22 de setembro de 2014

Daivid Silva sagrou-se campeão sul-americano de Surf

Luan Wood conquistou o 2º  lugar no Chicama Classic Pro Junior

Juninho Urcia precisava vencer para faturar o título sul-americano, mas não conseguiu e o campeão foi o brasileiro Deivid Silva. Outro brasileiro, Luan Wood conquistou o segundo lugar, com Miguel Tudela ficando em terceiro e Juninho em quarto. Mas, a festa mesmo foi dos peruanos que venceram em casa o Chicama Classic Pro Junior, encerrado no último sábado (20) nas longas esquerdas de Chicama, no distrito de Rázuri, norte do Peru. Três deles disputaram a final masculina e Lucca Mesinas foi o campeão. Na decisão feminina, as peruanas dominaram o alto do pódio com Miluska Tello festejando o título sul-americano Pro Junior com a segunda vitória em três etapas e Vania Torres sendo a vice-campeã. A brasileira Larissa Santos ficou em terceiro e a chilena Lorena Fica em quarto lugar.
Deivid Silva (BRA)
O resultado do Chicama Classic Pro Junior também definiu os classificados para representar o continente na decisão do título mundial Pro Junior da ASP em Portugal, nos dias 25 de outubro a 2 de novembro em Ericeira. As quatro vagas do ranking masculino da ASP South America ficaram com os brasileiros Deivid Silva, Italo Ferreira e Luan Wood, campeão sul-americano do ano passado que conseguiu a última vaga graças ao vice-campeonato em Chicama. O peruano Juninho Urcia ficou em terceiro lugar no ranking e o time será completado pelos dois surfistas da América do Sul mais bem colocados no ASP Qualification Series, que são os brasileiros Filipe Toledo e Lucas Silveira. Caso não possam competir, serão substituídos pelos próximos no ranking final da ASP South America, Israel Junior (5.o lugar) e Alcides Lopes (6.o).

Já o time feminino será formado pela peruana Miluska Tello e a brasileira Yanca Costa, porque o ranking das meninas computou apenas os dois melhores resultados das três seletivas que elas tiveram esse ano. A vitória de Yanca Costa na etapa brasileira do ASP South America Pro Junior Series, o Red Nose Pro Junior em Baía Formosa (RN), acabou garantindo sua vaga, pois ela foi barrada pelas peruanas na semifinal em Chicama. A também cearense Larissa Santos poderia ter ficado em segundo no ranking, caso tivesse sido vice-campeã no Chicama Classic Pro Junior, porém ficou em terceiro na final. E a peruana Vania Torres ficaria com a segunda vaga se fossem computados os três resultados de cada competidora, mas com um descarte acabou em quarto lugar.
Luan Wood (BRA)
Na categoria masculina, o peruano Lucca Mesinas também poderia ter conquistado uma vaga para o Mundial Pro Junior pela ASP South America. Com os 750 pontos da vitória no Chicama Classic Pro Junior, ele terminaria em quarto lugar no ranking, porém tanto ele como Miguel Tudela, que também foi finalista no Peru, se filiaram na ASP North America esse ano para disputar classificação nas seletivas norte-americanas. Como não pontuam no ranking sul-americano, a quarta vaga ficou para o campeão Pro Junior da ASP South America no ano passado, o catarinense Luan Wood.

Além da briga pelas quatro vagas, no último dia do Chicama Classic Pro Junior também estava em jogo o título sul-americano da categoria para surfistas com até 20 anos de idade. O líder do ranking, Deivid Silva, foi barrado na sexta-feira e dois concorrentes poderiam ultrapassa-lo no sábado. O vice-líder, Italo Ferreira, precisava ficar entre os três primeiros colocados no pódio para isso, só que foi eliminado junto com o também brasileiro Matheus Navarro pelos peruanos Miguel Tudela e Juninho Urcia nas semifinais. Para Juninho, vice-campeão sul-americano na decisão contra Luan Wood no ano passado, só interessava a vitória em Chicama e ele terminou em último na bateria final.
Lucca Mesinas (PER)
O catarinense enfrentou três peruanos nas duas baterias que disputou no sábado no Peru. Na primeira, Luan Wood derrotou até o campeão Lucca Mesinas, com ambos despachando Sebastian Correa e Joaquin Del Castillo. E na grande final, também surfou bem e totalizou 15,83 pontos, superando os 14,73 de Miguel Tudela e os 14,06 de Juninho Urcia. Mas, sua segunda vitória no Peru não aconteceu porque Lucca Mesinas pegou duas ondas muito boas para fazer várias manobras nas longas esquerdas de Chicama e garantir a vitória por 16,24 pontos.

Por João Carvalho / Fotos Javier Larrea/Olasperu

Nenhum comentário:

Postar um comentário