8 de maio de 2013

Mar mexido adia início do Billabong Rio Pro

As ondas subiram na quarta-feira na Barra da Tijuca, mas o dia amanheceu com vento sudoeste forte e mar muito ‘mexido’ para dar a largada no Billabong Rio Pro logo no início da manhã. Uma nova chamada foi realizada às 11h30, mas as condições não melhoraram no Postinho e o início da etapa brasileira do WCT foi adiado para a quinta-feira. A primeira reunião da comissão técnica foi marcada novamente para as 6:30 horas de amanhã, com a competição podendo começar as 7 horas, dependendo da qualidade das ondas no palco principal da etapa brasileira do WCT no Rio de Janeiro.
Foto Daniel Smorigo - ASP
"Estamos adiando porque, na verdade, se esperarmos mais um pouco não teremos tempo de fazer toda a primeira fase", explicou Daniel Friedman, diretor de prova do Billabong Rio Pro, responsável pela decisão de realizar ou adiar a bateria. "Nós tínhamos uma expectativa de que o vento diminuísse um pouco, o que não aconteceu. O mar subiu como era esperado e acredito que hoje (quarta-feira) ainda vai ter uma condição boa de surfe, só que infelizmente com pouco tempo pra fazer uma rodada completa. A previsão agora é tentar fazer a primeira fase do masculino e do feminino também na quinta-feira, caso possamos começar bem cedo".

A primeira bateria a entrar no mar é a que vai definir o último participante do Billabong Rio Pro. A triagem será disputada por quatro surfistas convidados pela organização do evento, os cariocas Jerônimo Vargas e Simão Romão, e os catarinenses Willian Cardoso e Ricardo dos Santos. Só o vencedor se classifica para completar a primeira fase da etapa brasileira do WCT, que é formada por doze baterias com três competidores cada. No primeiro confronto, o catarinense Alejo Muniz enfrenta o australiano Josh Kerr e o americano Patrick Gudauskas.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário