30 de outubro de 2015

Cinco brasileiros passam para o sábado no Mahalo Surf Eco Festival

A maioria dos brasileiros que tinham chance de entrar no G-10 perderam, mas cinco continuam na luta do título do QS 6000 de Itacaré, os baianos Bruno Galini e Yagê Araujo, os catarinenses Tomas Hermes e Yago Dora e o paulista David do Carmo. O dia sexta-feira) já não começou bem para o Brasil, com os que estavam mais próximos da zona de classificação para o WCT sendo eliminados nos primeiros confrontos do dia. Quando a sexta-feira começou, treze surfistas tinham chances matemáticas de ultrapassar o francês Maxime Huscenot, que está fechando a lista dos dez indicados pelo QS para completar a elite dos top-34 da World Surf League. Sete deles perderam, inclusive os quatro brasileiros que estavam na briga, o cearense Michael Rodrigues, o baiano Bino Lopes e o paulista Deivid Silva, caíram nos primeiros confrontos do dia, ainda pela segunda fase da competição. A última esperança ficou então para outro paulista, Jessé Mendes, que acabou em último na sua bateria da terceira fase, vencida pelo sul-africano Beyrick De Vries com o australiano Wade Carmichael passando em segundo.
David do Carmo (SP) / Foto Daniel Smorigo / WSL
A primeira baixa foi o cearense Michael Rodrigues, barrado pelo australiano Cooper Chapman e o indonesiano Oney Anwar. Na segunda bateria, o baiano Bino Lopes perdeu para o catarinense Yago Dora a briga pela segunda vaga na disputa vencida por outro australiano, Connor O´Leary. Na seguinte, o campeão do QS 6000 encerrado domingo em Florianópolis (SC), Deivid Silva, também ficou em terceiro contra o australiano Michael Wright e o americano Noah Schweizer. E o defensor do título do Mahalo Surf Eco Festival, Alex Ribeiro, um dos três brasileiros já garantidos no WCT pelo ranking do QS, foi batido pelo também paulista Renato Galvão e o baiano Yagê Araujo na bateria que fechou a segunda fase.

Depois a chuva parou e o baiano Bruno Galini venceu a disputa pelas duas primeiras vagas para a rodada classificatória para as oitavas de final. Com a inesperada saída de Bino Lopes, Galini é o atleta da equipe Mahalo que segue na disputa do título do Mahalo Surf Eco Festival em Itacaré. Ele está sempre abrindo cada fase com vitória, desde a bateria que abriu a etapa baiana do WSL Qualifying Series na terça-feira. Na sexta-feira, Bruno derrotou três estrangeiros surfando boas ondas que valeram notas 8,50 e 7,57 para totalizar 16,07 pontos, contra o australiano Soli Bailey, o português Nic Von Rupp e o americano Tanner Gudauskas.

Bruno Galini voltou ao mar para disputar as duas primeiras vagas para as oitavas de final do Mahalo Surf Eco Festival que abria a quarta fase da competição. E ele garantiu a Bahia e o Brasil entre os dezesseis finalistas em Itacaré, superando o paulista Thiago Camarão no penúltimo confronto do dia, vencido pelo havaiano Kiron Jabour vencendo. No último, o australiano Ryan Callinan, que defende vaga no G-10 do Qualifying Series, ganhou a bateria e o seu compatriota Soli Bailey seguiu com chances de entrar na zona de classificação para o WCT nesta etapa da Bahia, ao superar o francês Andy Criere. Callinan será o adversário de Bruno Galini na segunda oitava de final e Bailey está na primeira com o havaiano Kiron Jabour.

Ele não está entre os seis que seguem com chances de entrar no G-10 já neste sábado em Itacaré, como o americano Evan Geiselman e os australianos Davey Cathels e Connor O´Leary, que atingem esse objetivo se chegarem nas quartas de final do Mahalo Surf Eco Festival. Os australianos Soli Bailey e Dion Atkinson ainda terão que passar mais uma fase, pois só superam os 15.100 pontos do francês Maxime Huscenot se avançarem para as semifinais. Já para o costa-ricense Noe Mar McGonagle só interessa a vitória na Bahia e ainda torcer pelo tropeço dos cinco concorrentes que estão à sua frente no ranking. Connor O´Leary venceu um confronto que levantou a torcida local na Praia da Tiririca, vibrando intensamente com a participação do baiano Yagê Araujo. O norte-americano Noah Schweizer estava se classificando em segundo até o último minuto, quando Yagê arriscou um aéreo muito alto para virar o placar e avançar para a quarta fase. Ele agora vai disputar as duas últimas vagas para as oitavas de final contra dois australianos, Wade Carmichael e Michael Wright, na bateria que vai fechar a rodada dos 24 melhores na manhã do sábado.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário