.

.

31 de julho de 2015

As meninas no US Open of Surfing

As meninas fecharam a quinta-feira e o dia terminou com a norte-americana Courtney Conlogue assumindo a primeira posição no Jeep Leaderboard, com a classificação para as semifinais da Vans US Open of Surfing. Após a derrota de Carissa Moore para a sul-africana Bianca Buitendag antes da sua bateria, ela precisava vencer para ultrapassá-la no ranking e fez o melhor duelo do dia para superar a também havaiana Malia Manuel por 16,43 a 15,20. Foram as duas maiores somatórias da quinta-feira na sexta etapa do Samsung Galaxy World Surf League Women´s Tour, que acontece junto com o QS 10000 masculino em Huntington Beach.
Courtney Conlogue (EUA)/ Foto Morris / WSL
Na próxima, em setembro em Trestles, também na Califórnia, Courtney Conlogue competirá com a lycra amarela de líder do ranking que vinha sendo usada pela havaiana Carissa Moore desde o início da temporada na Austrália. A brasileira Silvana Lima também competiu na quinta-feira em Huntington Beach, mas perdeu a disputa pela última vaga nas quartas de final para a australiana Nikki Van Dijk. Com a derrota em nono lugar, a cearense permaneceu em 12.o lugar no ranking e fora do grupo das dez primeiras que são mantidas na elite das top-17 da World Surf League para o ano que vem. Ela ainda tem quatro etapas para entrar na zona de classificação, a próxima em Trestles, depois Portugal, França e Havaí, na ilha de Maui.

Quem conseguiu ingressar no G-10 na quinta-feira foi a francesa Johanne Defay, quando conquistou a primeira vaga para as semifinais contra a norte-americana Lakey Peterson. A havaiana Coco Ho ocupava a décima posição e saiu da lista, mas no momento está entre as seis que são indicadas pelo ranking do WSL Qualifying Series. No QS 10000, o único que também já começa a defender posição na lista dos dez que sobem para o WCT é o cearense Michael Rodrigues, um dos seis brasileiros que vão disputar classificação para as oitavas de final em Huntington Beach nessa sexta-feira na Califórnia.

Na sexta-feira e no sábado só haverá competição masculina em Huntington Beach e a primeira chamada do dia para iniciar a terceira fase do QS 10000 será as 7h30 na Califórnia, 11h30 pelo fuso horário de Brasília. Acesse a transmissão ao vivo da Van US Open of Surfing clicando no banner do evento na capa do www.wslsouthamerica.com

Por João Carvalho

Filipe Toledo dá show no US Open

A quinta-feira começou bem para o Brasil na Vans US Open of Surfing no famoso píer de Huntington Beach, na Califórnia, Estados Unidos. O defensor do título, Filipe Toledo, abriu o dia com sua arma mortal para fazer um novo recorde de 18,20 pontos com notas 9,10 em dois aéreos. Na segunda bateria, Miguel Pupo e Alex Ribeiro despacharam dois australianos e Tomas Hermes também avançou para a rodada classificatória para as oitavas de final do segundo QS 10000 dos Estados Unidos esse ano. São seis brasileiros entre os 24 concorrentes ao título, pois Michael Rodrigues e Marco Fernandez já tinham passado para a terceira fase na quarta-feira em Huntington Beach.
Filipe Toledo (SP) / Foto Morris / WSL
Caio Ibelli também participou deste primeiro confronto da quinta-feira de ondas de 2-3 pés em Huntington Beach, defendia a terceira posição no WSL Qualifying Series e poderia até assumir a ponta depois da derrota prematura do líder do ranking, o catarinense Alejo Muniz. Ele não conseguiu achar boas ondas e terminou em último, com o sul-africano Beyrick De Vries ficando com a segunda vaga para a terceira fase. Na segunda bateria do dia, os também paulistas Miguel Pupo e Alex Ribeiro completaram uma dobradinha verde-amarela vencedora sobre os australianos Connor O´Leary e Cooper Chapman. Depois, só o catarinense Tomas Hermes se classificou, com o potiguar Jadson André e o capixaba Krystian Kymerson ficando em 37.o lugar na Califórnia, como Caio Ibelli.

Filipe Toledo agora vai competir junto com Alex Ribeiro e o basco Aritz Aranburu, na quinta bateria da sexta-feira em Huntington Beach. Os dois brasileiros venceram as primeiras etapas com status máximo QS 10000 do ano, o Oakley Lowers Pro em Trestles nos Estados Unidos e o Quiksilver Pro Saquarema no Brasil, respectivamente. A outra foi conquistada por Alejo Muniz na África do Sul. Miguel Pupo entra no confronto seguinte com o francês Maxime Huscenot e o sul-africano Beyrick De Vries. E Tomas Hermes disputa as duas últimas vagas para as oitavas de final com o neozelandês Billy Stairmand e Charles Martin, da ilha Guadalupe.

Michael está na segunda bateria com o francês Joan Duru e o norte-americano Kanoa Igarashi, competindo depois do baiano Marco Fernandez abrir o dia com o australiano Adam Melling e outro americano, Nathan Yeomans. Os outros quatro se classificaram na quinta-feira e estão na chave de baixo, que vai apontar o segundo finalista do US Open of Surfing. Filipe Toledo mostrou ser forte candidato ao bicampeonato se as condições do mar e do vento continuarem formando rampas para voar nas direitas de Huntington Beach. Em duas ondas, ele acertou o mesmo aéreo reverse perfeito de frontside para computar duas notas 9,10 no novo recorde de 18,20 pontos para o campeonato deste ano.

Por João Carvalho

Pulga e Heitor tentam títulos por antecipação

Eles são da “terra” que revelou o campeão mundial Gabriel Medina e querem garantir títulos no “pico” que formou o atual líder do número 1 do WCT, Adriano de Souza, o Mineirinho. Os surfistas de São Sebastião, Renan Pulga e Heitor Duarte, competem defendendo as lideranças das categorias júnior e iniciante, respectivamente, nestes sábado e domingo (1º e 2), na 3ª etapa do Hang Loose Surf Attack, na Praia de Pitangueiras, em Guarujá.
Heitor Duarte / Foto Munir El Hage
Os dois sabem que podem sair da competição como novos campeões paulistas, por antecipação, dependendo das combinações de resultados e esperam repetir as ótimas atuações das etapas iniciais, em Ubatuba e Santos. Número um entre os juniores (até 18 anos), Renan Pulga foi segundo colocado nas duas disputas, vencidas justamente por atletas de Guarujá, Vitor Mendes e Nathan Kawani, mas confia no lugar mais alto do pódio desta vez.

Seu principal rival será outro sebastianense, Kauê Germano, que ocupa a vice-liderança e tenta o bicampeonato estadual na iniciante (também foi campeão na estreante no ano passado). Mateus Lima, de Itanhaém, também está na briga direta, e Daniel Templar, do Rio de Janeiro, e Eduardo Motta, de Guarujá, correm por fora.

Por Fábio Maradei

Nathan Kawani em busca de título no Hang Loose

Reforço de Guarujá este ano, Nathan Kawani é um dos destaques da Cidade que estão na briga pelo título paulista no Hang Loose Surf Attack, o circuito paulista nas categorias de base. O atual vice-líder do ranking da categoria júnior (até 18 anos) e que vem de vitória na etapa passada, em Santos, competirá “em casa” na 3ª etapa do campeonato, nestes sábado e domingo (1º e 2), na Praia de Pitangueiras. A expectativa não poderia ser outra que a vitória e a liderança, em busca do título.
Foto Munir El Hage
Nascido em Guarujá, ele se mudou para Florianópolis com seis anos, mas sempre retornava à cidade nas férias de julho para rever a família. Morando novamente no litoral paulista, foi convidado pelo presidente da Associação de Surf de Guarujá, Paulinho Tomboys, a defender a Cidade no Circuito. “Quando voltamos de Floripa, a equipe já estava completa e vinha fazendo um bom trabalho e não seria justo pegar o lugar de alguém, mas esse ano abriu vaga pelo limite de idade. Tudo na hora certa”, conta.

Além da júnior, o Hang Loose Surf Attack conta com as categorias mirim (no máximo 16 anos), iniciante (limite de 14 anos), estreante (sub12) e petit (10 anos para baixo). A competição também apresenta a disputa por equipes, entre as cidades. A etapa reunirá 150 surfistas, inclusive de outros estados e até da Argentina.

Por Fábio Maradei

"Luau do Peixe" reunirá amantes do mar

O que Henrique Pistilli, protagonista da série sobre bodysurf Homem Peixe, do Canal Off, Carlos Burle, Lenine e Pedro Bial tem em comum? A resposta: O amor pelo mar!  É com esse mote que o encontro  “Luau do Peixe” aporta no Rio de Janeiro, no dia 13 de agosto, trazendo questões relacionadas ao desenvolvimento do esporte, que terão o Bodysurf como  fio condutor. Capitaneado por Pistilli, o evento se propõe a abordar temas como treinamento, preparação física, novas tecnologias, relação dos atletas com o meio ambiente, futuro do esporte, desempenho ou diversão, entre outros que permeiam o esporte.
Na pauta do encontro haverá um diálogo criativo mediado por Raphael Rodrigues, diretor do CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável). Os debatedores representam muito bem suas áreas: Carlos Burle, bicampeão mundial de ondas gigantes, Pedro Bial, jornalista e praticante do bodysurf, Lenine, cantor, compositor e praticante do bodysurf.

Pistilli, que mora em Fernando de Noronha, explica que a intenção é abordar experiências individuais, como o "bodysurf meditativo", ondas grandes de peito, qual o futuro do esporte, até os benefícios da prática diária em grandes cidades. “O bodysurf, ou jacaré como é mais conhecido, virou moda no Brasil em todas as praias. É uma prática saudável e acessível a todos. Não usamos pranchas para surfar e isso amplia mais ainda o aspecto da preservação ambiental. Há uma interação muito grande entre o homem e o oceano; e essa troca nos gera vários ensinamentos que pretendemos debater no painel”, afirma Pistilli, que já está planejando uma sessão de tow-in com Carlos Burle, que também está animado com a nova possibilidade.
“Ainda é cedo para falarmos de resultados. Já marcamos para treinar aqui no Rio e aí sim poderei ter um feedback real. Mas de qualquer forma, o processo é o mesmo. Se funcionar, ele (Henrique) conseguirá pegar ondas ainda maiores do que já pega e esse é nosso combustível, a conquista. Vamos com tudo”, diz Burle.

Os planos do Homem Peixe são realmente grandes. Pistilli já domou as mandíbulas de Jaws, uma das mais temidas ondas do Havaí, entubou na perigosa bancada de Teahupoo, a onda quebra-crânios do Taiti, e  pretende estender ainda mais os limites do esporte. “Estou treinando muito. Fernando de Noronha é um excelente laboratório. E já tenho expedições para lugares que ainda não foram explorados por bodysurfers. O esporte está evoluindo de forma natural e Já estamos até desenvolvendo uma roupa que irá potencializar novos feitos. Mas isso é uma outra história”, descontrai.

Sobre os convidados do painel de debates: 

Lenine:  Todos sabem que Lenine é cantor, compositor, arranjador, escritor, letrista e músico. Mas poucos sabem de sua paixão pelo mar e pelo bodysurf, transmitindo sabedoria em forma de poesia. Lenine é uma pérola pensando o oceano. Nosso poeta do mar.

Carlos Burle: Um dos surfistas profissionais mais renomados do pais e do mundo. entrou no guinness book com uma das maiores ondas surfadas no planeta. extremamente experiente, é entusiasta do body surf e da harmonia entre homem e mar.

Pedro Bial: Jornalista, escritor, cineasta, poeta e apresentador de tv. Além de ser um amante declarado do bodysurf.

Mediador: Raphael Mineiroca, músico e facilitador de desenvolvimento, consultor em sustentabilidade e diretor do CEBDES (Conselho Brasileiro Empresarial para o Desenvolvimento Sustentavel). Rapha vai conduzir todo o evento com alegria profissionalismo.

Local: Rio Scenarium, recentemente considerado um dos 10 melhores bares do mundo pelo The Guardian.

Fonte Mídia Bacana / Fotos divulgação - Jaws: Erik Aeder

30 de julho de 2015

Houston e Rinder vencem o Arica Chilean Challenge

O sul-africano Jared Houston e a canária Alexandra Rinder foram os grandes campeões do Arica Chilean Challenge, encerrado no sábado (25), em Arica, no Chile. Jared conseguiu barrar o líder do ranking mundial Amaury Laverhne na decisão. Já no Feminino, a atual campeã mundial passou pela brasileira Isabela Sousa e abriu o circuito da mesma maneira que terminou a temporada 2014.
Amaury Laverhne e Jared Houston
Como sempre, a semana em Arica proporcionou excelentes condições para os atletas, desafiando todos os limites em ondas tubulares e com formação perfeita. Neste final de semana, a ondulação perdeu um pouco a intensidade, mas mesmo assim ondas de 4-6 (1,5 a 2m) pés quebraram no pico de El Gringo. A decisão masculina foi antes para água e o que se viu foi uma das baterias mais disputadas dos últimos anos.

Amaury Laverhne chegou à final como grande favorito. O atleta de Ilhas Reunião vencera todas as baterias do ano, incluindo as da etapa de abertura do tour em Itacoatiara. Eram onze vitórias consecutivas. E o atual campeão mundial mostrou que não estava para brincadeira ao colocar Jared em combinação logo nos primeiros 5 minutos de bateria com 18,00 pontos nas duas melhores ondas.
Pódio Feminino
Após os resultados, Amaury Laverhne segue na ponta do ranking mundial. Com a vitória em Arica, Jared passa a ocupar o segundo lugar e o brasileiro Uri Valadão segue na luta pelo bicampeonato mundial em 3º. Entre os top-10 o Brasil conta ainda com Sergio Luis em 5º, José Otávio em 8º e Kalani Lattanzi em 10º.

Após as disputas dos homens, as mulheres caíram na água para o último dia de competições em Arica. Marcando seu retorno ao circuito mundial, a capixaba Neymara Carvalho mostrou que está em plena forma e fez uma excelente competição, sendo barrada apenas na semifinal pela compatriota Isabela Sousa.
Alexandra Rinder
Na disputa com oito título mundiais dentro d´água, melhor para a cearense tricampeã que garantiu vaga na final contra a canária Alexandra Rinder, dona do título do circuito em 2014. Na decisão do 3º lugar, Neymara conseguiu superar a chilena Paloma Freyggan.

Agora o Circuito Mundial segue para Antofagasta, também no Chile. Entre os dias 28 de julho e 02 de agosto. Este será o primeiro evento do ano com as três categorias em disputa. Além do Masculino e Feminino, o Pro Jr volta a ação após o evento de Itacoatiara.

Arica Chilean Challenge:
1 – Jared Houston (ZAF)
2 - Amaury Lavernhe (REU)
3 - Diego Cabrera (CAN IS)
4 - José Otávio (BRA)
Arica Chilean Challenge:
1 – Alexandra Rinder (CAN IS)
2 - Isabela Sousa (BRA)
3 – Neymara Carvalho (BRA)
4 – Paloma Freyggan (CHI)

Por Danilo Caboclo / Fotos Pablo Jimenez/APB

Inscrições abertas para a Maratona de Santa Catarina 2015

Uma das provas mais esperadas do calendário de corridas do Brasil, a Maratona Caixa de Santa Catarina acontece neste ano no dia 16 de agosto, com novidades para os atletas na capital catarinense. O trajeto da prova em 2015 conta com diversas novidades. A largada dos percursos de 42km, 10km e 5km neste ano será em frente ao Trapiche da Avenida Beira Mar Norte, no centro de Florianópolis. Para os atletas que disputarão a Maratona, o trajeto segue em direção a UFSC (Universidade de Santa Catarina) retornando novamente pela Avenida Beira Mar Norte, até passar em frente ao ponto de largada em direção ao Sul da Ilha. De lá, os atletas prosseguem até a Via Expressa Sul, passando pelo túnel e retornando no Trevo da Seta sentindo centro.
Mais uma vez os atletas percorrerão a Beira Mar Norte e o último retorno acontece no CIC retomando mais uma vez sentido a chegada, no Trapiche. Essa última etapa, tem 10km, que será o mesmo percurso feito pelos atletas que optarem pela distância, largando do Trapiche e retornando no CIC. Já para os corredores de 5km, após a largada, os atletas percorrem a Beira Mar e retornam próximo ao Kuxixos, na própria avenida, antes da chegada no Trapiche. A Maratona Caixa de Santa Catarina é reconhecida por ser uma prova muito veloz. Devido à baixa altimetria, atletas usam a prova para tentar melhorar suas marcas pessoais e neste ano, com previsão de tempo ameno no inverno catarinense as expectativas são ainda melhores.

E os atletas que têm interesse em participar da prova ainda é possível fazer as inscrições para todos os percursos através do site http://www.sportpass.com.br/Maratona-Caixa-de-Santa-Catarina

Por Danilo Caboclo

29 de julho de 2015

Sábado tem Surf Skate Party Private

A SuperTubes e a SurfTrip vão fazer "sua cabeça", amante do surf, e do skate, no próximo sábado, dia 1º de agosto, a partir das 23 horas, na UP Clube, com a Surf Skate Party Private.
Será uma noite de muita agitação com quatro toca discos, e a presença dos DJs CIA (Seu Jorge, RZO), Kefing, Cinara (Campeã Red Bull Thre3style) e EB. Juntos, prometem embalar o público presente e balançar o espaço com as melhores batidas do Hip Hop.

A UP Clube fica na Rua Harmonia, 21, Vila Madalena, São Paulo. A Surf Skate Party Private é uma realização das marcas SurfTrip e SuperTubes. A produção fica por conta da Agência Fábrik.

Serviço:
Surf Skate Party Private
Dia: 1 de agosto - Sábado
Horário: a partir das 23h
Local: UP Clube
Endereço: Rua Harmonia, 21, Vila Madalena

Redação InnerSport

Guarujá quer manter a liderança no Hang Loose

Uma disputa à parte no Hang Loose Surf Attack, o circuito paulista de surf nas categorias de base, garante ainda mais emoção em cada etapa. Além das cinco categorias individuais, há a classificação por cidades, com os melhores surfistas em cada etapa somando pontos também por equipes. Depois de dois anos de domínio de São Sebastião, Guarujá faturou as duas primeiras etapas e com larga vantagem.
Hang Loose Surf Attack / Foto Munir El Hage
Agora, competindo “em casa”, o objetivo é manter a liderança com outra grande atuação na 3ª etapa do ranking, nestes sábado e domingo (1º e 2), na Praia de Pitangueiras. “A expectativa é muito grande, uma vez que ganhamos as duas etapas e como agora é nosso quintal, a confiança é maior. Nossos atletas estão super bem treinados e determinados”, afirma o presidente da Associação de Surf de Guarujá, Paulo Gonçalves, o Paulinho Tomboys.

Ele destaca a parceria com a Prefeitura de Guarujá para a formação e manutenção da equipe. “Temos convênio, verba para bancar todas as despesas nas etapas do Circuito, como transporte, alimentação hospedagem, inscrições. Esse apoio é importante para desenvolver um trabalho sério, de revelação e formação de jovens valores”, destaca Paulinho, lembrando que a cidade hoje conta com mais de 20 escolas de iniciação ao surf. “É a união de forças. Damos muita atenção ao surf. Tanto que temos talentos que são de outras cidades e decidem morar em Guarujá para se aprimorar”, acrescenta o dirigente, dando como exemplo Theo Fresia, que se mudou de Búzios para a cidade e hoje faz parte da equipe.

No ranking por cidades, Guarujá lidera com folga, com 2.000 pontos. São Sebastião e Ubatuba estão empatados, com 1.710, e Itanhaém está em quarto lugar, com 1.458. “Se tudo der certo, será o terceiro título em cinco anos que estou na presidência da Associação. Também fomos campeões em 2011 e 2012”, complementa.

O Hang Loose Surf Attack é disputado nas categorias júnior (até 18 anos), mirim (no máximo 16 anos), iniciante (limite de 14 anos), estreante (sub12) e petit (10 anos para baixo). Individualmente, hoje o principal nome de Guarujá é Eduardo Motta, único com duas vitórias no Circuito na mirim. Também chegam bem na temporada Nathan Kawani e Vitor Mendes, respectivamente vencedores em Santos e em Ubatuba na júnior; Ihgor Sant’Anna, também na mirim, e Derek Matos (filho do ex-surfista profissional Amaro Matos), na estreante.

Por Fábio Maradei

28 de julho de 2015

Dupla encara a 3ª do Hang Loose Surf Attack 2015

São amigos, parceiros de surf, e compartilham do mesmo sonho: se tornarem surfistas profissionais. Kauê Alohinha (9), da Praia Grande, e Roberto Alves (10), de Itanhaém, estão sempre juntos nos campeonatos e se preparam para mais uma aventura.  A dupla do Litoral Sul de São Paulo vai encarar a terceira etapa do Hang Loose Surf Attack, que acontece entre os dias 1 e 2 de agosto, na Praia de Pitangueiras, em Guarujá. Ao final, o circuito irá definir os campeões paulistas amadores de 2015.
Kauê Alohinha e Roberto Alves a postos para a 3ª etapa do Hang Loose Surf Attack / Foto Carol Aloha
Robertinho vem de uma vitória nas ondas do Quebra-Mar, ao conquistar o primeiro lugar da Petit, onde ocorreu a segunda etapa do circuito paulista das categorias de base. A vitória também lhe garantiu o terceiro lugar no ranking do Hang Loose Surf Attack, com 1.656 pontos. ‘Fiquei muito feliz em vencer no local onde treino. Espero ganhar de novo e Pitangueiras é uma praia que eu conheço bem”, disse.

Kauê ainda não alcançou bons resultados no paulista, porém, mostra evolução em outros eventos. Ficou com a 2ª colocação no campeonato Circuito Santos de Surf 2015, na primeira e segunda etapas. Foi 3° lugar no Praia Grande Assereco; no Mongaguá Pier terminou na 4ª posição. No Salva Surf II, em Itanhaém, ficou novamente na 4ª posição.  No Salva Surf III terminou em 3º lugar. Conquistou a 2ª posição no Vicentino de Surf e recentemente terminou em 2º lugar no CT Lugar ao Sol Surf Treino, na Praia do Tombo. Alohinha conta com o apoio do Jornal Gazeta do Litoral e da InnerWaves.

Roberto Alves até o momento alcançou o 5º lugar na Petit e na Estreante, na primeira etapa do Surf Attack. Na segunda etapa as coisas mudaram de figura, Robertinho ficou em 1º na Petit. No Circuito Praia Grandense, mais uma vez 1º na Petit. No Itanhanhense ficou com o 1º lugar na Petit, e 4º na categoria acima, a Estreante. Foi 1º no Surf Treino Lugar ao Sol, e 1º no festival Lendas do Surfe 2015, que ocorreram na Praia do Tombo, no Guarujá. Novamente no Municipal de Itanhaém foi 1º na categoria Petit, e 2º na Estreante. Depois, mais uma vez no Municipal da Praia Grande ficou em 2º lugar na categoria Estreante.

Robertinho conta com o apoio da InnerWaves, Brazilian Crest Surf.co., Shaper Éder Oliveira, Kalawa, InnerSport e Treinamento Funcional Rogério Mello Martins.

A grande final será nos dias 24 e 25 de outubro, na Praia da Baleia, em São Sebastião.

Edição InnerSport


Mundial Pro Junior é prioridade ao Pavão-Pavãozinho

A APB – Association of Professional bodyboarders – entidade máxima que regula o esporte em nível mundial anunciou em 2015 a criação do circuito mundial Pro Junior, reunindo os melhores atletas até 18 anos idade. Com esse novo circuito Sócrates e Matheus vão focar na disputa do título mundial ainda inédito para o Brasil. Eles moram na mesma comunidade do Pavão-Pavãozinho, aprenderam a surfar juntos
Os dois vêm de uma escola muito tradicional de bodyboard, a do Posto 5 de Copacabana
A 1ª etapa aconteceu de 2 a 12 de julho em Itacoatiara, Niterói e Matheus Bastos foi o vice-campeão, perdendo na final para o haviano Tanner McDaniel, e Socrates ficou com a 3ª colocação. Agora, ambos vão para a 2ª etapa do circuito que acontecerá em Antofagasta, Chile, entre os dias 28 de julho a 2 de agosto. “Estou focado e motivado com o resultado em Niterói, quero ir com tudo para brigar pelo título da etapa em Antofagasta”, diz Matheus Bastos, atual vice-líder do circuito.

“O Bodyboard no Brasil anda meio parado de campeonatos então vou focar todos meus esforços pelo título mundial da categoria Pro Junior. Obtive um bom 3º lugar em Itacoatiara e isso motiva para ir com tudo no Chile”, enfatiza Sócrates Santana.

Calendário Circuito Mundial Pro Junior
1ª Etapa – 2 a 12 de julho – Itacoatiara, Niterói
2º Etapa – 28 de julho a 2 de agosto – Antofagasta, Chile
3º Etapa – 22 a 27 de setembro – Sintra, Portugal
4º Etapa – 4 a 15 de novembro – Porto Rico

Fonte SixComm / Foto Divulgação

Chilli Beans lança sua nova coleção Rock Fellas

Cerca de 200 pessoas compareceram ao evento realizado no último sábado (25/7), que contou com a presença do músico Beto Lee, bandas Toyshop, RockFellas e participação especial de Caito Maia
O Rock’n’Roll invadiu a Flagship Store Chilli Beans para comemorar o lançamento da coleção Rock Fellas. O público presente foi embalado ao som dos grandes sucessos de Ramones, Amy Winehouse e Rita Lee, os temas da coleção.
A festa começou com Beto Lee comandando as pick-ups, o músico preparou um DJ set especial que agitou quem passou por lá. Logo após, subiram ao palco as bandas Toyshop e RockFellas - que contou com participação especial de importantes nomes do rock nacional e de Caito Maia, criador da Chilli Beans e ex-músico, que encerrou o evento em grande estilo levando o público presente ao delírio.
Simone Cury, Caito Maia e Taty Corrêa
Quem passou por lá pode conferir de perto a exposição exclusiva de guitarras autografadas por grandes nomes como: Iggy Pop, Kurt Cobain, Lenny Kravitz, Peter Hook e Led Zeppelin. Os instrumentos fazem parte do acervo pessoal de Caito Maia, e ficam expostas no segundo andar da loja até o dia 09 de agosto.

Por Daniela Vinci / Fotos Marlon Brambilla

Paulista de Surf Profissional volta aos primórdios

Maresia Paulista de Surf Profissional volta aos primórdios dos “picos” de surf com etapa na Praia Grande, em Ubatuba, nos próximos dias 8 e 9
Realizada desde 1980, a disputa pelo título paulista volta aos primórdios dos “picos” de surf no Brasil, com a 2ª etapa do Maresia Paulista de Surf Profissional, na Praia Grande, em Ubatuba, nos próximos dias 8 e 9. O local deu origem aos primeiros campeonatos de surf, ainda no início da década de 70. Depois, o palco foi a famosa Itamambuca e este ano retorna ao ponto de partida. Quem lembra bem dos tempos passados é Paulo Jolly Issa, que promoveu os famosos Festivais Brasileiros de Surf, a partir de 1971, e também foi um dos idealizadores do Circuito Paulista de Surf Profissional, pioneiro no Brasil, unindo as associações de surf de Ubatuba e de Santos. A estreia foi em 1980 e as três primeiras edições foram bianuais, com os dois primeiros títulos ficando com o santista Almir Salazar.
Paulo Issa não esquece daquele passado remoto desbravando as praias para o surf. Sua história se confunde com o início da modalidade em Ubatuba. Ele começou a frequentar a Cidade em 1964 e três anos depois levou seu longboard feito de fibra de vidro, grande novidade para época, para praticar o surf. “O começo foi na praia da Enseada e naquele mesmo ano desbravamos a Praia Grande. Não tinha viva alma lá em pleno verão. Um sonho. Quase não se via a praia da estrada, pois o jundu nativo era alto. Começamos a surfar no meio da praia e depois fomos indo para o Baguari”, recorda.

No ano seguinte, em 68, os surfistas chegaram até Itamambuca. Ainda não existia a Rio-Santos e a estrada era de terra, pela trilha da Cassanga. Mas naquele tempo, a Praia Grande era o principal cenário do surf. Foi lá que teve origem o famoso Festival Brasileiro, vencido duas vezes pelo ícone Rico de Souza. Mas o primeiro vencedor foi o próprio Paulo Issa. “Em 70, a Boate da Pesada em Ubatuba promoveu um campeonato dos locais. Não sei como eu ganhei. Acho que foi obra do destino, pois no ano seguinte, me vi na obrigação de dar continuidade e fazer outra versão”, recorda. Na ocasião, a divulgação foi com cartazes de cartolinas, fixadas em Ubatuba e depois em Guarujá. “Segui com o meu fusquinha pela estrada costeira. Fomos direto para o Centrinho e colamos os posters e voltamos. Não falamos com nenhum surfista. Um dia antes do evento, avistamos uma caravana de carros com pranchas, com uns 20 surfistas”, conta.

A participação dos guarujaenses criou estimulo e Paulinho quis ampliar o leque, convidando os cariocas. “Não tínhamos patrocínio, premiação de troféus e medalhas até o 15º lugar. Distribuimos cartazes em Guarujá, Santos, São Vicente, Rio de Janeiro, Niterói e mandamos para o Sul, para o amigo Paulo Sefton”, diz. Sem ondas em janeiro, foi transferido para julho de 72. Foram 90 surfistas, com Rico sendo bicampeão e depois Marcos Berenguer sendo o vencedor. “Começamos em Praia Grande e passamos para Itamambuca, onde permaneceu depois. E assim começou a saga dos Festivais, que tinha tudo para eu desistir”, revela Paulo Issa.

A experiência rendeu expertise no assunto, chegando ao Circuito Paulista. “Que preparou a base para toda uma geração de campeões, como Paulo Rabello, família Mattos, Família Salazar, Ricardo Toledo, Tadeu Pereira, Orelhinha, Tinguinha Lima, Taiu Bueno, Wagner Pupo”, cita, com a certeza de que sua contribuição foi importante para o surgimento da geração Brazilian Storm. “Sabia que esse dia chegaria, com certeza. Com esta galera com a cabeça no lugar e com foco. O que impressiona neles é que há, lá fora, uma tradição forte dos surfistas de outros países e eles superaram tudo. Eles nos enchem de orgulho”, elogia o organizador do primeiro Circuito Paulista e que promoveu mais de 160 campeonatos, alguns emblemáticos. “Muitos com parcos recursos, onde o cartaz parecia uma colcha de retalhos, mas isso não impedia de fazê-los”, ressalta Paulo, enaltecendo o suporte financeiro de sua fábrica de pranchas, a Squalo Surfboards. “Me dava suporte financeiro para continuar com os eventos”, completa.

Em sua 32ª edição e com o patrocínio da Maresia pelo nono ano consecutivo, o Circuito Paulista terá três etapas este ano. Cada uma com R$ 30 mil em premiação, sendo R$ 8 mil ao vencedor, além de mais R$ 1 mil para quem faturar a Oveboard Expression Session, com a manobra mais radical. A abertura foi na Praia de Maresias, em São Sebastião, com vitória do jovem talento Marcos Corrêa. A final será nos dias 3 e 4 de outubro, na Praia de Pitangueiras, em Guarujá. O campeão paulista ganhará uma moto, oferecida pela Tent Beach e o campeão do ranking (que pode ser de outro estado) fatura uma passagem para o Havaí, numa parceria com a Nias Tour.

Por Fábio Maradei

Matheus e Sócrates em busca do título mundial

Eles moram na mesma comunidade do Pavão-Pavãozinho, aprenderam a surfar juntos e são amigos inseparáveis. Matheus Bastos (17 anos) e Socrates Santana (16) são hoje as duas maiores revelações do bodyboard Brasileiro. Com 10 anos de idades, ambos começaram a surfar de brincadeira na praia de Copacabana. Incentivados por amigos que emprestavam suas pranchas e sobre uma forte influência de ídolos como Francirley Ferreira e Guilherme Tâmega eles logo se apaixonaram pelo bodyboard.
Matheus Bastos e Sócrates Santana com o ídolo Guilherme Tâmega / Foto Divulgação
A partir dessa terça-feira, 28, a dupla de bodyboarders Matheus Bastos e Sócrates Santana disputa em Antofagasta, no Chile, a segunda etapa do Circuito Mundial Pro Junior. Após um excelente início de temporada – Matheus foi vice e Socrates 3º colocado no Mundial de Itacoatiara- os dois voam para o frio chileno em busca do tão sonhado título mundial. Porém, antes de se tornarem duas das maiores esperanças da categoria no Brasil, a dupla batalhou bastante.

O início nas competições foi aos 12 anos para ambos. A falta de competidores na mesma faixa etária fez com que eles competissem contra garotos de 14 a 16 anos idade. Ambos não fizeram feio. Mesmo com pouca idade eles acumulam títulos expressivos. Sócrates faturou o bicampeonato Carioca Sub-14, Circuito UBCS, niteroiense, bicampeonato brasileiro Sub-16 anos e é o atual medalhista de bronze dos jogos ISA Games até 18 anos. Matheus é o atual campeão Niteroiense Sub 16 e vice-campeão Pro Junior (até 18 anos) da etapa Brasileira do circuito mundial.

Os dois vêm de uma escola muito tradicional de bodyboard, a do Posto 5 de Copacabana. A tradição do bodyboard em Copacabana começou com Guilherme Tâmega e depois passou por Pablo Rodrigo, Hermano Castro e Francirley Ferreira. Os meninos têm em Francirley um espelho de atleta, conselheiro e amigo. Francirley, também criado no morro, é a maior referência para eles. “Fico muito orgulhoso em ver que a escola de talentos vindo do pavão-pavãozinho continua. É muito gratificante em ver uma geração tão talentosa com tão pouca idade”, comenta Francirley.

Guilherme Tâmega, hexacampeão mundial, recentemente anunciou sua aposentadoria, mas não do esporte. Ele fez a transição de atleta a empresário e está 100% focado em sua marca de pranchas a GT Boards. Guilherme, sempre atento aos novos talentos, logo garantiu de chamar para sua equipe a dupla dinâmica de Copacabana. “Eu nunca poderia de deixar de apoiar os mais novos talentos do bodyboard Brasileiro ainda mais vindo de onde eu comecei, o Posto 5 de Copacabana”, revela.

A ida deles para o Chile não está sendo fácil. Matheus ganhou no Espirito Santo um campeonato amador que o prêmio era a passagem para o Chile e está usando o dinheiro do vice-campeonato em Itacoatiara para custear as despesas. Já Sócrates, conta com a colaboração de amigos para ter seus custos pagos. “O Bodyboard é um esporte amador, que está passando por uma grande dificuldade nos últimos anos, se não fosse o esforço de amigos, essa viagem dos dois seria impossível”, explica Flavio Brito, presidente da Federação de Bodyboarding do Rio de Janeiro

Por Danilo Caboclo

Queniano sagra-se bicampeão no Rio de Janeiro

​O tempo nublado no Rio de Janeiro favoreceu os 26 mil corredores da 12ª edição da Maratona da Cidade do Rio de Janeiro, considerada uma das mais belas do ​mundo. O evento, que aconteceu no domingo​ (26), contou com três provas, Maratona (42 km), Meia Maratona (21 km) e ​Olympikus Family​ Run​ (6 km), e mostrou o domínio dos quenianos nas duas primeiras. Nos 42 km, Willy Kangogo Kimutai foi o primeiro a cruzar a linha de chegada, comemorando duplamente. Ele sagrou-se bicampeão da Maratona e determinou o novo recorde da prova – o último já pertencia a ele. Entre as mulheres, Caroline Chemutai Komen superou as adversárias e garantiu o topo no pódio. Na Meia Maratona, a vitória foi de Joseph Tiophil Panga, também do Quênia. A brasileira Joziane Cardoso da Silva levou a melhor na prova feminina, conquistando o bicampeonato dos 21 km da Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro.
Pelotão de elite da 12ª edição da Maratona da Cidade do Rio de Janeiro 
Na prova masculina, Kangogo fez uma bela disputa com o etíope Lemawork Ketema, que recentemente conseguiu asilo político da Áustria. No pelotão de elite durante todo o percurso, os dois se distanciaram de seus oponentes no meio da prova e batalharam até o fim, quando o queniano de 35 anos levou a melhor por apenas um segundo e quebrou o seu próprio recorde, terminando a prova em 2h14min56. A prova, famosa pelo seu percurso 100% na orla carioca, passou pelas praias do Recreio, Reserva, Barra da Tijuca, São Conrado, Leblon, Ipanema, Copacabana e Botafogo antes de chegar ao Aterro do Flamengo.

Melhor brasileiro colocado da prova, o baiano Edson Amaro, comemorou sua colocação e sonha conquistar uma vaga para as Olimpíadas do Rio de 2016. No feminino, Caroline Chemutai não deu chances às outras competidoras e foi a primeira colocada na Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro, com o tempo de 2h38min19. A melhor brasileira na prova foi Graciete Moreira Carneiro, 35 anos, da equipe Domingos Alves, que completou a Maratona na terceira colocação. A alemã Anna Hahner conquistou o segundo lugar.

Medalha de bronze nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, e um dos maiores nomes do atletismo nacional, Vanderlei Cordeiro de Lima foi o padrinho da prova e largada da maior Maratona do Brasil. O ex-maratonista ainda prestigiou a chegada das provas de 21km e 42km. Na prova de 21km, que contou com 12 mil participantes, o queniano Joseph Tiophil Panga conquistou o título, com o tempo de 1h04min07s. O único brasileiro no pódio foi Gilmar Silvestre Lopes (1h04min46s), na quinta colocação.

Na prova feminina, a brasileira Joziane Cardoso da Silva, 29 anos, foi bicampeã da prova, com o tempo de 1h14min46s. A Meia Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro largou na Barra da Tijuca e passou por São Conrado, Leblon, Ipanema, Copacabana e Botafogo.

​ Por Fernanda Villas / Fotos Thiago Diz

27 de julho de 2015

Vans US Open 2015

Assista ao vivo o Vans US Open, que acontece direto de Huntington Beach:


Fonte Vans US Open

Terceira etapa do Hang Loose Surf Attack acontece no Guarujá

A Praia de Pitangueiras, em Guarujá, receberá a 3ª etapa do Hang Loose Surf Attack, nos próximos dias 1º e 2 de agosto. O Circuito define os campeões paulistas nas categorias de base, da petit (10 anos para baixo) até a júnior (no máximo 18 anos), atua como uma escola na prática, tendo em sua história de formação  de nomes muito conhecidos na atualidade, como o líder do WCT, Adriano de Souza, talento guarujaense, o campeão mundial, Gabriel Medina, e o top 4 da elite mundial, Filipe Toledo, todos campeões em várias faixas etárias.
Hang Loose Surf Attack Santos / Foto Munir El Hage
A competição chega à reta decisiva e, inclusive, já pode conhecer alguns de seus campeões, por antecipação. Das cinco disputas, a mirim (até 16 anos) é a que tem mais chances, com o “prata da casa” Eduardo Motta, único com 100% de aproveitamento. Outros dois surfistas que têm grandes chances de levantar o caneco de melhor de 2015 em Guarujá estão entre os caçulas: Ryan Kainalo, que pode garantir à capital paulista o título da petit pela primeira vez, e o catarinense Luiz Mendes, na estreante (sub12). Nas outras duas disputas, os líderes também competem podendo assegurar os títulos, mas dependem mais das atuações dos rivais.

As duas tendo surfistas de São Sebastião à frente, Renan Pulga, entre os juniores, e Heitor Duarte, na iniciante, categoria que Eduardo Motta ainda “alimenta” o sonho de garantir nova conquista. Outra atração é a competição paralela entre cidades. Depois de São Sebastião ter dominado os dois últimos anos, Guarujá está perto de voltar ao topo, com duas vitórias na temporada. Junto às performances na água, o evento conta com diversas brincadeiras na areia, para os competidores, com gincanas educativas e de cunho ambiental, como limpeza da praia, pebolim, ping pong, slack line, além de distribuição de frutas. “O objetivo é a diversão. Afinal, são crianças e tem de ter esse espaço”, destaca o responsável pelo setor, Julio Osório, o Brô.

Por Fábio Maradei

26 de julho de 2015

Inscrições abertas para a 2ª etapa do SuperSurf 2015

A enorme expectativa que precedeu a histórica etapa de abertura do SuperSurf 2015 em São Sebastião (SP), na semana passada, continua para o segundo desafio da temporada, que acontece de 12 a 16 de agosto na Praia Grande de Ubatuba, também no litoral norte de São Paulo. O retorno do evento que promoveu o circuito nacional mais rico do mundo, entre os anos 2000 e 2009, foi um verdadeiro sucesso, proporcionando ótimas disputas nas águas de Maresias e esquentando a briga pelo título brasileiro. As inscrições para competir em Ubatuba já foram abertas e o limite de 160 participantes deve ser esgotado rapidamente, pois a procura é tão grande como foi para a primeira etapa em São Sebastião.
Flavio Nakagima vence 1ª etapa do Super Surf 2015 / Foto Aleko Stergiou
Inicialmente anunciada para Itamambuca, única praia que nunca saiu do calendário na "década de ouro" do Circuito Brasileiro, a segunda etapa do SuperSurf 2015 foi transferida para a Praia Grande, que foi palco dos festivais de surfe dos anos 70 que deram início as competições no Brasil. Este motivo foi levado em conta pela organização do evento ao fazer a mudança de local. Outro fator importante é que a Praia Grande é mais acessível ao público, que compareceu em um bom número em Maresias para acompanhar de perto os confrontos das várias gerações do surfe brasileiro.

O paulista Flavio Nakagima ganhou a etapa que marcou o retorno do SuperSurf ao Circuito Brasileiro de Surfe Profissional em São Sebastião e assumiu a liderança no ranking nacional com a vitória sobre o cearense Charlie Brown na bateria final disputada no domingo ensolarado na Praia de Maresias. O vice-campeão veio competindo desde a primeira bateria do campeonato e foi o único surfista de outro estado a derrotar os paulistas no último dia.

O SuperSurf terá quatro etapas esse ano. A transmissão será na internet pelo http://oisupersurf.com.br/. A terceira etapa será realizada de 9 a 13 de setembro em Florianópolis (SC), e a última acontece entre os dias 7 a 11 de outubro em Saquarema (RJ).

Por João Carvalho


25 de julho de 2015

Record brasileiro no Mundial Pro Junior

São seis títulos em dezesseis edições do Mundial Pro Junior da World Surf League, conquistado pelo Brasil, com o carioca Pedro Henrique (2000), o paulista Adriano de Souza (2003), o cearense Pablo Paulino (2004 e 2007) e os paulistas Caio Ibelli (2011) e o atual campeão mundial, Gabriel Medina (2013), na única vez que a decisão foi no Brasil, na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC).
Gabriel Medina derrotou na final o marroquino Ramzi Boukhiam (Foto: Daniel Smorigo / ASP)
Antes de Medina, dois surfistas que também venceram o WCT já estavam na lista dos campeões mundiais da categoria Pro Junior, o havaiano Andy Iron (in memoriam), que faturou o primeiro título em 1998, e o australiano Joel Parkinson, primeiro bicampeão em 1999 e 2001. No ano passado, o potiguar Italo Ferreira foi vice-campeão na final contra o português Vasco Ribeiro em Portugal e Deivid Silva foi até as semifinais, sendo forte candidato ao título mundial da edição de 2015 na Austrália.

Ele recebeu o seu troféu de campeão sul-americano Pro Junior da WSL South America só na quarta-feira, onde mora no Guarujá. Deivid não foi competir no Maui and Sons Pro Junior no Peru, mas liderava o ranking com a vitória no Rip Curl Pro Junior Series que abriu o circuito nas mesmas ondas peruanas de San Bartolo e o segundo lugar na final da outra etapa da Rip Curl realizada em Mar del Plata, na Argentina. O catarinense Luan Wood, campeão sul-americano de 2013, e o peruano Juninho Urcia, tinham chances de lhe tirar o título no Peru, mas ambos perderam no sábado em San Bartolo e Deivid Silva foi consagrado como o melhor surfista Junior da América do Sul pelo segundo ano consecutivo.

Diferente de Deivid Silva, a peruana Miluska Tello participou das três seletivas do WSL South America Pro Junior Series e também começou a defender o título com vitória no Rip Curl Pro Junior Series do Peru. No de Mar del Plata, parou nas semifinais e Lucia Indurain ganhou uma final entre duas argentinas. Mas, chegou na final em San Bartolo pela terceira vez consecutiva, já entrando na bateria como bicampeã sul-americana. Isto porque sua compatriota, Melanie Giunta, barrou sua última concorrente na outra semifinal, Lucia Indurain. Melanie ainda precisava ganhar o campeonato para se classificar para o Mundial Pro Junior e conseguiu a vitória para tirar a vaga da argentina e formar um time feminino 100% peruano.

Por João Carvalho

Caldas vence o Brasileiro de Wake Park 2015

O evento reuniu 90 atletas de todo o país e teve Pedro Machado Caldas, 15 anos, como campeão brasileiro na categoria profissional. O segundo colocado na profissional foi Bruno Vilela Ulott. Na terceira colocação ficou o maior nome do wakeboard de barco, Marcelo Giardi “Marreco”. Na categoria Open, a que dá acesso para a profissional, Felipe Vieira ficou em primeiro lugar, quebrando tudo na classificatória e na final. Além de transfers Backside 360, ele finalizou a passada com um TSFS 900, dando 2 giros e meio. Matheus Bonadiman ficou em segundo e Philipe Dias em terceiro, mostrando que a nova geração chegou pra quebrar, mas os atletas das antigas continuam entre os tops.
No Wakeskate, Pedro Portella mais uma vez mostrou que tem a prancha nos pés, e faturou o primeiro lugar. Arthur Villas e Andre Patas ficaram na segunda e terceira colocações, respectivamente. Na categoria Avançado, Gustavo Nunes ficou com o primeiro lugar, Pedro Mascheroni em segundo e Thiago Grava em terceiro. Todos executaram invertidos com grabs e transfers, manobras que mostram que o nível técnico do wakeboard brasileiro em cable park  subiu bastante.

A categoria Intermediário teve Paulo Cerqueira garantindo o lugar mais alto no pódio, enquanto Hugo Steinberg e Fernando Sironi ficaram com o segundo e o terceiro lugar, respectivamente. E os iniciantes também mandaram muito bem, com Philippe Fremau faturando o primeiro lugar, seguido por Gabriel Lourenço Romero e por Breno Veloso Reis completando o pódio.

As mulheres deram um show a parte no evento. Prova disso são as Sheriders, um grupo de meninas apaixonadas por wakeboard que treinam, se divertem juntas e no campeonato marcaram presença. O número de praticantes mulheres aumentou tanto que foram dedicadas duas categorias para elas: a Feminino Amador e a Feminino Open.

Na Feminino Amador, Juliana Moure Bites ficou em primeiro lugar, seguida de Cecilia Nogueira Machado e Cinthia Mendes Tondinelli em terceiro. Já a Feminino Open teve Thayna Armentano no lugar mais alto do pódio, Flávia Simões Yoshida em segundo e Carolini Garao Heindl na terceira colocação.

Por Alline Juscelino

24 de julho de 2015

Rip Curl Cup Padang Padang reúne Curren e Bruno Santos

Com um novo e mais atraente formato, o ‘Rip Curl Cup Padang Padang’ chega à sua 12ª edição contando a ilustre presença do tricampeão mundial e "mestre do estilo" Tom Curren (EUA). O mais tradicional e prestigiado evento de surf da Indonésia, atrai os melhores tuberiders do Mundo e terá agora somente 16 competidores, oito convidados internacionais e a outra metade de talentos locais, com o período de espera pelo dia perfeito na onda mais famosa e perfeita de Bali também reduzido para quatro semanas.
Bruno Santos
O representante brasileiro será o renomado tuberider carioca, Bruno Santos que já participou do evento e diz estar confiante para as disputas desse ano: "Estou feliz com mais esse convite da Rip Curl para participar desse campeonato na melhor esquerda da ilha de Bali. Esse ano o número de competidores está menor o que vai dar ainda mais emoção para os competidores e espectadores com apenas disputas de baterias homem X homem. Ainda não tenho esse título na minha carreira e estou focado em conquistar um bom resultado". Completa Bruninho.
Mick Curley
A “janela” de espera pela ondulação perfeita será aberta no dia 1º de agosto, estendendo-se por todo o mês. A cerimônia oficial de abertura será realizada no mesmo dia 1º, com a tradicional dança de boas vindas balinesa Kecak e apresentação do Wayang Puppet Show. O "show de tubos" terá transmissão ao vivo pelo link live.ripcurl.com/ripcurlcup/ e também pode ser acompanhado em smartphones, com o Rip Curl Live Events App.
Nate Lawrance
Além do embaixador da Rip Curl, Tom Curren, e do brasileiro Bruno Santos, a competição terá uma lista de estrelas mundiais, como o havaiano Mason Ho, outra lenda, Damien Hobgood, os australianos Jay Davies e Ry Craike e os últimos vencedores do Rip Curl Cup, Jamie O’Brien e Chris Ward.



Completam o grupo três jovens talentos, Pat Curren, filho de Tom, Jacob Willcox e Tim Bisso. Os indonésios também terão um “time” forte, incluindo quatro vencedores, Garut Widiarta, Mega Semahdi, Lee Wilson e Made “Bol” Adi Putra, bem como o experiente Rizal Tandjung e finalista do ano passado e ex-campeão asiático Raditya Rondi. Como o slogan do evento destaca: “It’s on when it’s on”, o Rip Curl Cup Padang Padang aguarda o show de surf nos poderosos tubos na famosa praia de Bali. Mais informações e transmissão ao vivo - http://live.ripcurl.com/ripcurlcup/

Por Fábio Maradei

Jared Houston x Amaury Laverhne na final em Arica

O Brasil chegou com sete atletas entre os dezesseis finalistas do Arica Chilean Challenge – segunda etapa do Circuito Mundial de Bodyboard da APB -, mas em um dia de pleno domínio de dois estrangeiros, os brasileiros acabaram eliminados da disputa pelo título. Jared Houston, da África do Sul, e Amaury Laverhne, de Ilhas Reunião, disputam o título do evento na bancada de El Gringo, após atuações de tirar o fôlego. Na quinta-feira (23), as condições perderam um pouco a força e tamanho, mas mesmo assim boas ondas de 4-6 pés (1,5 a 2m) quebraram em “Flopos”. Dessa forma a organização colocou na água as disputas das oitavas, quartas e semifinais. Na primeira fase de disputas do dia, José Otávio e Sergio Luis mantiveram as esperanças do Brasil em conquistar o título no Chile. Nas oitavas as baixas foram Uri Valadão, Roberto Bruno, Lucas Nogueira, Helliton Loureiro e Israel Salas.
Amaury Lavehrne / Foto Pablo Jimenez/APB
Com apenas dois atletas nas quartas, o Brasil teve a garantia de um representante na semifinal, uma vez que José Otávio e Sergio Luis travaram o primeiro duelo da fase. Em um embate duro, o carioca de Itacoatiara levou a melhor. “Foi uma bateria muito difícil e fiquei feliz por ter passado. O Sergio acabou errando duas manobras cruciais e eu consegui avançar”, disse Jose Otávio logo após a vitória por pouco mais de um ponto de diferença. Ainda pelas quartas de final, Jared Houston e Amaury Laverhne já davam provas de que o dia seria da dupla. Aliás, ainda pelas oitavas, Amaury levou o primeiro dez do dia na bateria diante do capixaba Helliton Loureiro, mas foi nas quartas que o atual campeão e líder do ranking mundial mostrou que é o atleta a ser batido no ano. Contra o sul-africano Iain Campbell, Amaury somou seu segundo dez na quinta-feira e ainda arrancou um 9,10 dos juízes, somando imbatíveis 19,10 em 20,00 pontos possíveis, maior média do campeonato.

Jared por sua vez também vinha de ótimas apresentações, eliminando a lenda Mike Stewart nas oitavas, com 17,25 pontos de combinação sendo um 9,50 sua melhor onda, e o basco Alex Uranga nas quartas com mais uma performance sólida de 17,50 pontos. Nas semifinais, José Otávio tentou dar fim a hegemonia do líder do ranking mundial, mas com mais uma atuação excelente, Amaury Laverhne passou à final com vitória sobre o brasileiro: 17,00 x 12,80. Já no segundo embate, o sul-africano Jared Houston e o canário Diego Cabrera travaram um duelo parelho do começo ao fim e que só foi decidido na melhor onda após empate em 16,90 pontos. Jared achou a melhor da bateria com 9,10 pontos contra 8,90 de Diego. Nessa sexta, ao que tudo indica, Jared e Amaury fazem a final, enquanto José Otávio e Diego disputam a terceira posição. Além disso, para amanhã é aguardada a estreia das mulheres em Arica.

Por Danilo Caboclo

Juninho Urcia e Lucas Silveira no Mundial Pro Junior

Quatro brasileiros e quatro peruanos vão representar a América do Sul no próximo Mundial Pro Junior da World Surf League, previsto para janeiro de 2016 na Austrália. Os brasileiros são o paulista Deivid Silva, os catarinenses Luan Wood e Alcides Lopes e o carioca Lucas Silveira, com os peruanos Alonso Correa e Juninho Urcia completando o time masculino e Miluska Tello e Melanie Giunta formando o feminino. Foram realizadas três etapas para selecionar os quatro primeiros colocados no ranking masculino e as duas melhores do feminino, com a WSL South America reservando mais duas vagas para os surfistas do continente com até 20 anos de idade mais bem colocados no ranking do WSL Qualifying Series.
Deivid Silva (SP) (WSL South America)
Os classificados pelo ranking do WSL South America Pro Junior Series 2015, encerrado no último domingo no Maui and Sons Pro Junior no Peru, foram os bicampeões sul-americanos, Deivid Silva e Miluska Tello, Luan Wood (2.o), Alcides Lopes (3.o), Alonso Correa (4.o) e Melanie Giunta (2.a). Os indicados pelo WSL Qualifying Series seriam o top do WCT, Filipe Toledo, em 13.o lugar no ranking e o próprio Deivid Silva em 47.o. Como Deivid se garantiu por este critério, liberou sua vaga no Sul-americano Pro Junior para o quinto no ranking da WSL South America, o peruano Juninho Urcia. Na disputa direta pelo título mundial do CT esse ano, Filipe Toledo escolheu não competir mais na categoria Sub-20 e o carioca Lucas Silveira, 63.o do QS, completou o time masculino para a Austrália.

Por João Carvalho

No Rolê


Fonte Mormaii

23 de julho de 2015

Robertinho e Kauê se destacam no Circuito Santos Surf 2015

Roberto Alves, local de Itanhaém, e Kauê Alohinha, da Praia Grande, repetiram o feito da primeira etapa, ao conquistarem a primeira e a segunda posição no pódio da segunda etapa do Circuito Santos Surf 2015, nessa quinta-feira (23), no Quebra Mar, em Santos. Robertinho mais uma vez mostrou técnica e não deu chance aos adversários para vencer, e Kauê Alohinha apresentou boas manobras, e conquistou a segunda posição, ambos competiram na Petit, até 10 anos de idade. 
Robertinho em primeiro no Circuito Santos Surf 2015
Robertinho tem apresentado boas colocações nos últimos eventos que tem participado. Venceu a segunda etapa do Hang Loose Surf Attack 2015, em Ubatuba, e a segunda etapa do Circuito Municipal de Surf de Itanhaém 2015. E, ocupa atualmente o terceiro lugar no ranking do Hang Loose, na categoria Petit. "Estou muito feliz com o meu desempenho nos últimos campeonatos. Espero ter essa mesma sorte no Hang Loose, no próximo mês", disse.

Já Kauê Alohinha é um surfista que progride a cada campeonato que participa, e tem alcançado seu devido lugar no pódio. O "ferinha" já recebeu o troféu Atleta Revelação no Festival Lendas do Surfe 2015, que ocorreu na Praia do Tombo, no Guarujá, e mesmo com a pouca idade já acumula alguns pódios. "Aí, estou feliz por ter conquistado a segunda colocação no campeonato Circuito Santos de Surf. Na primeira eu também tive a mesma sorte. Só tenho a agradecer".
Kauê Alohinha
Alohinha acumula em sua trajetória o 3° lugar no Praia Grande Assereco; no Mongaguá Pier terminou na 4ª posição. No Salva Surf II, em Itanhaém, ficou novamente na 4ª posição.  No Salva Surf III terminou em 3º lugar. Conquistou a 2ª posição no Vicentino de Surf e recentemente terminou em 2º lugar no CT Lugar ao Sol Surf Treino, na Praia do Tombo. Alohinha conta com o apoio do Jornal Gazeta do Litoral e da InnerWaves.

Roberto Alves até o momento alcançou o 5º lugar na Petit e na Estreante, na primeira etapa do Hang Loose. Na segunda etapa as coisas mudaram de figura, Robertinho ficou em 1º na Petit, e 2º na Estreante. O evento ocorreu em Ubatuba. No Circuito Praia Grandense, mais uma vez 1º na Petit. No Itanhanhense ficou com o 1º lugar na Petit, e 4º na categoria acima, a Estreante. Foi 1º no Surf Treino Lugar ao Sol, e 1º no festival Lendas do Surfe 2015, que ocorreram na Praia do Tombo, no Guarujá. Novamente no Municipal de Itanhaém foi 1º na categoria Petit, e 2º na Estreante. Depois, mais uma vez no Municipal da Praia Grande ficou em 2º lugar na categoria Estreante.
Kauê Alohinha progride a cada campeonato 
Robertinho conta com o apoio da InnerWaves, Brazilian Crest Surf.co., Shaper Éder Oliveira, Kalawa, InnerSport e Treinamento Funcional Rogério Mello Martins.
A próxima etapa do Santos Surf 2015 será realizada entre os dias 26 de setembro a 4 de outubro.
Redação InnerSport / Fotos Divulgação

Slackline World Cup, seletiva Ipanema

Ipanema recebeu muito bem os 24 competidores que participaram na classificatória para o Itaipu Slackline World Cup - o Mundial de Slackline. O evento foi realizado no último domingo, 19 de julho, na altura do Posto 10 com sol. Mesmo com a etapa sendo realizada no Rio, atletas de vários estados vieram à cidade em busca do prêmio maior: a vaga para disputar o Mundial, que acontece em outubro, em Foz do Iguaçu ( PR).
Quem levou a melhor nas areias cariocas foi o cearense, Pedro Rafael, que marcou 374,79 pontos sendo o novo recorde Brasileiro e Latino Americano, deixando Lucas Rocha ( 297,94) em 2º, seguido por Felipe Freitas (279,63) 3º, e Gabriel Aglio (221,75) em 4º. Segundo Pedrinho, de 19 anos,  que já havia garantido vaga para o pré-mundial na etapa anterior, seu foco agora será o mundial. A etapa carioca contou com a participação de vários projetos de inclusão social através do slackline.

“A ideia era mesclar atletas de vários níveis sociais. Fizemos uma parceria com a ONG 'Caminho do Bem' , que atua na Rocinha,  e o resultado foi excelente” avalia Raby Khalil, da Adere (Associação de Desenvolvimento de Esportes Radicais e Ecologia) produtor do mundial.
A competição foi realizada com batalhas, de dois atletas, nas quais os atletas tinham 1 minuto para se apresentar. Após uma "melhor de duas", o mais pontuado avançava para a grande final, que contou com os 8 destaques classificados.

Resultado:
1.   -  Pedro Rafael - 374,79 pontos.
2.   -  Lucas Rocha -  297,74.
3.   -  Felipe Freitas -  279,63.
4.   -  Gabriel Aglio  - 221,75.
5.    - Cleyton Chapolin – 207,70.
6.    - Allan Garcia – 165,94.
7.    - Rafael Backbounce -  157,68.
8.    - Artur Hilário – 108,63
Calendário seletivas:
04 de Julho - Jundiaí, SP - Jundiaí Pró - Seletiva Nacional 2 Vagas  (M/F).
11 de Julho - Bragança, SP - 3ª Copa Bragança, Seletiva Nacional      2 Vagas (M/F).
18 de Julho - Rio de Janeiro, RJ - Copa Caminho do Bem, Seletiva Nacional 2 Vagas (Open).
25 de Julho - Belo Horizonte, MG - 1º Etapa Circuito Mineiro, Seletiva Mineira  2 VAGA (Open).
15 e 16 Agosto - Foz do Iguaçu, PR - 2ª Etapa do Circuito Paranaense 1 Vaga (Open).
15 e 16 Agosto - Fortaleza, CE - Copa Cabra da Peste - Seletiva Nordeste 1 Vaga (Open).
29 de agosto - Brasilia, DF - Brasilia SlackDay - Seletiva Centro-Oeste - 1 Vaga (Open).
19 e 20 Setembro Buenos Aires, Argentina - Especial Argentina de Slackline - 3 Vagas (Open).
25, 26 e 27 Setembro - Santiago, Chile - Especial Chile de Slackline - 3 Vagas (Open).
01 Outubro Foz do Iguaçu, PR - Seletiva Local - 1 Vaga (M/F)
09 Outubro Foz do Iguaçu - Qualifying Pré Mundial (last chance) 4 VAGAS (Open).

Fonte Mídia Bacana / Fotos Marcos Labanca

Encerradas as inscrições para a 2ª etapa do Paulista de Surf Pro

Estão encerradas as inscrições para a 2ª etapa do Maresia Paulista de Surf Profissional, que será realizada nos dias 8 e 9 de agosto, na Praia Grande, em Ubatuba. A competição terá lotação máxima para dois dias, com 96 atletas. “Com certeza, teremos outra disputa de alto nível”, afirma o presidente da Federação Paulista de Surf, Silvio da Silva, o Silvério. “Sempre temos grandes eventos em Ubatuba e esse não será diferente”, complementa.
Hizunome Bettero / Foto Munir El Hage
Em sua 32ª edição e com o patrocínio da Maresia pelo nono ano consecutivo, o Circuito Paulista terá três etapas este ano. Cada uma com R$ 30 mil em premiação, sendo R$ 8 mil ao vencedor, além de mais R$ 1 mil para quem faturar a Overboard Expression Session, com a manobra mais radical.

A abertura foi na Praia de Maresias, em São Sebastião, com vitória do jovem talento Marcos Corrêa. O melhor surfista de Ubatuba foi Hizunomê Bettero, em nono lugar, mesma posição de Flávio Nakagima, de Praia Grande, que acaba de vencer a etapa inicial do SuperSurf, também em Maresias.

A final do Maresia será nos dias 3 e 4 de outubro, na Praia de Pitangueiras, em Guarujá. O campeão paulista ganhará uma moto, oferecida pela Tent Beach e o campeão do ranking (que pode ser de outro estado) fatura uma passagem para o Havaí, numa parceria com a Nias Tour. Outra atração é o sorteio de duas pranchas Wave Star, do shaper Eduardo Reco, uma para os espectadores na praia e outra para quem acompanhar o evento pela transmissão ao vivo pela internet, no site www.maresia.com.br.

Por Fábio Maradei

22 de julho de 2015

PM expulsar policial que matou Ricardinho

A Polícia Militar de Santa Catarina decidiu expulsar da corporação o policial militar Luís Paulo Mota Brentano, acusado de matar o sufista Ricardo dos Santos, o Ricardinho, em janeiro deste ano. De acordo com o tenente-coronel Nelson Coelho, do 8º Batalhão em Joinville, no Norte catarinense, Brentano foi notificado da decisão na quinta-feira (16). Ainda cabe recurso e por enquanto ele segue preso no batalhão, informou Coelho. O crime aconteceu depois de uma discussão na Guarda do Embaú, em Palhoça, na Grande Florianópolis. No processo que corre em paralelo na Justiça, o policial aguarda decisão que determinará se ele irá ou não a júri popular. O PM alega legítima defesa. A decisão na esfera administrativa coube ao coronel Benvenuto Chaves Neto, comandante da 5ª Região, após a análise de mais de 500 páginas do processo. O comandante não informou detalhes sobre sua decisão. Em nota, a Polícia Militar informou que o procedimento analisou "o valor, a ética, a disciplina e o pundonor policial militar".
A reportagem entrou em contato com o advogado de Brentano para saber se a defesa entrará com recurso e aguardava retorno até a última atualização desta reportagem. Enquanto houver possibilidade de recorrer, Brentano seguirá preso no batalhão da PM onde era lotado, segundo a PM. Após os prazos de recurso, caberá à Justiça determinar para qual unidade prisional do estado Brentano será transferido, informou o Tribunal de Justiça.O policial acusado continuou recebendo salário durante o procedimento administrativo, mas teve o vencimento reduzido por não receber a indenização do serviço ativo – paga quando um policial trabalha nas ruas.

'Alívio'
“A gente lutou por isso, para que a justiça fosse feita", disse a namorada do surfista, a administradora Karoline Esser. "A gente fica um pouquinho mais aliviado e agora esperamos que a justiça seja feita também no julgamento. Nada traz ele de volta, mas nos sentimos mais leves", afirmou Karoline. O sogro do surfista, Volney Esser, disse que também recebeu a notícia com "alívio".

Inquérito interno
O procedimento interno foi concluído quase seis meses depois do crime. De acordo com o corregedor-geral da Polícia Militar em Santa Catarina, coronel Carlos Orthmann, o prazo “protocolar” para a conclusão desse processo era de 30 dias, prorrogáveis por mais 30 após a abertura do inquérito. Porém, segundo Orthmann, esses prazos não são “taxativos”. No último dia 26 de junho, o corregedor-geral afirmou que a demora da conclusão do inquérito administrativo se devia ao cumprimento de “requisitos processuais”. “A exemplo do que ocorre em outras esferas, via de regra esses prazos são ultrapassados em casos complexos como esse, pois existe toda uma dinâmica processual , que inclui diligências e laudos”, afirmou. Pelo menos 18 depoimentos foram tomados. Apesar de estar afastado de suas funções, Brentano continuava recebendo o salário-base. A Justiça permitiu que ele trabalhasse, mas a PM entendeu que não haveria função no batalhão que ele pudesse exercer. “Temos o foco dentro de celeridade processual, mas ao mesmo tempo há o foco pra regularidade processual”, disse o corregedor. Orthmann afirmou que, apesar da decisão na esfera administrativa ser “soberana”, a maneira como um processo disciplinar é conduzido pode ser submetida ao “crivo do Judiciário”. Caso haja alguma inconsistência, disse o corregedor, o processo pode ser até invalidado.

Recursos
Segundo o corregedor, depois que a decisão administrativa sobre o PM for anunciada, cabe recurso em três esferas dentro da corporação: a reconsideração de ato, que pode ser pedida pelo policial investigado até 48 horas após ele ser comunicado da decisão; o recurso de queixa, feito à autoridade imediatamente superior a ele, que pode ser impetrado em até 5 dias úteis; e o recurso final, que só pode ser impetrado por uma terceira pessoa, superior hierarquicamente ao policial alvo do processo, também com prazo de 5 dias a contar da notificação da decisão anterior.

Processo na Justiça
No processo que corre paralelamente na Justiça, o policial Luís Paulo Mota Brentano foi ouvido no dia 27 de abril pela juíza Carolina Ranzolin, na 1ª Vara Criminal de Palhoça, na Grande Florianópolis. Brentano aguarda julgamento depois que a Justiça aceitou a denúncia por homicídio qualificado feita pelo Ministério Público. Segundo o MPSC, o crime ocorreu por motivo fútil e houve impossibilidade de defesa da vítima.

Fonte G1

Vídeo da 2ª etapa do ASN Cyclone 2015

Surfistas de até 14 anos do Estado do Rio de Janeiro compareceram em Itacoatiara para disputar a segunda etapa do Circuito ASN Cyclone 2015, e travaram batalhas emocionantes, com muitas viradas nas últimas ondas. Confira o vídeo, produzido pela Triângulo Vídeos, com os melhores momentos.

Fonte Triângulo Vídeos

AFS vence o Vida Marinha Surfing 2015

A Associação Francisquense de Surf foi a grande campeã da primeira etapa do Vida Marinha Surfing Games Interassociações 2015 que encerrou dia 12 de julho, na Prainha de São Francisco do Sul/SC. O evento reuniu 12 Associações e 115 atletas de todo estado, numa verdadeira olimpíada do surfe catarinense, nesta que é considerada a maior competição por equipes do país. Com uma equipe bem afiada, e competindo em casa, a AFS veio liderando durante toda a competição, e acabou vencendo está primeira etapa do Vida Marinha Surfing Games Interassociações 2015, com muita garra e determinação.

AFS, Vida MArinha Surfing Games 2015, Prainha, São Francisco do Sul (SC) / Foto Basílio Ruy
As ondas ficaram na faixa de um metro e boa formação durante os dois dias de competições, contribuindo bastante para o show de surfe da molecada nesta abertura do Vida Marinha Surfing Games 2015. Este ano, o Vida Marinha Surfing Games Interassociações 2015 terá mais três etapas, e a próxima etapa está marcada para Florianópolis, nos dias 19 e 20 de setembro, em Praia a ser definida, e a última etapa será no sul do estado, em Garopaba, nos dias 21 e 22 de novembro, quando será conhecida a equipe campeã do Vida Marinha Surfing Games Interassociações 2015.

Fonte Fecasurf

Uri Valadão lidera ataque brasileiro em Arica

Após dois dias de paralisação, o Arica Chilean Challenge – segunda etapa do Circuito Mundial de Bodyboard APB – recomeçou nessa quarta-feira com os brasileiros mais uma vez ditando o ritmo do campeonato. Com ondas de 8-10 pés (2,5 a 3m), os atletas do Brasil se sentiram muito à vontade no pico e sete dos dezesseis classificados para as oitavas de final são do país, com destaque para o baiano Uri Valadão – vice-líder do ranking – autor da melhor performance do dia entre todos os competidores.
Uri  Valadão
Escalado em uma das baterias mais aguardadas do dia, Uri Valadão, que no ano passado chegou muito próximo do bicampeonato mundial e nessa temporada começou com o segundo lugar na etapa de Itacoatiara, mostrou uma excelente linha de onda para vencer a bateria contra o havaiano Mike Stewart e o também brasileiro Dudu Pedra. O baiano voador arrancou 8,75 e 9,25 dos juízes, somando 18,0 pontos nessa quarta-feira em Arica.

Antes de Uri, quatro brasileiros já haviam garantido vaga para as oitavas de final. Logo na primeira bateria do dia, dobradinha dos cariocas José Otávio e Sergio Luis, que despacharam a revelação havaiana Tanner McDaniel. Na sequência, foi a vez do capixaba Lucas Nogueira avançar para as oitavas de final. Na bateria seguinte, o conterrâneo de Lucas, Helliton Loureiro também seguiu firme ao avançar em segundo para as oitavas. Na sétima bateria do dia, o cearense Roberto Bruno confirmou sua vaga, assim como o atual tricampeão brasileiro Israel Salas, segundo colocado no último duelo do dia.

Melhores momentos:
A previsão é para que o evento prossiga nessa quinta-feira. Além das baterias de oitavas de final a organização espera enfim colocar o início da competição feminina na água.

Por Danilo Caboclo