5 de agosto de 2014

Show de surf na abertura do 19º A Tribuna de Surf Colegial

Sol, ondas e um excelente nível técnico. Tudo o que um campeonato de surf precisa para ser sucesso. O 19º A Tribuna de Surf Colegial começou em grande estilo e o público conferiu verdadeiros shows nas ondas da Praia do Itararé, em São Vicente, neste domingo (3). Nas cinco finais, grandes disputas e nomes de ponta em busca das vitórias. E a participação de novas cidades no evento, como Ubatuba e São Sebastião, agregou ainda mais emoção e força entre os participantes.
Açucena Vaz
Na categoria júnior, Guilherme Silva, do Raquel de Castro, de Guarujá, levou a melhor. Nas outras finais colegiais, vitórias de três estreantes, com Arthur Germano, do Plínio Gonçalves, de São Sebastião, Pedro Dib, do Objetivo, também de São Sebastião, de Açucena Vaz, do Dionísia Veloso, de Ubatuba. Já no Desafio Tri FM/AntiQueda Universitário, Magno Pacheco, do Don Domênico, manteve a hegemonia, abrindo caminho para o tri na categoria. Na disputa por escolas, o Adélia Camargo Corrêa, de Guarujá, que investiu forte em bolsas de estudos e competiu com a maior equipe, saiu na frente, para tentar o 12º título por equipes, colocando seis atletas nas quatro finais colegiais. O Don Domênico, também de Guarujá e principal rival, ficou em segundo, com a Escola Estadual Plínio Gonçalves Oliveira Santos, de São Sebastião (na praia de Juqueí), sendo a terceira em sua estreia na competição.

As ondas melhoraram neste domingo, garantindo que os atletas pudessem realizar suas manobras com mais radicalidade. “Foi muito bom. Tivemos um dia de verão no meio do inverno, a parte técnica teve um alto nível e a participação das escolas do Litoral Norte e do Vale do Ribeira engrandeceram o evento. Mais um ano crescendo e chegar a 19 anos sempre mantendo essa qualidade é muito gratificante”, comemorou Davison Iuspa, coordenador geral do torneio.
Artur Germano
A primeira final do dia foi do Desafio Tri FM/AntiQueda. Mauri Amaro, da Unimes/Santos saiu na frente e liderou praticamente toda a bateria e, faltando um minuto para o término, valeu a experiência de Magno Pacheco, que soube esperar a onda certa para garantir um nota 8,77 e pular da sexta para a primeira colocação. “Estou muito feliz por mais essa vitória. O mar estava difícil e a estratégia foi esperar a série. Peguei uma boa direita, fui até o final e deu certo”, disse. “O evento foi, mais uma vez, alucinante, com grande estrutura, público e o dia ajudou. Agora é esperar a segunda etapa, em casa, para tentar mais esse título”, acrescentou o atleta de 25 anos, que superou Mauri, pela diferença de apenas 17 centésimos – 11,60 a 11,43.

Na feminina, Açucena Vaz, grande revelação de Ubatuba, atual vice-campeã do Rip Curl Grom Search, dominou toda a bateria e não foi ameaçada, com Isadora Parra, do Ayrton Senna, de Santos, em segundo lugar. Nessa disputa, o que se viu foram nomes novos no cenário, garantindo a revelação de competidoras. “Valeu a pena vir até aqui. Porque meu objetivo é sempre crescer e aqui é um campeonato tradicional, forte, que valoriza os atletas”, vibrou a surfista de 16 anos.
Pedro Dib
A final da iniciante foi uma das mais emocionantes. Como narrou o locutor do evento, Paulo Issa, o surfista Pedro Dib foi impecável em sua apresentação, assegurando a vitória com notas 8,67 e 7,10. Eduardo Motta, do Adélia Camargo Corrêa, foi o que tentou chegar perto, mas acabou em segundo. A final ainda tinha grandes nomes: Gabriel Ramos, do Tancredo Neves, de Ubatuba; Kauê Germano, do Nair de Almeida, de São Sebastião, que no sábado surfou muito bem; Mateus Lima, de Bernardino Pereira, de Itanhaém; e David Soares, do Esteve da Silva, de Ubatuba. “Comecei bem a bateria e mantive a ponta. Foi demais. É muito bom começar na frente para lutar para ser campeão. É um campeonato muito bom e fiquei feliz que agora São Sebastião também pode participar”, festejou o atleta de 14 anos.

Na mirim, mais uma decisão de alto nível e nova vitória para São Sebastião. Arthur abriu muito bem com, um 7,5 e depois garantiu o primeiro lugar com um 7,93. Vitor Mendes, do Adélia, defendendo o título da categoria, ainda tirou a melhor nota da bateria, um 8,5, mas não conseguiu reverter o resultado, que terminou 15,43 a 14,50.  “Para ser sincero, nem um imaginava que iria ganhar. Pensei que seria o terceiro. Estou bem feliz”, confessou o vencedor, que tem 15 anos. Ainda na mirim, Kim Matheus, do Verde que Te Quero Verde, foi o principal representante da cidade sede, o único a chegar na final, conquistando o terceiro lugar na categoria.
Magno Pacheco
A última bateria do dia também reuniu alto nível técnico. Para começar o atual campeão brasileiro pro júnior, Victor Bernardo, defendendo o Adélia. Guilherme Silva, atual campeão municipal de Guarujá, saiu na frente, com um 7,17, mas Victor assumiu a ponta, com um 6,67 e depois um 8,5. Quando parecia que o primeiro lugar já estava certo, ele cometeu uma interferência (atrapalhou a onda do adversário), numa disputa com Edgard Groggia, que é da mesma escola.

Como punição, conforme prevê a regra, teve retirada metade da nota de sua segunda maior onda, caindo de primeiro para terceiro lugar. Com isso, Guilherme que vinha fazendo uma boa apresentação herdou a vitória, com Edgard terminando em segundo. “Comecei bem a bateria e quando vi a disputa do Edgard com o Victor, fiquei aguardando e acabou me ajudando”, afirmou o surfista de 17 anos. “Espero voltar a surfar bem na final, que será no Guarujá. No ano passado bati na trave, ficando com o vice da mirim e agora espero ganhar o Circuito, que já teve grandes nomes como campeões e quero fazer parte dessa lista”, complementou o líder da júnior.
Guilherme Silva
Ainda na etapa, Wagner Sena, da Escola Praia de Boracéia, de Bertioga, que terminou em nono lugar na categoria mirim, faturo o prêmio especial da AntiQueda, por garantir a maior nota do evento, um 9,57 pontos, superando o 9,33 de Kauê Germano. O evento também premiou a Escola de Surf de São Vicente com três pranchas Silver Surf/Teccel, como retribuição pela Cidade receber tão bem o Circuito. Outra prancha foi sorteada entre o público, com Nicolas Motta, levando a melhor. Vários brindes foram distribuídos nos dois dias de evento, com brincadeiras e sorteios da organização. Os atletas ainda tiveram a disposição massagem, distribuição de isotônico e puderam participar de um treinamento especial, com exercícios funcionais voltados às manobras nas ondas, oferecido pela Escola de Surf de São Vicente.

A segunda e decisiva etapa do 19º A Tribuna de Surf Colegial está confirmada para os dias 27 e 28 de setembro, na Praia do Tombo, em Guarujá, que nos 18 anos de Circuito foi o local que mais recebeu disputas. “Mais um ano de sucesso e agora com o universitário se consolidando. É o filho mais novo do Circuito e acho que está pintando um embrião para um futuro campeonato de surf universitário AntiQueda Tri FM”, destacou Paulo Sérgio Nogueira Lopes, o Paulinho , diretor da AntiQueda, patrocinadora do Circuito desde a sua criação. Os resultados completos da etapa estão disponíveis no link: www.triesportes.com.br/surfcolegial.

Fonte FMA / Fotos Silvia Winik

Nenhum comentário:

Postar um comentário