9 de setembro de 2014

Magno vence o Rip Curl Guarujaense de Surf 2014

Magno Pacheco é o supercampeão do Rip Curl Guarujaense 2014. Assim como no ano passado, o surfista de 25 anos faturou a categoria open e foi o melhor na disputa entre os campeões do Circuito, na 3ª e decisiva etapa do ranking no último domingo (31), na praia do Tombo, em Guarujá. Esta foi a terceira vez que Tim, como é conhecido, garantiu o título especial e como prêmio, ganhou uma viagem para a para a Indonésia, com passagens aéreas e hospedagem durante dez dias na ilha de Bali. Outro destaque do campeonato foi Eduardo Motta, conquistando os títulos da iniciante e da estreante (onde comemorou o tri).
Carlos Bahia
O veterano Jojó de Olivença ergueu novamente a taça da master, sendo o único a ter 100% de aproveitamento nas três etapas. Também comemoraram os títulos Edgard Groggia, na júnior; Leonardo Guimarães, na mirim; Michel Jonas, no SUP; Kayane Reis, com o bi na feminina; e Luan Xavier, na longboard. Como Kayane é de Saquarema e Luan é de Itanhaém, Erica Lima e Danilo Rodrigo foram declarados campeões municipais, respectivamente.

Na etapa, o destaque foi Vitor Mendes, vitorioso em duas categorias, a júnior e a mirim. Gabriel André também chegou a duas finais, mesmo com fortes dores nas costas, ficando em quarto na open e na júnior. Carlos Bahia, de São Sebastião, levou a melhor na longboard, e no SUP, uma final de nível mundial, com Eric Miyakawa vencedor, Matheus Salazar, atual campeão brasileiro profissional, em segundo lugar, Michel Jonas, em terceiro, seguido do Leco Salazar, campeão do Mundo em 2012. Na final para definir o supercampeão, seis surfistas no mar. Além de Magno, Edgard Groggia, Leonardo Guimarães, Eduardo Motta, Jojó de Olivença e Danilo Rodrigo. Uma bateria “democrática”, com pranchinhas e pranchão e a idade indo dos 11 de Mottinha aos 47 do veterano Jojó, que tem na “bagagem”, o bicampeonato brasileiro profissional e temporadas no WCT.
Kaiane Reis

Magno, que já vinha surfando muito bem, manteve o ritmo. Logo na segunda onda, garantiu um 7,5, com três manobras fortes, para assumir a ponta. Depois, tirou um 6,33 para consolidar a liderança. A disputa pelo segundo lugar estava equilibrada, entre Edgard e Danilo. Leonardo também chegou perto. Faltando um minuto, o campeão júnior voou para tentar virar o jogo, tirando 6,57.

E para não correr risco, Magno pegou uma esquerda, imprimiu grande velocidade, terminando com um belo aéreo, para arrancar 9,60 dos juízes e fechar com chave-de-ouro o Circuito e comemorar o tri do supercampeão. “Estou muito feliz. Essa conquista é resultado de treino, de foco. Quando soube que o prêmio desse ano seria uma viagem para a Indonésia, um lugar que eu já fui e queria voltar, mesmo pagando do meu bolso, me animei e me preparei para ganhar. Agora, com essa premiação, é sensacional”, vibrou.
Eduardo Motta
Ele também comentou a onda final, a melhor do evento. “Vi o Edgard surfando, a galera gritando na areia e pensei: vou ter de pegar uma da série. Fui para o tudo ou nada e consegui aquele aéreo. Estou amarradão”, disse o surfista, agradecendo ao técnico Ademir Silva e aproveitando para divulgar que está sem patrocínio.  “Mas estou feliz por ganhar o circuito da minha cidade e que tem um nível excelente”, complementou.

Para Fernando Gonzalez, do marketing da Rip Curl no Brasil, a avaliação do Circuito foi positiva, principalmente pela iniciativa de fazer etapas móveis, com a definição das praias dias antes, conforme a previsão das ondas. “Isso garantiu que as etapas fossem disputadas nas melhores situações, que o final de semana proporcionaria. Tivemos ótimas condições nas três etapas”, comentou. Ele já adiantou que a marca deve seguir patrocinando o Circuito em 2015, mantendo o vínculo com Guarujá. “A Rip Curl fica muito feliz de patrocinar, pelo sexto ano seguido, o evento da Cidade onde a empresa possui a sua sede no Brasil, mais uma vez reforçando o nosso vinculo com a comunidade, através de ações do meio ambiente e desse campeonato incrível”, ressaltou. “A ideia é continuar”, reforçou.
Magno Pacheco
Nas finais da etapa, Kauê Germano levou na iniciante, deixando Eduardo Motta em segundo. Na estreante, o resultado se inverteu. Na feminina, Júlia Santos venceu pela segunda vez seguida. Na mirim e na júnior, Vitor Mendes, que não participou das duas primeiras etapas, porque estava na Indonésia, surfou muito bem, sem dar chances aos rivais.

Na longboard, Carlos Bahia mostrou um surf radical para superar o veterano Amaro Matos. Na master, Jojó, mesmo com uma interferência (sendo punido com a perda de metade da sua segunda nota), manteve a ponta. No SUP, Eric Miyakawa, com um 8,33, foi o melhor. Matheus Salazar, com um 7,93, ainda chegou perto, mas não conseguiu virar. Na open, Magno realmente mostrou que estava muito bem, vencendo a bateria.

Fonte FMA Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário