4 de dezembro de 2014

Brazil Storm nas oitavas de final no Havaí

Os líderes dos rankings mundiais, Gabriel Medina no WCT e Filipe Toledo no QS, foram dois dos cinco brasileiros que passaram para as oitavas de final da Vans World Cup of Surfing nas baterias da rodada de estreia das principais estrelas do ASP Prime de Sunset Beach, no Havaí. Os outros que também se classificaram nas ondas difíceis de 6-8 pés da quarta-feira foram o catarinense Alejo Muniz e o paulista David do Carmo, que ainda têm chance de vaga no G-10 do ASP Qualification Series para o WCT do ano que vem, além do carioca Lucas Silveira, que derrotou três havaianos, incluindo os tops da elite Fredrick Patacchia e Sebastian Zietz, em sua segunda vitória nas direitas de Sunset Beach.
Gabriel Medina (SP)
Com a passagem para as oitavas de final, Lucas retornou ao grupo dos 100 primeiros do ranking que podem participar das etapas mais importantes do ranking de acesso para o WCT. Mas, ninguém ainda conseguiu ingressar na lista dos 10 indicados pelo ASP Qualification Series para completar os top-34 que vão disputar o título mundial de 2015. O último ASP Prime de 6.500 pontos do ano começou com 55 surfistas tendo chances matemáticas de entrar no G-10, mas só restaram onze para brigar pelas últimas vagas, com oito deles ameaçando a classificação do brasileiro Tomas Hermes. Na quarta-feira, o catarinense foi ultrapassado pelo australiano Matt Wilkinson e caiu para a penúltima posição na lista, acima apenas do australiano Jack Freestone.

Os que estão mais próximos do G-10 agora são o neozelandês Ricardo Christie e Charles Martin, da Ilha Guadalupe, que entram na zona de classificação para o WCT se passarem para as quartas de final e já tiram as vagas de Tomas Hermes e Jack Freestone. E os dois vão competir na mesma bateria das oitavas de final, a sexta, contra os havaianos Sebastian Zietz e Mason Ho. Os outros que também podem ultrapassar o brasileiro são o havaiano Dusty Payne se chegar nas semifinais, o neozelandês Billy Stairmand e o australiano Garrett Parkes se passarem para a grande final, Jonathan Gonzalez, das Ilhas Canárias, se ele ficar entre os três primeiros na bateria decisiva da Vans World Cup of Surfing, o australiano Garrett Parkes se for vice-campeão no mínimo e o sul-africano Beyrick De Vries se vencer o campeonato.
Alejo Muniz (SC)
Mais três surfistas também continuam com chances matemáticas, mas para eles só interessa a vitória em Sunset Beach e com os 6.500 pontos só conseguem superar os 10.440 pontos do último colocado no G-10, Jack Freestone. Entre eles, os dois últimos brasileiros que ainda estão vivos na batalha pelas últimas vagas para o WCT 2015, o catarinense Alejo Muniz e o paulista David do Carmo. Mas, mesmo que vençam a Vans World Cup, eles e o australiano Wade Carmichael, ainda irão depender dos resultados dos outros oito concorrentes acima citados que também podem tirar a vaga do catarinense Tomas Hermes.

Entre os que saíram da briga na quarta-feira, está o outro brasileiro que tinha chance de vaga no G-10, o carioca Raoni Monteiro, que foi barrado logo no primeiro confronto do dia pelos havaianos Keanu Asing e Ian Walsh. Depois vieram duas vitórias verde-amarelas, com Filipe Toledo fazendo a primeira defesa da liderança do ranking contra três concorrentes as últimas vagas para o WCT. O sul-africano Beyrick De Vries ganhou a disputa pelo segundo lugar e acabou com as chances do espanhol Aritz Aranburu e do italiano Leonardo Fioravante. O catarinense Alejo Muniz conquistou a segunda vitória brasileira do dia derrotando os australianos Wade Carmichael e Perth Standlick, além do norte-americano Nat Young.
Filipe Toledo (SP)
Alejo agora vai competir junto com o número 1 do mundo, Gabriel Medina, que passou em segundo lugar na sua bateria vencida pelo havaiano Dusty Payne. Os adversários dos brasileiros na terceira oitava de final serão o australiano Davey Cathels e Jonathan Gonzalez, das Ilhas Canárias, que estão disputando vagas no G-10 como Alejo Muniz. Outra participação dupla do Brasil acontece na quinta bateria com David do Carmo e Lucas Silveira, que já fizeram uma dobradinha verde-amarela vitoriosa na segunda fase. O desafio da dupla agora será contra o australiano Josh Kerr e o havaiano Alex Smith.

O carioca Lucas Silveira nem ia participar da Vans World Cup of Surfing, mas o paulista Alex Ribeiro se contundiu e ele entrou para substituir o surfista que conquistou o título sul-americano profissional da ASP South America esse ano. Lucas aproveitou a chance e venceu as duas baterias que disputou nas ondas difíceis de Sunset Beach. Na primeira, David do Carmo completou a dobradinha brasileira sobre o norte-americano Patrick Gudauskas e o australiano Thomas Woods. E a segunda foi sobre três havaianos, Sebastian Zietz que avançou em segundo lugar e os eliminados Fredrick Patacchia e Kai Barger.
Dusty Payne (HAW)
Antes de Lucas Silveira encarar três locais das ilhas, David do Carmo tinha vencido a sua bateria em outra participação dupla do Brasil, só que nesta o já garantido no WCT 2015, Wiggolly Dantas, terminou em último lugar. Na briga pela segunda vaga da bateria, o havaiano Mason Ho foi melhor do que o francês Maxime Huscenot. Além de Wiggolly Dantas, outros três brasileiros que vão disputar o título mundial no ano que vem não acharam boas ondas e ficaram em último nas suas baterias, o paulista Miguel Pupo e os potiguares Jadson André e Italo Ferreira. A Vans World Cup of Surfing está sendo transmitida ao vivo pelo www.aspworldtour.com

Por João Carvalho / Fotos Ed Sloane / ASP

Nenhum comentário:

Postar um comentário