20 de agosto de 2014

David do Carmo fatura a 2ª etapa do Paulista Pro de Surf 2014

Uma vitória para dar a volta por cima. Atual campeão brasileiro, David do Carmo, foi o vencedor da 2ª etapa do Maresia Paulista de Surf Profissional, encerrada no último domingo (17), na Praia de Maresias, em São Sebastião. A competição foi marcada pelo alto nível técnico, com direito a notas dez, em ondas muito boas e grandes, incluindo os já tradicionais tubos desse pico. O surfista de Praia Grande teve a sua conquista ainda mais valorizada ao superar Wiggolly Dantas, de Ubatuba, atual quarto colocado no WQS e com chances reais de integrar a elite mundial do WCT, em 2015.
David do Carmo
“Essa vitória representa muito para mim. Há um mês sofri um acidente na África, levei uma pranchada no rosto e fiquei internado. E Deus me deu essa conquista para voltar bem. Queria muito vencer e mantive o foco. Pensei que iria perder na semi, mas foi muito determinado. Esse primeiro lugar também é mérito do meu patrocinador, a Oz Surfing, que sempre me apoiou muito”, vibrou o surfista de 30 anos.

Na final, ele soube fazer uma leitura muito boa do mar, aproveitando as esquerdas, e na segunda onda garantiu uma nota nove. Depois, com direito a um tubo, arrancou um 8,65 para faturar a vitória e os R$ 8mil, de um total de R$ 30 mil distribuídos entre os melhores do evento. A decisão resumiu o que foi a etapa, com uma disputa acirrada e os surfistas arriscando bastante nas manobras.
David do Carmo, foi o vencedor da 2ª etapa do Maresia Paulista de Surf Profissional
David marcou 17,65, contra 16,35 de Wiggolly. O talento local, Igor Moraes, que tem apenas 17 anos e ainda é amador, foi uma das grandes surpresas da etapa, terminando em terceiro, seguido de Flávio Nakagima, também de Praia Grande. Com o resultado, David pulou da 17ª colocação para a vice-liderança do Circuito.

“Ainda é cedo para falar em título, mas vou muito batalhar para ser campeão paulista, que é o principal Circuito do País, e ser bicampeão brasileiro”, afirmou David, que comemorou com Wiggolly e Nakagima ainda no mar, surfando a mesma onda. Depois, ao chegar na areia foi carregado nos ombros até o pódio por Naka e o baiano Bino Lopes.
A união no surfe
Wiggolly saiu do mar satisfeito com o resultado e, sobretudo com a sua atuação durante a etapa, com vários high scores, com um 9,75 nas quartas. “Valeu ter participado. Maresias sempre tem altas ondas. O surf aqui é demais e consegui fazer um ótimo treino para o Prime que teremos em Maresias. O David mereceu. É um moleque determinado, com uma vibe muito boa. Parabéns para esse circuito, muito bem organizado”, comentou Guigui, que está com 24 anos.

Igor também comemorou o pódio “em casa” e a grande atuação. “Estou muito feliz. Só tinha ídolos na final. O Guigui, que estará no WCT no ano que vem, e o David que gosto muito”, vibrou o jovem talento de 17 anos. Para Nakagima, a final também representou uma guinada na carreira. “Fazia tempo que não fazia uma final. Maresias é uma onda ótima que gosto muito e sempre que tem um swell venho treinar”, disse Naka, elogiando David, seu companheiro de treinos e viagens. “Antes da final, ele falou para mim. A vitória tem de ir para Praia Grande e deu certo. Ele merece”, enalteceu.
A etapa também valeu pontos para o ranking brasileiro e o potiguar Ítalo Ferreira manteve a ponta, ao terminar na sétima posição. O competidor, vencedor da abertura do Maresia, em Guarujá, viajou direto da França para Maresias, após perder no WQS de Lacanau, e foi premiado ao também continuar como líder do Paulista. De quebra, ainda faturou a Overboard Expression Session, com a manobra mais radical, um aéreo perfeito e muito alto, faturando R$ 1 mil.

“Saí da semi com raiva de ter errado justamente dois aéreos e não ter passado para a final. Decidi tentar na Expression Session um aéreo para descontar e deu certo. Queria ter acertado na semi”, argumentou Ítalo, recompensado pelo esforço do desgaste da viagem. “Valeu a pena. Poderia ter ido mais longe, estava bem na etapa, mas errei na semi. O importante é que mantive a liderança para tentar ser campeão brasileiro. Esse é um dos objetivos desse ano”, complementou o surfista, que nas quartas-de-final garantiu uma nota dez.
Com 91 atletas de dez estados, o evento contou com grandes momentos. Ainda no sábado, com um mar “pesado” e ondas tubulares de mais de dois metros, o destaque foi Jessé Mendes, de Guarujá. Com dois tubos incríveis, ele garantiu duas notas dez na mesma bateria, um feito histórico e pouco visto, sobretudo em campeonatos no Brasil. No domingo, com ondas menores, os shows continuaram.

O próprio Jessé se aproximou da nota máxima, com um 9,80. Guigui e David do Carmo tiveram 9,75, o paraibano Jano Belo um 9,15 e Ítalo o terceiro dez do evento, na melhor bateria do evento. O líder dos circuitos brasileiro e paulista terminou com 19,70 pontos de 20 possíveis. Nakagima, com 17,10, com um 9 e um 8,10, e Hizunomê Bettero, desclassificado em terceiro, com 16, somando 8,25 e 7,75.

Por Fabio Maradei / Fotos Munir El Hage

Nenhum comentário:

Postar um comentário