16 de dezembro de 2014

Danilo Couto desafia Pipeline

Enquanto todos estão na expectativa do desempenho de Gabriel Medina nas ondas de Pipeline, quem brilhou na emblemática praia no sábado (13) foi outro brasileiro, o big rider Danilo Couto. Tão logo a ASP decidiu cancelar o Pipe Masters, por segurança dos atletas, devido às condições do mar, surfista baiano correu para pegar a sua prancha e dropar os tubos em ondas de até 15 pés (cerca de 4,5 metros). “Assim que pararam o campeonato, saí correndo para pegar a minha prancha. As condições estavam pesadas, swell novo entrando. Ainda bastante areia na bancada, então estava um pouco perigoso e não muito perfeito, mas são exatamente essas condições e tamanho que geralmente surfo Pipe. Foi uma ótima decisão terem parado o campeonato para a galera cair para dentro”, comemorou. “Estava difícil, vento forte, o mar ainda subindo muito, varrendo muito. Passei perrengues logo que entrei, tomei caldos. E já mais para o final do dia, o mar acertando, achei os tubos bons”, contou.
Danilo Couto - Pipeline 2014
Ele usou uma prancha 8’6” quadriquilha para enfrentar os melhores tubos da temporada até o momento, aproveitando para continuar seus treinos. “A prancha é a que sempre uso para essas condições. É veloz”, ressaltou. “Esse último mês deu muitas ondas boas. Surfei Jaws quatro vezes em um mês. Deu para testar as pranchas, pegar um ritmo bom. Isso é maravilhoso. A temporada está no ápice, e vem por ai mais swell grande atrás”, acrescentou o atleta patrocinado pela Seaway e que tem copatrocínios da HB e Rhyno Foam.

E já que está “em casa”, Danilo está acompanhando de perto do Pipe Masters e, claro, na torcida pelo título de Gabriel Medina na final do WCT, na expectativa do Brasil ter seu primeiro campeão na elite do surf mundial. “Boto maior fé que o Medina vai se dar bem. Não vai ser fácil. Parece que deve dar bastante mar com ondas para a direita, para Backdoor, que é muito difícil para quem surfa de backside. Sei disso porque sou backside lá. E estará competindo com caras muito bons. Mas sei que tem muito talento e vou torcer para ele surpreender todos e mostrar que realmente é um fenômeno e estamos aqui na torcida”, disse.
Aos 39 anos de idade, sendo 18 morando no arquipélago havaiano, Danilo Couto é hoje um dos mais respeitados surfistas de ondas grandes. Tanto que está selecionado como o quarto alternate do 30º Eddie Aikau, campeonato especial e muito aguardado, só realizado em ondas realmente gigantes, em Waimea Bay. Bem treinado, com a prancha no pé, Danilo está na expectativa de brigar por mais esse título, caso o evento seja disputado. “Sou o único brasileiro com alguma chance de participar.

Grande responsabilidade, mas ao mesmo tempo, um grande prazer, uma oportunidade incrível, que espero há muito tempo. Essas quatro primeiras vagas de alternate, as chances são reais de surfar, caso aconteça. Estou preparadíssimo, depois dessa sequência boa de swells. Estou tranquilo, amarradão, feliz da vida, só esperando a oportunidade”, revelou o atleta também contente com o seu retorno à Seaway. “Foi meu primeiro patrocinador e estamos de volta. Parceria boa”, completou.
Vale lembrar que Danilo Couto é o brasileiro com o maior número de finais, dez até agora, na história do XXL Big Wave Awards, a maior premiação de ondas grandes do Mundo. Em 2011, ele conquistou um prêmio histórico, ao vencer a categoria Ride of the Year - onda mais impressionante do ano, com uma "bomba" domada de forma audaciosa em Jaws, no Havaí.

Por Fábio Maradei / Foto Cinthia Paranhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário