8 de agosto de 2014

Brasileiro avançam no ASP 3-Star do Chile

A quinta-feira amanheceu com as menores ondas da semana no Chile, e o Tour foi reiniciado às 10h, com séries de 4-6 pés na secante da maré, que é a melhor condição em El Gringo. O problema foi que o vento entrou muito cedo em Arica, afetando a formação dos tubos e alguns surfistas se classificaram manobrando nas ondas. Foram realizadas as oito baterias para terminar a primeira fase e os peruanos conquistaram mais vitórias, três, contra duas do Chile e duas do Brasil. A Argentina fechou a lista com Juan Arca vencendo o último confronto do dia.
Bruno Rodrigues (BRA) / Foto Rommel Gonzales
O dia foi muito bom para os brasileiros, com o pernambucano Bruno Rodrigues vencendo a dobradinha verde-amarela com o paulista Robson Santos sobre dois peruanos, Lucca Saldivar e Tomas Tudela. O cearense Pablo Paulino passou em segundo na bateria de Alvaro Malpartida e Jessé Mendes conquistou a segunda e última vitória do dia, para garantir maioria do Brasil entre os 32 surfistas que continuam na disputa do título no Desafio de Arica no Chile. São oito brasileiros, seis chilenos, seis peruanos, quatro havaianos, três argentinos, dois norte-americanos, com um uruguaio, um francês e um australiano completando a relação. "Estou muito feliz por ter vencido a bateria, mesmo tendo sido jogado de cara contra o fundo de pedras e cortado o beiço por dentro (mostrou um corte na parte de dentro da boca, que protege os dentes da frente)", contou o pernambucano Bruno Rodrigues. "Eu consegui pegar um tubinho legal que me ajudou a vencer. O Robson (Santos) estava bem posicionado, mas eu consegui pegar e foi a onda da vitória. Agora é focar no segundo rounde".

No mesmo dia estrearam mais dois candidatos a um inédito bicampeonato no Maui and Sons Arica World Star Tour, o chileno Guillermo Satt campeão em 2012 e o peruano Alvaro Malpartida, que defende o título conquistado na decisão contra o australiano Anthony Walsh no ano passado. Os dois entraram em confrontos seguidos e Guillermo competiu primeiro, conseguindo achar a melhor onda da bateria para derrotar o australiano Brent Symes, com ambos eliminando o chileno Renato Aguirre e o havaiano Tyler Newton. "Mesmo com o vento forte, que atrapalhou muito a formação das ondas, ainda consegui pegar um tubo que me rendeu 6 pontos. As condições não estão boas e vamos esperar que melhore para amanhã (sexta-feira)", deseja Guillermo Satt, que apareceu na praia com a parte da frente do cabelo toda pintada de verde. "É para dar sorte", respondeu ao ser questionado sobre o novo visual.
Guillermo Satt (CHL) / Foto Adam Smith
O peruano Alvaro Malpartida, que surfou tubos espetaculares em El Gringo no ano passado para vencer o Maui and Sons Arica World Star Tour na última onda do campeonato, fez a sua primeira defesa do título numa hora ruim do mar, com poucas ondas boas entrando na bateria. Ele ganhou por apenas 7,70 pontos, com o brasileiro Pablo Paulino despachando os outros dois peruanos que enfrentou, Martin Jeri e Adrian Garcia, com 7,55 pontos. "Infelizmente entrei em uma hora ruim do mar, já tinha bastante vento, então mudei a minha tática e busquei fazer outras manobras que não fosse o tubo", disse Alvaro Malpartida. "Estou com boas pranchas e muito confiante em manter a coroa de campeão. Espero que as condições estejam melhores amanhã (sexta-feira) para todos poderem mostrar o que sabem".

Os dois campeões agora vão se enfrentar na penúltima bateria da segunda fase, só que o chileno Guillermo Satt terá que encarar três peruanos, Alvaro Malpartida, Cristobal de Col e Sebastián Correa. O Chile e o Peru tiveram o maior número de surfistas competindo na quinta-feira, dez cada um, com cinco peruanos e apenas três chilenos se classificando para a rodada dos 32 melhores do ASP 3-Star Maui and Sons Arica World Star Tour. O Brasil teve cinco participantes e só um foi eliminado, Yago Dora, no último confronto do dia.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário