surfista lutador que nunca desiste, construída ao longo de muitos anos competindo entre os melhores, tendo conseguido na etapa francesa reduzir a diferença para o primeiro lugar (só há 450 pontos).  Com duas etapas para o final de mais uma temporada, em jogo estão ainda 20 mil pontos… e existe mesmo a possibilidade de Mick Fanning se sagrar tetracampeão mundial no CT português. Para que tal aconteça, o veterano australiano só precisa vencer a prova e esperar que Adriano de Souza não passe da terceira bateria 3. Caso contrário, a decisão pelo título será adiada para o Havai.

Texto AF / Fotografia WSL/Poullenot

Nenhum comentário:

Postar um comentário