8 de dezembro de 2014

Gabriel Medina lidera o ranking, decisão do título já começou

Começou hoje (segunda-feira) o prazo da grande final do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour que vai decidir o campeão mundial de 2014 no Havaí. A expectativa é pelo primeiro título do Brasil, com o paulista Gabriel Medina, de apenas 20 anos de idade, podendo conseguir este feito inédito no Billabong Pipe Masters em Banzai Pipeline. Ele liderou o ranking em nove das dez etapas já disputadas e só depende dele mesmo, porém tem dois concorrentes que juntos somam quatorze títulos mundiais, o onze vezes campeão Kelly Slater, 42 anos, e o tricampeão Mick Fanning, 33.
Foto Ed Sloane
O brasileiro tem uma grande vantagem de 6.500 pontos que obriga Kelly Slater ter que vencer o Pipe Masters. Mas, Mick Fanning diminuiu a diferença para 3.450 com a vitória na etapa passada, o Rip Curl Pro Peniche em Portugal. Medina tinha chance de garantir o troféu de campeão mundial por antecipação na Europa, mas foi surpreendido pelo norte-americano Brett Simpson na terceira fase. O melhor para ele foi que Kelly Slater também perdeu o duelo seguinte para o espanhol Aritz Aranburu. Com isso, Mick Fannig passou a ser a maior ameaça para o primeiro título brasileiro no Circuito Mundial de Surfe Profissional.

Diferente dos últimos anos, o Billabong Pipe Masters será disputado com o mesmo formato das outras etapas do WCT, com os 36 participantes divididos em doze baterias e repescagem para os que perderem na primeira fase. Até o ano passado, eram 48 competidores distribuídos em três rodadas eliminatórias para incluir quatorze convidados pelos organizadores, principalmente do Havaí. Já os doze melhores do ranking entravam direto na terceira rodada da competição, ou seja, se continuasse assim Gabriel Medina tiraria Kelly Slater da briga do título com vitória em sua primeira bateria no campeonato.
Gabriel Medina (BRA) / Foto Kirstin Scholtz / ASP
Agora o brasileiro terá de ganhar duas para isso e foi criada uma triagem para classificar apenas dois havaianos para completar a rodada de apresentação dos melhores surfistas do mundo no templo sagrado do esporte na ilha de Oahu. Um deles será o terceiro adversário de Gabriel Medina no sexto confronto do primeiro dia de boas ondas em Banzai Pipeline, pois o prazo do Billabong Pipe Masters vai até 20 de dezembro. O outro é o espanhol Aritz Aranburu e Medina vai estrear já sabendo dos resultados de Kelly Slater e Mick Fanning, que competem nas duas baterias antes da dele.

O primeiro candidato ao título a se apresentar no último evento da história da Association of Surfing Professionals, que vai mudar o nome para World Surf League (WSL) a partir de 2015, será o maior fenômeno da Era ASP, Kelly Slater. Semanas atrás ele contundiu os dedos do pé, mas está escalado na quarta bateria com os australianos Matt Wilkinson e Mitch Coleborn, substituto do lesionado Adriano de Souza no Billabong Pipe Masters. Na disputa seguinte entra Mick Fanning com o também australiano Adam Melling e o outro classificado na triagem havaiana. Esta rodada inicial é classificatória e os vencedores das baterias avançam direto para a terceira fase, mas os perdedores têm uma segunda chance na repescagem.
Kelly Slater (EUA) / Foto Kelly Cestari / ASP
No Billabong Pipe Masters, os três concorrentes vão trocar os mesmos 1.750 pontos do segundo pior resultado deles na temporada, pois o pior já foi descartado em Portugal. Medina lidera o ranking com 56.550 pontos, Fanning tem 53.100 e Slater está somando 50.050 nos oito resultados computados. Para Slater só interessa a vitória no Pipe Masters para superar a pontuação atual do brasileiro e Fanning consegue isso nas semifinais. Mas, o australiano já iguala os 56.550 pontos quando passar para as quartas de final. Se terminarem empatados, o título mundial será decidido em uma bateria extra.

Se Banzai Pipeline estiver melhor do que o Backdoor, bom para Medina que neste ano foi campeão nas outras duas etapas do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour com esquerdas tubulares, na temida Teahupoo no Taiti e em Cloudbreack nas Ilhas Fiji. Ele depende só dele mesmo para trazer o primeiro título mundial para o Brasil. Para aumentar sua somatória no ranking, precisa passar da terceira fase para trocar os 1.750 pontos do 13.o lugar em Portugal por 4.000 da nona colocação no Havaí. Aí atingiria 58.800 pontos e já tirava Kelly Slater da corrida do título, pois o onze vezes campeão mundial só consegue alcançar 58.300 com uma vitória em Banzai Pipeline. Além disso, o brasileiro obrigaria Mick Fanning a ser finalista para supera-lo, ou seja, poderia comemorar o título a partir daí se o australiano perder antes da final.
Mick Fanning (AUS) / Foto Kirstin Scholtz / ASP

Caso Medina avance para as quartas de final e terá duas chances para isso, na quarta fase ou na repescagem, Fanning passa a necessitar da vitória no Havaí. A situação é a mesma se o brasileiro passar para as semifinais, pois ele ficando em terceiro lugar o australiano ainda poderá superar os seus 61.300 pontos com os 61.350 que conseguiria com o título no Pipe Masters. No entanto, se os dois forem para a grande final o troféu de campeão mundial de 2014 será de Gabriel Medina independente do resultado da bateria, pois já atingiria imbatíveis 62.800 pontos no ranking final do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário