4 de dezembro de 2012

Medina e Muniz avançam em Sunset Beach

As ondas baixaram no fim de semana, mas voltaram a bombar em Sunset Beach para mais um dia decisivo na briga pelas últimas vagas para o ASP Tour no Havaí. Os principais cabeças de chave da Vans World Cup of Surfing estrearam em um mar difícil, com séries variando entre 6 e 8 pés durante a segunda-feira. Kelly Slater, John John Florence, os irmãos C. J. e Damien Hobgood, Jeremy Flores, Jordy Smith e os também tops do WCT, Gabriel Medina e Alejo Muniz, começaram com vitórias em Sunset Beach. Além deles, Jessé Mendes e Ricardo dos Santos foram os outros brasileiros que passaram para as oitavas de final no último ASP Prime do ano.
Alejo Muniz (BRA) / Foto Kirstin Scholtz / ASP
O segundo desafio da Tríplice Coroa Havaiana tem prazo até quinta-feira e é fatal para a definição dos dez nomes que o ranking unificado indica para os top-34 do ASP World Tour. Principalmente para os que não fazem parte da elite atual, que não terão uma última chance de garantir vaga no Billabong Pipe Masters, que fecha a temporada 2012 do Circuito Mundial e a Vans Triple Crown of Surfing nos dias 8 a 20 de dezembro em Banzai Pipeline. É o caso do cearense Heitor Alves, do carioca Raoni Monteiro e do potiguar Jadson André, para quem só interessa a vitória que nenhum brasileiro conseguiu no maior palco do esporte. Os três são do WCT e perderam em suas primeiras apresentações em Sunset Beach, precisando agora de um bom resultado em Pipeline para confirmar suas permanências.

Além disso, o pelotão verde-amarelo que fechava o G-10 do ranking unificado antes do Havaí foi rebaixado, saindo da zona de classificação nestas duas etapas finais do ASP Prime no North Shore da ilha de Oahu. Com os resultados da Vans World Cup atualizados no Speed Ranking, o veterano Kieren Perrow já ganhou a vaga do brasileiro Willian Cardoso, que fechava a lista. O australiano ainda ultrapassou o norte-americano Patrick Gudauskas, que pode perder a última vaga porque também foi eliminado na segunda-feira. O catarinense aparece logo abaixo, em 32.o lugar no ranking que está garantindo até o 31.o colocado. Raoni Monteiro é o 33.o, o catarinense Jean da Silva o 34.o e Heitor Alves o 35.o, porém quatro surfistas ainda ameaçam essas posições em Sunset Beach.
Ricardo dos Santos / Foto Kelly Cestari / ASP
No momento, os brasileiros encabeçam a lista dos "alternates" para o WCT de 2013, dos substitutos para os atletas contundidos, ou que não forem participar das etapas por algum motivo. Willian Cardoso já foi o segundo "alternate" deste ano, competiu em alguns eventos e pode brigar por uma vaga se for convidado para o Billabong Pipe Masters, que tem um formato diferente dos outros eventos do ASP World Tour, para 48 participantes. Caso não seja, o catarinense ainda pode ficar com uma vaga se não for ultrapassado por mais ninguém em Sunset Beach e ser o primeiro dos que ficaram de fora do G-10. Isto se, em Banzai Pipeline, Kieren Perrow, ou Brett Simpson, entrar no grupo dos top-22 do WCT que permanece na elite. Com isso, dispensariam a classificação pelo ranking unificado para o próximo da lista, que no momento é Willian Cardoso.

O Pipe Masters também será decisivo para Heitor Alves, Raoni Monteiro e Jadson André, a última chance para eles saírem da zona do rebaixamento do ASP World Tour neste ano. Para Jadson, a única salvação é a vitória, enquanto Heitor e Raoni precisam no mínimo de um nono lugar, ou seja, terão que passar baterias e depender de tropeços dos últimos colocados nos top-22 do WCT para entrar na elite de 2013. Já o catarinense Jean da Silva não conseguiu aproveitar a sua última chance de classificação no segundo confronto do dia em Sunset Beach. Ele enfrentou dois concorrentes diretos e saiu da briga junto com o veterano Tom Whitaker, enquanto o também australiano Kieren Perrow conseguia sua entrada no G-10 com a vitória sobre o já garantido na elite de 2013, Travis Logie, da África do Sul.
Jessé Mendes (BRA) / Foto Kirstin Scholtz / ASP
Perrow surfou uma das melhores ondas do dia - nota 9,5 - e totalizou exatos 15 pontos. Já a definição do segundo lugar foi quase um empate técnico, com os três ficando na casa dos 13 pontos. Travis Logie ganhou a disputa por 13,74 contra 13,34 de Tom Whitaker e 13,24 de Jean da Silva. Meio pontinho decretou o fim da batalha por vagas no WCT para Jean e Whitaker. Duas baterias depois, Jadson André e o norte-americano Gabe Kling foram mais dois que ainda buscavam o G-10 a serem eliminados por dois tops confirmados para o ano que vem, o francês Jeremy Flores e o irlandês Glenn Hall. Fora da briga por vagas, o paulista Jessé Mendes e o catarinense Ricardo dos Santos passaram em segundo lugar nas suas baterias, sendo os primeiros brasileiros nas oitavas de final da Vans World Cup of Surfing.

Finalista no primeiro desafio da Tríplice Coroa Havaiana em Haleiwa, o catarinense Alejo Muniz festejou a primeira vitória verde-amarela da segunda-feira em Sunset Beach. Três surfistas que estavam na luta para entrar no G-10 ficaram disputando o segundo lugar e o norte-americano Tanner Gudauskas levou a melhor sobre o carioca Raoni Monteiro e o havaiano Dusty Payne. Curiosamente, os dois eliminados são fortes candidatos para receber os dois "wildcards" (convites) que a ASP reserva aos atletas que se contundiram durante a temporada, para poder participar de todas as etapas do ano seguinte. Já o cearense Heitor Alves precisava confirmar sua permanência nas etapas do Havaí e falhou nas duas primeiras tentativas. Foi barrado pelo australiano Kai Otton e o americano Nathan Yeomans na penúltima bateria do dia em Sunset Beach, com toda pressão ficando para o último campeonato do ano em Banzai Pipeline.
Kelly Slater (EUA) / Foto Kirstin Scholtz
Para fechar de forma positiva a participação brasileira na terceira fase da Vans World Cup, Gabriel Medina venceu o último confronto da segunda-feira na ilha de Oahu. Mostrando uma boa variedade de manobras e a força do seu backside nas direitas de Sunset Beach, Medina derrotou até a fera Sunny Garcia, que quase perde a última vaga nas oitavas de final para o também havaiano Koa Smith. Foi mais um placar encerrado com três surfistas ficando na casa dos 13 pontos. Medina ganhou por 13,76 e Sunny Garcia totalizou 13,66 surfando a melhor onda da bateria - nota 8,33. Koa Smith ficou na expectativa pela nota da sua última onda que poderia valer a classificação, mas faltou meio pontinho para a virada e ele ficou em terceiro com 13,26 pontos. Em último, o californiano Nathaniel Curran foi mais um que saiu da batalha pelas vagas no WCT de 2013.

Por João Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário