26 de novembro de 2014

Francisco Lufinha desafia limites

Portugal / 2014 - A Mini Kitesurf Odyssey volta a desafiar todos os limites com uma nova etapa protagonizada por Francisco Lufinha que, agora, se aventura na ligação entre as Ilhas Selvagens - o território mais a sul do país - e o Funchal. São cerca de 300 kms que o atleta prevê completar em cerca de dez horas sem paragens entre ondas que podem atingir os dez metros e que vão colocar à prova o detentor do recorde do mundo de maior viagem em kitesurf sem parada. Lufinha lança-se assim nas profundas águas do Oceano Atlântico e será a primeira pessoa a ligar os dois pontos do arquipélago da Madeira em kitesurf. Esta travessia terá a particularidade de ser feita no sentido Sul-Norte, o que torna este desafio ainda mais complexo, já que só terá lugar na presença de ventos fortes do quadrante Sul que habitualmente trazem também grandes ondulações, precipitação e pouca visibilidade. O desafio tem marca prevista até o final do ano, estando sujeito às previsões meteorológicas do Instituto Hidrográfico da Marinha.
Francisco Lufinha 
O atleta, que em 2013 bateu o record do mundo completando a maior viagem em kitesurf sem parada, ao ligar o Porto a Lagos, informa que: “quando fiz a costa do continente percorri muitas milhas e demorou muitas horas, desta vez serão 300 Km mas o vento será muito mais traiçoeiro, poderá até ser contra na chegada ao Funchal e vou ser uma gota em pleno Oceano Atlântico, sem grandes escapatórias. Este desafio vai exigir uma preparação muito intensa e minuciosa ao nível logístico, físico e psicológico.” Para concretizar este desafio, o ex-campeão nacional de kitesurf tem desenvolvido uma forte preparação e afirma-se pronto para as adversidades. “Tenho trabalhado ao máximo para manter toda a equipe em sintonia, garantir que estão cobertas todas as necessidades em nível de comunicações, alimentação, logística, segurança e claro, treinado ao máximo no mar quando o vento se junta à equipa”.

Quanto à escolha do percurso Ilhas Selvagens-Funchal para esta que é a primeira etapa oceânica da Mini Kitesurf Odyssey, Lufinha acrescenta: “gosto de desafiar os limites e partir da Selvagem Pequena, tem um grande simbolismo para mim”.

Por Goncalo Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário