28 de outubro de 2015

Alunos de Itaúnas podem participar do Encontro Paulista de Surf

Os alunos da Escola de Surf e Educação Ambiental de Itaúnas, localizada ao Norte do Espírito Santo (ES), estão bem próximos de realizar o sonho de competir na terceira e última etapa do Encontro Paulista entre Escolas de Surf, que acontece neste fim de semana, na Riviera de São Lourenço, em Bertioga (SP). Com ajuda de doações, os jovens surfistas do pequeno vilarejo de pouco mais de dois mil habitantes arrecadaram cerca de 60% do valor necessário para participar do evento (custo referente ao transporte, alimentação e hospedagem). “Nosso objetivo é viajar para São Paulo com 14 alunos carentes, entre 9 e 16 anos. Para isso fizemos rifas, vendemos objetos doados e recebemos ajuda em dinheiro”, explica João Rodrigues, idealizador do projeto - que completou seis meses - ao lado da namorada Bella Mayara.
Foto Arquivo Pessoal
A ideia de participar surgiu após o convite de Dadá Nascimento, organizador e idealizador do circuito. “Eles já participaram de outros eventos. Mas, sempre tiveram o sonho de vir a São Paulo. A partir daí enxergamos a possibilidade de realizar esse sonho e trazê-los pra competir numa etapa de campeonato paulista. A ansiedade é grande”, comenta Rodrigues. Além de aulas de surf, a escola promove a educação ambiental com diversas atividades e faz acompanhamento escolar dos alunos. Durante toda semana, ainda serão aceitas doações, seja em dinheiro ou acessórios. “Esse intercâmbio é muito interessante. Como esse campeonato é focado na nova geração, poucos estão acostumados com viagens. Então, tudo é novidade, desde sair de sua praia local, até descobrir e se adaptar aos macetes das competições”, complementa Dadá Nascimento.

Quem quiser ajudar pode ainda adotar um competidor e pagar os custos da viagem. Basta entrar em contato pelo email eseaitaunas@yahoo.com.br. Ou pelo telefone (0xx27) 9.9601 0123. Para saber mais sobre o trabalho da escola, acesse aqui.

Inscrição gratuita - Vale lembrar que as inscrições para o evento são gratuitas e qualquer escola de surf pode participar com equipes de até quatro integrantes. Defensora do título da competição, a escola Adriano Camargo, de Juqueí, participou com dois times e levou a melhor na segunda etapa com a 'equipe 1', formada por Adam Kida (Iniciantes), Lorrana Lima (Feminino), Gustavo Andrade (Estreante) e João Vitor (Petit).

Em segundo lugar ficou Pamella Mel (Petit), Diego Mordes (Estreante), Fernando John John (Iniciante) e Potira (Feminino), representantes do 'time 2' da escola Canto Mágico SEESP / ASSS 2. Campeões da primeira etapa, as equipes de Ubatuba ficaram em quinto (Ubatuba 2) e sétimo (Ubatuba 1) lugares, respectivamente. “É muito gratificante proporcionar uma competição diferenciada ao futuro do surf nacional. Esses talentos serão os “Medinas" e “Toledos" do futuro. Para garantir a renovação da safra, precisamos prepará-los desde cedo e esta é nossa proposta. Neste campeonato, além de desenvolver todo conhecimento da parte técnica, o surfista conta ainda com muita diversão”, Nascimento.

A estrutura do evento - formada por barracas - permite uma maior interação entre staff e competidores. Na areia, o cama elástica entretem a molecada entre uma disputa e outra. Realizada no formato de equipes, a competição tem baterias variando entre 30 e 40 minutos e cada surfista pode pegar até duas ondas, sendo que o coringa levanta os dois braços imediatamente após sua melhor onda para dobrar a pontuação.

Por Nancy Geringer

Nenhum comentário:

Postar um comentário