8 de setembro de 2013

Tomas Hermes garante o tri em Açores

O catarinense Tomas Hermes, 26 anos, é o novo campeão da etapa do arquipélago dos Açores em Portugal, que foi encerrada no último sábado de boas ondas de 3-4 pés na Praia de Santa Bárbara, na Ilha de São Miguel. Com os 6.500 pontos da sua primeira vitória no Circuito Mundial, Tomas ganhou 87 posições no ASP World Ranking, curiosamente, o ano do seu nascimento. Ele saltou de 121 para 34 no ranking que está classificando até o trigésimo colocado para o WCT do ano que vem. A bateria final do ASP Prime SATA Airlines Azores Pro foi contra o australiano Adam Melling, 28 anos, único que entrou no grupo dos dez indicados para completar os top-34 da ASP nesta etapa, tirando o brasileiro Raoni Monteiro, 31, da lista em Portugal.
Tomas Hermes vence o SATA Airlines Azores Pro
A vitória de Tomas Hermes foi a terceira do Brasil nas Ilhas Açores e a segunda consecutiva no SATA Airlines Azores Pro, repetindo o título do cearense Messias Felix, 27 anos, na final verde-amarela com o paulista Wiggolly Dantas, 23, na Praia de Santa Bárbara no ano passado. A outra foi conquistada pelo também catarinense Willian Cardoso, 27, na estreia dos Açores no calendário da ASP em 2009. "Estou muito feliz, este é o melhor dia da minha vida, com certeza, é a minha primeira vitória no Circuito Mundial da ASP", vibrou Tomas Hermes.

Tomas começou bem a final, recebeu 7,17 dos juízes em sua segunda onda e abriu 8,47 pontos de vantagem sobre o australiano com a nota 5,00 que surfou quando faltavam 15 minutos para o término da bateria. Adam Melling ainda pegou quatro ondas e o máximo que conseguiu foi 5,40, não superando os 12,17 pontos que valeram um prêmio de 40 mil dólares para Tomas Hermes, que entra na briga direta pelas vagas do G-10 para o WCT de 2014.
Para conquistar seu primeiro título importante em nível internacional, o catarinense começou o sábado decisivo ganhando um duelo brasileiro com o paulista Filipe Toledo, 18 anos, pelas quartas de final. Foi a sua melhor bateria do dia, enquanto Filipe não conseguia completar as manobras como vinha acertando desde a sua estreia na Praia de Santa Bárbara, quando tirou a única nota 10 do campeonato e atingiu imbatíveis 18,33 pontos. Tomas não desperdiçou as chances que teve e derrotou o recordista absoluto com notas 7,77 e 7,50, mas poderia ter vencido também com as 6,23 e 6,00 que descartou.

Depois Tomas garantiu o Brasil em mais uma decisão de título nos Açores com a última onda que surfou na semifinal contra o australiano Mitch Crews, 23 anos, virando o placar para 12,16 a 11,00 pontos com a nota 6,33 recebida. Já Adam Melling precisou fazer o maior placar do dia para derrotar o californiano Kolohe Andino, 19 anos, por 16,60 a 15,67 pontos. Antes, tinha barrado outro norte-americano, o ex-campeão mundial C. J. Hobgood, 34, só perdendo mesmo para Tomas Hermes sem achar boas ondas na grande final. "Foi chato porque não deu muita onda na maré cheia, mas estou muito feliz com o resultado assim mesmo e o Tomas (Hermes) mereceu vencer porque achou uma boa onda no começo da bateria", disse Adam Melling.
Adam Melling (AUS)
Para os atletas do WCT, como Adam Melling, agora vem uma série decisiva na reta final do ASP World Tour com três etapas seguidas. A próxima é nos Estados Unidos, o Hurley Pro de 15 a 21 de setembro em Trestles, na Califórnia. As outras duas na Europa, o Quiksilver Pro France de 27 de setembro a 7 de outubro em Hossegor e o Rip Curl Pro de 9 a 20 de outubro em Peniche, Portugal. Depois, só tem o Billabong Pipe Masters fechando a temporada nos dias 8 a 20 de dezembro em Banzai Pipeline, na ilha de Oahu, no Havaí.

Os 22 primeiros no ranking final do WCT permanecem na divisão principal para o ano que vem e dez são indicados pelo ASP World Ranking, que registra até dois resultados do WCT entre os seis que são computados junto com as etapas do ASP Prime ou ASP Star. São por elas que os que não fazem parte dos tops do ASP Tour têm que buscar classificação para a elite do esporte. As mais importantes são as com nível Prime que valem os mesmo 6.500 pontos conseguidos pelos semifinalistas nas etapas do WCT.
Mitch Crews (AUS)
A vitória de Tomas Hermes no SATA Airlines Azores Pro foi a segunda seguida de um brasileiro de Santa Catarina no ASP World Prime. Antes de Portugal, Alejo Muniz  venceu um dos eventos mais tradicionais do Circuito Mundial, o US Open of Surfing na Califórnia. E o último dia no ASP Prime dos Açores começou com a reedição da final nos Estados Unidos, só que desta vez o americano Kolohe Andino derrotou o catarinense na briga pela primeira vaga nas semifinais. Mas, os dois continuam encabeçando o G-10 do ASP World Ranking.

Restam três etapas do ASP Prime para fechar o ranking de acesso para o WCT 2014. A próxima é ainda em Portugal, o Cascais Pro de 21 a 27 de outubro na Praia de Carcavelos. E as duas últimas são as que abrem a Tríplice Coroa Havaiana, o Reef Hawaiian Pro nos dias 12 a 23 de novembro no Alli Beach Park de Haleiwa e a Vans World Cup do dia 24 a 6 de dezembro em Sunset Beach.
Kolohe Andino (EUA)
Brasil no WCT - No momento, seis brasileiros estão se classificando para o WCT do ano que vem. Os paulistas Adriano de Souza, 26 anos, Filipe Toledo, 18, e Gabriel Medina, 19, entre os 22 primeiros do ranking principal que são mantidos na divisão de elite do ASP World Tour. O catarinense Alejo Muniz, 23, está garantindo sua permanência pelo ASP World Ranking, com o potiguar Jadson André, 23, e outro catarinense, Willian Cardoso, 27, também fazendo parte do G-10 como duas novidades do Brasil para 2014, nas vagas do paulista Miguel Pupo, 21, e Raoni Monteiro, 31, que não aparecem em nenhuma das duas listas classificatórias depois da etapa do ASP Prime em Portugal.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário