.

.

19 de dezembro de 2013

Circuito Surf Treino retoma atividades em 2014

Sucesso nos anos anteriores, o Circuito Surf Treino - homologado pela Associação Santos de Surf e organizado pelo santista Dailson Aguiar - estará de volta a partir do dia 12 de março de 2014. O ponto de encontro dos surfistas será sempre às quartas-feiras, entre 12h e 17h45, no Quebra-mar, localizado no Parque Municipal Roberto Mário Santini, em Santos (SP). Na falta de ondas, a competição é transferida para sexta-feira.
Dailson Aguiar tem um calendário cheio de atividades para 2014 / Foto Marcelo Guerreiro
“O evento tem por finalidade contribuir para o crescimento do esporte, revelar novos talentos e aprimorar as técnicas de competição dos atletas”, destaca Aguiar, que durante os anos de 1999 e 2003, contabilizou mais de 500 participantes de diversas cidades. Para o próximo ano estão previstas 40 etapas, em 10 meses, encerrando no dia 10 de dezembro. Participam competidores nas categorias Pro-am (16 vagas), Stand-up (16) e Longboard (8).

“É aberto para atletas, tanto masculino como feminino, de todo o País”, avisa o organizador, surfista profissional na década de 80. Cada bateria será formada por quatro atletas com duração de 15 minutos. Classificam-se para a fase seguinte os dois que obtiverem as melhores notas até chegar à final. Será elaborado um ranking com as colocações dos atletas. Ao término do circuito somam-se as oito melhores colocações, com direito a três descartes, definindo assim os campeões.

“Queremos retomar o círculo de amizade entre os surfistas, dar oportunidade para quem está iniciando nas competições e fomentar novos atletas”, planeja Aguiar, a procura de patrocinadores que queiram participar da próxima edição. “Já fechamos com algumas empresas que apoiarão na premiação e divulgação do evento. No momento estou negociando com outros empresários o patrocínio principal. O custo benefício é bastante atraente”, garante.

Por Marcos André e Araújo 

Rony vence a etapa final da Copa Brasil de Skate Vertical em SP

Skate de alto nível e uma final emocionante e com revira-volta, assim foi a sexta e última etapa da Copa Brasil de Skate Vertical – Circuito Banco do Brasil. O evento que aconteceu no Campo de Marte em São Paulo, reuniu mais uma vez grandes nomes do skate nacional e mundial.
Foram 25 inscritos na etapa que definiria o ranking, o qual Sandro Dias estava na liderança, seguido por Marcelo Bastos e Rony Gomes. Os três fizeram final em todas as etapas anteriores, Mineirinho tinha três pódios, duas vezes em primeiro (Salvador e Brasília), Marcelo Bastos tinha 4 pódios, um deles em primeiro (Belo Horizonte). Rony Gomes tinha três pódios e ainda não tinha vencido nenhuma. Por coincidência, eles foram os três melhores da fase eliminatória, com Rony passando em primeiro, Sandro em segundo e Marcelo em terceiro. Estavam realmente focados na missão.

Porém durante a final, as surpresas foram acontecendo. Mineirinho, mesmo acertando ótimas manobras, não conseguiu acertar a última manobra de suas três decidas, a tentativa de mais uma vez encerrar com um 900, como tinha feito em Brasília e ficou em quarto. Marcelo Bastos também andou muito, mas não o sufisciente para vencer e acabou ficando em terceiro, E para embolar o meio de campo na pontuação, Edgard Vovô andou demais e fez a melhor volta dele de todas as etapas, fez seu primeiro pódio muito merecidamente em segundo lugar.

Já o Rony Gomes, assim como na eliminatória, quebrou tudo e fez uma ótima variação de manobras e ainda acertou seu switch fs heelflip passando o canion. Com isso, além de vencer pela primeira vez uma das etapas e embolsar 10 mil reais, pela pontuação dele e dos demais, acabou ficando com o título de campeão da Copa Brasil de Skate Vertical de 2013, encerrando o ano com chave de ouro já que também tinha conquistado o título mundial meses atrás.
A cerimônia de premiação contou com a presença de representantes e atletas do Banco do Brasil e foi bastante comemorada entre todos que estavam presentes. Após a final, aconteceu a clínica de skate oferecida pelo bando do Brasil e na sequencia todos foram comemorar assistindo aos shows de de Criolo, Jason Mraz, Stevie Wonder, Capital Inicial,  Paralamas do Sucesso, Dentre outras atrações.

Foram seis etapas, fezendo parte do Circuito Banco do Brasil 2013, evento que reuniu alguns dos maiores nomes do skate e da música nacional e internacional, em algumas das principais cidades do país a exemplos de Salvador (31/08), Curitiba (12/10), Belo Horizonte (02/11), Rio de Janeiro (09/11), Brasília (07/12) e São Paulo (14/12). A Copa Brasil distribuiu um total de R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais) em dinheiro, nas seis etapas. R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) em cada.

Resultado da sexta e última etapa:
1-Rony Gomes
2-Edgard Vovô
3-Marcelo Bastos
4-Sandro Dias
5-Raul Roger
6-Dan Cesar
7-Jimmy Wilkins
8-Vitor Simão
9-Lincoln Ueda
10-Italo Penarrubia

Fonte CBSk

18 de dezembro de 2013

David do Carmo sagra-se campeão brasileiro de Surf 2013

O paulista David do Carmo, 29 anos, é o novo campeão brasileiro de surfe profissional da ABRASP (Associação Brasileira de Surf Profissional). A única chance para ele conquistar o título era vencer a última etapa da temporada e ainda dependia dos resultados dos outros três concorrentes que estavam à sua frente no ranking. Pois todos acabaram ficando pelo caminho e só David do Carmo chegou na grande final do Oakley Pro na Praia do Mar Grosso, em Laguna, litoral sul de Santa Catarina. Ainda precisava ganhar o campeonato e fez isso derrotando o campeão brasileiro do ano passado, Messias Felix (segundo lugar), 27 anos, além do também cearense Michael Rodrigues (terceiro), 19, e o catarinense Neco Padaratz (quarto), 37.
David do Carmo não participou das duas etapas anteriores desta reta final da temporada nacional, ambas do Circuito Estadual do Rio de Janeiro válidas pelo ranking brasileiro da ABRASP. Isto porque estava no Havaí participando das provas finais do Circuito Mundial da ASP. Ele só veio para o Oakley Pro, que fechou o Circuito Catarinense e o Brasileiro no último fim de semana em Laguna, sabendo que sua única chance de título era vencer o campeonato e torcer pelo tropeço dos outros três surfistas que estavam na briga. O pernambucano Halley Batista liderava o ranking, mas foi o primeiro a cair, sendo barrado pelos catarinenses Tomas Hermes e João Paulo Abreu logo em sua estreia na segunda fase da competição. No entanto, continuava em primeiro e o paranaense Jihad Kohdr e o baiano Franklin Serpa teriam que alcançar as semifinais para ultrapassar os 8.940 pontos do pernambucano, enquanto para David do Carmo só interessava a vitória.

A situação para o paulista era parecida com a da decisão do título mundial no Havaí também no mesmo fim de semana. Lá Kelly Slater também venceu o Pipe Masters, só que o australiano Mick Fanning fez a parte dele e chegou nas semifinais para festejar seu terceiro caneco de melhor surfista do mundo no ASP Tour 2013 no sábado passado. A diferença foi que em Santa Catarina, os dois surfistas que precisavam chegar nas semifinais não conseguiram e a vitória na última etapa do ano valeu o título para David do Carmo.
O mar em Laguna estava bem diferente do Havaí, onde David competiu em ondas de mais de 2 metros de altura nas etapas finais do ASP World Prime em Haleiwa e Sunset Beach. Ele voltou ao Brasil na semana do campeonato e teve que se adaptar rapidamente às condições das ondas mexidas com séries de 2-3 pés da Praia do Mar Grosso, que exigiam pranchas menores e mais rápidas. O paulista da Praia Grande conseguiu isso e foi atropelando os adversários que encontrou pelo caminho até a grande final do Oakley Pro.

Enquanto isso, seus concorrentes iam caindo para alívio do pernambucano Halley Batista, que estava só na torcida. O paranaense Jihad Kohdr e o baiano Franklin Serpa acabaram fazendo um confronto direto nas oitavas de final e os dois tiveram que brigar pela segunda vaga na disputa vencida pelo paranaense Caetano Vargas. Serpa ganhou esta batalha e precisava passar apenas mais uma bateria para levar o título para a Bahia, pois tinha que chegar nas semifinais para superar a pontuação de Halley Batista.
David no Havaí / Foto Kelly Cestari
David do Carmo competiu antes dele nas quartas de final e avançou, mas Serpa terminou em último na sua bateria, com o catarinense Tiago Bianchini e o paulista Marcos Correa dando mais uma esperança tanto para Halley Batista como para o surfista da Baixada Santista. Na semifinal, David pegou boas ondas para vencer mais uma, batendo até o defensor do título brasileiro, Messias Felix, que ganhou a disputa pela segunda vaga na final dos catarinenses João Paulo Abreu e Alcides Lopes Neto.

Na outra semifinal, o cearense Michael Rodrigues que vinha se destacando na competição, deixou o ex-top do WCT e muito experiente Neco Padaratz em segundo lugar, com os dois acabando com as chances de Tiago Bianchini conquistar o título estadual catarinense, que ficou para Tomas Hermes, eliminado nas quartas de final. Halley Batista continuava na agonia, esperando que David do Carmo não vencesse para se tornar o primeiro pernambucano campeão brasileiro da história da ABRASP. Só uma vitória de David do Carmo poderia lhe tirar o título e os cearenses pareciam trabalhar para que o caneco de melhor surfista do Brasil ficasse no Nordeste. Michael Rodrigues largou na frente com uma boa onda que valeu nota 8,17, a maior da bateria. Logo Messias Felix assumiu a ponta com notas 6,90 e 7,77 em duas ondas seguidas, enquanto David do Carmo não saía da terceira posição e Neco Padaratz da última.
Halley Batista
Mas, David do Carmo não desistiu e as ondas apareceram para ele no final da bateria. Era tudo ou nada, então ele arriscou as manobras e com notas 7,87 e 7,23 nas duas últimas ondas que surfou na Praia do Mar Grosso atingiu 15,10 pontos, superando os 14,67 de Messias Felix e os 14,24 de Michael Rodrigues, com Neco Padaratz ficando em último com 9,43 pontos. A vitória no Oakley Pro valeu um prêmio de R$ 8.000,00 e 1.500 pontos que o levaram do quinto para o primeiro lugar no ranking final de 2013.

David do Carmo aumentou para oito o recorde de títulos conquistados por surfistas do estado de São Paulo nos 27 anos da história do Circuito Brasileiro iniciada em 1987, já com o guarujaense Paulo Matos inaugurando a Galeria dos Campeões da ABRASP. Depois disso, três conseguiram ser bicampeões brasileiros, Tinguinha Lima em 1990 e 1993, Ricardo Toledo em 1991 e 1995 e mais recentemente Renato Galvão em 2004 e 2007.
Tomas Hermes
O Rio de Janeiro é o segundo estado a conseguir mais títulos brasileiros, cinco no total. Depois vem o Paraná com quatro somando os do único tricampeão, Peterson Rosa, seguido pela Bahia com dois de Jojó de Olivença, a Paraíba com dois de Fábio Gouveia, o Ceará com outro bicampeão, Messias Felix, e Santa Catarina também com dois títulos, de Jean da Silva e Tomas Hermes. Completam a Galeria dos Campeões Brasileiros da ABRASP, Joca Júnior que faturou o único título para o Rio Grande do Norte, assim como Tânio Barreto para o estado de Alagoas.

Campeão Brasileiro: David do Carmo (SP) - 9.015 pontos
2.o: Halley Batista (PE) - 8.940
3.o: Jihad Khodr (PR) - 8.925
4.o: Franklin Serpa (BA) - 8.895
5.o: Bruno Galini (BA) - 8.145
6.o: Flavio Nakagima (SP) - 7.358
7.o: Alandreson Martins (BA) - 7.245
8.o: Robson Santos (SP) - 7.215
9.o: Leandro Bastos (RJ) - 6.555
10: Artur Silva (CE) - 6.390
11: Leonardo Neves (RJ) - 6.315
12: Saulo Junior (SP) - 6.158
13: Rudá Carvalho (BA) - 6.113
14: Alan Jhones (RN) - 5.880
15: Odirlei Coutinho (SP) - 5.610
16: Samuel Igo (PB) - 5.457
17: Ricardo Ferreira (SP) - 5.445
18: Diego Rosa (SC) - 5.370
19: Alan Donato (PE) - 5.280
20: Hizunomê Bettero (SP) - 5.258
21: Alex Ribeiro (SP) - 5.160
22: Danilo Costa (RN) - 5.070
23: Renato Galvão (SP) - 4.973
24: Thiago Guimarães (SP) - 4.965
25: Cezar Aguiar (PE) - 4.950
26: Cauê Wood (SC) - 4.868
27: Gilmar Silva (SP) - 4.853
28: Gustavo Sanches (RN) - 4.635
29: Dunga Neto (CE) - 4.560
30: Marco Fernandez (BA) - 4.463

Por João Carvalho / Fotos Basíliu Ruy

Irmãos Ferreira são campeões Carioca de Kitesurf 2013

No último fim de semana aconteceu na praia da Barra da Tijuca o Rio Kitesurf Open, única etapa do circuito carioca de kitesurf. O evento, que tinha janela prevista entre os dias 11 e 17 de Dezembro, contou com a presença de grandes nomes do esporte, que já foram ícones do surfe no estado, como Victor Ribas, Léo Chines e Claudio Emerick. Grande parte do evento ocorreu no sábado, 14 de Dezembro, onde foram para a água as categorias Open Masculino e Feminino em busca dos 10 mil reais em prêmio - 7 mil para os homens e 3 para as mulheres..
Na categoria Open Feminino quem levou a melhor nas boas esquerdas que quebravam na praia da Barra foi a Milla Ferreira, que venceu a Carol Freitas e Soraya, faturando seu tricampeonato estadual. "As condições não eram simples devido à correnteza e o vento fraco. Os outros atletas estavam super bem treinados, o que dificultou a vitória. Conhecer bem as condições onde moro e treino diariamente ajudaram muito", comemorou Milla Ferreira.
Na Open Masculino Fillipe Ferreira superou os difíceis adversários, como Léo Chinês na semifinal e Roberto Vieira na final, e saiu com o título da praia, deixando tudo em família, já que é irmão de Milla. "Acho que o que fez mais diferença foi o apoio dos amigos. Moro próximo da onde foi disputado o campeonato e treino ali todos os dias, foi ótimo ter uma torcida a favor. Mesmo com as condições longe do ideal, o fato de treinar sempre no local fez com que eu pudesse aproveitar da melhor maneira as condições disponíveis", analisou o bicampeão carioca Fillipe Ferreira.

Resultados
Masculino
1. Felipe Ferreira
2. Roberto Vieira
3. Bruno Bordowski
4. Léo Chinês
Feminino
1. Milla Ferreira
2. Carol Freitas
3. Soraya
Master
1. Poli Ferreira

Fonte Mídia Bacana / Fotos Pedro Fernandes de Oliveira

17 de dezembro de 2013

Ondas Clássicas, show de tubos e duas notas 10

A terceira e decisiva etapa do Circuito ASN Cervejaria Noi / Compão de Surf 2013 reuniu os melhores surfistas niteroienses nos dias 2 e 3 de novembro, que travaram disputas emocionantes nas pesadas e tubulares ondas de Itacoatiara.
A opção pelo adiamento na semana anterior foi acertada, pois após a entrada da ressaca no meio da semana o fundo de areia ficou muito bom, proporcionando altas ondas no canto do Costão. No sábado quebrou ondas de 1,0m a 1,5m tubulares e fortes com vento terral, que deixou o mar muito bonito.
Muitos tubos e pontuações altas foram registradas, e os destaques do dia foram Guilherme Herdy e Raphael Guimarães , que entubaram profundo para receber a nota máxima dos juízes e os aplausos do público na areia. No domingo, o mar perdeu intensidade e apresentou ondas em torno de 1,0m. O dia decisivo foi reservado para as baterias finais, e estavam em jogo passagens internacionais.
A disputa pela maior premiação da ASN só foi definida na última bateria do ano. Depois do show de tubos no sábado, Branquelo provou que se adapta a qualquer condição de mar. Em ondas de meio a um metro ele imprimiu muita pressão em suas batidas e fechou o dia com chave-de-ouro. Conquistou a etapa e o ranking das categorias Open e Master, levou duas pranchas zeradas para casa e vai arrumar as malas rumo à Indonésia e ao Peru, por ter conquistado as passagens oferecidas pela Qatar Airways, Taca Air Lines e AIT Surf Operadora de Turismo.

Por João José Macedo

Octógono Brasil completa 1º ano com seis lojas em SP

A rede de lojas Octógono Brasil completa um ano de operação com muitas razões para comemorar: ao longo de 12 meses, se consolida como uma referência no mercado com a abertura de seis lojas e se destaca por suas ações especiais envolvendo atletas profissionais e amadores.
Por meio de um processo de expansão da marca através de abertura de franquias em todo o país, a Octógono Brasil leva produtos, roupas e acessórios de lutas, em especial MMA a seis cidades diferentes: São Caetano do Sul e Alphaville (Shopping Tamboré), em São Paulo, Brasília, no Distrito Federal, Salvador (Shopping Barra), na Bahia, Vitória, no Espírito Santo e uma nova unidade que será aberta ainda esse mês. "Levando em consideração um ano de 2013 com um cenário econômico com leve retração, ficamos muito satisfeitos com a expansão da marca através do desenvolvendo novos pontos de venda espalhados pelo Brasil. Estamos extremamente motivados com um 2014 promissor tanto para nossos franqueados quanto para nosso processo de expansão e relacionamento com atletas”, declara Fernando Loureiro, diretor comercial da Octógono Brasil.

Além de comercializar produtos das melhores marcas do mercado de fight wear, a Octógono Brasil se destaca também por suas ações especiais  envolvendo lutadores profissionais e amadores, em tardes de autógrafo e apoio a atletas em eventos nacionais de MMA e outras artes marciais, como Kickboxing.
Neste primeiro ano, a rede de lojas realizou diversos encontros de fãs com atletas do UFC, entre eles Cesar Mutante, Daniel Sarafian, Hugo Wolverine, Felipe Sertanejo e Bruno KLB Scornavacca. Para 2014, está prevista a abertura de 36 novas franquias da marca. "Acreditamos ter um 2014 com um enorme crescimento e fortalecimento da marca a nível nacional", afirma Loureiro.

Por Michele Barcena / Fotos Poline Lys

16 de dezembro de 2013

Kelly Slater a última etapa da tríplice coroa em memória a Andy

Kelly Slater venceu o Billabong Pipe Masters de 2013, marcando sua sétima vitória na última etapa do circuito mundial.  Com incríveis ondas de 10 a 15 pés em Pipeline, Slater, 41, saiu com o título do evento, com uma nota 10 em uma das baterias finais. Ele continua sendo o surfista a ser batido, como o mais jovem e mais velho Campeão Mundial na ASP (Association of Surfing Professionals).
Foto Quiksilver/Bielmann
"Hoje foi um dos dias mais especiais da minha vida. Foi um dia que sonhei desde que eu era um garotinho, grande e perfeito, Pipeline com swell de oeste e a disputa final no Pipe Masters. Se eu tivesse saído do esporte há cinco anos, isso não teria acontecido hoje. Eu quero mais dias como este, então, com certeza estarei de volta no ano que vem”, disse Slater. “A trajetória e determinação de Kelly como atleta competitivo, nunca deixa de me surpreender,” disse Bob McKnight, membro do Conselho Executivo da Quiksilver. “Nós o assistimos em inúmeras conquistas no surf profissional nas últimas duas décadas, e o parabenizamos hoje pela vitória no Billabong Pipe Masters”, completou.

Esse título para Slater, culmina uma temporada muito disputada, com trocas de liderança entre ele e Mick Fanning (32, AUS), na difícil batalha pelo Ranking Mundial. Os dois chegaram para o último evento do ano em Pipeline, cada um surfando por uma oportunidade de conquistar o título mundial de 2013. Slater mostrou excelente forma e venceu o Pipe Masters.
Foto Quiksilver/Bielmann
A temporada admirável de Slater nesse ano inclui as vitórias no Quiksilver Pro Gold Coast e no Volcom Fiji Pro.  Ele também foi vice-campeão no Tahiti Pro. Kelly venceu seus 11 títulos mundiais da ASP nos anos de: 1992, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 2005, 2006, 2008, 2010, e 2011. Na carreira, ele soma 54 vitórias em etapas do WCT e duas medalhas de ouro nos X Games ESPN, tornando-o o maior atleta que o esporte já produziu.

Por Karol Lopes

Danilo Couto é o personagem de novo vídeo da Firefox

Com a vida atual totalmente ligada ao Havaí, o big rider brasileiro Danilo Couto é o personagem de novo vídeo da Firefox, empresa, que este ano, patrocinou a Tríplice Cora Havaiana e é responsável por filmes no Youtube, com conteúdo em português, destacando os eventos finais do Circuito Mundial Profissional. Apresentador nas outras produções, comandadas pelo diretor Bruno Lemos, o surfista baiano foi o protagonista desta vez, contando a vida de quem domina as ondas gigantes.
O vídeo, gravado em Waimea Bay, mostra drops de Danilo nas poderosas montanhas de água de Jaws e Pipeline. Danilo fala como o surf entrou em sua vida e como se sente privilegiado de ter esse ‘life style’ no Havaí. “Eu amo muito a vida que tenho hoje, a vida de surfista de onda grande. É uma benção, um presente que recebi”, conta o atleta.

Além das etapas havaianas, os vídeos Firefox já tiveram como destaques Mark Healey e John John Florence. “A estratégia da empresa é exibir vídeos curtos com os melhores momentos de cada etapa da Tríplice Coroa, assim como alguns especiais com atletas que se destacam no meio do surf. Agora o Danilo é a bola da vez”, afirma o diretor Bruno Lemos, da Lemosimages, responsável pela produção dos vídeos. “Também quero destacar os guerreiros da Lemosimages, Kaleu Wilnder e Kako Lopes, que têm sido responsáveis por me ajudar para que os vídeos sejam realizados”, acrescenta Bruno.
Feliz com o novo vídeo, Danilo Couto agora aguarda ansioso a chance de participar do 28º Quiksilver em Memória de Eddie Aikau, campeonato em Waimea Bay, que reúne surfistas especialistas em ondas grandes do Mundo, todos convidados. A expectativa é que a disputa seja realizada no próximo dia 20, com a entrada de um novo e grande swell. “A previsão promete. O swell ainda está em formação, mas sendo fim de dezembro, as chances são grandes”, revela Danilo, bicampeão do XXL Global Big Wave Awards, o Oscar do surf de ondas grandes.

Fonte TVPena


Rony Gomes é campeão da Copa Brasil de Skate Vertical

O paulista Rony Gomes é o campeão da Copa Brasil de Skate Vertical, evento que aconteceu junto ao Circuito Banco do Brasil. O atual campeão mundial de skate vertical fechou o ano de competições com chave de ouro. Ele venceu neste sábado (14) a sexta e última etapa da competição, realizada no Campo de Marte (SP), totalizando 5517 pontos no ranking, 38 a mais que o vice-campeão Sandro Dias "Mineirinho". Além do troféu da etapa e o de campeão, Rony ainda levou para casa o prêmio de 10 mil reais.
Rony Gomes / Foto Júlio Detefon - CBSk
Na final, o skatista de 21 anos, precisou superar Sandro Dias e Marcelo Bastos, concorrentes diretos na briga pelo título, além de outros sete atletas para ficar com a vitória. O paulista precisou de foco e concentração, para buscar nos detalhes o título. Nesta etapa, Rony se classificou em primeiro nas baterias eliminatórias, e garantiu o direito de ser o último a descer o half na fase final, já que as voltas (descidas) nesta fase são feitas na ordem inversa (do 10º para o 1º). O atleta do Corinthians fez suas três voltas praticamente perfeitas e ao terminar sua terceira volta, extravasou e comemorou muito, pois mesmo sem o resultado oficial, já sabia que tinha grandes chances de ficar com o título.

"Foi uma etapa muito emocionante. Eu entrei em terceiro (no ranking) na disputa pelo título e sabia que tinha boas chances, mas tinha que vencer de qualquer jeito para sonhar com o campeonato. Quando passei em primeiro para a final, fiquei ainda mais confiante. Na minha última descida, completei a volta de uma maneira ótima, e sabia que tinha ido bem. Foi aí que extravasei, porque sabia que o título estava mais perto. Nesse campeonato, bati na trave praticamente em todas as etapas, mas a minha regularidade foi muito importante. Estou muito feliz e o ano não podia terminar de melhor maneira. Ainda não estou acreditando", comemorou Rony Gomes, bastante emocionado.

O skatista - que também garantiu o título mundial de skate vertical -, em setembro, ressaltou o apoio do Banco do Brasil ao skate. "O Banco do Brasil é uma grande empresa, que há tempos vem investindo no universo esportivo e agora chegou no skate, um esporte que está em uma crescente no país. É muito importante para todos os skatistas poder contar com incentivos como este", disse o atleta natural da Mooca.

Durante as seis etapas da Copa Brasil de Skate Vertical, Rony Gomes foi um dos mais regulares da competição, totalizando dois quartos lugares, dois segundos, um terceiro e encerrou a temporada, neste sábado, no lugar mais alto do pódio.

Resultado da sexta etapa em São Paulo
1 - Rony Gomes
2 - Edgard Vovô
3 - Marcelo Bastos
4 - Sandro Dias
5 - Raul Roger
6 - Dan Cesar Pardinho
7 - Jimmy Wilkins
8 - Vitor Simão
9 - Lincoln Ueda
10 - Ítalo Penarrubia
Classificação final da Copa Brasil de Skate Vertical - após seis etapas
1 - Rony Gomes, 5517 pontos
2 - Sandro Dias, 5479
3 - Marcelo Bastos, 5433
4 - Dan Cesar Pardinho, 5136
5 - Italo Penarrubia, 4826
6 - Edgard Vovô, 4614
7 - Carlos Niggli, 3811
8 - Mizael Simão, 3787
9 - Raul Roger, 3769
10 - Felipe Foguinho, 3655

Por Fernanda Gonçalves

15 de dezembro de 2013

Catuana é o primeiro veleiro a cruzar a linha em SC

Com largada na Sede Central do Iate Clube de Santa Catarina – Veleiros da Ilha, em Florianópolis, a 45ª Volta à Ilha de Santa Catarina teve início neste sábado, 14, às 10h. Após pouco mais de 9h40min de prova, o veleiro Catuana, liderado pelo comandante Paulo Cocchi, foi a primeira embarcação a cruzar a linha de chegada, em frente ao Grupo de Busca e Salvamento dos Bombeiros, próxima a ponte Hercílio Luz. “A regata foi bem dura. Tivemos condição de vento contra durante toda a parte do litoral este e foram seis horas de contra vento. Felizmente o barco resistiu e a tripulação muito bem equilibrada e entrosada conseguiu levar até o final. Isso é uma recompensa. Espero continuar com saúde e quem sabe os meus netos não venham para manter essa tradição”, disse o comandante Paulo Cocchi.
Nos últimos dez anos, a embarcação venceu a prova em cinco oportunidades e neste fim de semana foi o fita azul, nomeação dada ao barco que cruza a linha de chegada em primeiro lugar, independente da classe. Como na 45ª Volta à Ilha embarcações de diferentes classes competiram entre si, após a última concluir o percurso é utilizada uma fórmula para definir quem teve o melhor desempenho de acordo com peso e tamanho das embarcações.

Além do Catuana, outros dois veleiros cruzaram a linha de chegada da 45ª Volta à Ilha bem próximos das dez horas de prova: o veleiro Zeus, segundo, e o Katana, terceiro na ordem de chegada. Com vento nordeste e boas condições, a prova teve início às 10h em frente à Sede Central do ICSC. As embarcações seguiram rumo ao Sul da Ilha, com 120km de percurso pela frente. Desde os primeiros quilômetros o barco Catuana, que contou com a experiência do velejador olímpico Bruno Fontes, andou na frente.

Após passarem por todo Sul da Ilha e os veleiros começaram a encontrar um pouco mais de dificuldade no contra vento na parte leste da ilha (entre a Joaquina e a Barra da Lagoa). Próximos ao Norte da Ilha e com chuva pela frente, o mar ficou um pouco mais agitado e deu ainda mais emoção a regata.
Ao passar por Jurerê, o Catuana já liderava com boa folga e velejava com tranquilidade rumo ao primeiro lugar. “A prova foi bem tranquila, apesar de termos um problema no finalzinho com uma peça do barco não tivemos maiores problemas durante todo o percurso. Foi uma regata muito agradável e de um ótimo trabalho em equipe”, ressaltou Bruno Fontes, integrante do Catuana. No total, 31 embarcações largaram na 45ª Volta à Ilha e a última delas cruzou a linha de chegada próximo das 06h30min deste domingo, completando a prova em aproximadamente 20h30min.

Rating será anunciado nesta segunda-feira: Após a conclusão da prova, a comissão organizadora fará o anuncio final dos resultados nesta segunda-feira, quando são feitos os ratings de cada barco. A nomenclatura em si leva em consideração a área vélica, peso, tamanho do mastro, entre outros itens que diferenciam um barco do outro, para apontar qual foi o mais regular.

Por Danilo Caboclo / Fotos Gabriel Heusi

Brasileiros garantem ouro no Sulamericano de Kickboxing 2013

O primeiro dia de competições no Sulamericano de Kickboxing 2013, organizado pela Confederação Brasileira de Kickboxing na Associação Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, foi marcado pelo excelente desempenho dos atletas brasileiros.
Bárbara Nepomuceno, Paulo Freitas, Manuela Martini, Walmir Erthal e Alex Ferreira deram show e conquistaram ouro contra alguns dos melhores atletas do continente. Destaque para o nocaute da atleta do Espírito Santo (foto acima), que em outubro conquistou o Mundial Wako de Kickboxing, realizado em São Paulo.

"Estamos muito felizes com os excelentes resultados brasileiros nesse primeiro dia do Sulamericano, Além disso, o evento está sendo marcado por uma forte energia, tanto entre os atletas quanto entre as torcidas dos países adversários, especialmente entre Brasil e Argentina”, comenta o presidente da CBKB, Paulo Zorello.

Os jovens atletas da CBKB também fizeram bonito no Sulamericano. Entre os destaques desse primeiro dia de competições no Rio de Janeiro estão Yasmin Dias, de 20 anos, que se sagrou campeã musical com e sem armas na categoria feminino adulto e Daniel Marins, de 12 anos, que é o novo campeão Sulamericano musical sem armas, na categoria entre 12 e 15 anos.

Por Roberto Pierantoni / Foto João Sanches

A Bahia na neve

Os irmãos esquiadores Esmeralda e Nathan Alborghetti, de 15 e 14 anos acabam de deixar o verão de Salvador, na Bahia, rumo ao rigoroso inverno da Áustria. Isso porque a dupla realizará os treinamentos de esqui alpino para as competições dessa temporada no hemisfério Norte. A dupla já é experiente em competições radicais na neve e na última temporada, participou de importantes competições internacionais na categoria Children (até 16 anos), como os Trofeus Borrufa, Topolino, Pinocchio e Bursa Uludag, disputados na Europa pelos melhores esquiadores do mundo.
Novamente, o calendário dos irmãos nascidos em Salvador e que representam o Brasil no mundo todo, está repleto de competições ao redor do mundo nos próximos meses. "Aqui na Bahia Esmeralda e Nathan fazem treinamentos específicos na academia e têm a alimentação acompanhada por nutricionista durante todo o ano. Agora com o fim das aulas, eles vão se dedicar integralmente aos treinamentos e competições na neve”, explica o pai dos esquiadores, Marco Alborghetti.

Nathan e Esmeralda adoram o calor baiano, mas confessam que já estavam com saudades das temperaturas negativas e da rotina de treinamentos de Slalom, Slalom Gigante e Super G de esqui alpino, as provas que eles disputam. "Esse á meu último ano na categoria juvenil , antes de passar para junior FIS,  no final desta temporada. O meu objetivo é terminar esse ciclo da minha vida desportiva conseguindo bons resultados nas provas e tentando de ser protagonista -  e não somente participante nas competições em que represento o Brasil”, comenta Esmeralda.
Para Nathan, a temporada também terá novos desafios. "Esse  é meu primeiro ano na k2 (nascidos em 1998/1999) e sempre que se muda de categoria, enfrenta o primeiro ano com mais dificuldade. Contudo, é  um ano a mais de desenvolvimento psicofísico  e os fortes treinamentos podem fazer a diferença nos resultados”, declara o esquiador baiano. A primeira competição internacional dos esquiadores será o Trofeu Borrufa, em Andorra, entre os dias 27 e 30 de janeiro. Antes disso, eles participarão de competições regionais na Itália.

Por Michele Barcena

Torres encerra o circuito Gaúcho de Surf

A cidade de Torres receberá a última etapa do circuito Gaúcho de Surf no ano, no final de semana de 20, 21 e 22 de dezembro, na Prainha, em Torres. A realização do evento é alusiva aos 30 anos da Associação dos Surfistas de Torres (AST), que completou as três décadas de existência em 26 de novembro.
Mais uma vez a AST, juntamente com seus parceiros, colocou em jogo R$ 7.000,00 (sete mil reais) de premiação para a categoria Profissional, sendo o primeiro colocado agraciado com R$ 3.000,00 (três mil reais). Os atletas com colocação até o 13º lugar receberão premiação em dinheiro. Já o campeão do circuito Gaúcho Profissional terá ainda uma passagem aérea para o Peru, oferecida pela Avianca Taca. Entre os Amadores, estarão em jogo mais de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) em kits de prêmios para as 11 categorias do certame. O campeão da categoria Open (desta etapa) também receberá uma passagem aérea para o Peru através da parceria Avianca Taca e AST.

Para participar das competição é preciso garantir uma das vagas. As inscrições são feitas através de um depósito bancário para a Associação dos Surfistas de Torres (Banco do Brasil – Agencia 0778-1, conta corrente 15991-3) com os valores para cada uma das categorias que pretende disputar. Para competir na categoria Profissional o valor é de R$ 100,00 (cem reais), enquanto para a Open é R$ 60,00 (sessenta reais), na Iniciantes, Mirim, Júnior, Sênior, Máster, Feminino, Universitário, Longboard e Surdos, o custo é de R$ 50,00 (cinquenta reais). Para mais informações entre em contato por meio do e-mail lab.rs2@daruma.com.br. Lembrando que as inscrições se encerram ao meio dia de quinta-feira (19/12).

Por Gabriel de Mello

14 de dezembro de 2013

Fanning é campeão mundial e Slater vence Billabong Pipe Masters

O australiano Mick Fanning, 32 anos, é o campeão mundial do ASP World Tour 2013. Mas, depois do título confirmado nas quartas de final, quem brilhou foi Kelly Slater, 41, que comandou o espetáculo no mar clássico do sábado de sol, praia lotada e ondas épicas de 10-15 pés para fechar o Billabong Pipe Masters em memória a Andy Irons. Ele ganhou a única nota 10 do dia na semifinal e também surfou tubos incríveis de backside na grande final contra o jovem havaiano John John Florence, 21 anos, para festejar sua sétima vitória no maior palco do esporte.
Pipe Masters / Foto Kelly Cestari/ASP
Esse era o único resultado que Slater precisava para conseguir o 12º título mundial, mas Fanning também atingiu seu objetivo que era vencer duas baterias para alcançar imbatíveis 34.400 pontos no ranking e entrar no seleto grupo de tricampeões mundiais no ASP Tour. E as duas vitórias foram dramáticas, só conquistadas no final das baterias totalmente lideradas pelos seus dois primeiros adversários nas grandes ondas do sábado em Pipeline. "Eu nunca imaginei em fazer parte de uma lista com nomes como Tom Curren e Andy Irons", disse Mick Fanning. "O Tom (Curren) é como um enigma e foi fundamental para injetar estilo no nosso esporte. E o Andy (Irons) … o que dizer sobre o Andy! Ele era uma lenda e um bom amigo. Sinto-me honrado e feliz por fazer parte deste grupo".

No primeiro duelo do dia, o mar estava difícil ainda, com as ondas fechando e o norte-americano C. J. Hobgood liderou com duas notas médias. Mick Fanning caiu no drop em todas as tentativas e só conseguiu surfar seu primeiro tubo quando faltavam menos de 2 minutos para o término. Só que foi um tubaço incrível que valeu nota 9,5 e a virada no placar para 12,00 a 10,50 pontos, somando 2,5 da sua segunda maior nota na bateria. "Não foi fácil", suspirou aliviado, Mick Fanning. "Se você quer ganhar um título mundial , você tem que arriscar tudo. Eu fiquei atrás por 28 minutos da bateria, até entrar a joia do dia. Eu ouvi todos assobiando na praia e sabia que ia ser uma boa. Ela já entrou rodando no segundo reef e eu estava no lugar certo pra pegar o tubo. Foi um momento mágico pra mim".
Mick Fanning / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Precisava vencer mais uma, contra o australiano que o mandou para a repescagem, Yadin Nicol, na primeira quarta de final. Antes desse confronto que definiu o campeão do ASP Tour 2013, o paulista Miguel Pupo também surfou um expresso em Banzai Pipeline para despachar o francês Jeremy Flores com a maior nota do dia até ali, 9,77. Depois começou mais uma decisão para Mick Fanning e ele largou na frente com um bom tubo nota 7,33. Mas, Yadin Nicol que ainda tinha chance de ganhar a última vaga no WCT 2014 se vencesse o Pipe Masters, pegou duas ondas seguidas muito boas para tirar notas 9,33 e 7,57.

Com elas, conseguiu uma boa vantagem de 9,57 pontos e novamente o tempo foi passando para Mick Fanning, mas nos minutos finais entrou a série e ele surfou outro tubo espetacular para a praia toda ficar em suspense pela divulgação da nota. Demorou um pouco e saiu 9,70, confirmando por 17,03 a 16,90 pontos o terceiro título mundial da ASP para o australiano que tinha conquistado os outros dois dele na etapa brasileira do WCT, quando ela era disputada em Imbituba, Santa Catarina, em 2007 e 2009. "O título mundial é algo que leva um ano inteiro, mas às vezes parece se resumir ao último dia da etapa final", disse Fanning. "Eu sabia do que precisava fazer e se a oportunidade surgisse, eu saberia o que fazer. Essa oportunidade só veio no final das duas baterias hoje e é uma sensação incrível conseguir isso assim. Competi durante o ano todo e conquistar o título em um dia com condições clássicas como este em Pipeline, o torna muito mais especial".
Miguel Pupo / Foto Kelly Cestari/ASP
Depois das entrevistas, Mick Fanning ainda teve sua terceira decisão do dia, na semifinal contra John John Florence pela Tríplice Coroa Havaiana. Mas, a última onda salvadora não apareceu dessa vez e o havaiano festejou sua segunda coroa da Vans Triple Crown of Surfing, além da primeira final no Pipe Masters. Ele já é tricampeão da etapa do ASP World Star que acontece no início do ano nos mesmos tubos, mas pela primeira vez chegava numa decisão de WCT em Pipeline. "Este segundo título na Tríplice Coroa foi mais especial pra mim", disse John John Florence. "No primeiro ano (2011), eu era jovem e estava apenas me divertindo, mas este ano eu vim querendo ganhar o Triple Crown. Mas, sinceramente, não achava que tinha chance até hoje (sábado), no último dia. Então entrei concentrado nisso contra o Mick Fanning e este resultado me deixa mais motivado para o próximo ano. Ainda cheguei perto de vencer meu primeiro Pipe Master, então estou feliz também".

Enquanto Mick Fanning sofria para vencer as duas baterias que precisava para garantir o título mundial, Kelly Slater só assistia o campeonato. Isto porque ele já estava na terceira quarta de final por ter passado direto da quarta fase, pulando a repescagem que Fanning teve que disputar por ter perdido para Yadin Nicol na rodada classificatória que fechou a terça-feira. Sem a pressão pela vitória no Billabong Pipe Masters, que era sua única chance de conquista do título mundial, desde que Mick Fanning não passasse das quartas de final, Slater começou a dar um verdadeiro show para o público que lotou a praia no sábado ensolarado no Havaí.
Campeão mundial / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Na quarta de final contra o havaiano Sebastian Zietz, que tentava o bicampeonato consecutivo da Tríplice Coroa Havaiana, Kelly pegou tubos em Banzai Pipeline e no Backdoor para ser o primeiro a bater o recorde de 18,67 pontos do brasileiro Gabriel Medina em sua estreia no domingo também de condições clássicas no templo sagrado do esporte. Slater alcançou 18,80 pontos com notas 9,73 e 9,07. Já na semifinal contra o defensor do título do Billabong Pipe Masters, Joel Parkinson, foi mais fenomenal ainda e surfou um tubaço nota 10 unânime dos cinco juízes e ainda somou 9,73 para vencer com 19,73 pontos de 20 possíveis.

Na grande final, o vento já afetava a qualidade das ondas, mas Banzai Pipeline e Backdoor mostraram os seus tubos espetaculares nos minutos finais para fechar o campeonato com chave de ouro. John John Florence só pegou sua primeira onda quando faltavam 12 minutos para o término da bateria, mas 4 minutos depois surfou o primeiro tubão da final que valeu nota 8,5. Slater logo respondeu com um tubo mais sensacional ainda que chegou perto da segunda nota máxima do dia, com a média ficando 9,87.
Kelly Slater / Foto Kelly Cestari/ASP
Enquanto o havaiano usava a prioridade de escolha da próxima onda para pegar a que poderia lhe dar a vitória, Kelly pegou duas e na segunda delas conseguiu nota 6,5 para abrir 7,88 pontos de vantagem no último minuto. Ainda deu tempo para John John Florence achar um tubão no Backdoor que surfou em pé, saindo com estilo e novamente ficou o suspense pela divulgação da nota. Os juízes deram 7,40 e Slater ganhou sua sétima coroa de Pipe Masters por 16,37 a 15,90 pontos, faturando mais um prêmio de 75.000 dólares da sua terceira vitória em etapas do ASP World Tour 2013. "Foi um pouco estranha essa final", disse Kelly Slater. "Eu e o John John (Florence) esperamos um tempão por ondas boas que não entravam, então eu sabia que ia ficar tudo pro final. Achei até vantagem não estar com a prioridade porque pude ir em várias ondas em vez de esperar pelas melhores séries. Estou feliz por estar em Pipeline com ondas tão boas assim e com esse público que é o maior que eu já vi aqui. Surfei grandes tubos em todas as baterias e o Pipe Masters é um campeonato especial".

O último título conquistado por Kelly Slater no grande palco do esporte havia sido em 2008. Os outros foram na década de 90, com o primeiro deles logo no seu ano de estreia na divisão de elite do ASP World Tour implantada no mesmo ano de 1992. Depois, foi o melhor nos tubos de Banzai Pipeline e do Backdoor em 1994, 1995, 1996 e 1999. Ao contrário de Slater, que vem chegando nas fases decisivas do Pipe Masters desde a vitória de 2008, Mick Fanning não conseguia ser semifinalista em Pipeline desde 2005, quando foi vice-campeão na final contra o havaiano Andy Irons.
John J. Florence / Foto Kelly Cestari/ASP
Sobre se vai continuar na busca pelo 12º título mundial em 2014, Slater não deixou dúvidas: "No ano passado, fizeram a mesma pergunta e eu disse que continuaria porque ainda queria fazer uma final com o John John (Florence) em Pipe, o que aconteceu agora. E hoje (sábado) foi um dia especial na minha vida, pois sempre sonhei desde criança com ondas grandes, perfeitas e o Pipe Masters. Se eu tivesse me afastado do esporte 5 anos atrás, não teria vivido isso hoje. Eu quero surfar contra os melhores surfistas nas melhores ondas, por isso estou no circuito e quero mais dias como este, então definitivamente estarei no WCT no próximo ano".

O melhor brasileiro no Billabong Pipe Masters pelo segundo ano consecutivo foi o paulista Miguel Pupo. Ele precisava repetir o nono lugar do ano passado para garantir sua permanência na elite do WCT e conseguiu isso surfando grandes tubos para vencer as duas baterias que necessitava para isso. Na primeira, ganhou o duelo verde-amarelo da segunda fase com o catarinense Alejo Muniz em um tubaço de backside nas direitas do Backdoor no último minuto da bateria.
Mick Fanning antes do título / Foto Kirstin Scholtz/ASP

Com esta vitória, já tirava a 22.a e última vaga dos que são mantidos pelo ranking do WCT do norte-americano Brett Simpson. Precisava passar mais uma fase para garantir de vez o seu nome, sem depender dos resultados de ninguém. O adversário era o top-9, Josh Kerr, que foi igualmente batido nos minutos finais com Pupo desta vez surfando a esquerda de Pipeline para ganhar nota 9,07 e ser o sétimo brasileiro no WCT 2014, um a mais que este ano.

No último dia, Pupo surfou outro tubaço para derrotar o francês Jeremy Flores com nota 9,77 em Banzai Pipeline, sendo o único goofy-footer a se classificar para as quartas de final, pois todos os outros sete surfam as esquerdas de backside, de costas para a onda. Depois, não achou os tubos contra o campeão mundial Joel Parkinson, mas a meta já estava cumprida e ele ainda melhorou sua colocação no Billabong Pipe Masters com o quinto lugar esse ano.
Pipe proporcionou finais épicas / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Com isso, o Brasil volta a superar os Estados Unidos, que permaneceu com seis tops, para formar o segundo maior esquadrão no pelotão de elite da ASP, abaixo apenas da Austrália com doze competidores. Pupo subiu para 19.o no ranking e mais três paulistas ficaram no G-22 do WCT, Adriano de Souza em 13.o lugar, Gabriel Medina em 14.o e o estreante Filipe Toledo em 15.o. Já o catarinense Alejo Muniz e o carioca Raoni Monteiro confirmaram suas permanências pelo G-10 do ASP World Ranking, que também classificou o potiguar Jadson André para reforçar a seleção brasileira em 2014.

Além de Jadson André, quem também retorna ao WCT no ano que vem é o basco Aritz Aranburu, que esteve entre os melhores do mundo nas temporadas de 2008 e 2009. Já os australianos Mitch Crews e Dion Atkinson serão os estreantes do ASP Tour 2014. Os quatro que saíram da elite para a entrada deles foram o norte-americano Damien Hobgood, o australiano Kieren Perrow, o irlandês Glenn Hall e o havaiano Dusty Payne. Aliás, com a volta de Jadson André o Brasil tirou uma vaga do Havaí, que não colocou ninguém no lugar de Dusty Payne e terá só três participantes no WCT 2014.
O púbico lotou a praia / Foto Kirstin Scholtz/ASP
O australiano Owen Wright e o português Tiago Pires também ficaram de fora das duas listas classificatórias, mas receberam os dois wildcards (convites) que a ASP reserva para os atletas que se contundiram durante a temporada. Com isso, eles poderão participar de todo o circuito, completando o novo grupo dos top-34 que vai disputar o título mundial no ASP World Tour 2014 nas melhores ondas do mundo.

A etapa brasileira do WCT está confirmada, com o Billabong Rio Pro novamente tendo seu palco principal instalado no Postinho da Barra da Tijuca, de 7 a 18 de maio no Rio de Janeiro. A temporada começa mais uma vez pela Austrália, que no ano que vem terá uma prova a mais, a estreia do Margaret River Pro de 02 a 13 de abril em Margaret River. A abertura continua no Quiksilver Pro Gold Coast nos dias 01 a 12 de março e o tradicional Rip Curl Pro acontece nos dias 16 a 27 de abril em Bells Beach, depois de Margaret River.
Fanning é campeão mundial e Slater vence Billabong Pipe Masters 2014 / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Da Austrália, os melhores surfistas do mundo vêm para o Brasil e depois seguem para a fase mais desafiadora pelas ilhas de Fiji, Indonésia e Taiti. O Fiji Pro será do dia 1.o a 13 de junho nas ilhas de Tavarua e Namotu, em seguida tem o Bali Pro de 17 a 28 de junho na Indonésia. Já o Billabong Pro Teahupoo é em agosto, do dia 15 a 26 na Polinésia Francesa.

O calendário prossegue em setembro com o Hurley Pro Trestles nos dias 09 a 20 na Califórnia, Estados Unidos, e o Quiksilver Pro France abrindo a fase europeia de 25 de setembro a 06 de outubro em Hossegor, na França. Na sequência tem o Moche Rip Curl Pro Portugal de 08 a 19 de outubro em Peniche, com o Billabong Pipe Masters fechando a temporada nos dias 08 a 20 de dezembro nas esquerdas de Banzai Pipeline e nas direitas do Backdoor no Havaí.

Por João Carvalho  

13 de dezembro de 2013

Brasil conquista duas medalhas no Mundial da WAKO 2013

O Brasil conquistou duas medalhas no Campeonato Mundial da WAKO de Kickboxing 2013, etapa da Turquia, que terminou domingo, na cidade de Antalya: uma de prata com o capixaba Laecio Nunes e uma de bronze com a goiana Adriane Las Casas. Laecio Nunes chegou ao combate decisivo da categoria Kick Light 74 Kg, mas nele acabou derrotado pelo italiano Patrizio Cala e ficou com o vicecampeonato mundial. Nas semifinais, ele venceu o búlgaro Mitko Ruzhinov e nas quartas-definal, superou o polonês Piotr Siegoczyski.
Laecio Nunes foi vice na Turquia / Foto Federação de Kickboxing do Estado do Espírito Santo
Já Adriane Las Casas fez uma boa luta diante dairlandesa Sallie McArdle nas semifinais da categoria Point Master 65 Kg e não conseguiu vaga na grande final, mas conseguiu um bom terceiro lugar para a delegação brasileira que foi para a Turquia. "Com o encerramento da etapa da Turquia do Mundial WAKO 2013, o Brasil, pela primeira vez na história, se posicionou ente os "top ten” nas modalidades de ringue. Ao mesmo tempo em que temos o sentimento de missão cumprida, sabemos o quanto será difícil manter essa posição no futuro”, afirma Paulo Zorello, presidente da CBKB.

"Se não continuarmos a trabalhar forte no desenvolvimento de vários pontos, desde a base até o alto rendimento, assim como definir metas futuras e estratégias de como alcança-las, não chegaremos lá”. Porém, conquistar medalhas - 1 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze – em Mundiais (Brasil e Turquia), com certeza entrou para a ]história”, completa o dirigente. O Campeonato Mundial da WAKO de Kickboxing 2013, que começou no dia 30 de novembro, teve disputas das modalidades Full Contact, Point Fight, Light Contact e Musical Forms.

Por Roberto Pierantoni

12 de dezembro de 2013

Bruno Jacob fica entre os Top 10 na Copa do Mundo de Jet Ski

O piloto baiano Bruno Jacob acaba de registrar mais um expressivo resultado para o Brasil no jet ski. O  Ski King´s Cup 2013 – World Cup Grand Prix, válido como uma etapa da Copa do Mundo do esporte, foi realizado na Tailândia e reuniu dezenas de pilotos de diversos países em uma competição muito disputada.
"Minha equipe e eu tivemos uma experiência incrível aqui na Tailândia. O evento é gigante e o país respira muito Jet Ski, pois a Ásia é muito forte no esporte, como imaginei. Terminei em nono lugar, aprendi muito e vou buscar um resultado ainda melhor na próxima etapa, que será na Austrália no final de Janeiro de 2014”, declara Bruno Jacob, de 26 anos.

Além de disputar a competição, Bruno também aproveitou para apresentar seu projeto de jet ski sustentável e com alta tecnologia para aquele continente. "Estamos nos organizando pra levar o GiroX para a Ásia,  já que temos um novo atleta que irá usar e começar a representar o produto naquela região. Feito com 95% de materiais reciclados e com um custo aproximadamente 40% inferior que os concorrentes, nosso modelo está sendo cada vez mais atraente para muitos pilotos do mundo todo. Fico muito satisfeito, pois isso ajuda a popularizar o esporte”, explica o atleta.

Por Michele Barcena

Helliton Loureiro é campeão Latino em 2013

Um ano para ficar marcado na história do capixaba Helliton Loureiro. É dessa forma que o atleta de Vila Velha pode resumir a temporada 2013 em sua carreira. Campeão Carioca e Estadual do Rio de Janeiro, o atleta confirmou nesta semana seu primeiro título internacional: o de Campeão Latino. Com uma temporada perfeita, Amarelinho pode comemorar ainda sua passagem para a elite do bodyboard mundial, com a confirmação da quarta posição no GQS – Circuito Mundial de Acesso. “Esse ano foi divino. É o meu primeiro título internacional de Circuito. Em Antofagasta (no Chile) eu conquistei minha melhor posição em mundial, ao ficar em terceiro, e logo depois no Rio eu consegui chegar ao título da etapa. Estou sem palavras. A felicidade de conquistar o latino é imensa. Agora é focar no Circuito Mundial e na primeira etapa em Pipeline”, comemorou o capixaba.
A temporada 2013 do Circuito Latino foi formada pelas competições de Arica e Antofagasta, no Chile, Copacabana e Itacoatiara – no Brasil – além de Porto Rico e Venezuela. Das quatro competições, Helliton ganhou em Copacabana, foi terceiro em Antofagasta, além de alcançar o quinto lugar e Itacoatiara e o nono em Arica e Porto Rico. Com uma ótimo estrutura de treinamentos, Helliton agradeceu muito a todos que lhe ajudaram nesta temporada. “Hoje treino no Instituto Viva Vida, que me dá todo o suporte. Quero agradecer também a Kamona, a Reality Boards, ISFIns, Top Burguer e Governo do Estado do Espírito Santo. Não posso deixar de agradecer a Deus, aos meu familiares, ao meu treinador Wanderson Araujo, Willian Ribeiro, ao meu preparador físico Emerson, ao Cleidson – assistente social - , a Margareth e o Felipão – diretores do IVV –, a galera do CETAF e a todos os meus amigos que sempre me ajudam”, agradeceu.

Além da conquista de Helliton Loureiro, o Brasil mais uma vez dominou as primeiras posições do ranking latino, colocando seis atletas entre os top-10. Roberto Bruno (CE) foi o terceiro colocado e ganhou pontos importantes na corrida por uma vaga entre os tops no ano de 2014 (o ranking será anunciado em breve pela IBA, mas as chances do cearense integrar a elite são boas).

Na quarta posição ficou o baiano Uri Valadão, campeão mundial no ano de 2008 e tricampeão latino. Na sexta posição, o capixaba Magno Passos, que também já conquistou o circuito é mais um brasileiro figurando entre os 10 primeiros. Campẽao do Circuito na temporada passada, o catarinense Eder Luciano, bicampeão mundial do ISA Games na temporada 2012/2013, fechou o ano na sétima posição do latino e Lucas Nogueira, do Espírito Santo, foi o oitavo.

Além dos brasileiros, o marroquino Brahim Iddouch foi o vice-campeão da temporada. Completam a lista dos dez primeiros os venezuelanos Sergio Alonzo (quinto) e Edwin Aldana (décimo) e o porto-riquenho Babby Quinones (nono).

Confira o top-10 do ranking latino após seis eventos:
1 – Helliton Loureiro (BRA) – 5070 pontos
2 – Brahim Iddouch (MAR) – 4380 pontos
3- Roberto Bruno (BRA) – 4220 pontos
4- Uri Valadão (BRA) – 4190 pontos
5- Sergio Alonzo (VEN) – 4102 pontos
6- Magno Passos (BRA) – 4080 pontos
7- Eder Luciano (BRA) – 3910 pontos
8- Lucas Nogueira (BRA) – 3830 pontos
9- Babby Quinones (PRC) – 3480 pontos
10- Edwin Aldana (VEN) – 3072 pontos

Por Danilo Caboclo / Fotos Pedro Monteiro

11 de dezembro de 2013

Vídeo da 1ª etapa do Encontro Paulista de Escolas de Surf

Assista e baixe o vídeo da primeira etapa do Guaraná Antarctica apresenta Encontro Paulista de Escolas de Surf, realizada no último final de semana, na praia da Juquehy, em São Sebastião (SP). As imagens são de Fábio Carvalho – também responsável pela edição do conteúdo – e de Dadá Nascimento, com apoio do RPXcom Birô de Comunicação. Na produção se pode ver o que de melhor ocorreu na competição patrocinada pela Side Walk e que teve como vencedora a equipe da Escola Municipal de Ubatuba/Praia Grande.
O Guaraná Antarctica apresenta Encontro Paulista de Escolas de Surf terá outras duas etapas, uma na praia de Guaecá (25 e 26 de janeiro) e a outra na praia da Baleia (15 e 16 de fevereiro).
O circuito é uma promoção da Event Tools e da Sumatra Comunicação e Marketing Esportivo, com o patrocínio da Side Walk e a chancela da Associação de Surf da Grande São Paulo (ASGSP).

A realização é do Governo do Estado de São Paulo - através da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude -, com a Lei Paulista de Incentivo ao Esporte. Os apoiadores são a Prefeitura de São Sebastião, a Federação Paulista de Surf (FPS) e a Associação de Surf de São Sebastião (ASSS).

Por Roberto Pierantoni

Raimundo e seu time no Hawaii

Desde o dia 06 de dezembro parte da família Pena desembarcou no Hawaii para acompanhar de perto a performance dos seus atletas, na última etapa do WCT 2013 e  também o  Eddie Aikau, o mais renomado campeonato de ondas grandes que acontecerá entre os dias 01/12/2012 e 28/02/2013. Adriano de Souza que hoje é o décimo segundo colocado do Tour almeja um bom resultado no Pipe Master, válido como última etapa de 2013, para conseguir melhorar a sua colocação e tentar finalizar o ano entre os tops 10 do circuito.
Foto Lima Jr.
Na segunda-feira, 9, Mineiro teve uma pequena lesão na coxa treinando em Pipeline e agora tenta se recuperar para ficar cem por cento até o reinicio da competição, onde ele cai na água na terceira fase. Apesar do susto a lesão não colocará em risco a participação do atleta na prova.

O Big Rider Danilo Couto, também integrante da escuderia Pena, está no Hawaii, onde reside há muitos anos na expectativa por um grande swell para disputar o Eddie Aikau. Enquanto não chega a ondulação Danilo está dando todo o suporte para nossa equipe, que tem aproveitado para fazer a cabeça em Sunset Beach. “Sunset é a minha onda preferida no Hawaii é um lugar que precisamos estar bem preparado e com um bom equipamento. Estou muito feliz por mais uma temporada aqui neste paraíso e poder acompanhar de perto o Adriano em Pipeline, espero que ele consiga um bom resultado no evento, Aloha”, comentou Raimundo Pena.

Por Lima Jr.

Sandro Dias acerta o 900, e vence

A cidade de Brasília recebeu pela quinta vez um evento profissional de skate. O primeiro foi o Brasília Street Pro em 98, o segundo foi uma das etapas do Circuito Brasileiro de Vert Pro em 2000, depois o Red Bull Vert Pro em 2002, o Brasília Games em 2010, e agora em 2013 a 5ª etapa da Copa Brasil de Skate Vertical. O evento que é realizado dentro do Circuito Banco do Brasil, aconteceu no estacionamento do Estádio Mané Garrincha e contou com a presença de grandes nomes do skate nacional e mundial, inclusive do Lincoln Ueda e o Americano Jimmy Wilkins, ambos pela primeira vez participando da Copa Brasil.
A etapa corria o risco de não acontecer por conta das chuvas que caíram na quinta o dia todo e sexta-feira pela manhã, porém, para alegria de todos, o tempo abriu e o evento foi um sucesso. Foram 20 inscritos e na eliminatória muitos completaram suas voltas, ficando difícil para os juízes escolherem os 10 finalistas. Isso porque a cada etapa, o nível dos skatistas vem crescendo muito. Nesta fase, Rony Gomes mostrou que está com skate no pé e passou em primeiro da fase.

Na final, muitos começaram errando e Raul Roger foi o primeiro a fechar uma belíssima volta. IÍtalo Penarrubia também fechou todas as paredes e com manobras de alto nível! A melhor volta dele durante o circuito até agora. Marcelo Bastos e Rony andaram muito, até ai não se tinha um resultado muito definido, e na terceira decida de Sandro Dias, ele simplesmente foi para o tudo ou nada já que tinha errado nas duas primeiras. Acertou eorimas manobras de aéreos com flips, varials, variações de 540 e encerrou com um perfeito 900, manobra que acertou pela primeira vez durante a Copa Brasil de Skate Vertical. Essa foi a segunda vitória dele no circuito e com isso assumiu a liderança do ranking.

Logo após a cerimônia de premiação, a qual contou com a presença de Ricardo Leyser (secretário nacional de Esportes de Alto Rendimento), Karen Machado (gerente de Marketing Esportivo do Banco do Brasil) e José Avelar Matias Lopes (gerente de Marketing e Comunicação do Banco do Brasil), aconteceu a clínica de Skate oferecida pelo Banco do Brasil, onde 40 pessoas do público puderam aprender os primeiros passos de como andar em transição com os skatistas profissionais e educadores físicos Vitor Simão e Jodir Damásio.
A clínica também teve a colaboração de Gutemberg Sena (árbitro), Chiquim e Roberto Pessanha da Ass. Skate da Capital (ASC) mais Adolfo Kaveira, Celi Caetano e Eduardo Aprá da FSKTDF. Após o evento, a galera pode curtir os shows de Criolo, Jason Mraz, Stevie Wonder, Capital Inicial, dentre outras atrações.

Falando em Criolo, ele além de ir prestigiar o campeonato, também chamou Raul Roger e Tony (pai do Raul) para subirem no palco durante o show, e lá fez uma homenagem aos dois já que o Criolo e Tony são amigos de infância e até hoje moram na mesma rua e assim como o Raul Roger, ambos conseguiram realizar seus sonhos, um em viver do esporte e o outro da música.

Confira o resultado abaixo:
1-Sandro Dias "Mineirinho"
2-Rony Gomes
3-Marcelo Bastos
4-Italo Penarrubia
5-Raul Roger
6-Dan Cezar "Pardinho"
7-Jimmy Wilkins
8-Carlos Niggli
9-Edgard Pereira "Vovô"
10-Lincoln Ueda

Fonte CBSk 

Miguel Pupo garante vaga no WCT 2014

O paulista Miguel Pupo, 22 anos, garantiu sua permanência entre os top-34 do ASP World Tour nos tubos de 6 pés da terça-feira no maior palco do esporte no Havaí. A vaga foi confirmada com a vitória sobre o australiano Josh Kerr, 29, na terceira fase do Billabong Pipe Masters e o Brasil terá sete representantes no WCT 2014, um a mais que neste ano. Já estavam classificados os paulistas Adriano de Souza, 25 anos, Gabriel Medina, 19, Filipe Toledo, 18, o catarinense Alejo Muniz, 23, o carioca Raoni Monteiro, 31, e o potiguar Jadson André, 23, que retorna ao grupo de elite depois de um ano fora.
Miguel Pupo / Foto Kelly Cestari/ASP
"Estou tremendo até agora, a bateria com certeza foi uma das mais longas da minha vida e estou muito feliz por ter conseguido minha vaga para o ano que vem", disse Miguel Pupo. "Eu consegui pegar um tubo muito bom em Pipeline, mas aqui no Havaí qualquer onda pode sair uma nota alta. Quando faltavam 10 minutos, eu sabia que muita coisa poderia acontecer ainda. Quando faltavam 5 minutos, eu nem sabia mais o que pensar e fiquei ali só torcendo pra não dar mais onda. Está difícil de ver quando entra a série, porque o swell (ondulação) está mais de norte indo pra Off The Wall (outra praia vizinha), então eu ficava soprando pra ir pra lá (risos). Ouvi quando faltavam 30 segundos, nossa, fechei os olhos, quando abri faltavam 10 segundos e acabou felizmente, mas foram os minutos mais longos da minha vida".

Entre os cinco surfistas que batalhavam por vagas no WCT 2014 no Billabong Pipe Masters, só Miguel Pupo confirmou seu nome. Ele já tinha assumido o último lugar na lista dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite, quando ganhou o duelo brasileiro da segunda fase no domingo com o catarinense Alejo Muniz. Mas, precisava passar mais uma bateria para se garantir de vez, sem depender dos resultados de ninguém. E fez isso surfando um lindo tubo nas esquerdas de Pipeline que valeu nota 9,07 e a vitória sobre Josh Kerr por 14,67 a 9,76 pontos.
Kelly Slater / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Depois ele teve que encarar Kelly Slater brigando pelo título mundial e Sebastian Zietz com chances de bicampeonato na Tríplice Coroa Havaiana. Slater deu o seu segundo show do dia, surfando tubos para a esquerda em Pipeline e principalmente para a direita no Backdoor, para já colocar seu nome entre os oito melhores do campeonato. Mas, Miguel Pupo tem outra chance de classificação para as quartas de final contra o francês Jeremy Flores no último duelo da repescagem. Quem vencer vai enfrentar o defensor do título do Billabong Pipe Masters e atual campeão mundial, Joel Parkinson.

Mais dois brasileiros competiram na terça-feira, só que ambos foram barrados na terceira fase e ficaram em 13.o lugar na etapa final do ASP World Tour 2013 no Havaí. Gabriel Medina chegou a liderar sua bateria por 38 minutos, até o havaiano John John Florence pegar um tubo incrível e virar o placar para 16,23 a 14,00 pontos com o 9,83 recebido nessa onda. Adriano de Souza também perdeu para um havaiano, Sebastian Zietz, numa bateria fraca de ondas boas. A maior nota foi 7,77 do defensor do título da Triple Crown of Surfing, que venceu por 13,77 a 9,17 pontos.
Joel Parkinson / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Mineirinho foi o quinto melhor surfista do mundo nos dois últimos anos, chegou a liderar o WCT 2013 com a vitória no Rip Curl Pro Bells Beach e o vice-campeonato no Billabong Rio Pro, mas termina em 13.o lugar no ranking com a derrota na estreia em Pipeline. Em seguida vem Gabriel Medina em 14.o e o estreante Filipe Toledo em 15.o, que ainda podem ser ultrapassados por Sebastian Zietz e Jeremy Flores. Já Miguel Pupo saiu da zona do rebaixamento para o vigésimo lugar, podendo subir até 17.o se vencer o Billabong Pipe Masters, o que seria inédito para o Brasil no ASP World Tour.

Na terça-feira também começou a disputa do título mundial em Pipeline e especialmente no Backdoor, com Kelly Slater, 41 anos, levando a decisão para o último dia da etapa que fecha a temporada 2013 e a Tríplice Coroa Havaiana na ilha de Oahu. Ele foi o melhor do dia e venceu as duas baterias que disputou com os maiores placares da terceira e da quarta fase, surfando tubos profundos principalmente nas direitas do Backdoor.
Yadin Nicol / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Slater já estreou com imbatíveis 17,66 pontos contra o australiano Mitch Crews, depois fez 17,56 para ganhar a terceira vaga nas quartas de final do havaiano Sebastian Zietz e do único brasileiro que passou da terceira fase, Miguel Pupo. Nesta rodada ninguém é eliminado e Pupo terá outra chance de avançar contra o francês Jeremy Flores na repescagem que ficou para abrir o último dia do Billabong Pipe Masters no Havaí.

Para Slater colecionar o seu 12.o troféu de melhor surfista do mundo no ASP Tour 2013, a única possibilidade é ganhar mais uma coroa de Pipe Masters e Mick Fanning não chegar nas semifinais. Só que o australiano não consegue isso desde 2005, quando ficou em segundo lugar na final contra o havaiano Andy Irons (in memoriam). Já Slater vem chegando nas fases decisivas desde 2008, da sua última vitória em Banzai Pipeline. Em 2009 foi vice-campeão contra o australiano Taj Burrow e ficou em terceiro nas semifinais em 2010, 2011 e 2012.
Mick Fanning / Foto Kirstin Scholtz/ASP
Mick Fannig passou fácil pelo havaiano Kaimana Jaquias em sua estreia no Billabong Pipe Masters na terça-feira, mas depois foi batido pelo também australiano Yadin Nicol na primeira rodada classificatória para as quartas de final. Nicol surfou um tubo fantástico para ganhar a segunda nota 10 do Pipe Masters esse ano e mandar o líder do ranking para a repescagem. Ele é o único que ainda pode entrar no grupo dos top-34 para o WCT 2014, mas para tirar a vaga do americano Brett Simpson também precisa da vitória no Havaí como Slater para vencer o título mundial.

Por João Carvalho

Conheça os campeões do Circuito Carioca de Bodyboarding 2013

O cenário estava preparado e o desfecho do Circuito Carioca de Bodyboarding não poderia ter ocorrido de melhor forma. Com uma das ondas mais perfeitas do Rio de Janeiro quebrando com 6-8 pés e séries maiores (2,5 a 3 metros), São Conrado brindou Helliton Loureiro e Jéssica Becker como grandes campeões da temporada 2013. Além disso, Nicholas Bastos e a capixaba Chris Kale deram show e saíram como vencedores da última etapa do ano.
Com a liderança do ranking na mão até a última etapa, o capixaba Helliton Loureiro comemorou o título carioca no sábado, após avançar para o domingo decisivo e ver seu principais concorrentes serem eliminados na disputa. Na decisão, o atleta de Vila Velha tinha a chance de terminar o ano com o título da etapa, mas foi superado pelo carioca Nicholas Bastos, que em uma atuação impecável faturou a etapa e de quebra o vice-campeonato do Circuito. Na decisão, o título ficou com Nicholas, seguido de Lucas Nogueira (ES), do campeão do circuito Helliton (ES) e de Magno Passos (ES).

“O Rio de Janeiro sempre foi um lugar de excelentes atletas, é um celeiro do esporte e essa vitória foi muito importante. As melhores ondas do país estão no Rio e a sensação de vencer o carioca depois do estadual me deixa com o sentimento de missão realizada. Agora é descansar e focar em Pipeline no começo da próxima temporada”, ressaltou Helliton, que além do título carioca e estadual do Rio venceu ainda a etapa de Copacabana do Circuito Mundial em 2013. O atleta treina no Instittuto Viva Vida e tem os patrocínios da Kamona e Reality Bodyboard, além do apoio da ISFIns, Top Burguer e do Governo do Estado do Espírito Santo.

Entre as mulheres, mais um título para a macaense Jéssica Becker. Campeã Brasileira, Estadual do Rio de Janeiro e agora carioca, a atleta encerra o ano fechando a trinca. Além disso, assim como Helliton, Jéssica foi a grande vencedora da etapa de Copacabana do Circuito Mundial, comemorando um feito memorável no estado do Rio de Janeiro em 2013.
Além de Jéssica, quem teve muita para comemorar foi a capixaba Chris Kale. Retornando com força aos eventos na segunda metade deste ano, a atleta superou as dificeis condições de São Conrado e levantou o caneco. Na decisão, Chris superou a carioca Rafaela Alves (vice-campeã da etapa e do circuito), Neymara Carvalho (ES) e Paola Simão (RJ).

Na categoria Open dois atletas soltaram o grito de campeão da garganta. Competindo em casa, David Barbosa mostrou que o conhecimento da onda podia fazer toda diferença em condições extremas e levantou a taça de campeão da etapa. Já Adejaldo Silva foi o grande campeão do Circuito Carioca 2013.

Fechando as disputas do Circuito Carioca de Bodyboard em 2013, o carioca Kayque Thomas e a rioostrense Yumi Vasconcellos comemoraram o título na temporada 2013. Kayque foi o grande campeão na categoria Sub-16, enquanto Yumi, após ser campeã brasileira, levantou o título carioca na Open.

Nesta última etapa do Circuito Carioca não houve campeões nas duas categorias, pois a organização do evento decidiu por dividir a pontuação e não colocar os atletas na água, uma vez que as condições estavam muito extremas e não seria prudente colocar em risco a integridade física dos competidores.

Resultado da quarta etapa:
Profissional Masculino
1 – Nicholas Bastos – RJ
2 – Lucas Nogueira – ES
3 – Helliton Loureiro – ES
4 – Magno Passos – ES
Profissional Feminino
1 – Chris Kale - ES
2 – Rafaela Alves – RJ
3 – Neymara Carvalho – ES
4 – Paola Simão – RJ
Open Masculino
1 – David Barbosa – RJ
2 – Gabriel Popó – RJ
3 – Everton de Souza – RJ
4 – Igor Santana – RJ
Campeões do Circuito Carioca 2013
Profissional Masculino: Helliton Loureiro – ES
Profissional Feminino: Jéssica Becker – RJ
Open Masculino: Adejaldo Silva – RJ
Open Feminino: Yumi Vasconcellos – RJ
Sub-16 Masculino: Kayque Thomas – RJ

Por Danilo Caboclo / Foto Pedro Monteiro