4 de outubro de 2015

Caio Ibelli confirmado no Quiksilver Pro France

Os brasileiros não repetiram as vitórias dos últimos anos nas principais etapas do WSL Qualifying Series em Portugal, mas dois conseguiram confirmar suas entradas na elite dos top-34 da World Surf League nas últimas provas importantes antes da "perna brasileira" da WSL South America. Primeiro foi Alex Ribeiro que quase ultrapassou a barreira dos 21.000 pontos no QS 10000 dos Açores. Agora foi o também paulista Caio Ibelli que garantiu sua vaga, no último domingo (4), com o vice-campeonato na final do QS 10000 Allianz Billabong Pro Cascais, vencida pelo norte-americano Kolohe Andino. Além da classificação para o WCT 2016, Ibelli também ganhou a chance de participar do Quiksilver Pro France, nona etapa do World Surf League Championship Tour, que começa nesta terça-feira em Hossegor.
Caio Ibelli garantido no WSL / Foto Divulgação Oakley
"Estou muito feliz pelos 8.000 pontos (do segundo lugar) e amarradão também por fazer minha primeira final em etapas do QS 10000. Ainda estou esperando uma confirmação oficial da WSL, mas entrar no WCT é o meu maior sonho, é tudo o que eu sempre quis", ", disse Caio Ibelli, logo após a bateria final. "Eu só queria ter encontrado melhores ondas nessa final, mas tudo bem porque o segundo lugar também foi um bom resultado. O meu relógio parou um pouco antes da final começar, então fiquei meio perdido lá fora, mas fiz o melhor que pude nas ondas que peguei e estou feliz pela chance de participar do WCT já nessa semana na França".

A oportunidade surgiu quando o sul-africano Jordy Smith e o australiano Matt Banting cancelaram suas participações por ainda não estarem 100% recuperados de contusões. Para ficar com uma vaga, Caio Ibelli precisava chegar na grande final em Cascais para superar o australiano Jack Freestone e assumir a segunda posição no ranking do WSL Qualifying Series, que passou a ser liderado pelo californiano Kolohe Andino. O catarinense Alejo Muniz foi o primeiro a confirmar vaga no CT 2016 quando venceu o QS 10000 da África do Sul. Em Portugal, mais quatro garantiram seus nomes, Caio Ibelli, Alex Ribeiro, o campeão do QS 10000 SATA Azores Pro, Jack Freestone, e Kolohe Andino com a vitória no Allianz Billabong Pro Cascais.

Restam então cinco vagas para fechar a lista dos dez indicados pelo WSL Qualifying Series para completar o grupo dos 34 que vai disputar o título mundial do ano que vem no Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour. No momento, elas estão com o norte-americano Kanoa Igarashi, os australianos Ryan Callinan e Adam Melling e os franceses Maxime Huscenot e Joan Duru. O cearense Michael Rodrigues chegou a figurar no G-10 em Cascais, mas acabou sendo tirado da lista por Adam Melling e ficou na porta de entrada, em 14º lugar no ranking que está confirmando até o 13º colocado.
Caio Ibelli (SP) / Foto Masurel / WSL
Agora a batalha pelas últimas cinco vagas será travada nas três etapas da "perna brasileira" da WSL South America. Michael Rodrigues pode entrar na zona de classificação se repetir a vitória do ano passado conquistada na etapa catarinense do WSL Qualifying Series. O QS 6000 Red Nose Pro Florianópolis SC vai abrir esta série decisiva nos dias 20 a 25 de outubro na Praia do Santinho. Da Ilha de Santa Catarina para a igualmente linda Costa do Cacau no Sul da Bahia, onde o QS 60000 Mahalo Surf Eco Festival vai agitar a cidade de Itacaré do dia 27 a 1.o de novembro na Praia da Tiririca. Depois, tem o último QS 10000 antes do encerramento da temporada na Tríplice Coroa Havaiana, de 2 a 9 de novembro na Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo.

Ele é o décimo brasileiro entre os 36 participantes da etapa francesa do World Surf League Championship Tour que começa nessa terça-feira em Hossegor. Além dos sete integrantes da "seleção brasileira" do WCT, com o campeão mundial Gabriel Medina, Adriano de Souza, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Wiggolly Dantas, Jadson André e Miguel Pupo, os catarinenses Alejo Muniz e Tomas Hermes já estavam escalados na primeira rodada substituindo o aposentado havaiano Fredrick Patacchia e o australiano Taj Burrow, ausente pelo nascimento do seu primeiro filho.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário