27 de outubro de 2015

Deivid Silva vence o QS 6000 em Floripa

O paulista Deivid Silva, de apenas 20 anos de idade, faturou o título do QS 6000 Pro Florianópolis no extremo norte da Ilha de Santa Catarina. Ele foi preciso na escolha das ondas na difícil condição do mar da Praia do Santinho no último domingo, com séries demoradas de 2 pés, para derrotar o australiano Stu Kennedy, 25 anos, na grande final da etapa que abriu a "perna brasileira" de fim de ano da WSL South America. Deivid só surfou as duas ondas que são computadas no resultado da bateria, que valeram notas 7,90 e 8,17 e um prêmio de 25 mil dólares pela vitória por 16,07 a 14,40 pontos. Com os 6.000 pontos do título, Deivid Silva saltou da 51.a para a 28.a posição no ranking do WSL Qualifying Series, que classifica dez surfistas para a elite mundial do WCT.
Deivid Silva (SP) (Daniel Smorigo / WSL)
Esse é o segundo evento que Deivid Silva festeja o título. O primeiro foi no ano passado em Baía Formosa (RN), onde derrotou o surfista local da cidade na final, Italo Ferreira, que hoje está no WCT. Deivid Silva foi bicampeão sul-americano Pro Junior da WSL South America em 2014 e 2015 e agora conquista a sua primeira vitória em eventos importantes da World Surf League no QS 6000 Red Nose Pro Florianópolis SC. "Cara, eu acho que a Red Nose me dá muita sorte, agradeço muito a eles por estarem acreditando em mim e vou mostrar muito mais ainda", disse Deivid Silva, que também falou sobre a busca por uma vaga no WCT ainda esse ano. "Essa era a minha meta, vencer esse campeonato e eu consegui essa grande vitória, então atingi meu primeiro objetivo. Eu vou com tudo agora para Itacaré (BA) tentar um bom resultado lá para chegar em Maresias (São Sebastião-SP) com mais chances de quem sabe conquistar outro bom resultado para subir ainda mais no ranking".

O resultado do Pro Florianópolis SC só mudou um nome na lista dos dez indicados pelo WSL Qualifying Series para a elite dos top-34 do WCT. A vaga foi decidida na quarta de final entre Stu Kennedy e o defensor do título da etapa catarinense da World Surf League, Michael Rodrigues. Quem vencesse já tirava o francês Joan Duru do G-10 e o australiano derrotou o cearense por 12,60 para 11,33 para entrar na zona de classificação no primeiro desafio da "perna brasileira" da WSL South America. O próximo é o QS 6000 Mahalo Surf Eco Festival, que começa na terça-feira em Itacaré, no litoral sul da Bahia.
Surfou apenas as duas ondas, as que são computadas no resultado da bateria, e venceu / Foto Daniel Smorigo / WSL

Outros dois surfistas ficaram a um passo de também entrarem no G-10. Os norte-americanos Patrick Gudauskas e Conner Coffin atingiriam o objetivo se chegassem na grande final, mas ambos foram derrotados nas semifinais. A precisão cirúrgica de Deivid Silva na escolha das melhores ondas já tinha vitimado Conner Coffin com notas 8,77 e 8,03 na disputa pela primeira vaga na decisão do título do QS 6000 apresentado pelo Resort Costão do Santinho. O californiano Patrick Gudauskas também fez grandes apresentações nas ondas da Praia do Santinho e até aumentou para 18,03 o recorde de pontos do Red Nose Pro Florianópolis SC no domingo. A marca foi atingida no duelo que fechou as oitavas de final, contra o dono do maior placar do campeonato até então, o cearense Heitor Alves com 17,70 pontos. Depois, Pat Gudauskas ganhou um confronto norte-americano com Ian Crane, mas foi batido pelo australiano Stu Kennedy, que fez a segunda maior somatória do dia nesta semifinal, 17, 13 pontos.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário