20 de dezembro de 2014

Medina conquista o último título mundial do WCT

O título mundial de Gabriel Medina foi o último da história da Association of Surfing Professionals (ASP), entidade que em 1983 substituiu a International Professional Surfers (IPS) que organizou o circuito desde o seu início em 1976 até 1982. A partir de 2015, a ASP muda de nome para World Surf League com a sigla WSL. O primeiro campeão do Brasil agora pode inaugurar uma nova Era e já marcou isso sendo o primeiro surfista a conquistar o título com 20 anos de idade desde Kelly Slater em 1992, quando Medina ainda não tinha nem nascido, pois só veio ao mundo em 22 de dezembro do ano seguinte.
O último título é do Medina / Foto Kirstin Scholtz / ASP
O Billabong Pipe Masters também definiu a relação final dos top-34 que vão disputar o primeiro título mundial da World Surf League no ano que vem. No entanto, ninguém conseguiu ingressar no grupo dos 22 primeiros colocados no ranking que são mantidos na elite. Quem mais carregou a esperança de conseguir isso foi o brasileiro Alejo Muniz, no entanto ele necessitava da vitória no Havaí para permanecer no WCT. Ele até se destacou ao derrotar o onze vezes campeão mundial Kelly Slater e o tricampeão Mick Fanning surfando ótimos tubos no Backdoor, mas parou no australiano Adrian Buchan nas quartas de final e terminou em 26.o lugar no ranking final do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014.

Além de Alejo Muniz, quem também ficou de fora do grupo que vai disputar o título mundial no ano que vem foi o carioca Raoni Monteiro. Mas, o número de sete brasileiros que disputou o último WCT da ASP será o mesmo no primeiro circuito da World Surf League, com o paulista Wiggolly Dantas e o potiguar Italo Ferreira sendo as duas novidades classificadas pelo G-10 do Qualification Series para substituí-los na seleção verde-amarela de 2015. Eles serão os reforços na equipe comandada pelo novo campeão mundial Gabriel Medina, os também paulistas Adriano de Souza, Filipe Toledo e Miguel Pupo e o potiguar Jadson André.

O inédito título de Gabriel Medina no WCT consagrou uma temporada verde-amarela no Circuito Mundial deste ano. O também paulista Filipe Toledo foi o número 1 do ASP Qualification Series e a cearense Silvana Lima confirmou o seu retorno a elite das top-16 do WCT também em primeiro lugar neste mesmo ranking da categoria feminina. O Brasil ainda ficou muito próximo de conquistar mais dois títulos mundiais em 2014, com o carioca Phil Rajzman no Longboard e o paulista Deivid Silva no Pro Junior. Ambos foram vice-campeões nas finais contra o australiano Harley Ingleby e o português Vasco Ribeiro, respectivamente. Nos pranchões, a carioca Chloe Calmon também conseguiu um feito inédito para o Brasil com o terceiro lugar conquistado nas semifinais do Mundial de Longboard na China.

Por João Carvalho  

Nenhum comentário:

Postar um comentário