.

.

30 de abril de 2015

Use Taxi Brasil Freestyle Skateboard

Tudo pronto para a 1ª Etapa do Circuito Brasileiro de Freestyle, o “Use Taxi Brasil Freestyle Skateboard” que acontecerá dia 03 de maio, domingo, a partir das 9hs, no SESC Itaquera, na Av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1.000.

Fonte FLH Planet Skate

29 de abril de 2015

Inscrições abertas para a 5ª Meia Maratona na Bahia

Pelo quinto ano consecutivo a cidade de Salvador receberá milhares de corredores para as disputas da Meia Maratona Caixa da Bahia. A prova acontece no dia 14 de junho e terá sua largada, assim como em 2014, no Jardim dos Namorados. Com percursos de 21km, 10km e 5km, a prova passará pelas principais ruas da capital baiana, sempre passando pela belíssima orla de Salvador. Em 2014 cerca de 3.000 corredores participaram do evento e a cada ano a Meia Maratona Caixa da Bahia vem se consolidando como uma das principais corridas de rua do Brasil. Sendo assim, a organização do evento, a cargo da Latin Sports, abriu as inscrições, que podem ser feitas através do site www.meiamaratonadabahia.com.br
As inscrições poderão ser feitas até 10 de junho ou quando o limite técnico de vagas for atingido. Além dos tradicionais 21km, a Meia Maratona Caixa da Bahia abre vagas nas categorias 10km e 5km, para que todos os atletas tenham a opção de escolher o trecho que melhor se adequa a sua condição. É importante lembrar que os assinantes do Jornal Correio da Bahia possuem um desconto de 20% nas inscrições através do cartão Clube Correio. Além disso, os corredores que tiverem interesse podem resgatar a inscrição na Meia Maratona Caixa da Bahia através de pontos Multiplus. Os corredores que participarem da prova no dia 14 de junho terão a oportunidade de passar por pontos turísticos durante o percurso, como Largo das Baianas, Praça do Jangadeiro e Largo da Mariquita.

Quenianos dominaram a prova em 2014:
Por se tratar de uma das principias corridas de rua do país, a Meia Maratona Caixa da Bahia recebe todos os anos atletas de ponta do atletismo brasileiro e mundial. Em 2014, os quenianos dominaram a prova na capital baiana, inclusive quebrando os recordes da prova. No masculino, Stanley Koech venceu em 1h05min09seg, com Valdir de Oliveira e Sivaldo Vianam, ambos do Brasil, atrás. Já entre as mulheres, Delvine Meringor marcou 1h14min30seg, deixando para trás as também quenianas Nancy Kipron e Jane Seurey. Graciete Moreira foi a melhor brasileira, em quinto lugar.

Serviço:
5a Meia Maratona Caixa da Bahia
Local: Salvador
Largada: Jardim dos Namorados
Data: 14/06/2014
Inscrições: www.meiamaratonadabahia.com.br
Percursos: 21km, 10km e 5km

Por Danilo Caboclo

28 de abril de 2015

Anderson e Luara vencem a final do Rip Curl Grom nacional

Com ninguém menos que o campeão mundial do WCT, Gabriel Medina, como espectador, o catarinense Anderson Júnior e a carioca Luara Thompson faturaram os títulos da final nacional do Rip Curl Grom Search, principal campeonato do País sub16, na última segunda-feira (27), na praia de Maresias, em São Sebastião. Os dois surfistas garantiram vagas para representar o Brasil na final internacional do evento, que será realizada em 2016, em algum lugar do Mundo. Com ondas de até 1 metro, a disputa abriu a programação da Final do Rip Curl Grom Search Internacional, apresentada por GoPro, que tem a “janela” pelas melhores condições de ondas de terça-feira a domingo (3), na mesma praia de Maresias, reunindo 16 surfistas de dez países. O evento está sendo realizado no Brasil pela primeira vez, como homenagem ao campeão do WCT, Gabriel Medina, que é o anfitrião oficial da garotada.
Luara Thompson e Anderson Junior / Foto Munir El Hage
Na competição entre os brasileiros, para definir os representantes já para o evento de 2016, o nível técnico foi alto, com disputas emocionantes. Foram seis finalistas no masculino e seis no feminino. Na decisão das meninas, Luara Thompson, surfista do Rio de Janeiro, abriu vantagem na terceira e quarta ondas, mas a pequena Thainá Hinckel, da Guarda do Embaú, em Santa Catarina, com apenas 11 anos, deu trabalho no final. Precisava de 4,26 para virar e tirou 4,53, faltando dois minutos para o final. Luara não perdeu tempo e deu o troco rapidamente, com uma nota cinco, para garantir o título. As paulistas Louise Frumento e Melissa Policarpo completaram a final, em terceiro e quarto lugares. Louise também surfou bem e chegou a ficar perto da ponta no placar. No final, Luara somou 9,75 pontos em duas ondas, contra 8,35 de Thainá. “Esse título representa muito esforço e treinamento. Estou muito feliz e Deus mandou aquela onda para mim no final para garantir essa conquista. Agora começa uma nova fase e quero me preparar muito bem para chegar na final internacional no ano que vem muito bem preparada, para trazer o título para o Brasil”, afirmou a surfista de 15 anos, que treina no Canto do Recreio e começou a pegar ondas aos três anos, incentivada pela irmã mais velha, a bicampeã brasileira de longboard, Mainá Thompson.

No masculino, a expectativa também ficou até o fim da bateria, com a mesma emoção. Anderson Júnior, local da praia da Vila, em Imbituba, garantiu notas seis e cinco e no final tirou um 6,25 para superar o paulista de Guarujá, Alax Soares. A diferença entre os dois foi de menos de um ponto – 12,25 a 11,35. Gabriel Ramos, de Ubatuba, ficou em terceiro, logo atrás, com 11,30, e o potiguar de Natal, Mateus Sena, foi o quarto, com 4,52 (cometeu interferência no final). “Esse é o título mais importante da minha vida”, vibrou Anderson, que teve a vitória valorizada pela presença de Gabriel Medina na praia. “Treinei muito para isso, para chegar aqui e vencer. Quero muito disputar a final internacional, desse que é um dos melhores eventos do Mundo. Quero agradecer muito a Deus, meus pais, amigos e patrocinadores”, destacou o surfista de 16 anos, que surfa desde os 10.
Luara Thompson / Foto Munir El Hage
Depois de treinar em frente de casa, Gabriel Medina quis assistir as finais da nova geração. O mesmo campeonato que já foi campeão, depois representou o Brasil e faturou o título internacional em 2010, na Austrália, sendo o único brasileiro até agora a conseguir tal feito. Viu todas as manobras do palanque onde ficam os juízes e gostou do que viu e de relembrar a sua fase de infância. “É muito louco. Desde os oito anos eu competia nesse campeonato, estava com essa galera. E nunca imaginei que um dia voltaria aqui como campeão do Mundo, aqui onde tudo começou, para prestigiar os novos valores. Tem muita gente surfando bem. Fico feliz em ver essas novas gerações chegando e que meu título pode influenciar positivamente”, afirmou Medina.

Próxima sexta-feira – Agora, as atenções ficarão voltadas para a Final do Rip Curl Grom Search Internacional, apresentado por GoPro. A competição será realizada nos dois melhores dias de ondas, até domingo e a organização do evento, junto com a Rip Curl já anunciou que o evento deve começar na sexta-feira.
Foto Munir El Hage
Mas na quarta-feira à tarde uma nova avaliação será feita com a possibilidade de início na quinta-feira. “A previsão indica que sexta-feira teremos condições muito boas, mas na quarta, vamos avaliar novamente. Como temos tempo, vamos aguardar para colocar os atletas em ondas boas. Tudo indica que sexta-feira e sábado serão os melhores dias”, anunciou Fernando Gonzalez, diretor do Campeonato. “Enquanto o campeonato não é realizado, teremos várias ações com os competidores. Vamos leva-los para sessões de surf aqui mesmo em Maresias e em outras praias de São Sebastião, uma cidade incrível quando se fala em surf”, complementou Fernando.

Também nessa segunda-feira foram definidos os dois surfistas convidados que vão se juntar aos finalistas internacionais: Heitor Duarte, de Maresias, e Lorrana Lima, da praia vizinha de Juqueí. “Com eles, estamos interagindo com a comunidade onde estamos atuando. Coincidentemente, o representante oficial do Brasil, o Samuel Pupo, também é de Maresias. Então, a comunidade local estará muito bem representada e a torcida já tem seus candidatos”, disse Fernando.

Por Fábio Maradei

Sebastian Rojas em vídeo

Por muitos anos ele foi a referência em fotografias de surf, sobretudo as aquáticas. Agora, o conceituado fotógrafo Sebastian Rojas decidiu ampliar o seu raio de ação, direcionando o seu talento, capacidade e percepção para os vídeos. A nova fase começou com “cases” de sucesso e cobiçados e não só restrito ao surf. O objetivo é manter sua paixão, a fotografia, sempre ativa e crescer ainda mais profissionalmente. “O vídeo, sem dúvida, é o caminho natural e aponta para um futuro promissor”, destaca Sebastian. “A fotografia sempre foi a enorme paixão na minha vida e, profissionalmente, me lançou para o Mundo. Vou conciliar os dois, pois acho que vídeo e fotografia podem muito bem caminhar juntos. Na verdade, ambas as formas de captação do que vejo no Mundo do surf e na natureza estão no meu DNA”, diz esse guarujaense de 55 anos, 30 dedicados às fotos de surf.
A decisão de investir no vídeo veio de forma natural há cerca de três anos, quando o surfista Alex Miranda, proprietário da produtora Trator o convidou para trabalhar em filmes e comerciais de TV como camera aquática. E mesmo com a forte ligação dos dois com o surf, o esporte não foi o seu começo na nova fase. Participou de filmes como cameraman para um institucional da MTV, da Prefeitura de São Paulo, documentário da Copa do Mundo para a FIFA, comercial da Gillette Body com Gabriel Medina e o mais recente, da Ford Ecosport. “Foi uma experiência fundamental nesse inicio, onde pude aprender muito sobre a produção de filmes comerciais para TV e institucionais. A troca de informações com profissionais do meio durante a produção dos filmes abriu uma nova etapa na minha vida profissional. Isso trouxe uma visão mais dinâmica e clara da linguagem de como o meio do vídeo funciona e também confirmou a necessidade de aperfeiçoamento da própria fotografia, que é base de tudo”, relata.

Além disso, fez a cobertura em vídeo para os sites da Fluir e Waves no Pipemaster 2013 e 2014, estando num dos grandes momentos da carreira, como classifica: o título mundial de Gabriel Medina. “Ganhando na raça, não deixando dúvidas da sua superioridade, vencendo de verdade, com categoria, em ondas de peso. Isso arrancou o respeito e admiração do mundo todo. Tenho muito orgulho de viver essa história, de realizar esse sonho ao vivo”, lembra. “São mais de 27 anos que vou ao Havaí, sem perder uma única temporada de inverno. E sei o quanto os brasileiros batalharam para chegar ao topo”, argumenta, com propriedade, Sebastian Rojas, que começou na profissão - onde se tornou o melhor - na década de 80, com a primeira capa na Revista Fluir em 1985.

Agora, “Sebá” inicia duas novas e importantes parcerias, com a Flow Cinema, uma nova produtora que vem surgindo no cenário e tem o surf em sua essência, e com a GoPro, líder mundial no segmento. Dessas “fusões” surgiu um clipe, o Liquid Eyes, com o fotógrafo cinegrafista captando imagens radicais de vários surfistas, exclusivamente de dentro d’água. O vídeo já está disponível no canal oficial da série Liquid Eyes criado pela Flow no Youtube. “A Flow Cinema é um acontecimento recente e surgiu a ideia de lançar um clipe com as imagens que venho colhendo no dia a dia pelo Guarujá e Litoral Norte, desde que voltei do Havaí”, conta.
“E assim rolou naturalmente e parece que tem tudo pra dar certo, pois somos aficionados por surf e por imagens de ação, que causem impacto para quem assiste”, acrescenta. “Com a GoPro é uma experiência nova, estou me colocando no mercado, mostrando meu talento e experiência dentro d’água e apostando que terei como parceiro a GoPro Brasil no que for preciso para cada vez mais desenvolver projetos de qualidade”, explica Sebá.

O equipamento começou a ser utilizado ainda no Havaí, quando comprou a GoPro 4 Black e começou a fazer registros em Pipeline e Off The Wall. “Por achar que ela já estava com qualidade boa o suficiente para poder mostrar minhas habilidades na captação de imagens aquáticas”, revela. Ele destaca que no clipe produzido pela Flow Cinema todas as imagens foram feitas com a GoPro e fala com entusiasmo dos resultados. “É uma vontade de inovar, de trazer imagens impactantes dentro d’água, de captar ângulos diferentes e empolgantes. É como se eu fosse o surfista e tivesse remando no meio de um crowd de caras bons e vendo as coisas acontecerem a poucos centímetros de mim e me colocando, às vezes, na rota de colisão”, ressalta.

No vídeo estão surfistas radicais como Victor Bernardo, Vitor Mendes, Heitor Pereira, Júnior Faria, Amato Matos, Ícaro Rodrigues, o big rider Rodrigo Koxa e os irmãos Leco e Matheus Salazar, no SUP. “Foram situações arriscadas de tão próximo que gosto de ficar. Isso é algo que sempre me traz adrenalina, o que no fundo me motiva na busca incessante por captar a imagem mais radical que consiga”, fala Sebastian Rojas.

Para ele, a base construída na fotografia lhe dá tranquilidade para trilhar um novo caminho, como diretor de fotografia nos filmes, mas confessa que ainda há muito a estudar sobre equipamentos e cinema. “Aprender com quem domina o assunto. Não tenho pressa. Apenas vou seguindo o fluxo natural das coisas”, comenta. “O futuro das imagens de surf é brilhante. É uma enorme motivação fazer parte desse meio. Tenho deixado minhas sementinhas por ai passando adiante o que aprendi nesses anos todos através dos Workshops de fotografia de surf. Espero que as novas gerações possam liderar os caminhos a serem seguidos na linguagem do vídeo e na criatividade da produção fotográfica”, completa Sebastian.

Por Fábio Maradei / Foto Sebastian Rojas

4º Festival Free Session

Em sua 4ª edição o Free Session acontecerá entre os dias 8, 9 e 10 de maio, no Centro Histórico de Santos, na Casa da Frontaria Azulejada, Rua do Comércio, nº 96, com uma ótima programação para o Dia das Mães. O evento terá início todos os dias a partir das 14 horas, e oferecerá muita interatividade para quem comparecer. O local é uma das arquiteturas símbolos da cidade de Santos, e atualmente serve de cenário para o Free Session, desde sua primeira edição, um dos principais eventos da Baixada Santista que reúne cultura, música, esporte e muita vibe positiva, além de promover os pontos históricos e turísticos da cidade. Acompanhe a programação da 4ª edição:

Redação InnerSport

Xangai realiza o X Games

A competição começou oficial da franquia americana até 2011 e hoje é independente e já atravessou o mundo. Xangai sedia o Kia World Extreme Games entre hoje 28 de abril e 3 de maio. O brasileiro campeão mundial Rony Gomes disputa duas das três modalidades previstas para o skate: Mini MegaRampa e Vertical.
Brasileiro compete em busca de medalhas em duas categorias / Foto Divulgação/KWEG2014
O evento ainda contempla a modalidade street. Quatro brasileiros disputam na Mini Mega e no Vertical. Além de Rony, Lincoln Ueda, Marcelo Bastos e Edgard Pereira ‘Vovô’. Rony vai em busca do ouro inédito em terras asiáticas, depois de uma medalha de prata no vertical no ano passado.

As competições começam em Xangai nesta terça-feira, dia 28, com as eliminatórias do skate vertical às 14h30 no horário local (3h30 no horário de Brasília). Na quarta-feira, amanhã (dia 29), acontece a final a partir das 15h30 (4h30 no horário de Brasília). Os skatistas voltam a competir na sexta-feira (dia 1º) pela Mini MegaRampa com a bateria eliminatória às 13h (2h pelo horário de Brasília) e a grande final acontece no sábado (dia 2) a partir das 13h30 (2h30 no horário de Brasília).

Por Fernanda Gonçalves

Ivan Monteiro em novo time

O time de atletas da Star Point acaba de receber um novo integrante, Ivan Monteiro. O skatista de 17 anos é promessa e foi recentemente premiado pela revista CemporcentoSKATE como um dos melhores amadores de Street do Brasil. Nascido e criado em São Bernardo do Campo, Monteiro faz jus ao título que a cidade recebe de ser um dos principais polos de skate no mundo.
Para completar, Ivan tem grandes chances de representar o Brasil no X Games que acontece em junho, na cidade de Austin, no Texas. Constantemente convidado especial para campeonatos de Street pelo Brasil, o atleta está animado em fazer parte da equipe. "Entrar para o time Star Point, é animal. Quero continuar crescendo e essa parceria com a marca vai me ajudar muito", diz.

Por Gabriela Schwartz

27 de abril de 2015

Organização remarca data para o Brasileiro de River SUP

Foi adiada a realização da 2ª edição do Campeonato Brasileiro de River SUP. O evento, que estava programado para acontecer entre os dias 30 de abril a 03 de maio, no Canal Itaipu, em Foz do Iguaçu, PR,  terá sua data remanejada para o segundo semestre de 2015.
River Sup / Foto Marcos Labanca
A Associação de Desenvolvimento de Esportes Radicais e Ecologia, responsável pela organização da prova, estuda juntamente com a CBSup e a diretoria da Itaipu, a melhor data para o remanejamento da competição, avaliando a melhor época em termos de condições hídricas do canal e que também não entre em conflito com nenhuma prova do Circuito Brasileiro, nem internacional.

Fonte MidiaBacana

O foco agora é o Rio de Janeiro

Agora todas as atenções ficam voltadas para o Brasil, que vai sediar a próxima etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour nos dias 11 a 22 de maio no Rio de Janeiro. Adriano de Souza vai usar a lycra amarela de número 1 do ranking mundial pela primeira vez no Oi Rio Pro apresentado pela Corona. Além do novo patrocinador, outra novidade da etapa brasileira esse ano é uma estrutura alternativa na praia de São Conrado, mas o palco principal continua sendo nas ondas do Postinho, no início da Barra da Tijuca. Será a primeira vez que o evento acontece com um brasileiro como campeão mundial, Gabriel Medina, além de Adriano de Souza estar liderando o ranking com Filipe Toledo em terceiro lugar.
O defensor do título, Gabriel Medina, não começou bem a temporada e chega no Brasil em 16º lugar na classificação geral das três etapas da Austrália. O também paulista Miguel Pupo foi até as semifinais na Gold Coast como Mineirinho e ocupa a 12.a posição. Os outros integrantes da "seleção brasileira" são os potiguares Jadson André e Italo Ferreira, que dividem o 17º lugar com o australiano Matt Wilkinson e o irlandês Glenn Hall, além do paulista Wiggolly Dantas, que está empatado em 21.o com o taitiano Michel Bourez e o australiano Bede Durbidge.

Por João Carvalho / Foto Divulgação

26 de abril de 2015

AntiQueda cresce com criatividade

O que começou como um sonho de três jovens, estudantes do curso de Administração, numa sala alugada de menos de 100 metros quadrados, 26 anos depois se tornou um grande e próspero empreendimento, com projeção nacional. Criada em 1989, a surfwear AntiQueda hoje está consolidada no mercado, atendendo nada menos que 900 pontos de venda em todo o Brasil. Em sua trajetória, a confecção com sede em Santos sempre foi marcada por um foco, o crescimento com criatividade. Num mercado tão competitivo como é o surf, mas atualmente passando por uma crise, não adianta remar contra a maré, mas estar à frente da tempestade. Paulinho explica que a saída é inovar. Para isso, viaja anualmente para o exterior em busca do que está surgindo. O objetivo é estar antenado com as tendências. “A proposta é nunca ficar parado. É colocar o pé na estrada”, anuncia.
Foto Divulgação
Além das novidades nas coleções, há as soluções criativas, criando estratégias de preço aos clientes. Entre os exemplos está a produção da mesma estampa para camisetas adultas e infantis. “O que antes era out, hoje é in, pai e filho usando a mesma roupa. Usamos a mesma matriz, dobramos a produtividade, diminuindo o custo. Com a bermuda é a mesma coisa. Criamos um produto legal e ainda usamos isso como marketing”, conta. Outra ação colabora com a sustentabilidade, com o aproveitamento de tecidos e “papéis”. O designer da marca, Paulo Livramento, o Paulão, explica que todos os papéis que são sobra de sublimação (técnica de impressão em tecido) são utilizados para uma bermuda de silk sortido, retirando do custo esse processo. “Uma solução de preço para o lojista ter aquele produto de entrada”, afirma.

O mesmo processo é feito com os tecidos. “Damos uma repaginada. Normalmente com etiquetas termo adesivas, estampas de uma cor só, soluções mais econômicas”, acrescenta Paulão, reforçando que um dos pontos positivos para a AntiQueda se manter conceituada no mercado foi não perder a essência no surf. Ele lembra que para ganhar novos consumidores, a marca amplia o seu leque, como as camisas casuais, adaptando-as ao estilo surf. “Buscamos conquistar e agregar outros públicos, criando novos estilos, mas sem perder a nossa essência. Como o Nizan Guanaes fala sobre crise: No mundo existem o que choram e os que vendem lenços. Nós fomos atrás”, ressalta.

Como bom brasileiro e com a vivência de quase três décadas no segmento, Paulo Sérgio Nogueira Lopes segue confiante em uma nova ascensão no mercado. E ele credita essa motivação à grande fase dos surfistas brasileiros no Circuito Mundial, o “Efeito Medina”, com o título de 2014. “Chegamos a ter de fazer catálogo não usando tanto a imagem do surfista em ação. E hoje, graças à geração Brazilian Storm, o surf voltou com tudo, a ser objeto de desejo, através de ídolos. Isso é importantíssimo”, argumenta. Junto a todas as ações voltadas aos clientes e lojistas, a AntiQueda segue investindo no surf, sobretudo na base. A marca que já teve atletas como Andrea Lopes e Peterson Rosa, é a patrocinadora master do Circuito A Tribuna de Surf Colegial, referência no segmento, desde a sua criação, há 20 anos. Nomes como Adriano de Souza surgiram desse evento.

O empresário lembra que em no primeiro ano de atividades, a AntiQueda iniciou a sua produção com 800 peças e apenas 11 referências, com três funcionários. Hoje, alcança em cada uma das três coleções anuais 240 mil itens, em torno de 400 referências, com a produção em prédio próprio, onde há uma estrutura completa, empregando cerca 90 trabalhadores diretos e outros 300 indiretamente. Vale destacar que junto à AntiQueda, Paulinho, Marcelo e Sonia criaram a marca Reckless Inc. A caçula da empresa Ten Feet completa dois anos e tem um público totalmente diferente, voltado para atitude wear. “Abrimos duas frentes. É completamente diferente. A Reckless é para um nicho, digamos assim, mais urbano, bandas de rock. Está indo muito bem e ficamos felizes de sempre estar crescendo, com atitude, inovando”, completa o empresário.

Por Fábio Maradei

25 de abril de 2015

Vídeo: Final do Rip Curl Grom Search Internacional

Já está no ar, no canal da Rip Curl no Youtube, o vídeo oficial da Final do Rip Curl Grom Search Internacional, apresentada por GoPro. Com muitas imagens de ação nas ondas, a produção mostra ao público o palco escolhido para o evento, a praia de Maresias, em São Sebastião, bem como os principais destaques da competição e seu anfitrião, ninguém menos que o atual campeão mundial do WCT, Gabriel Medina. Para assistir, basta acessar o link.
A partir do dia 28, todos estarão de prontidão, aguardando o sinal verde da organização da Final Internacional do Rip Curl Grom Search, apresentada por GoPro, para iniciarem na competição. A programação até o domingo ainda prevê uma sessão de surf num “Secret Spot” no Litoral Norte de SP, com ida de barco e a presença de Gabriel Medina.
Nomes como o brasileiro Samuel Pupo, grande esperança brasileira a garantir o segundo título mundial para o Brasil nesse campeonato (o primeiro foi Medina, em 2010, na Austrália), aparecem radicalizando nas imagens. Também estrelam o vídeo novos valores de vários cantos, como Lens Arancibia (França), Raju Sena (Indonésia), Keru Batle (Nova Zelândia), Kei Kobayashi (Estados Unidos), na disputa masculina, Ariane Ochoa (Espanha), Cintia Hansel (Indonésia), Raiha Ensor (Nova Zelândia), Caroline Marks (Estados Unidos), Jaleesa Vincent (Austrália), entre as meninas.

Fonte FMA Notícias

Nova Geração comfirmado para domingo

Está confirmada para o domingo, 26 de abril, a primeira etapa do Circuito ASN Cyclone. O evento de abertura do calendário do surf niteroiense reunirá em Itacoatiara os melhores competidores de até 14 anos do Estado do Rio de Janeiro, além de contar com a presença confirmada de atletas de São Paulo e Ceará.
A subida do mar na quinta puxou mais areia e o fundo em Itacoá continua melhorando. Os institutos meteorológicos indicam um sábado chuvoso com entrada de um forte vento sudoeste de tarde. Domingo, o sol volta a aparecer e deverá ter ondas com séries de até 1,5m no meio da praia. Alguns institutos indicam ondulação de sul, enquanto outros mostram uma virada para sudeste, o que deixa o canto do Costão mais protegido. A previsão do vento também é boa para o dia 26, com a entrada do terral pela manhã. Tudo indica que teremos ter boas ondas em torno de meio metro, para o início das disputas da nova geração em Niterói.

Em 2015 serão oferecidas as mesmas seis categorias do ano passado, Iniciante (Sub-14), Infantil (Sub-12), Petit (Sub-10), Pré-Petit (Sub-8), Escolinha Masculino e Feminino. A inscrição custa R$50,00 (cinquenta reais) e deve ser feita na loja TSN, próximo ao Corpo de Bombeiros da Região Oceânica. Atletas de outras cidades poderão fazer diretamente com o presidente da ASN, Renato Bastos, através dos telefones 21 7741-3221, 9-8166-4447, ou 9-8409-3822.

Por João José Macedo

Decisão do Rip Curl Grom Search será em Maresias

Antes da grande final do Rip Curl Grom Search Internacional, apresentada por GoPro, será disputada no próximo dia 27, a definição do circuito nacional. A final da seletiva nacional decide os campeões brasileiros que disputarão o evento internacional em 2016. Seis atletas na categoria masculina e seis na feminina disputarão a decisão no mesmo cenário da competição mundial, na Praia de Maresias, em São Sebastião.
Luara Thompsom
Eles se classificaram nas duas primeiras etapas, realizadas na praia da Ferrugem, em Garopaba/SC e praia do Tombo, em Guarujá/SP. A final internacional deste ano será realizada pela primeira vez no Brasil, com Gabriel Medina como grande anfitrião. O atual campeão da elite mundial fez história na Final Internacional do Rip Curl Grom Search em 2010, na Austrália e até hoje é o único brasileiro que conquistou este título.

A final nacional será realizada no dia 27 de abril e a Rip Curl arcará com as despesas de hospedageme alimentação dos 12 competidores, no Hotel Coconuts, em frente a praia de  Maresias, com início no dia 26 e término no dia 27 durante o final de tarde. O benefício é válido apenas para os atletas (pais ou treinadores precisam pagar pela própria estadia).

Estarão na disputa do título nacional o catarinense Anderson Júnior, os paulistas Guilherme Vilas Boas, Gabriel Ramos e Alax Soares e os potiguares Vitor Costa e Mateus Sena. Entre as meninas, garantiram vagas a carioca Luara Thompson, a catarinense Tainá Hinckel e as paulistas Louise Frumento, Melissa Policarpo, Victória Mazzoni e Yohanna Serrat.

Fonte FMA Notícias

24 de abril de 2015

Surfista Robertinho faz cinco pódios em quatro meses

Nos primeiros quatro meses de 2015 o surfista de apenas 9 anos, Roberto Alves, local de Santos/SP, já subiu cinco vezes em pódios. Foi 1º no Surf Treino Lugar ao Sol, e 1º no festival Lendas do Surfe 2015, que ocorreram na Praia do Tombo, no Guarujá. No Municipal de Itanhaém foi 1º na categoria Petit, e 2º na Estreante. Na primeira etapa do Municipal da Praia Grande ficou em 2º lugar na categoria estreante.
Alves se prepara para dois importantes campeonatos que estão por vir: Hang Loose Surf Atack 2015, e o Circuito Santista de Surf 2015, do qual finalizou o ano de 2014 como  líder do Ranking na categoria Petit. "Estou satisfeito. Em 2014 peguei pódio umas 12 vezes. Em 2015 to vendo que terei um bom rendimento também".
Com pouco mais de um ano em competições o jovem se mostra um fenômeno no surf e já surpreendeu muita gente. Sem medo das ondas grandes e preciso nos cutbaks e batidas de backsides Robertinho vem numa campanha impecável e bem sólida. Robertinho conta com o apoio da Innerwaves, Brazilian Crest Surf.co., Shaper Éder Oliveira e Kalawa.
Em 2014 foi 4º lugar no RipTide; na 3ª etapa do Salva Surf Sub 10 ficou com o 2º lugar, e na categoria Sub 12 encerrou em 4º lugar; na 4ª etapa do Salva Surf, categoria Sub 10, alcançou o 2º lugar; na sub 12 fechou no 5º lugar; ficou com o 3º lugar no Amigos do Cibratel e 2º lugar no Kalawa Cibratel. Primeiro na Arena Power Beach e 2º no Municipal de Peruíbe Sub 10. Mais uma vez primeiro no Municipal de Peruíbe sub 12. Novamente repetiu o feito com o 1º lugar no Arena Power Beach. Mais uma vez 1º na primeira etapa do Santista, e 2º na segunda etapa do Santista. Na terceira etapa do Santista fechou em 1º. Em sua categoria ele é o 7º no ranking Paulista de Surf.
Kauê Alohinha
Promessa - Outro nome que desponta nos eventos de surf do litoral Paulista é o jovem Kauê Alohinha, que também participará do Circuito Santista de Surf 2015, na categoria Petit. Kauê é local da Praia Grande, e mesmo com a pouca idade já acumula o 3° lugar no Praia Grande Assereco; no Mongaguá Pier terminou na 4ª posição. No Salva Surf II, em Itanhaém, ficou novamente na 4ª posição. Já no Salva Surf III terminou em 3º lugar. Conquistou a 2ª posição no Vicentino de Surf e recentemente terminou em 2º lugar no CT Lugar ao Sol Surf Treino, na Praia do Tombo. Alohinha conta com o apoio do Jornal Gazeta do Litoral e da Innerwaves.

Redação InnerSport / Fotos Roberto Nabruzzi

Gabriel e Pupo recepcionam novos talentos em Maresias

O atual campeão mundial do WCT, Gabriel Medina, será o anfitrião dos 16 competidores de dez países na segunda-feira (27), na Praia de Maresias, em São Sebastião. Nesse mesmo dia, Medina concederá coletiva de imprensa, para falar da importância do evento. A cerimônia de abertura será realizada no Hotel Coconuts. Das 16 às 17 horas, será realizado o desfile dos atletas com as bandeiras de seus países, discursos de Medina e da Rip Curl, e uma demonstração de capoeira, apresentando um pouco da cultura brasileira.
Na sequência, das 17 às 17h30, Gabriel Medina falará com a imprensa em entrevista coletiva, abordando exclusivamente sobre a disputa, sua história com o Rip Curl Grom Search. Ele estará acompanhado de surfistas finalistas, incluindo o brasileiro Samuel Pupo, representante do Brasil na competição. Logo após, será o momento do campeão mundial interagir com os competidores, numa sessão exclusiva de autógrafos e fotos.

Gabriel também fará uma sessão de surf com todos num “Secret Spot” no Litoral Norte de SP, com ida de barco. A competição será disputada nos dois dias que oferecerem as melhores condições de ondas, entre terça-feira e o dia 3. São oito finalistas no masculino e oito na feminina, vindos da Indonésia, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Espanha, França, Argentina, Chile, Costa Rica e Brasil.

Fonte FMA Notícias / Foto Divulgação

Test ride e confronto entre lojas em Ubatuba

Neste sábado (25), a Rusty Surfboards dropa em Itamambuca, Ubatuba (SP), para realizar seu pioneiro ‘test ride’ de pranchas, além de um confronto entre surf shops da região Sudeste. A disputa é a novidade deste ano da empresa fundada na Califórnia, que idealizou uma competição inovadora entre duplas formadas por funcionários ou clientes de lojas convidadas, além de um surfista local. No total, são duas seletivas (a segunda acontecerá na praia do Rosa) e define os participantes da grande final, prevista para acontecer em novembro.
Foto Divulgação
Já o ‘test ride’ chega ao quinto ano consecutivo e proporciona ao surfista comum a oportunidade de usar um foguete da marca fundada pelo lendário shaper Rusty Preisendorfer. O participante poderá escolher entre diversos modelos, como pró-models de surfistas renomados ou shapes diferenciados. Entre as novidades estão ‘Sweetooth’ e ‘Sistabrotha, pranchas do surfista australiano Noa Deane, vencedor do prêmio Surf Pool Awards do ano passado e renomado aerialista. Ambas são de alta performance, porém ‘Sistabrotha’ funciona bem em beach breaks e point breaks e é ideal para cravar as bordas e mandar manobras modernas. Já 'Sweetooth' possui outline um pouco mais largo, com mais área no bico para aterrissar com perfeição dos aéreos.

Qualquer surfista pode escolher entre os modelos disponíveis, entre 9 e 14 horas de sábado. Cada inscrição dá direito a uma queda de 30 minutos. E o surfista só precisa refazer o cadastro para voltar à água.  Após o test ride, entram em ação os participantes do confronto em busca do título da região Sudeste, que vale vaga na etapa final na praia do Rosa, além de pranchas Rusty para a dupla campeã. O confronto decisivo rola em novembro, após a seletiva que compreende os estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e definirá a surf shop campeã de 2015.

Entre as lojas convidadas em Itamambuca estão: Aloha (interior de SP); Surf Trip, Central Surf, Star Point, Super Tubes, Overboard e Star Surf, da capital; Sthill, litoral paulista; WQSurf e Boards Co., do Rio de Janeiro; Indústria Surf Skate e Sun Peak (Vale do Paraíba), Tamborá (MG), Bahamas (ES); Kanui/Waves Shop (lojas virtuais). Os competidores só saberão na hora a prancha que utilizarão e podem contar com torcida organizada. Defende o título do confronto a rede de lojas Surf Trip, vencedora no ano passado no evento restrito à região Sudeste.

Por Nancy Geringer

Adriano é cinco vezes vencedor

Esta foi a quinta vitória de Adriano de Souza ao vencer John John Florence, 22 anos, com as duas únicas ondas que surfou na final disputada em boas ondas de 6-8 pés em Main Break, em etapas válidas pelo título mundial. Ele entrou na divisão de elite em 2006, com 19 anos de idade, já chegando as semifinais em sua primeira etapa contra os melhores do mundo na Gold Coast. Mas, a primeira vitória só veio em 2009, na extinta etapa de Mundaka, na Espanha, depois de perder as suas duas primeiras finais da carreira no WCT, para o australiano Joel Parkinson novamente na Gold Coast e para Kelly Slater na penúltima edição da etapa brasileira na Praia da Vila, em Imbituba, Santa Catarina. Quando retornou para o Rio de Janeiro em 2011, Mineirinho festejou sua segunda vitória na Barra da Tijuca lotada, derrotando o mesmo Taj Burrow que ele eliminou nas semifinais em Margaret River.
Adriano de Souza lidera o ranking e chega ao Rio com a camisa de número 1 / Foto Kelly Cestari
Com o título no Brasil, Adriano assumiu a liderança do ranking mundial pela primeira vez e no mesmo ano conquistou outra etapa de forma inesquecível em Portugal, contra Kelly Slater num mar clássico em Supertubos, Peniche. Ele vingou a derrota sofrida em Santa Catarina para o maior ídolo do esporte, porém também levou o troco de Taj Burrow na abertura da temporada 2012, perdendo outra decisão na Gold Coast para um australiano. Mas, em 2013 se tornou o único brasileiro a badalar o sino da vitória em Bells Beach e foi vice-campeão na etapa brasileira no Rio de Janeiro, saindo mais uma vez do Brasil como número 1 do ranking mundial após a final com o sul-africano Jordy Smith nas ondas do Postinho da Barra da Tijuca.

Para disputar sua segunda final consecutiva na Austrália, Adriano teve que vencer um confronto que já virou um clássico no circuito mundial contra o veterano Taj Burrow, 36 anos, que é local de Margaret River e competia em casa. O australiano já mostrou o seu conhecimento do pico logo na primeira onda que pegou, começando com nota 7,5 na única esquerda surfada na sexta-feira em Main Break. Mineirinho entrou na briga depois de acertar duas manobras potentes numa boa direita para tirar nota 6,60 e na seguinte recebeu 7,03 para assumir a ponta. Taj fica precisando de 6,13 pontos e a bateria foi decidida nas últimas ondas surfadas nos minutos finais. A do brasileiro foi melhor, valeu 6,63 e não entrou mais onda para o australiano tentar a virada no placar encerrado em 13,66 a 13,27 pontos.

Fonte WSL

Mineirinho conquista o título em M-River

O paulista Adriano "Mineirinho" de Souza, 28 anos, fechou com chave de ouro o ótimo início de temporada da "seleção brasileira" no World Surf League Championship Tour na Austrália. O novo líder do ranking mundial faturou o título do Drug Aware Margaret River Pro na sexta-feira (24), derrotando a sensação do surfe havaiano, John John Florence, 22 anos, com as duas únicas ondas que surfou na final disputada em boas ondas de 6-8 pés em Main Break. Mineirinho perdeu no desempate a decisão da etapa passada, em Bells Beach, para o australiano Mick Fanning, mas agora festejou sua quinta vitória na carreira por 17,53 a 16,87 pontos e vai competir com a lycra amarela de número 1 do ranking no Oi Rio Pro, a nova etapa brasileira da World Surf League no Rio de Janeiro, de 11 a 22 de maio na Barra da Tijuca.
Adriano de Souza vence John John Florence e conquista o pódio do Drug Aware Margaret River Pro / Foto Kirstn scholtz
John John Florence era o único surfista que estava invicto em Margaret River, sem perder nenhuma bateria no campeonato. Já o brasileiro teve que disputar duas a mais, pois foi derrotado nas duas rodadas que não eram eliminatórias, a primeira pelo também havaiano Sebastian Zietz e na quarta fase pelo australiano Taj Burrow, sua primeira vítima na sexta-feira do Drug Aware Margaret River Pro. O havaiano é apontado como forte candidato ao título mundial, mas Mineirinho teve muita frieza e uma precisão cirúrgica para vencer a bateria final nas duas únicas ondas que surfou durante os 40 minutos da decisão.

O brasileiro foi paciente para escolher bem as melhores das séries nas direitas de Main Break, usando o mesmo ataque de três manobras fortes, finalizando com uma batida explosiva na junção. Na primeira recebeu nota 8,93 e na segunda 8,60 para faturar o prêmio máximo de 100.000 dólares por 17,53 a 16,87 pontos. O havaiano começou com notas 7,00 e 7,87 e ainda tirou a maior da bateria - 9,00 - usando a sua incrível variedade de manobras modernas para destruir a melhor onda da final. Com ela, John John conseguiu diminuir a vantagem do brasileiro para 8,53 pontos e ainda teve uma chance para virar o placar, mas recebeu nota 7,07 e terminou como vice-campeão, subindo da 21.a para a oitava posição no ranking liderado por Adriano de Souza.

A decisão do título do Drug Aware Margaret River Pro foi também um tira-teima particular entre os dois finalistas. Eles tinham se enfrentado apenas duas vezes em duelos eliminatórios na divisão de elite, ambos nas quartas de final da etapa norte-americana em Trestles, na Califórnia. O brasileiro venceu o primeiro em 2012, o havaiano deu o troco no ano passado, mas Adriano desempatou este placar para 2 a 1 com a vitória em sua segunda final consecutiva na Austrália. Mineirinho agora totaliza 24.500 pontos no ranking e os únicos que podem lhe tirar a lycra amarela da liderança no Oi Rio Pro, são o australiano Mick Fanning e o também brasileiro Filipe Toledo, que venceu a primeira etapa do ano na Gold Coast.

Por João Carvalho

DC Shoes Brasil e 90´s Skateshop

A DC Shoes Brasil, em parceria com a loja 90´s Skateshop, promove evento para celebrar o lançamento oficial do modelo da marca Lynx em collab com a tradicional Skateshop FTC, dois ícones do skateboarding. A ação acontece no próximo sábado, (25) e o lugar escolhido não poderia ser nada melhor do que uma influente Skateshop paulistana, a 90´s Skateshop. O Lynx FTC teve sua campanha mundial estrelada pelo skatista brasileiro Carlos "Iqui".
À partir das 17h30, o evento contará com a presença dos skatistas Bruno Aguero, JP Dantas, Alex Carolino e Tiago Lemos - atletas do time DC Shoes Brasil, em sessão de autógrafos, mostra de vídeos, abertura dos murais pintados pelo renomado artista Rafael "Highraff", além de Pocket Show do CHAYCO (Família Mada) e distribuição de brindes.
Evento gratuito e aberto ao público.
Serviço:
Evento: Lançamento oficial do modelo Lynx FTC
Local: 90´s Skateshop
Endereço: Rua Ana Cintra, 312 - Sobreloja 2 - Campos Elíseos
Fone: 3361-3376
Horário: 17h30 às 22h

Por Daniela Vinci

23 de abril de 2015

Bruno Jacob treina forte na Bahia

O piloto Bruno Jacob, atualmente 9º colocado no Mundial de Freeride 2015, está treinando intensamente nas ondas da Bahia. Seu local preferido é em Barra de Jacuípe, um paraíso a 35 quilômetros de Salvador, capital baiana. Em ondas de quase dois metros, o atleta realiza seu treinamento focado no circuito, que terá sua próxima etapa em maio em Portugal.
“O local é perfeito, pois em razão da forte correnteza na Barra, a areia do fundo foi arrastada e ficou acumulada em uma área onde o mar encontra o rio, criando uma ondulação muito forte. É uma condição parecida com a de alguns locais onde o Mundial é disputado”, explica Bruno Jacob.

 As próximas etapas do Mundial serão realizadas na Europa. A próxima é daqui um mês em Sintra, Portugal, e centenas de pilotos do mundo inteiro estarão na disputa. “Pretendo viajar duas semanas antes do início da competição para treinar no local e com o equipamento que vou usar no dia da prova. Quero ser campeão esse ano, algo inédito para o Brasil”, finaliza Bruno Jacob.

Por Michele Barcena / Foto Darcy Lucchini

22 de abril de 2015

Courtney Conlogue vence em M-River

A norte-americana Courtney Conlogue, 22 anos, acabou com a invencibilidade da havaiana Carissa Moore, 22, no último desafio da "perna australiana" do World Surf League Championship Tour 2015. Já as semifinais masculinas, com Adriano de Souza na segunda bateria contra Taj Burrow, foram adiadas para às 7h00 da quinta-feira na Austrália, 20h da quarta-feira pelo fuso horário de Brasília. Só as meninas competiram nas ondas de 6-8 pés da quarta-feira em Main Break e a decisão do título foi um tira-teima entre as duas bicampeãs das quatro últimas edições do evento de Margaret River. Apesar da derrota, Carissa Moore continua em primeiro no ranking e vai defender a liderança no Oi Rio Women´s Pro, a nova etapa brasileira da World Surf League nos dias 11 a 22 de maio no Rio de Janeiro.
A quarta-feira foi mais um dia com ótimas condições em Main Break, principalmente as direitas perfeitas de mais de 2 metros de altura para as meninas darem um show de coragem com grandes manobras em Margaret River. Courtney Conlogue venceu esta etapa quando era válida pelo Qualifying Series em 2011 e 2012. No ano seguinte ela entrou no calendário principal do WSL Women´s Tour e Carissa Moore igualou o bicampeonato da norte-americana em 2013 e 2014. As duas fizeram grandes apresentações para chegaram em mais uma final, mas a bateria acabou marcada por longas calmarias, com poucas ondas boas entrando justamente na decisão do título.

Com os 10.000 pontos da vitória, Courtney Conlogue assumiu a vice-liderança no ranking, sendo a única ameaça à primeira posição da Carissa Moore no Oi Rio Women´s Pro. Mas, para a norte-americana só interessa a vitória na etapa brasileira da World Surf League e a havaiana não poderá alcançar as quartas de final, ou seja, não vencer duas baterias nas ondas do Rio de Janeiro. Esta foi a terceira vitória da norte-americana desde que entrou na elite das top-17 que disputam o título mundial em 2011. A última tinha sido na Nova Zelândia em 2013. No ano passado, ela sofreu uma contusão em Bells Beach e não competiu no Brasil, ficando de fora ainda nas duas etapas seguintes, em Fiji e em Huntington Beach, nos Estados Unidos.
Courtney Conlogue (EUA)
Courtney Conlogue começou a quarta-feira decisiva do Drug Aware Margaret River Pro despachando a vice-campeã desta etapa nos dois últimos anos, a australiana Tyler Wright, 21 anos. Mas o seu melhor momento foi na semifinal contra Malia Manuel, 21, a mesma havaiana que ela enfrentou na decisão do seu bicampeonato em 2012. Nesta bateria ela surfou grandes ondas, já iniciando com nota 9,00 na primeira onda, depois 7,00 na segunda, 6,87 na terceira, 8,00 na quarta e 8,53 na quinta para fechar o maior placar do último dia em 17,53 pontos. Malia Manuel também achou boas ondas para tirar notas 8,77 e 7,10 e somar 15,87 pontos, superando o resultado da primeira semifinal.

O duelo que já virou um clássico desta talentosa nova geração do WCT feminino, entre Carissa Moore e a australiana Sally Fitzgibbons, 24 anos, foi o mais acirrado da quarta-feira e definido por uma pequena diferença. A havaiana achou uma onda fantástica para manobrar forte e arrancar a maior nota do dia, 9,33, que acabou decidindo a vitória por 14,73 a 14,27 pontos. Na quarta de final havaiana contra a sensação da temporada, Tatiana Weston-Webb, 18 anos, Carissa também pegou boas ondas para vencer por 17,37 a 9,07 pontos, somando notas 8,70 e 8,67. Com duas vitórias e um vice-campeonato, a havaiana lidera a corrida pelo seu terceiro título mundial com 28.000 pontos, contra 21.700 da nova vice-líder, Courtney Conlogue.
Carissa Moore (HAV)
A hexacampeã mundial Stephanie Gilmore, 27 anos, que defende o título mundial e foi finalista nas duas primeiras etapas vencidas por Carissa Moore, contundiu o joelho em Margaret River e é dúvida para o Oi Rio Pro. Ela agora é a terceira colocada no ranking com 19.300 pontos, seguida pelas também australianas Tyler Wright com 16.900 e Sally Fitzgibbons com 16.300 pontos. A única sul-americana no seleto grupo das 17 melhores surfistas do mundo é a brasileira Silvana Lima, 30 anos, que tirou as duas únicas notas 10 do ano entre as meninas na Austrália e divide a nona colocação com a havaiana Coco Ho, 23 anos.

Agora só falta definir o campeão do Drug Aware Margaret River Pro e a primeira chamada da quinta-feira para as semifinais foi marcada para às 7h na Austrália, 20h da quarta-feira pelo fuso horário de Brasília. O evento está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pela Fox Sports para a Austrália, com coberturas especiais também pelo MCS Extreme na França, EDGE Sports na China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios, com a TV Globo sendo a nova parceira da World Surf League no Brasil.

Por João Carvalho / Fotos Kirstin Scholtz / WSL

Rusty invade Itamambuca

Imagine o cenário: Você chega a uma das mais belas praias do litoral norte paulista, conhecida pela qualidade das ondas e tradição no surf. Na areia, encontra um quiver com seis modelos de pranchas prontas para testá-las, fabricadas por uma das marcas mais renomadas do mundo. Parece sonho ? O melhor é que você não precisa ter medo de acordar. Esse cenário se transformará em realidade no próximo dia 25, quando a Rusty Surfboards desembarca em Itamambuca, Ubatuba (SP), com seu pioneiro e exclusivo ‘test ride’ de pranchas.
Para completar, a empresa fundada na Califórnia, realiza também um “confronto entre surf shops” da região Sudeste, competição inovadora entre duplas formadas por funcionários ou clientes das lojas, bem como um surfista local. Qualquer surfista pode participar do test ride e escolher entre os modelos disponíveis, entre 9 e 14 horas de sábado. Cada inscrição dá direito a uma queda de 30 minutos. E o melhor é que o surfista só precisa refazer o cadastro para voltar à água.

Considerada uma marca de vanguarda no segmento, a Rusty carrega em seu DNA todo know-how adquirido em anos de inovação na fabricação de pranchas, lançando tendências no mercado, sob comando do veterano shaper Rusty Preisendorfer. Em Ubatuba, o destaque fica por conta do modelo “Panda”, do surfista catarinense Willian Cardoso, lançado recentemente em caráter mundial pela empresa. “Na Rusty, é a primeira vez que um brasileiro tem um modelo de prancha produzido para ser comercializado mundialmente (Leo Neves, outro patrocinado pela marca, também teve seu pro-model, mas apenas no Brasil).
Ocorreu imensa procura após o vice-campeonato de Cardoso no US Open do ano passado (na Califórnia/EUA). Todos queriam saber mais sobre sua prancha, já que ele é um surfista pesado e andou muito bem nas marolas”, explica Luciano Costa, gerente de marketing da Rusty. Além de “Panda”, o surfista também poderá escolher entre os modelos Dwart, há cinco anos a mais vendida da marca, Neil Diamond, Zeppellin, O3, Sweetooth e Sistabrotha (estes dois últimos são modelos exclusivos do surfista Noa Deane, vencedor do prêmio Surf Pool Awards do ano passado e renomado aerialista).

Após o test ride, entram em ação os participantes do confronto, em busca do título da região Sudeste, que vale vaga na etapa final na praia do Rosa, além de pranchas Rusty para a dupla campeã. O confronto decisivo rola em novembro, após a seletiva que compreende os estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina para definir a surf shop campeã de 2015. Entre as surf shops convidadas para a prova de Itamambuca estão: Aloha (interior de SP); Surf Trip, Central Surf, Star Point, Super Tubes, Overboard e Star Surf, da capital; Sthill, litoral paulista; WQSurf e Boards Co., do Rio de Janeiro; Indústria Surf Skate e Sun Peak (Vale do Paraíba), Tamborá (MG), Bahamas (ES); Kanui/Waves Shop (lojas virtuais).
Para aguçar a disputa, os competidores só saberão na hora o modelo que irão surfar e ainda contarão com torcida organizada. Defende o título do confronto a rede de lojas Surf Trip, vencedora no ano passado quando o evento foi restrito às surf shops do Sudeste. “A ideia é criar um clima bem descontraído e interagir com nossos atletas. Vamos promover uma grande confraternização para assim fortalecer o surf dentro das lojas. A troca de informações durante o evento também é muito importante para fomentar o mercado”.

Desde 2010, o test ride da Rusty Surfboards dropa nas principais praias do litoral, tais como Baleia (SP), praia Mole (SC), Barra da Tijuca (RJ), Villas (BA), entre outras. “O pessoal não acreditava que poderia pegar uma prancha e surfar. Adaptamos o formato, criamos parcerias com associações locais e chegamos ao que ele é hoje, um evento pioneiro e exclusivo”, destaca Costa.

Por Nancy Geringer

Demétrio e Raphaela: levam o Cearense Surf Univ 2015

As ondas da Praia do Futuro serviram de palco para o show dos surfistas universitários cearenses. Em boas ondas de meio a um metro de tamanho os mais de 100 surfistas inscritos duelaram em busca dos títulos e da boa premiação. Na principal categoria do evento Thomas Demétrio, não deu chances a seus adversários dominando a última e mais importante bateria da competição.
Raphaela Baia / Foto Talles Freitas
Apostando no forte backside, Thomas conseguiu arrancar as maiores notas dos árbitros para conquistar a liderança do circuito e faturar uma passagem para o paraíso do surf, Fernando de Noronha. Na segunda colocação ficou Ícaro Lopes, com Phelipe Maia e Pedro Paulo completando o pódio na terceira e quarta colocações.

Entre as meninas Raphaela Bahia deu uma verdadeira aula de competitividade garantindo duas boas ondas e depois imprimindo uma forte marcação nos minutos finais da bateria pra ficar com o título da Open Universitário Feminino. As também estudantes de Educação Física, Yanca dos Santos e Rubênia Santos, não conseguiram superar Raphaela e terminaram com a segunda e terceira colocações, respectivamente.
Thomas Demetrio / Foto Talles Freitas
Na Master Degree, categoria reservada aos profissionais já graduados, o grande campeão foi o estudante de Fisioterapia da FATENE, Phelipe Maia, com Leuder Angelim em segundo, Gentili Valentin em terceiro e Rui Passos em quarto. Na Free Surf o vencedor foi o estudante de Ed. Física local de Paracuru, Leo Sanders, com Mateus Alves (Educação Física – FIC) em segundo, André Alves (Educação Física – IDJ) em terceiro e Leuder Angelim (Educação Física – Esp. Ed. Física – UECE) na quarta colocação. Na Open Estudantil, categoria destinada àqueles que estão no Ensino Fundamental e Médio, melhor para Félix Júnior com José Gutembergue em segundo, Jhoni Bernardo em terceiro e Adailo dos Santos em quarto.

Por George Noronha

21 de abril de 2015

1ª Etapa do Circuito Estadual Sub 14 2015 do RJ

A nova geração do surfe esquentou o último domingo (19) com as decisivas baterias da primeira etapa do Circuito Estadual Sub 14 2015 do Rio de Janeiro, nas categorias Iniciantes (até 14 anos), Infantil (até 12 anos), Feminino Iniciantes (até 14 anos), Petit (até 10 anos) e Pré Petit (até 8 anos). Foi um domingo de decisões, em ondas que começaram o dia ultrapassando meio metro e que foram diminuindo, exigindo muita técnica e tática dos competidores. Principalmente nas categorias mais experientes, como a Iniciantes, em que o campeão do circuito 2014, Valentino Belga, veio com tudo para a etapa.
Carol Bonelli / Foto Pedro Monteiro
E por pouco Valentim não leva a melhor. Apesar de ter dominado boa parte do confronto, terminou sendo ultrapassado nos minutos decisivos pelo potiguar Thomas Carvalho. Foi um duelo particular, pois o catarinense Guilherme Marques, terceiro, e o saquaremense Valentim Neves, quarto, não se encontraram, já em condições bem difíceis. Thomas competiu no sub 14 a três anos, mas agora voltou de forma inusitada. Como sua bisavó estava doente, a realização da etapa foi uma forma de aproveitar a viagem ao Rio de Janeiro. “Vim com minha mãe visitar minha Bisavó aqui no Rio, e quando fiquei sabendo da etapa não pensei duas vezes. Dedico essa vitória a ela e a minha mãe que me apóiam no surf” disse o surfista de Natal.

Na Infantil, em um duelo entre surfistas cariocas, Eduardo Vicente foi o melhor, seguido de perto pelo cabense Kauai Pinheiro, que lutou até o último segundo. Completaram a final Bernardo Kimaid, terceiro, e Caio Knappi, o quarto classificado. Uma curiosidade é que os quatro competidores chegaram a ocupar a liderança da bateria.
Vitor Santos / Foto Pedro Monteiro
Já no feminino, com a experiência de uma temporada havaiana, a saquaremense Carol Bonelli dominou a disputa e venceu com a autoridade de campeã estadual, partindo com tudo para o bicampeonato. Quem chegou mais perto de Carol foi Julia Camargo, que finalizou em segundo, seguida da paulista Isabela Saldanha e Julia Duarte, a quarta colocada. “Estou muito feliz, quero agradecer os meus pais e o meu treinado Aelson. Também quero parabenizar a organizar pelo apoio ao surf feminino” disse Carol.

Enquanto isso, na Petit, Diego Templar e Rafael Lufty travaram um duelo entre atletas da nova geração de Saquarema. No final Diego levou a melhor, deixando Rafael em segundo. O terceiro foi Pedro Henrique, com o capixaba Jefferson dos Santos em quarto lugar.
Richyson / Foto Pedro Monteiro
Fechando a série de finais, na categoria entre os mais novos, para surfistas com até 8 anos, o saquaremense Rickson Falcão, em seu primeiro campeonato da carreira, começou com o pé direito, superando três surfistinhas mais experientes. Rickson, filho do Pardal de Saquarema, foi o melhor, seguido de Gabriel Dantas, o potiguar Vitor Santos que na semi final fez uma nota 10 a maior do evento e do local do Recreio, Enzo Telles.

Por Pedro Monteiro

20 de abril de 2015

GoPro está na Final do Rip Curl Grom Search Internacional

A GoPro participará ativamente da Final Internacional do Rip Curl Grom Search, que será realizada a partir do dia 27 no Brasil. A marca apresenta a final mundial para surfistas com até 16 anos, evento que tem em sua galeria de campeões ninguém menos que Gabriel Medina, vitorioso em 2010, na Austrália, em seu primeiro título internacional, iniciando a sua arrancada como fenômeno.
Foto divulgação
Pela primeira vez, a competição será realizada no Brasil e a Praia de Maresias, em São Sebastião, foi escolhida, justamente por ser a “casa” do atual campeão do WCT. Serão 16 surfistas de nove países (oito no masculino e oito no feminino), vencedores de seletivas regionais pelo Mundo, tendo como ‘hostess” Gabriel Medina, que acompanhará a definição dos novos campeões, além de surfar e conviver durante alguns dias com os finalistas.

Para o gerente de vendas da GoPro para a América Latina, Sérgio Bruno, a parceria reforça o posicionamento da marca, líder mundial no segmento de câmeras portáteis. “A GoPro nasceu da vontade de um surfista querer fotografar suas próprias ondas. É muito natural para a marca estar em eventos como este, que trazem aventura, contato com a natureza e esportividade em um ambiente saudável e de confraternização”, comenta.
Maresias / Foto Munir El Hage
Estarão na disputa o catarinense Anderson Júnior, os paulistas Guilherme Vilas Boas, Gabriel Ramos e Alax Soares e os potiguares Vitor Costa e Mateus Sena. Entre as meninas, garantiram vagas a carioca Luara Thompson, a catarinense Tainá Hinckel e as paulistas Louise Frumento, Melissa Policarpo, Victória Mazzoni e Yohanna Serrat. O catarinense Leonardo Barcelos garantiu o título da iniciante, enquanto que o paulista Diego Aguiar foi o campeão da grommet.

A Final Internacional do Rip Curl Grom Search será realizada entre os dias 28 deste mês e 3 de maio, nos dois dias que apresentarem as melhores condições de ondas. Antes, no dia 27 será realizada a final brasileira, para definir os campeões sub16 que disputarão o evento em 2016. Nesse mesmo dia, os competidores participam de cerimônia de abertura, já com a presença de Gabriel Medina.
Criada em 2002 pelo empreendedor e surfista Nick Woodman, a GoPro revolucionou o mercado de câmeras digitais e hoje é comum atletas utilizarem o equipamento para registros pessoais nas mais diversas modalidades. Sérgio Bruno ressalta o crescimento da marca no Brasil, lembrando a instalação de uma fábrica de câmeras e equipamentos em Sorocaba/SP. “A GoPro quer se fazer cada vez mais presente e disponível para o público brasileiro. Percebemos nas redes sociais que os internautas brasileiros eram um dos grupos que mais cresciam e interagiam com a marca, mostrando que havia uma demanda e levantando um sinal para que a GoPro voltasse suas lentes para cá. E o sinal foi visto”, argumenta.

Por Fábio Maradei





19 de abril de 2015

2ª Trip Nalu Surfboards 2015

Está tudo nos trilhos para a equipe Nalu Surfboards colocar em prática sua segunda Surf Trip, desta vez na Praia de Torres. A aventura será no final de semana de 25 e 26 de abril. A trip também fortalecerá a participação dos atletas nas próximas etapas do Circuito Gaúcho de Surf 2015, após a chegada em Torres, o surf ficará na praia que estiver rolando as ondas, tudo será registrado por fotos e filmagem.
Após a manhã de surf, virá o almoço, light ,e no inicio da tarde, palestra sobre julgamento com o arbitro de surf Paulo Buch, e na sequencia, informações sobre a prancha de surf, funcionamento do fundo, colocação de quilhas, e outras coisas mais com o shaper Fábio Di Leone.

Após duas palestras os surfistas voltaram ao mar e lá permaneceram até o fim do dia. Já no início da noite, haverá palestra sobre exercício funcional ao surf, com o professor Marcio Abreu, da Multisaúde. Em seguida será oferecido um jantar com todos os participantes e, no domingo, terão que colocar em prática tudo que foi mencionado.

Fonte Nalu

18 de abril de 2015

Star Point apresenta o seu Inverno 2015

Moletons e malhas mesclas trazem o tom e o conforto como itens chaves da estação. O surf, o skate e a natureza aparecem como estampa nas camisetas e casacos. O xadrez invade as prateleiras com tecidos flanelados e fazendo conexão com todas as tribos, que vão do asfalto à areia.
Foto Divulgação
Na linha "waterman", com produtos feitos para deixar o homem cada vez mais perto do mar, a aposta fica na força da "Star Point CREW" e seus atletas embaixadores como Ivan Vaz, Alex Ribeiro, Sylvio Mancusi, Claudia Gonçalvez e Américo Ribeiro. Além do designer André Freitas, que assina a coleção. A arte e cultura "surf" estão sempre presentes, seja nas estampas ou no conceito de construção das peças que compõem o inverno da marca, fazendo um mix de performance, qualidade, arte e alma.

Por Daniela Vinci

Exposição Art’n Boardshorts

As obras estão expostas no Brasil pela primeira vez e ficam na loja da Star Point Moema até o final do mês de abril. Apresentada pelo artista plástico paulistano Kemel Addas Neto "Ne". Ao todo são 16 telas de Surf Art acompanhadas de um boardshorts desenvolvido exclusivamente para a marca, com a mesma estampa da tela e de tamanho único 42. Quem comprar um dos quadros levará junto a bermuda exclusiva. As obras estarão na loja até o final de abril e pode ser conferida por quem passar por lá.
Kemel "Ne" começou a fotografar surf aos 17 anos para a revista Fluir. Aos 18 mudou-se para a Califórnia onde deu inicio à sua carreira de design de moda. Desde então não parou de criar. Suas obras possuem inspiração do surf e da cultura dos lugares por onde passou. Atualmente, "Ne" conta com mais de 2 mil modelos criados para marcas consagradas, sempre complementando a arte e o surfe.
Serviço:
Exposição Art’n Boardshorts by Kemel Addas Neto "Ne"
Data: de 07/04 a 30/04
Horário: Das 10h às 22h
Local: Flagship Star Point - Av. Iraí, nº 224

Por Gabriela Schwartz

17 de abril de 2015

Ranking atualizado em M-River

Com os resultados da sexta-feira (17.04) atualizados no ranking, Miguel Pupo caiu do oitavo para o décimo lugar, mas Jadson André e Italo Ferreira permanecem empatados na 17ª posição com o australiano Matt Wilkinson e o irlandês Glenn Hall. Já o campeão mundial Gabriel Medina, que não venceu nenhuma bateria em Margaret River, despencou da nona para a 16ª colocação. Os três ainda podem ser ultrapassados pelo defensor do título do Drug Aware Margaret River Pro, Michel Bourez, do Taiti, e pelo convidado desta etapa, Jay Davies.
Jay Davies (AUS) / Foto Kelly Cestari / WSL
Estes dois também ameaçam tirar o paulista Wiggolly Dantas do grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos top-34 do WCT para a próxima temporada. Guigui é um dos estreantes deste ano no World Surf League Championship Tour e começou muito bem chegando as quartas de final da primeira etapa na Gold Coast. Mas, depois não passou nenhuma bateria em Bells Beach e nem em Margaret River, onde foi barrado pela outra novidade da "seleção brasileira", o potiguar Italo Ferreira.

Na parte de cima da tabela, Adriano de Souza já aparece encabeçando a classificação geral, ultrapassando os dois surfistas que dividiam a liderança do ranking com a sua passagem para a quarta fase do Drug Aware Margaret River Pro. O primeiro a cair foi Filipe Toledo, que no dia que completava 20 anos de idade acabou eliminado pelo neozelandês Ricardo Christie na segunda fase. Já Mick Fanning parou na grande surpresa do evento, Jay Davies, que usou todo o seu conhecimento do pico em The Box para liquidar os dois melhores surfistas do mundo no ano passado.

Depois da terceira fase masculina, ainda na tarde da sexta-feira foi iniciada a etapa feminina do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour em Margaret River. As meninas estavam ansiosas para competir em ondas tão grandes em Main Break, com mais de 2,5 metros de altura, mas as condições estavam boas para as meninas. As primeiras vitórias foram conquistadas pela norte-americana Lakey Peterson, a australiana Sally Fitzgibbons e pela líder do ranking mundial, Carissa Moore, havaiana que venceu as duas primeiras etapas da temporada e defende o título de campeã em Margaret River conquistado no ano passado.
Lakey Peterson (USA) / Foto WSL
A primeira chamada do sábado foi marcada para as 7h00 na Austrália, 20h00 da quarta-feira pelo fuso horário de Brasília, O Drug Aware Margaret River Pro está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pela Fox Sports para a Austrália, com coberturas especiais também pelo MCS Extreme na França, EDGE Sports na China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios, com a TV Globo sendo a nova parceira da World Surf League no Brasil.

Fonte WSL

Adriano de Souza é o lider em M-River

O Brasil já recuperou a primeira posição no ranking mundial com Adriano de Souza, após a sua vitória sobre o neozelandês Ricardo Christie e a eliminação do ex-líder Mick Fanning para o surfista local, Jay Davies, na terceira fase do Drug Aware Margaret River Pro na Austrália. Mineirinho conquistou a única vitória entre os quatro brasileiros que competiram nas grandes ondas de 8-12 pés da sexta-feira em The Box e depois em Main Break. O também paulista Miguel Pupo perdeu para o americano Nat Young em The Box e os potiguares Jadson André e Italo Ferreira foram derrotados em Main Break pelos australianos Owen Wright e Josh Kerr, respectivamente, com os três ficando em 13º lugar na última etapa da perna australiana do World Surf League Championship Tour 2015.
Adriano de Souza (SP) / Foto Kelly Cestari / WSL
Adriano agora tem duas chances de classificação para as quartas de final e confirma o primeiro lugar no ranking se avançar para as semifinais em Margaret River. O único que pode impedir que Mineirinho participe da etapa brasileira do WCT, nos dias 11 a 22 de maio no Rio de Janeiro, com a lycra amarela de número 1 do mundo é Julian Wilson. Mas, para isso, o australiano tem que vencer o Drug Aware Margaret River Pro e Adriano de Souza não passar das quartas de final. A sexta-feira foi mais um dia de mar difícil e ondas desafiadoras tanto em The Box como em Main Break, onde Kelly Slater deu um verdadeiro espetáculo na última bateria do dia, ganhando nota 10 num tubaço e estabelecendo um novo recorde de 19,50 pontos para o campeonato.

Já Adriano de Souza competiu no penúltimo duelo do dia em The Box, quando o mar já apresentava grandes intervalos entre as séries e poucas ondas entravam abrindo os tubos. Mesmo assim, Mineirinho achou um muito bom no começo para largar na frente com nota 7,83 que praticamente definiu sua vitória sobre o algoz do ex-líder do ranking, Filipe Toledo, o neozelandês Ricardo Christie. O placar foi encerrado em 9,60 a 4,37 pontos e o da vitória de Julian Wilson sobre o também australiano Adrian Buchan foi menor ainda, 7,50 a 6,77, com a comissão técnica decidindo parar a competição em The Box e mudar para Main Break.
Ítalo Ferreira (RN) / Foto Kirstin Scholtz / WSL
O único que pode ultrapassar Adriano de Souza é Julian Wilson, que será um dos seus adversários na disputa pela terceira vaga direta para as quartas de final na quarta rodada do Drug Aware Margaret River Pro, que vai abrir o sábado nas direitas de The Box. Outro australiano completa esta bateria, Taj Burrow, que é local de Margaret River como o vencedor da triagem, Jay Davies, que já despachou o atual campeão mundial Gabriel Medina na quinta-feira e o tricampeão Mick Fanning, que defendia a ponta do ranking na sexta-feira.

O Brasil estreou na sexta-feira e Miguel Pupo conseguiria a classificação se saísse do último tubo que surfou contra o norte-americano Nat Young, que levou a melhor por uma pequena diferença de 13,50 a 12,37 pontos. Os outros dois brasileiros, ambos do Rio Grande do Norte, competiram em Main Break, que bombava séries mais constantes de 10-12 pés, com as direitas apresentando bons tubos e paredes gigantes para grandes manobras. Italo Ferreira surfou bem e segurou a classificação até o último minuto com as notas 5,83 e 7,83 das duas únicas ondas que pegou contra o vice-campeão desta etapa no ano passado, Josh Kerr. O potiguar de Baía Formosa tinha a prioridade de escolha e uma vantagem de 6,84 pontos, então passou a marcar de perto o australiano. Só que ele escapou remando forte para uma onda que formou um lindo tubo para Josh Kerr ganhar uma nota 7,67 e virar o placar para 13,66 a 11,50 pontos. Os dois potiguares terminaram em 13.o lugar como Miguel Pupo e marcaram 1.750 pontos no ranking, com cada um recebendo 10.500 dólares de prêmio.

Por João Carvalho