29 de outubro de 2015

Esquenta a briga por vagas no WCT

Uma verdadeira maratona de vinte baterias foi disputada na quinta-feira (29), de boas ondas 2-3 pés na Praia da Tiririca, em Itacaré, no litoral sul da Bahia. Era dia das principais estrelas do Mahalo Surf Eco Festival estrearem na segunda rodada da competição e a batalha pelas últimas vagas no WCT passou a centralizar as atenções. Dezenove envolvidos nesta briga competiram e apenas dez avançaram para a rodada dos 48 melhores do QS 6000 da Bahia, o norte-americano Kanoa Igarashi e o australiano Ryan Callinan, que estão na lista dos dez que sobem pelo ranking do Qualifying Series, e o francês Joan Duru, o americano Evan Geiselman, os australianos Davey Cathels, Dion Atkinson e Soli Bailey, o brasileiro Jessé Mendes, o costa-ricense Noe Mar McGonagle e o havaiano Ezekiel Lau. A quinta-feira começou e terminou com vitórias baianas de Bruno Galini e Marco Fernandez. Na primeira do dia, eram três baianos disputando com um havaiano as duas primeiras vagas para a rodada dos 48 melhores do QS 6000 Mahalo Surf Eco Festival. O atleta da equipe Mahalo de competição, Bruno Galini, achou boas ondas para repetir a vitória conquistada no confronto que abriu a oitava edição do campeonato mais tradicional da América do Sul. A melhor delas valeu 8,67 para totalizar 14,67 pontos e Kiron Jabour ganhou a briga pelo segundo lugar do baiano Franklin Serpa e do local de Itacaré, Iago Silva.
Jadson André (RN) / Foto Daniel Smorigo / WSL
As marcas de Bruno Galini foram batidas no quarto confronto do dia, quando a batalha pelas últimas vagas no WCT começou a centralizar as atenções na Praia da Tiririca. O australiano Ryan Callinan chegou na Bahia em oitavo na lista dos dez indicados pelo ranking do Qualifying Series e dominou a bateria com a nota 8,73 da sua melhor onda. O seu compatriota, Soli Bailey, que também está na briga, pegou uma boa para tirar 8,50 e garantir a dobradinha australiana. O americano Patrick Gudauskas estava três posições abaixo da zona de classificação para o WCT e terminou em terceiro, sendo eliminado junto com o vice-campeão do Mahalo Surf Eco Festival no ano passado, o francês Paul Cesar Distinguin. Na disputa seguinte, outro concorrente direto por vagas no G-10 do Qualifying Series caiu, o francês Maxime Huscenot, que defendia o último lugar na lista e foi barrado numa dobradinha brasileira de Thiago Camarão com com Matheus Navarro. Com isso, um incrível número de vinte surfistas ficou com chances de ultrapassa-lo com os 6.000 pontos do Mahalo Surf Eco Festival. No entanto, dois deles caíram nos confrontos seguintes, os norte-americanos Nathan Yeomans e Conner Coffin. Já o australiano Davey Cathels, foi o primeiro dos adversários a avançar para a terceira fase, registrando um novo recorde de 15,23 pontos para a quinta-feira em Itacaré.

O norte-americano Kanoa Igarashi, sexto colocado no ranking e bem perto de garantir sua classificação para a divisão de elite da World Surf League, também confirmou o favoritismo na nona bateria do dia. O outro cabeça de chave, Granger Larsen, do Havaí, superou o brasileiro Victor Bernardo e o espanhol Vicente Romero para passar em segundo para a terceira fase. Ele ultrapassa a barreira dos 20.000 pontos no ranking se chegar nas semifinais do Mahalo Surf Eco Festival no domingo, quando será definido o campeão em Itacaré. Na sequência mais dois surfistas com chances matemáticas de entrar no G-10 estrearam na Praia da Tiririca. O neozelandês Billy Stairmand foi barrado pelo norte-americano Derek Peters e o francês Nomme Mignot, mas o norte-americano Evan Geiselman se classificou, com o argentino Santiago Muniz avançando em segundo. A bateria seguinte foi uma das mais adrenalizantes do dia, com uma estrela da elite do WCT fazendo sua primeira apresentação no Mahalo Surf Eco Festival, o potiguar Jadson André, junto com o vice-campeão da outra etapa do QS 6000 encerrada domingo com vitória brasileira de Deivid Silva, o australiano Stu Kennedy.

No entanto, quem brilhou foi o marroquino Ramzi Boukhiam, que massacrou uma direita com duas manobras muito fortes de backside levantando grandes leques de água, para conseguir a maior nota na Praia da Tiririca até ali, 8,83. O australiano liderou boa parte da bateria, mas acabou ultrapassado por Jadson André e ficou buscando 5,90 pontos para se classificar em segundo lugar. Stu Kennedy chegou bem perto disso duas vezes nos minutos finais, mas em ambas as ondas recebeu nota 5,80 e acabou eliminado junto com o catarinense Jean da Silva. O australiano agora vê sua sétima posição no G-10 ameaçada pelos surfistas que continuam na disputa pelos 6.000 pontos do Mahalo Surf Eco Festival. Eles competiram quando rolaram as melhores ondas do dia e na disputa seguinte, na 13.a bateria da quinta-feira, o neozelandês Ricardo Christie estabeleceu novos recordes para o QS 6000 Mahalo Surf Eco Festival. Ele achou uma boa esquerda para mandar uma série de três manobras fortes de backside nos pontos mais críticos da onda pra ganhar nota 9,17, a maior da semana em Itacaré. Com ela, também registrou um novo recorde de pontos com os 17,10 que já totalizava com o 7,93 da sua terceira onda.

O francês Joan Duru, que perdeu a última vaga na lista dos dez do QS que sobem para o CT para o australiano Stu Kennedy na etapa encerrada domingo em Florianópolis, liderava com duas notas na casa dos 7 pontos, mas ainda com uma boa vantagem de mais de 8,44 sobre o catarinense Willian Cardoso e uma "combination" em Cory Arrambide na briga pela segunda vaga. Os dois não conseguiram achar boas ondas e Joan Duru seguiu em frente para tentar retornar a zona de classificação para o CT na Bahia. A maratona de vinte baterias na quinta-feira de boas ondas na Praia da Tiririca prosseguiu com concorrentes diretos pelas vagas no G-10 se classificando e também sendo eliminados. O costa-ricense Noe Mar McGonagle, o australiano Dion Atkinson e o brasileiro Jessé Mendes avançaram e continuam na luta para entrar na zona de classificação para o CT no Mahalo Surf Eco Festival. Já o havaiano Tanner Hendrickson foi barrado na bateria vencida pelo uruguaio Marco Giorgi e o costa-ricense Carlos Munoz perdeu na última do dia, que começou e terminou com vitória baiana. Bruno Galini ganhou a primeira e Marco Fernandez a que fechou a longa quinta-feira em Itacaré.

Restaram apenas quatro para encerrar a segunda fase e a que vai abrir a sexta-feira, as 8h00 na Praia da Tiririca, é encabeçada pelo brasileiro que está mais perto do G-10 no momento, o cearense Michael Rodrigues. Ele vai enfrentar três estrangeiros, o australiano Cooper Chapman, o indonesiano Oney Anwar e o americano Ian Crane. Na seguinte entra o baiano mais bem colocado no ranking, Bino Lopes, da equipe Mahalo, que ocupa a 38.a posição e tem chances de vaga no G-10 em casa. Já o defensor do título da etapa baiana do WSL Qualifying Series, Alex Ribeiro, novidade já confirmada na seleção brasileira do WCT, só estreia na bateria que vai fechar a segunda fase, a quarta da sexta-feira em Itacaré.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário