6 de maio de 2013

Brasil abre o Mundial de Surf Feminino

No Rio de Janeiro, entre os dias 8 e 14 de maio, as meninas entram na reta final da corrida pelo título mundial no ASP Womens Tour 2013. Depois do Colgate Plax Girls Rio Pro, existe só mais uma prova na França e a última nos Estados Unidos, ambas marcadas para o mês de julho. A havaiana Carissa Moore, 20 anos, que venceu a etapa brasileira e o título mundial em 2011, conquistou duas vitórias consecutivas na Austrália e está na frente, mas é seguida de perto pela australiana Tyler Wright, 19, que perdeu as finais para ela em Margaret River e em Bells Beach.
Silvana Lima (BRA) / Foto Steve Robertson/ASP
Além das duas, apenas mais três têm chances de brigar pela liderança do ranking na etapa brasileira: a norte-americana Courtney Conlogue, 20 anos, e as australianas Sally Fitzgibbons, 22, e Stephanie Gilmore, 25. Conlogue assumiu o terceiro lugar com a vitória na Nova Zelândia, última parada da elite feminina antes do Brasil. Fitzgibbons defende o título de campeã da etapa do Rio de Janeiro. E Gilmore é a defensora do título mundial, sendo a que mais precisa de um bom resultado para entrar na briga pelo seu sexto caneco de número 1 do ASP Womens Tour. "Estamos na metade da temporada, então ainda existem oportunidades pela frente. A Carissa (Moore) e a Tyler (Wright) tiveram um início de temporada muito forte na Austrália, mas não foram tão bem na Nova Zelândia e a corrida do título ficou mais aberta. Estou me sentindo confiante no meu surfe e quero fazer um bom campeonato no Brasil", acredita Conlogue, uma das atletas patrocinadas pela Billabong.

Para Stephanie, só a vitória interessa. Além de uma improvável combinação de resultados, como Carissa Moore perder as duas chances de classificação para a terceira fase, o que nunca aconteceu desde 2010, quando ingressou no seleto grupo das top-16 do WCT feminino. Além disso, Tyler não poderá chegar as quartas de final e Fitzgibbons e Conlogue não terem sido suas adversárias na grande final do Colgate Plax Girls Rio Pro.
Sally Fitzgibbons (AUS) / Foto Kirstin Scholtz / ASP
A disputa principal pela ponta do ranking será mesmo entre Carissa Moore e Tyler Wright, que foi finalista nas três primeiras etapas na Austrália. Ganhou a primeira do ano na Gold Coast, contra Sally Fitzgibbons, mas foi batida pela havaiana em Margaret River e Bells Beach, quando a australiana perdeu a liderança. Na Nova Zelândia, mudaram os nomes das finalistas e a californiana Courtney Conlogue derrotou a havaiana Coco Ho, igualmente vice-campeã no Rio de Janeiro no ano passado.

O Colgate Plax Girls Rio Pro também será decisivo na outra ponta da tabela de classificação, na briga pelas vagas para o ASP Womens Tour de 2014. As dez primeiras colocadas no ranking final são mantidas na elite das top-16, com as outras seis sendo indicadas pelo ASP World Star, circuito que será encerrado nas duas etapas da Europa em agosto. No momento, não tem nenhuma surfista da América do Sul em ambas as listas.
A brasileira Silvana Lima, 28 anos, ainda conseguiu um bom resultado em Bells Beach, onde foi até as quartas de final e só perdeu para a campeã do Rip Curl Pro, Carissa Moore. A cearense é a 12.a colocada no ranking, enquanto a peruana Sofia Mulanovich, 29, está em último sem vencer nenhuma bateria nas quatro etapas. Por duas vezes, foi eliminada com Stephanie Gilmore fazendo o recorde de pontos do campeonato neste duelo de campeãs mundiais, 18,80 de 20 possíveis em Margaret River, na Austrália, e 18,40 na Nova Zelândia.

A cearense Silvana Lima, a líder do ranking 2013, Carissa Moore, e a defensora do título da etapa brasileira do WCT, Sally Fitzgibbons, estarão na primeira coletiva de imprensa marcada para as 12 horas do dia 7, terça-feira, no Royalty Hotel na Barra da Tijuca. Além delas, também vão atender os jornalistas a fera Kelly Slater, o atual campeão mundial Joel Parkinson e Adriano de Souza, o Mineirinho.

Por Fabiane Abel

Nenhum comentário:

Postar um comentário