.

.

11 de janeiro de 2011

Caio Ibelli e Krystian Kymmerson são o Brasil na luta do título mundial Pro Junior

Após a vitória da Francesa Alizee Arnaud adiantada nas semifinais do Feminino, na Austrália, a atenção se volta para os garotos e dois brasileiros estão na briga pelo título: Caio Ibelli e Krystian Kymmerson. O defensor do título masculino caiu na terça-feira. O francês da Ilha Reunião não achou as ondas contra o australiano Dean Bowen, que somou 12,37 pontos contra 9,00 de Maxime Huscenot. A coroa de melhor do mundo na categoria Sub-21 vai para outro surfista e três candidatos para ficar com ela já tinham passado para as oitavas de final, os havaianos Kiron Jabour e Granger Larsen e o brasileiro Caio Ibelli.
Caio Ibelli na briga pelo título mundial Junior / Crédio ASP - Foto Robertson
O líder Jack Freestone passou para as oitavas de final e derrubou treze concorrentes ao título mundial Pro Junior da ASP na Austrália. Menos o paulista Caio Ibelli e o capixaba Krystian Kymmerson, que também avançaram e continuam na luta para aumentar o recorde de quatro troféus do Brasil de campeão do Billabong ASP World Junior Championship. O feminino já foi decidido nas semifinais que abriram a terça-feira de ondas de 3 pés em North Narrabeen. A francesa Alizee Arnaud, 20 anos, festejou o segundo título mundial feminino da França.
Alizee Arnaud, 20 anos, exibe o trófeu do segundo título mundial feminino da França / Crédito ASP - Foto Kirstin
O paulista Caio Ibelli não começou bem o duelo com o australiano Ty Watson, mas na terceira onda acertou um aéreo rodando muito alto na finalização de uma direita e ganhou nota 8,17 dos juízes, a maior do dia até ali. Depois, liquidou seu adversário numa esquerda que abriu uma boa parede para ele aplicar batidas e rasgadas que valeram 5,10 pontos. Com esta nota, Caio sacramentou a tranqüila vitória por 13,27 x 9,00 pontos.
Jack Freestone passa para as oitavas de final e derruba treze concorrentes / Crédito ASP - Foto Kirstin
“Adoro direitas, adoro os aéreos e estou amarradão por ter passado para a próxima fase”, disse Caio Ibelli, logo após a classificação para as oitavas de final. “O mar não está perfeito, mas achei duas ondas legais e continuo aí na busca do título mundial. Sei que não será fácil, mas estou na briga e vou correr atrás enquanto tiver chance”, prometeu o paulista do Guarujá, que terá o norte-americano Evan Geiselman como próximo adversário nas ondas de North Narrabeen.
Sul-africano Shaun Joubert / Crédito ASP - Foto Kirstin
A bateria de Krystian Kymmerson contra o sul-africano Shaun Joubert foi bem mais acirrada e só decidida no minuto final, quando o capixaba conseguiu acertar o aéreo que tanto arriscou sem sucesso nas ondas anteriores. Foi usando esta manobra que o sul-africano tirou sua maior nota - 6,0 - e que assumiu a ponta a 5 minutos do fim do duelo. Mas deu tempo de entrar uma direita da série para o brasileiro completar um aéreo rodando de backside no crítico da onda, que arrancou uma nota 7,83 dos juízes. Com ela, Krystian confirmou a virada no placar para 12,73 x 10,37 pontos.
O francês da Ilha Reunião Maxime Huscento não achou as ondas contra o australiano Dean Bowen e está fora do campeonato / Crédio ASP - Foto Kirstin
“Estou muito feliz por Deus ter mandado aquela direita pra mim no finalzinho. Remei muito pra pegar a prioridade (de escolha da próxima onda) no fim da bateria, a onda veio e eu arrisquei tudo”, contou Krystian Kymmerson. “Eu tinha que ir pro aéreo pra tirar nota e ela saiu. Foi demais e agora é concentrar mais na próxima pra não ficar pra decidir no fim como dessa vez. Agradeço a todos que torceram por mim e que me passaram essa energia positiva pra vir a onda no final”.

Depois de Shaun Joubert, Krystian Kymmerson agora vai enfrentar mais um concorrente direto ao título mundial, o americano Nat Young, que tinha acabado de registrar o maior placar da terça-feira, 13,93 pontos. No entanto, ninguém bateu os recordes da estreia do brasileiro Miguel Pupo no sábado, nota 8,67 e 15,84 pontos. A passagem do australiano Jack Freestone para as oitavas de final acabou com as chances do paulista ser campeão mundial, mas ele brilhou de novo com seus aéreos na fácil vitória sobre o português Filipe Jervis por uma larga vantagem de 13,80 x 5,50 pontos.

Miguel Pupo disputará a última vaga para as quartas de final com o sul-africano Chad Du Toit. Num dos resultados mais apertados de todo o campeonato, Chad frustrou o esperado duelo verde-amarelo com o também paulista Jessé Mendes nas oitavas de final. Os dois terminaram na casa dos 12 pontos, com o sul-africano levando a melhor por 12.84 x 12.26. Jessé Mendes terminou em nono lugar no Billabong ASP World Junior Championship e recebeu 1.200 dólares de prêmio.

A história do masculino no Mundial Pro Junior da ASP é mais longa e dominada pelos brasileiros, que venceram quatro dos onze títulos disputados, Pedro Henrique (RJ) em 2000, Adriano de Souza (SP) em 2003 e Pablo Paulino (CE) foi bi nas edições de 2004 e 2007. O Havaí tem três, com Andy Irons sendo o primeiro campeão, em 1988. A Austrália tem dois do bicampeonato de Joel Parkinson em 1999 e 2001. Jordy Smith ganhou o de 2006 para a África do Sul e o de 2009 ficou com o francês Maxime Huscenot, ambos contra brasileiros na final.

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar – 3.750 pontos e US$ 1,550:
1.a: Kiron Jabour (HAV) x Granger Larsen (HAV)
2.a: Caio Ibelli (BRA) x Evan Geiselman (EUA)
3.a: Marc Lacomare (FRA) x Dean Bowen (AUS)
4.a: Jack Freestone (AUS) x Charles Martin (GLP)
5.a: Dale Staples (AFR) x Alex Smith (HAV)
6.a: Nat Young (EUA) x Krystian Kymmerson (BRA)
7.a: Mitch Crews (AUS) x Kolohe Andino (EUA)
8.a: Miguel Pupo (BRA) x Chad Du Toit (AFR)

TERCEIRA FASE – 17.o lugar – 1.750 pontos e US$ 1.200:
1.a: Granger Larsen (HAV) 11.70 x 11.16 Ryan Callinan (AUS)
2.a: Kiron Jabour (HAV) 12.16 x 7.57 Luke Davis (AUS)
3.a: Evan Geilseman (EUA) 10.76 x 10.47 Davey Cathels (AUS)
4.a: Caio Ibelli (BRA) 13.27 x 9.00 Ty Watson (AUS)
5.a: Marc Lacomare (FRA) 11.40 x 7.83 Kaimana Jaquias (HAV)
6.a: Dean Bowen (AUS) 12.37 x 9.00 Maxime Huscenot (FRA)
7.a: Charles Martin (GLP) 9.16 x 8.40 Chris Salisbury (AUS)
8.a: Jack Freestone (AUS) 13.50 x 8.34 Ramzi Boukhiam (MAR)
9.a: Dale Staples (AFR) 12.64 x 10.16 Hiroto Arai (JAP)
10: Alex Smith (HAV) 11.84 x 8.20 Brendon Gibbens (AFR)
11: Nat Young (EUA) 13.93 x 10.16 Keanu Asing (HAV)
12: Krystian Kymmerson (BRA) 12.73 x 10.37 Shaun Joubert (AFR)
13: Mitch Crews (AUS) 11.27 x 7.40 Andrew Doheny (EUA)
14: Kolohe Andino (EUA) 11.36 x 9.30 Nic Von Rupp (ALE)
15: Miguel Pupo (BRA) 13.80 x 5.50 Filipe Jervis (PRT)
16: Chad Du Toit (AFR) 12.84 x 12.26 Jessé Mendes (BRA)

João Carvalho- Assessoria de Imprensa da ASP South America / edição InnerSport

Nenhum comentário:

Postar um comentário