8 de outubro de 2015

Começa a batalha ao título do SuperSurf 2015

Dos vinte surfistas que estavam na briga, metade competiu na terceira fase. Sete deles avançaram para enfrentar os principais concorrentes, que fazem parte do grupo dos 32 principais cabeças de chave que só estreia na quarta rodada, como os líderes dos rankings, o baiano Bino Lopes do Oi SuperSurf e o paulista Flavio Nakagima, que está na frente do Circuito Brasileiro. Um dos ponteiros na disputa pela liderança nas duas competições já estreou na quinta-feira e confirmou o favoritismo na bateria que abriu a terceira fase do Oi SuperSurf de Saquarema. O capixaba Krystian Kymerson conseguiu notas 8,0 e 8,5 nas duas melhores ondas que surfou nas esquerdas da Praia de Itaúna. Já o uruguaio Marco Giorgi, que mora em Garopaba (SC), conquistou a segunda vaga na onda que pegou no último minuto. Com ela, superou o paulista Phillipe Chagas que estava se classificando e o alagoano Amando Tenório.
José Francisco (PB) / Foto Pedro Monteiro / SuperSurf
Kymerson tenta conseguir um feito inédito para o seu estado, pois nenhum surfista do Espírito Santo foi campeão brasileiro desde o início do circuito da Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP) em 1987. O capixaba agora terá um confronto direto pela ponta do ranking na primeira bateria da sexta-feira, programada para entrar no mar as 8h00 na Praia de Itaúna. Ela é encabeçada pelo líder Flavio Nakagima e ainda tem dois surfistas muito experientes que já defenderam o Brasil na elite mundial do WCT, o potiguar Danilo Costa e o cabo-friense Victor Ribas. Apenas os dois primeiros avançarão para a quinta fase.

Outras quatro baterias da quarta fase vão envolver dois concorrentes ao título do Oi SuperSurf 2015 que também têm chances de assumir a liderança do ranking brasileiro em Saquarema. A terceira com os ubatubenses Renato Galvão e Saulo Junior, contra o pernambucano Luel Felipe e o potiguar Alan Jhones. A quinta com o baiano Marco Fernandez e o carioca Leonardo Neves, que mora em Saquarema, enfrentando o pernambucano Paulo Moura e o catarinense Ygor Arakaki. A nona do paranaense Jihad Khodr e do paulista Hizunomê Bettero com Mariano Arreyes (RJ) e Rodrigo Wazlawick (SC). E a 14.a com o baiano Alandreson Martins e o paulista Deivid Silva, contra mais dois paulistas, Odarci Nonato e Tales Araujo. Os outros seis estão sozinhos contra três competidores que tentam apenas melhorar suas posições nos dois rankings. O paulista David do Carmo vem competindo desde a primeira bateria do Oi SuperSurf de Saquarema iniciado na quarta-feira e seus próximos adversários serão o seu conterrâneo Luan Carvalho, o cearense Dunga Neto, presidente da ABRASP que continua na ativa, e o uruguaio Marco Giorgi, que disputa o Circuito Brasileiro representando Santa Catarina por morar há muitos anos em Garopaba.

Depois, tem o ubatubense Odirlei Coutinho estreando na quarta bateria, o também paulista Thiago Guimarães na oitava, o capixaba Rafael Teixeira na 11.a, o cearense Messias Felix na 12.a, o catarinense Willian Cardoso na 13.a e o baiano Bino Lopes fecha a quarta fase defendendo a liderança nos dois rankings. Se conseguir ficar entre os dois primeiros que se classificam para a quinta fase, Bino já derruba sete concorrentes ao título de campeão do Oi SuperSurf 2015 e seis também saem da disputa pela ponta do ranking brasileiro em Saquarema. Seus primeiros adversários serão o capixaba Lysandro Leandro, o paulista Icaro Rodrigues e o carioca Lucas Silveira, que fez uma das melhores apresentações da quinta-feira em Itaúna.
Leonardo Neves (RJ) / Foto Pedro Monteiro / SuperSurf
Quem também fez bonito no segundo dia foi o bicampeão brasileiro Leonardo Neves. Ele mora em Saquarema há muitos anos e enfrentou outro local da cidade que igualmente já defendeu o país na elite mundial do WCT, Raoni Monteiro. Léo começou bem a bateria e liderou do início ao fim. A batalha pela segunda vaga foi intensa, mas o pernambucano Halley Batista achou uma boa esquerda que abriu a parede para mandar uma série de manobras e arrancar um 9,17 que garantiu a classificação em segundo na vitória de Leonardo Neves. Raoni Monteiro acabou eliminado junto com o paranaense Victor Valentim. Léo Neves vem embalado de um vice-campeonato na final contra o baiano Bino Lopes no Oi SuperSurf de Florianópolis, na Praia da Joaquina, quando entrou na briga direta pelo título do circuito e por um terceiro troféu de campeão brasileiro, feito que só o paranaense Peterson Rosa conseguiu nas temporadas de 2004, 2009 e no primeiro SuperSurf da história no ano 2000. O primeiro título do carioca foi conquistado exatamente numa final contra Peterson Rosa em 2002 na Prainha, Rio de Janeiro.

Outra bateria eletrizante disputada na quinta-feira não envolveu nenhum concorrente aos títulos brasileiro e do Oi SuperSurf 2015, mas foi emocionante. O paraibano José Francisco aumentou o recorde de 16,50 pontos do capixaba Krystian Kymerson para 17,50. Mas, a melhor onda foi surfada pelo carioca Pedro Scooby. Ele é um dos dois atletas patrocinados por Furnas, empresa de energia apoiadora do circuito, que brilharam nas esquerdas de Itaúna. Especialista em ondas grandes, Scooby quase não participa de competições, mas tem surfado boas ondas desde a primeira fase e arrancou nota 9,57 para superar o campeão brasileiro Gustavo Fernandes e o também carioca Jeronimo Vargas. Ela só ficou abaixo da nota 10 do paulista Igor Moraes no primeiro dia.

Já o seu companheiro na equipe Furnas, Lucas Silveira, fechou a quinta-feira registrando um novo recorde de 18,00 pontos para a terceira fase do Oi SuperSurf de Saquarema, somando nota 9,5 na melhor onda que surfou. Ele barrou um dos ponteiros do ranking, o cearense Charlie Brown, que estava em quarto lugar na disputa pelo título do Oi SuperSurf e do brasileiro. Além do cearense, também foram eliminados e saíram da briga o paulista Thiago Camarão e o pernambucano Ian Gouveia.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário