.

.

30 de novembro de 2010

Make It Count - Lançamento Oficial em Curitiba

Venha conferir o filme que conta a história completa da Element acompanhado de seus amigos, um belo churrasco e muita energia positiva.
Com realização da Thicor Representações, acontece nesta quarta-feira em Curitiba, o lançamento oficial do vídeo Make It Count, com premiere na Drop Dead Skate Park.

Serviço:
Make It Count - The Element Story
Lançamento Oficial em Curitiba
Drop Dead Skate Park
Travessa da Lapa 231 Centro Curitiba/PR
Dia 01º de Dezembro de 2010
A partir das 20h30
Mais informações: (41) 3224-0885

Por: Marcos Bollmann / http://campeonatosdeskate.blogspot.com

Fim da janela de espera do Tow In Championship 2010

Red Nose Tow In Championship 2010: janela de espera chega ao fim e aumenta expectativa para 2011. Sem as condições mínimas para a realização do campeonato, a direção de prova preferiu não fazer a chamada durante o período

O Red Nose Tow In Championship 2010 chegou ao fim da sua janela de espera. Infelizmente as ondas grandes e perfeitas que chegaram à praia de Maresias, São Sebastião - SP, nas duas edições anteriores, 2008 e 2009, não se repetiram esse ano. Sendo assim a direção do evento achou melhor não realizar a competição, já que para a disputa acontecer era necessário pelo menos ondas de 3 metros com boa formação.
Expectativa e esperança
A expectativa foi grande até o último momento por parte dos atletas convidados. Garrett McNamara, surfista havaiano vencedor do Tow In World Cup na temporada 2001/2002, chegou no Brasil cerca de dois meses atrás na esperança de correr novamente a competição. Ele aproveitou para treinar e conhecer outras ondas do país, porém com o foco de participar do Red Nose Tow In Championship.

Fora os grande nomes internacionais, como os de Grant Baker e Kealii Mamala, os maiores surfistas de ondas grandes brasileiros também lamentaram que a natureza não tenha ajudado neste ano. Nomes como Rodrigo Resende, Carlos Burle, Eraldo Gueiros, Everaldo Pato Teixeira, entre outros, estavam na lista de convidados do evento. Todos queriam que a terceira edição tivesse o sucesso das duas anteriores, como havia declarado Everaldo Pato, que classificou como perfeita a condição do mar no ano passado, e que torcia para que nesse ano o evento rolasse em condições similares.

Paddle Challenge
Foram 139 dias de janela de espera, que começou no dia 15 de Julho e se estendeu até 30 de Novembro, para que rolasse também a nova categoria do Red Nose Tow In Championship: a Paddle Challenge. Nessa categoria, a disputa era uma iniciativa de resgatar o puro espírito do surfe em ondas grandes: todos dentro d'água em busca da maior onda. Qualquer surfista podia se inscrever para competir na remada ou utilizando uma prancha de Stand Up Paddle, sagrando-se vencedor quem descesse a maior da série, faturando um prêmio de 5 mil reais. A idéia é que a Paddle Challenge se repita ano que vem, para que todos os big riders possam participar desse festa do esporte no país.
Kealii no Jet Ski observa Garrett na onda
O evento
O Red Nose Tow In Championship International é a maior competição de Tow In do Brasil, distribuindo mais de 100 mil Reais em prêmios. Entre os convidados, sempre estão os maiores nomes do esporte no país e do Mundo, incluindo campeões mundiais como Garrett McNamara, Carlos Burle e Rodrigo Resende. Desde o primeiro ano do evento, em 2008, esta é a primeira vez que não ocorre a chamada, o que faz aumentar ainda mais a expectativa para 2011. E a Red Nose faz questão de aumentar a ansiedade do público e dos atletas, e fala para que todos fiquem ligados nas novidades do evento em 2011.

O Red Nose Tow In Championship International 2010 é apresentado por Lupo. Patrocínio: Sea Doo, Casarini e Surf Trip. Apoio: Mega Group, Abrasmo, Prefeitura de São Sebastião, Gzero Tech, Santo Segurança, ASM, ASRM, ASSS. Divulgação: Fluir e Waves.

Por Daniel Vianna / MidiaBacana / www.midiabacana.com.br

Tríplice Coroa Havaiana continua sem ondas

Mais um dia sem onda no Tríplice Coroa Havaiana, que aguarda o tão esperado swell previsto para chegar no Havaí na quarta-feira.
Crédito ASP - Foto Cestari
A escassez de ondas continua a afetar o O´Neil World Cup of Surfing. Ontem, segunda-feria feira, foi o quarto dia consecutivo sem competições nas duas provas: masculina e a feminina em Sunset Beach, no North Shore da ilha de Oahu.

Segundo a organização apenas está prevista uma mudança neste cenário para amanhã, 4ª feira, dia em que a prova poderá recomeçar. No evento masculino apenas foram realizadas nove baterias do Round. A prova feminina está mais adiantada nas quartas-de-final.

Acompanhe tudo o acontece no Triple Crown Havaiana

Fonte SurfTotal / edição InnerSport

A última etapa do ASP World Tour sem Andy Irons

O período de espera para a 40ª edição do Pipe Masters começa já no próximo dia 8 de dezembro e será a última etapa do ASP World Tour 2010, mas um nome que ninguém esquece estará ausente: Andy Irons. O havaiano, falecido recentemente deixou a sua marca nessa etapa como nenhum outro surfista na história do surf por ter atingido grandes feitos e desempenhos memoráveis nos tubos grandes de Pipeline e Backdoor.
O havaiano Andy Irons pega um tubo em Pipeline, em 2002, ano em que venceu a etapa em casa
Desde muito jovem Irons se aperfeiçoou em técnica para enfrentar as morras de Pipeline e em 1996, com apenas 17 anos, foi o responsável pela eliminação do lendário Derek Ho, além de outros adversários de peso. Seis anos depois conquistou o seu primeiro título mundial.

A ausência de quem já venceu quatro vezes esta etapa e foi três vezes campeão do Mundo será um enorme vazio no próximo Pipeline Masters. Pipeline foi palco de algumas dos maiores duelos do ASP World Tour, protagonizadas por Andy Irons e Kelly Slater, entre 2003 e 2005, alguns dizem que foi a maior rivalidade já vista no Surf competitivo.
Na final do Pipe Masters de 2003, Andy venceu o agora 10x campeão do Mundo Kelly Slater, numa final que será lembrada para todo o sempre e que rendeu ao havaiano o segundo de três títulos mundiais consecutivos, além de selar definitivamente a sua reputação no mundo do Surf competitivo e quebrar a aura de invencibilidade do norte-americano Kelly Slater. Em 2006, outra final que perdurará para sempre na memória de todos (e que também contou com a presença de Rob Machado e Cory Lopez) terminou também com a vitória de Andy, à frente de Slater.

O período de seis anos entre 2001 e 2006 é hoje conhecido como "Iron Age", já que nesse período Andy venceu quatro Pipeline Masters e o seu irmão Bruce Irons mais um. Na primeira década do século XXI, o nome Irons ficou estampadão nas furiosas ondas de Pipeline e Backdoor e representa uma contribuição valorosa para a evolução do Surf.

A ausência de Andy Irons deixa nesta prova um buraco ainda maior que aqueles tubos que quebram no terceiro reef.

Fonte SurfTotal / edição InnerSport

Alan Jhones e Juju visitam o Titanzinho, Ceará

Na última segunda-feira, 29 de novembro, o mar deu uma melhorada em todo o litoral cearense e o atleta profissional Alan Jhones, da equipe Pena, foi fazer uma visita ao Titanzinho, uma das ondas mais fortes e famosa do Ceará .
Alan Jhones e Juju
Chegando lá fomos recebidos pelos locais Carlos Alexandre e Flávio Sukita que comentaram que tinha altas ondas pela manhã, o esquadrão da nova geração titânica formada por Rafael Venuto, Ramon Matias, John Herveson, Juliana Sousa e o bodyboard Cleiton Elétrico fizeram questão de fazer companhia aos visitantes no outside.
Elétrico e seu aluno
O mar estava com maré um pouco seca e as ondas fechando rápido, as séries chegavam fácil a 1 metro e a escolha de onda era fundamental, pois a galera optou por cair no meio da Praia, um pico com fundo de pedra raso que qualquer vacilo poderia ser fatal.
Juju
A pequena Juliana não se intimidou e ficou no pico com a macharada.
Bidu
Bidú que mesmo machucado também dropou as da série.
Rafael Venuto
Rafael Venuto mostrou muita atitude ao surfar as ondas com muita pressão e Ramon Matias deu um show de surf chamando atenção dos visitantes Alan e Rafael.

Cleiton Elétrico
O guerreiro Cleiton Elétrico pegou as maiores na companhia dos seus alunos do bodyboard mesmo estando muito cansado do trabalho.
Rapahael Seixas
“Este lugar tem altas ondas e grandes talentos e não pode ser abandonado, pois é difícil crescer por lá, quem puder ajudar, ajude, pois a galera precisa. O mar não estava com as melhores condições, mas tinha boas ondas. Espero voltar lá e pegar altas ondas, pois conheci hoje um lugar onde quebram uma das melhores ondas do Brasil”, falou o Paraibano Raphael Seixas.
Alan Jhones
Alan Jhones que nunca tinha surfado no Titan ficou impressionado com o lugar e pegou boas ondas, já Rafael abusou dos aéreos e pegou até alguns tubos. “O Titanzinho é um lugar alucinante tem altas ondas e uma galera super humilde e muito gente boa, fui muito bem recebido por todos os locais. O Titan tem atletas com muito potencial só falta um pouco mais de apoio. O mar tem uma onda muito forte e buraco bem parecido com Noronha, espero que ele não seja esquecido e os empresários olhem para aquele lugar e ajudem os talentos locais”, comentou o potiguar Alan Jhones.
Galera local do Titan
Depois da bateria encontramos grandes nomes do surf cearense como Lucinho Lima e Cacão que falaram de todo o potencial do pico e os visitantes prometeram voltar o mais rápido ao Titanzinho para fazer uma nova bateria.

Fotos e texto: Lima Jr. / Marketing Pena / www.pena.com.br

Seletiva ABC define últimas vagas para Confronto Final do Tent Beach Local Motion SP Contest 2010

Competição será realizada sábado e domingo, nas ondas da badalada praia de Maresias, em São Sebastião

São Paulo -As últimas vagas para o Confronto Final do Tent Beach Local Motion SP Contest 2010 estarão em jogo sábado e domingo, quando será realizada a Seletiva ABC, na praia de Maresias, em São Sebastião (SP). Serão definidos oito classificados na categoria Open Regional, quatro na Longboard Regional e quatro na Máster Regional. Além disso, serão conhecidos os rankings finais da SP Trials Open e da Longboard Open, nos quais competem atletas residentes em outras regiões da Grande São Paulo.
O Confronto Final, que apontará os campeões metropolitanos da temporada, está programado para ocorrer nos dias 11 e 12 de dezembro, na praia de Itamambuca, em Ubatuba (SP). Após quatro etapas realizadas, já garantiram presença no último evento organizado pela Associação de Surf da Grande São Paulo (ASGSP) em 2010, surfistas das zonas Oeste, Sul, Norte e Leste. "Esta reta final do circuito vai pegar fogo", analisou Eduardo do Nascimento Santos, o Dadá, presidente de honra da entidade organizadora do evento.

Oswaldo Domingues, Eduardo Domingues, Júlio César, Bruno Furlani, Danilo Nunes, Renato Botani estão entre os favoritos na Open ABC, principal categoria em disputa. Na Longboard ABC, os destaques são Glébson Sardinha, Daniel Jacques, Paulo Bannys e novamente Eduardo Domingues, que também competirá na Máster ABC. "Minha meta é garantir a classificação para o Confronto Final nas três", afirmou o atleta de Santo André.
Eduardo Maia, vaga pela ZN
Ele e o irmão Oswaldo elogiaram a escolha da praia de Maresias para a realização da etapa. "Ela tem uma das melhores ondas do Brasil e, se o mar ajudar, tem tudo para ser a melhor prova do circuito", comentou Eduardo, 39 anos. "Não poderia ser um lugar melhor, já que lá quebram altas ondas, é um pico super badalado, repleto de gente bonita", avaliou Oswaldo, 37 anos.

Inscrições - Os interessados em participar da Seletiva ABC do Tent Beach Local Motion SP Contest têm até esta quinta-feira para se inscrever na etapa. Os competidores residentes nas sete cidades que formam a região do ABC paulista podem garantir presença nas categorias Open Regional (32 vagas), Longboard Regional (16), Máster Regional. Os atletas das demais regiões da Grande São Paulo competirão na Open SP Trials (32 vagas) e Longboard SP Trials (16).
Erick Proost, vaga pela ZS
A taxa de participação é de R$ 70,00, com direito a uma camiseta oficial do evento. A inscrição para a Seletiva ABC deve ser feita até o dia 2 de dezembro, em cinco lojas da Tent Beach (Mega Store, West Plaza, Center Norte, Shopping Santa Cruz, Shoping Tatuapé) e na fábrica de pranchas Glasser Future Surfboards, no bairro de Santana.

Classificados para o Confronto Final

Open ZO
Alexandre Miranda, Murilo Bastos, Ricardo Capeletto, Freddy Jacob, Pedro Regatieri, Felipe Esteves, Gabriel Rosendo e Thiago Canhos

Longboard ZO
Alexandre Miranda, Marcelo Lima, Leo Paioli e Glauco Valentim

Máster ZO
Alexandre Miranda, Marcelo Minutti, Freddy Jacob e Beto Schina

Open ZN
Eduardo Maia, Fábio Ayres, Vítor Lage, Marcelo Castro, Lucas Martinho, Marcio Aparecido, Danilo Rebello e Roberto Martins

Longboard ZN
Michel Asfo, Danilo Silva, Alexandre Ramires e Carlos Eduardo

Máster ZN
Fabio Ayres, Marcelo Castro, Araken Kuedas e Caio Tavares

Open ZS
Pedro Oliveira, Henrique Scaff, Fernando Augusto, Erick Proost, Alex Durand, Paulo Klein, Diego Oliveira e Michel Cardoso

Longboard ZS
Paulo Giachetti, Pedro Oliveira, Chico Paioli e Zé Paioli

Máster ZS
Eduardo Kutica, Taciano Parri, Dodô Miranda e Edu Bahia

Open ZL
Paulo Adam, Everton Camilo, Jonathan Paiva, Sérgio Ricardo, Marcos Vinicius, Marcio Raposa, Fernando Massau e André Melo

Longboard ZL
Jonathan Paiva, Paulo Menezes, Adriano Degasperi e Domingos João

Máster ZL
Ricardo Saheli, Paulo Menezes, Kléber Stefano e José Paulo
O Circuito Tent Beach Local Motion SP Contest 2010 tem o patrocínio da Tent Beach e da Local Motion. Os apoiadores são Freeday, BHS, Glasser Future Surfboards, OZ Quilhas, Jovem Pan On Line, deputado federal William Woo, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria do Esporte, Lazer e Turismo, V10 Impressão Digital, Mag Modelo Artes Gráficas e Sea Shepherd Guardiões do Mar.

A divulgação oficial da competição é dos sites Waves/Terra e Jovem Pan On Line. A organização é da Event Tools Promoções e Eventos Ltda, a realização da Associação de Surf da Grande São Paulo e da Federação Paulista de Surf. A Seletiva ABC tem apoio da Prefeitura Municipal de São Sebastião e da Associação de Surf de São Sebastião; o Confronto Final, da Prefeitura Municipal de Ubatuba e da Associação Ubatuba de surf.

Por Roberto Pierantoni / piera@zdl.com.br

Especial Kelly Slater: um homem com uma missão

Se você só chegou agora, acompanha o World Tour masculino de surf há no máximo três temporadas e só presenciou os dois títulos do australiano Mick Fanning e uma temporada moleza (2008) de Kelly Slater triturando seus adversários sem muita resistência, não desanime! Em 2010 você foi agraciado com ótimas disputas desde o 1º evento na Gold Coast, viu Taj Burrow flertar com uma invencibilidade excepcional até as semifinais de Bells Beach, vibrou em êxtase com as vitórias de Jordy Smith em casa e, principalmente, a de Jadson André na Praia da Vila, e se surpreendeu com a conquista prematura de Andy Irons em seu retorno à elite. Foram três mudanças de posição na liderança pelo ranking, quatro finais seguidas de Slater a partir de Trestles, uma vitória inédita do Albino pra cima do norte-americano e um confronto direto entre Jordy e Kelly em Portugal. No mês passado você chorou a morte banal e incompreensível de Andy e testemunhou o categórico 10º caneco de Kelly. Faltam ainda alguns dias para Pipeline, 10ª e última etapa do ano.
Pois é... a temporada ainda nem terminou e você já viveu um dos anos mais intensos da história do surf. Daqui uns 30/40 anos poderá contar para seus filhos e netos que assistiu a tudo isso da primeira fileira do webcast, nas madrugadas maldormidas de J.Bay e Hossegor, além de mostrar os autógrafos que descolou naquela tarde chuvosa em Imbituba (SC). Não tem problema que você não conheça muito bem as figuras que compõem o Top 34 hoje. Vai ter um bom tempo pra isso. E não tem problema que você também não conheça a fundo a trajetória dos grandes campeões do surf, especialmente deste "tiozão" que acaba de se sagrar 10 vezes campeão mundial na mesma modalidade. O que importa agora é que você teve a chance (talvez a última) de prestigiá-lo em ação.

Explico: a maioria dos analistas e fãs de plantão apelidou Kelly de alienígena, uma verdadeira aberração. Por muitas vezes foi difícil encontrar palavras para definir suas performances e quase impossível compará-lo a seus adversários. Quando derrotado, perdeu para si mesmo. Um dos poucos que conseguiram detê-lo nos últimos anos foi exatamente o havaiano Andy Irons. Os confrontos épicos entre KS e AI em Pipeline (especialmente o de 2003 valendo o título mundial) e a final de Chiba no Japão em 2005 entram definitivamente como um dos momentos mais emocionantes na década para o surf competitivo. 


A final em Pipeline em 2003 e o título de Andy
Se as comparações no surf são limitadas, no universo esportivo mundial Slater encontrou nomes de multicampeões com quem dividir a atenção de suas façanhas. Em termos numéricos, no entanto, continuo achando as semelhanças muito relativas. É difícil equiparar Kelly com Pete Sampras, por exemplo. O que vale mais: os dez títulos mundiais de Kelly ou os sete canecos em Wimbledon de Pete, considerado um dos melhores tenistas de todos os tempos? No tênis os torneios se assemelham às etapas do mundial de surf, e os Grand Slam's seriam algo como as paradas mais importantes do WT como Pipe, Bells ou mesmo J.Bay. Sampras venceu 64 torneios da ATP. Kelly soma 45 etapas com esta última em Porto Rico

Outros atletas de expressão, tais como Michael Schumacher e Lance Armstrong, colecionam estatísticas que equivalem às de Kelly (guardadas sempre as proporções de suas modalidades). O ciclista norte-americano completou sete vezes a Volta da França na primeira colocação, e o alemão faturou sete títulos da Fórmula 1, somando 91 vitórias em corridas. É indiscutível também que Schumacher dominou sozinho algumas temporadas sonolentas da F1, e se tivesse que lembrar alguém do automobilismo com semelhanças ao "nosso" deca, portanto, este seria sem sombra de dúvidas Ayrton Senna. E muito pelo aspecto psicológico. Ayrton era tido como um atleta fora dos padrões em termos de concentração e aprimoramento mental. Ganhava corridas antes mesmo de entrar para o grid, algo muito parecido aos famosos "mind games" de Slater. 
Kelly e Ayrton, exemplos absolutos de foco e concentração
Michael Jordan, por sua vez, era um estrategista assíduo, arrematava partidas em seus instantes decisivos para o Chicago Bulls, time com o qual conquistou seis títulos da NBA. E saber decidir em momentos de intensa pressão é algo que Kelly nos mostrou até quando não apostávamos mais em nenhuma série no outside. Outro fato curioso entre as duas estrelas, além de ambos saberem voar, e muito bem (não se esqueçam do apelido de Michael, "Air Jordan"), é a façanha de terem sido campeões antes e depois de se aposentarem pela primeira vez: Jordan tentou uma carreira no baseball em 1993, mas rapidamente voltou para liderar os Bulls em mais três títulos, enquanto o Careca tirou férias de 1999 até o início de 2002 e, desde então, já se vão mais quatro canecos. Espero que, ao anunciar sua retirada definitiva no circuito, Kelly não regresse novamente no Tour, assim como aconteceu com o próprio Jordan e, recentemente, com Schumacher. Sempre há limites para a longevidade... a incapacidade dos grandes astros de abrir mão das competições é algo que Kelly deveria analisar com carinho a partir de agora.

Esqueça as comparações com números, portanto. Só de lembrar as cifras da conta bancária bilionária do também multicampeão Tiger Woods, por exemplo, constato que Kelly não deve nada em excelência esportiva ao golfista. No fim das contas, parece até uma injustiça comparar números. Mensurar curiosidades e semelhanças no caminho de grandes esportistas é algo muito mais conveniente e sadio.
Air Slater e as cifras incomparáveis com Woods
O número 10 é um mero símbolo, lembre-se. Dizer que este título não acrescentou nada à carreira de Kelly, no entanto, seria mentira. E especialmente na sua experiência como torcedor que ainda não o tinha visto campeão do mundo. No futebol, o 10 lembra Zico, Maradona, Zidane e o Rei Pelé, eleito o "Atleta do Século" pela Fifa e pelos Comitês Olímpicos Nacionais. Difícil colocar Edson Arantes do Nascimento e Robert Kelly Slater frente a frente? Praticamente impossível. Mas podemos lembrar que Pelé deu umas soberbas sapecadas na gloriosa Maria da Graça Meneghel, a Xuxa, eterna Rainha dos Baixinhos, e Kelly, por sua vez, enfileirou uma lista incontável de celebridades com destaque para a top brasileira Gisele Bündchen.

Assuntos pessoais à parte, parece incontestável que ambos traduzam de forma clara e objetiva seus nomes para suas respectivas modalidades. Mesmo quem nunca se interessou por surf, e mal sabe em que direção quebram as ondas mais próximas, já ouviu falar de Slater. Com Pelé reza a lenda de que o Rei é mais conhecido do que a própria Coca-Cola mundo afora, tamanha sua majestade. E, apesar das polêmicas que envolvem a figura de Rei, de 1977 (ano de sua aposentadoria) para cá, o futebol é um esporte maior hoje do que era há 30 anos.

Com o surf, desejo o mesmo. Que o seu embaixador máximo possa elevar ainda mais o nível do esporte entre as modalidades. Independentemente do fato de se aposentar ou não depois de Pipeline, a missão de Kelly está só no começo. E se você o viu surfar em 2010, considere-se um privilegiado.

Por Daniel//Hi-Crew / www.hiscores.com.br

29 de novembro de 2010

Quatro dias sem ondas no evento da Tríplice Coroa Havaiana

Nada de ondas no paraíso do surf. A Tríplice Coroa Havaina está quatro dias consecutivos sem competições por falta de swell. Equanto isso as meninas do O'Neill Women's World Cup of Surfing descansam em Sunset Beach.
Crédito ASP - Foto Cestari
Este que é o oitavo evento do Women's World Tour, e o segundo da Vans Triple Crown, que encontra-se nas quartas-de-final, onde está em jogo possíveis requalificações para a elite do surf mundial. Segundo as previsões as ondas apenas irão chegar a Sunset Beach na quarta-feira, sendo que o período de espera termina no dia 6 de Dezembro.

Quando a competição for retomada, Sofia Mulanovich, ex-campeã mundial, Silvana Lima, Bruna Schmitz e Tyler Wright, irão inaugurar o evento entres as dezasseis melhores competidoras em prova. Já na prova masculina, evento Prime, a ansiedade também é grande pelo aumento do tamanho das ondas.

Baterias:

Heat 1: Sofia Mulanovich (PER), Silvana Lima (BRA), Bruna Schmitz (BRA), Tyler Wright (AUS)
Heat 2: Stephanie Gilmore (AUS), Claire Bevilacqua (AUS), Rebecca Woods (AUS), Malia Manuel (HAW)
Heat 3: Sally Fitzgibbons (AUS), Coco Ho (HAW), Lee Ann Curren (FRA), Alana Blanchard (HAW)
Heat 4: Carissa Moore (HAW), Melanie Bartels (HAW), Jessi Miley-Dyer (AUS), Sage Erickson (USA)

Acompanhe tudo direto do Triple Crown of Surfing

Fonte SurfTotal / edição InnerSport

Participe do concurso cultural “Click Conta – Vida Sobre Rodas”

Sexta-feira, dia 26 de novembro, foi a estréia do filme Vida Sobre Rodas nos cinemas do país. O longa, dirigido por Daniel Baccaro, mostra a história do skate nacional nas últimas décadas por meio de depoimentos e manobras de quatro ídolos nacionais da atualidade: Bob Burnquist, Cristiano Mateus, Lincoln Ueda e Sandro Dias.

Esses e outros jovens superaram obstáculos e preconceitos e hoje o skate se tornou o segundo esporte mais praticado no país. Pensando na proximidade do skate com os jovens, a Click Conta, do banco Bradesco, está patrocinando o filme Vida Sobre Rodas e traz para os skatistas a oportunidade de ganhar prêmios exclusivos do filme.
Junto com a estréia do filme, entrou no ar na sexta-feira o Concurso Cultural “Click Conta – Vida Sobre Rodas”. Para participar, os interessados devem acessar o twitter @click_conta e responder em até 140 caracteres a pergunta “Qual foi o seu melhor momento sobre rodas?”. As 10 respostas mais criativas, analisadas por uma Comissão Julgadora composta por um jornalista, um revisor e membros da equipe interna do Bradesco, ganharão:

- Do 1º (primeiro) ao 4°(quarto) lugar: (01) Pôster autografado pelo elenco e (01) skate do filme.

- Do 5º (quarto) ao 10º (décimo) lugar: (01) Skate do filme.

Os participantes podem enviar quantas frases quiserem até o término do concurso, segunda-feira, dia 6/12.

Informações detalhadas sobre o concurso podem ser encontradas no regulamento, disponível no site http://www.clickconta.com.br/vidasobrerodas/

Para atualizações sobre o concurso, acesse também o twitter: http://twitter.com/click_conta

Por Larissa Cindra / Redes Sociais / Age Isobar / larissa.cindra@isobar.com.br

Bruno Galini de olho no título do Brasil Surf Pro

Baiano ganhou as três últimas etapas que disputou e já faturou o título de campeão nordestino de 2010

O baiano Bruno Galini chega embalado para a disputa do título brasileiro no Brasil Surf Pro 2010. Após sua vitória na penúltima etapa da temporada, em Florianópolis (SC), ele já ganhou mais duas provas no Ceará seguidas para se sagrar campeão nordestino de 2010. Agora, vem a disputa pelo principal título do surfe brasileiro na próxima semana na Barra da Tijuca, de 08 a 12 de dezembro no Rio de Janeiro (RJ). São nove candidatos com chances de terminar o ano no posto de número 1 da Divisão Principal do Circuito Brasileiro e Bruno Galini é o terceiro no ranking liderado pelo catarinense Jean da Silva.
O segundo colocado é o potiguar Alan Jhones, um dos estreantes na elite nacional do Brasil Surf Pro, que perdeu a primeira posição para o catarinense na etapa da Praia da Joaquina, vencida pelo baiano Bruno Galini. Os três são os principais concorrentes ao título brasileiro de 2010. Os outros dependerão de um tropeço deles e ainda precisam vencer a última etapa na Barra da Tijuca para superá-los. Esta é a única chance para Hizunomê Bettero (SP), Heitor Pereira (SP), Pedro Henrique (RJ), Rudá Carvalho (BA), Tânio Barreto (AL) e Leonardo Neves (RJ). Os dois últimos são os únicos que já foram campeões.

REBAIXAMENTO - Assim como no futebol, na grande final do Brasil Surf Pro 2010 a disputa também será intensa na parte de baixo da tabela, para fugir da zona do rebaixamento. A briga pelas últimas vagas, no grupo dos 30 primeiros que serão mantidos na elite para 2011, envolve dois ex-campeões brasileiros. O carioca Gustavo Fernandes, número 1 do Brasil em 2008, é o 31.o colocado, enquanto o paranaense Peterson Rosa, tricampeão em 1994/1999/2000, está em 28.o, à frente apenas do baiano Bino Lopes e do gaúcho Rodrigo Dornelles.
Foto do baiano Bruno Galini, que está invicto com três vitórias após o título na penúltima etapa do Brasil Surf Pro 2010. Ele está na briga direta pelo título brasileiro na grande final da temporada
A diferença é que se os dois últimos saírem do G-30 do Brasil Surf Pro, permanecerão na elite pelos outros rankings de acesso da Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP). Bino Lopes têm sua vaga garantida pelo quarto lugar que ocupa na Divisão de Acesso, que classifica quinze surfistas. Já Rodrigo Dornelles confirmou a sua com o título de bicampeão gaúcho em 2010. Além do Rio Grande do Sul, os rankings estaduais de São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina, também indicam um surfista cada. Já o Circuito Nordestino, encerrado neste domingo com vitória de Bruno Galini, classifica três.

BICAMPEÃ - Enquanto no masculino a disputa promete ser intensa e emocionante nas duas pontas da tabela, a paulista Suelen Naraisa já confirmou o bicampeonato brasileiro por antecipação na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC), onde conquistou sua terceira vitória em quatro etapas. No entanto, ainda existe uma disputa para as meninas, pelas últimas vagas no grupo das nove primeiras que serão mantidas na elite em 2011. Três novidades já foram confirmadas pela Divisão de Acesso Feminina.
Suelen Naraisa
A grande atração será a volta da tetracampeã brasileira Tita Tavares, detentora de vários recordes da história da Divisão Principal criada em 2000 pela ABRASP. Além da cearense, as catarinenses Susã Leal e Marina Werneck são as outras novidades para o ano que vem. A catarinense Jacqueline Silva também tinha confirmado sua volta, mas também garantiu seu retorno para a elite mundial e a sua vaga no ranking de acesso passou a ser ocupada pela paulista Cláudia Gonçalves.

O Brasil Surf Pro 2010 é realizado pela Brasil1 Esporte, com patrocinio da Petrobras, Skol e Hawaiian Dreams (HD), apoio da Azul - Linhas Aéreas Brasileiras, dos canais SporTV e Multishow, Editora Globo (Revistas Época e Época Negócios) e da TV Jam. A Divisão Principal do Circuito Brasileiro conta com recursos da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, organização da ABRASP e produção da MaxSports.

LISTA PROVISÓRIA DA ELITE NACIONAL PARA O BRASIL SURF PRO 2011:

TOP-30 DO BRASIL SURF PRO 2010 – 4 etapas:
01: Jean da Silva (SC) – 2.740 pontos
02: Alan Jhones (RN) – 2.530
03: Bruno Galini (BA) – 2.420
04: Hizunomê Bettero (SP) – 2.330
05: Heitor Pereira (SP) – 2.260
06: Pedro Henrique (RJ) – 2.230
07: Rudá Carvalho (BA) – 2.160
08: David do Carmo (SP) – 2.110
09: Tânio Barreto (AL) – 2.100
10: Marcio Farney (CE) – 2.060
11: Franklin Serpa (BA) – 2.000
12: Renato Galvão (SP) – 1.930
13: Messias Felix (CE) – 1.910
14: Flavio Nakagima (SP) – 1.910
15: Odirlei Coutinho (SP) – 1.810
16: André Silva (CE) – 1.800
16: Leandro Bastos (RJ) – 1.800
16: Leonardo Neves (RJ) – 1.800
19: Ricardo Ferreira (SP) – 1.720
20: Jano Belo (PB) – 1.700
21: Michel Roque (CE) – 1.690
22: Gilmar Silva (SP) – 1.630
23: Guga Arruda (SC) – 1.620
24: Danilo Costa (RN) – 1.580
24: Bruno Moreira (SP) – 1.580
26: Diego Rosa (SC) – 1.560
27: Tomas Hermes (SC) – 1.530
28: Peterson Rosa (PR) – 1.500
29: Bino Lopes (BA) – 1.460
30: Rodrigo Dornelles (RS) – 1.440

Lista provisória dos 15 indicados pela Divisão de Acesso – por ordem de ranking:
Krystian Kymmerson (ES), Halley Batista (PE), Felipe Martins (CE), Edvan Silva (CE), Robson Santos (SP), Alandreson Martins (BA), John Max (RN), Igor Morais (RJ), Isaias Silva (CE), Alan Donato (PE), Marcelo Nunes (RN), Patrick Tamberg (FN), Simão Romão (RJ), Thiago Sousa (CE), César Aguiar (PE).

Ranking Nordestino: Ulisses Meira (PB), Itim Silva (CE) e Luel Felipe (PE) ou Charlie Brown (CE)
Ranking Estadual do Rio de Janeiro: Flávio Costa (BA)
Ranking Estadual de São Paulo: Matheus Toledo (SP)
Ranking Estadual de Santa Catarina: Willian Cardoso (SC)
Ranking Estadual do Rio Grande do Sul: Daison Pereira (RS)
RANKING BRASILEIRO FEMININO – 4 etapas:
Bicampeã: Suelen Naraisa (SP) – 3.450 pontos
02: Diana Cristina (PB) – 2.900
03: Juliana Quint (SC) – 2.830
04: Camila Cassia (SP) – 2.515
05: Taís de Almeida (RJ) – 2.470
06: Gabriela Leite (SC) – 2.460
07: Andréa Lopes (RJ) – 2.400
08: Luana Coutinho (SP) – 2.280
09: Gabriela Teixeira (RJ) – 2.230

As 5 indicadas pela Divisão de Acesso Feminina:
Susã Leal (SC), Marina Werneck (SC), Tita Tavares (CE), Bruna Queiroz (SP), Cláudia Gonçalves (SP)

João Carvalho – Assessoria de Imprensa do BRASIL SURF PRO 2010 / Crédito da foto: Fabio Minduim (MaxSports)

XTERRA Ceará fecha com chave de ouro o Circuito 2010

Alexandre Manzan e Luzia Bello consagram-se campeões brasileiros de triathlon cross country. Calendário de 2011 já foi divulgado

Mais de mil atletas, entre amadores e profissionais, participaram da primeira edição do XTERRA no Nordeste. A competição, que aconteceu no último sábado (20/11), no Beach Park (CE), encerrou com chave de ouro a temporada 2010, que contou com 11 etapas. No triathlon cross country, o brasiliense Alexandre Manzan, bicampeão brasileiro por antecipação, confirmou o favoritismo e foi o primeiro a cruzar a linha de chegada, com 2h30m16s. Já entre as mulheres, Luzia Bello (SP), mesmo sem competir, ficou com o título.
"É difícil acreditar na importância do que eu represento para os atletas que estão surgindo. Ser um exemplo no esporte é muito bom.", disse Manzan, que teve Cristian Cruz (RJ) e Felipe Moletta (PR) como parceiros no pódio nacional.

No feminino, com uma lesão na mão, Luiza Bello ficou de fora da prova e passou a depender do resultado da etapa para ficar com o titulo. Pra sagra-se campeã brasileira, a paulista precisava torcer para que sua principal adversária, Carla Prada (SP), não se saísse bem na etapa cearense. E, deu certo...

Com uma ajudinha especial da campeã mundial Shonny Valandinghan (EUA), que venceu a prova e uma quinta colocação de Carla, Luiza se manteve na liderança e mesmo sem competir, ficou com o título deste ano. Carla ficou com a segunda colocação e Sabrina Gobbo terminou o ano em terceiro. "Torci muito para Shonny e ela dedicou a vitória pra mim. Fiquei triste por não competir, mas, feliz pelo resultado", comemorou Luiza.

Além da prova de triathlon, o Kids Running e Trail Run também foram sucesso total no Ceará. Na primeira, mais de 300 crianças, com até 12 anos de idade, mostraram muita disposição e animação nas areias cearenses. Já pra finalizar o dia, 800 atletas profissionais e amadores calçaram o tênis e foram correr 7km sob a luz da lua. Nesta prova, o pódio foi todo ocupado por atletas locais. Dicson Falcão ficou com o primeiro lugar, seguido por Paulo Gerrar e José Pereira.No feminino, Maria Nery ganhou a competição, seguida por Maria Bezerra e Aline Freitas.

No Ceará, também foi anunciado o calendário do circuito XTERRA 2011. A temporada começa em abril, em Minas Gerais, passa por Itapira (SP), Indaiatuba (SP), Manaus (AM), Mangaratiba (RJ), Ilhabela (SP), Tiradentes (MG), Juiz de Fora (MG), Ceará e Florianópolis (SC).
Após passar por Ilhabela e Mangaratiba, o XTERRA Global Tour, etapa válida para o mundial em 2011, será na Amazônia.

Calendário XTERRA 2011
XTERRA (cidade a definir) MG - 2 e 3 de abril
XTERRA Training Itapira / SP - 30 de abril
XTERRA Training Indaiatuba / SP - 7 de maio
XTERRA BRAZIL MANAUS/ AM - 11 de junho - ETAPA MUNDIAL
XTERRA Training Indaiatuba / SP - 30 de junho
XTERRA Mangaratiba / RJ - 13 de agosto
XTERRA Ilhabela / SP - 10 de setembro
XTERRA Tiradentes / MG - 1 e 2 de outubro
XTERRA Training Juiz de Fora / MG - 8 de outubro
XTERRA Ceará/ CE - 18 e 19 de novembro
XTERRA Florianópolis/ SC - 10 e 11 de dezembro

Ranking Nacional

Masculino
Campeão: Alexandre Manzan (DF)
Vice Campeão: Cristian Cruz (RJ)
Terceiro Colocado: Felipe Moletta

Feminino
Campeã: Luzia Bello
Vice Campeã: Carla Prada
Terceira Colocada: Sabrina Gobbo

Resultado Night Trail Run:

Masculino
1° Lugar - Dicson Falcão (CE) - 22m00s
2° Lugar - Paulo Gerrar (CE) - 22m21s
3° Lugar - José Pereira (CE) - 24m16s

Feminino
1° Lugar - Maria Nery (CE) - 29m19s
2° Lugar - Maria Bezerra (CE) - 30m11s
3° Lugar - Aline Freitas (CE) - 31m14s

Por Media Guide Comunicação / Assessoria de Imprensa do Circuito Xterra 2010 / manoela@mediaguide.com.br / fernanda@mediaguide.com.br / Foto Fernando Braga

7º Congresso Brasileiro de Surf termina com sucesso

Três dias de muita informação e conteúdo com grandes nomes do surf mundial

Aconteceu nos dias 23, 24 e 25 de novembro, no Centro Universitário Belas Artes, São Paulo, o 7º Congresso Brasileiro de Surf.
Considerado o principal evento acadêmico sobre a modalidade no país, o Congresso reuniu grandes nomes do esporte internacional e dezenas de personalidades do mercado surf. Os convidados debateram temas de impacto como marketing, mídia, política, arte, campeonatos, gestão e profissionalismo, e também compartilharam suas experiências.
O evento foi recheado de energia positiva envolvido pelo espírito “Aloha” dos convidados internacionais Rory Russel e Jonathan Paskowitz.

Realizado pelo Instituto Brasileiro de Surf, Ibrasurf, a edição 2010 contou com palestras, mesas redondas e exposição Surf Art. Ao todo foram mais de doze horas de troca de informação e conteúdo apresentados por 20 personagens de peso no cenário mundial:
Adalvo Argolo - presidente CBS
Alexandre Zeni - diretor do Ibrasurf
Edinho Leite - jornalista ESPN
Eduardo Stryjer - editor chefe Hardcore
Evandro Abreu - organizador SuperSurf
Felipe Silveira - CEO Rip Curl
Jonathan Paskowitz - CEO Lightning Bolt USA
Luis Campos Pinga - marketing Oakley
Marcelo Andrade - diretor executivo Abrasp
Marcos Bukão - diretor técnico ISA
Pedro Oliveira - consultor de pranchas Star Point
Pedro Pires - professor marketing esportivo Trevisan
Reinaldo Dragão Andraus - marketing HD
Rogério Boccuzzi - marketing Quiksilver
Rory Russel - Legend do Surf Mundial
Sérgio Laus - recordista Pororoca
Taiu Bueno - big rider e surfista de alma
Thiago Lobo - coordenador esportes radicais SEME
William Woo - deputado federal
Zozi Mendes - diretor de arte
Dentre as diversas apresentações e discussões, os principais temas abordados foram:
Políticas Públicas nos Esportes Radicais
O Surf Profissional no Brasil
Mercado Surf: dados e estatísticas
Administração e Marketing nos Boardsports
Moda Surf: das origens ao mainstream
Criação, Design e Publicidade no Surf
Situação Atual do Surf no Brasil e no Mundo
Jovens Líderes do Mercado Surf
Rio 2016 - Surf nas Olimpíadas

Além da parte acadêmica, o evento também ofereceu a exposição Surf Art, com obras dos jovens talentos Erick Wilson, Rafael Escudeiro, Paula Sgarbi, Tom Veiga, Thiago Dorta e Rafael Veiga, que enriqueceram o evento unindo arte e cultura.
“Ficamos muito felizes com os resultados do Congresso 2010, conseguimos atingir nossos objetivos de produzir e trocar conhecimento. Só tenho a agradecer todos os participantes e convidados que mais uma vez contribuíram de maneira direta para a evolução do surf brasileiro e mundial”, finaliza Ale Zeni, do Ibrasurf.
O 7º Congresso Brasileiro de Surf é uma realização do Ibrasurf com apoio da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo, Centro Universitário Belas Artes, Star Point, Water Classic, APSU e FPS.

Mais informações
http://www.ibrasurf.com.br/

Por Ibrasurf / fotos Livia Mathias

Lançamento da Campanha: Recife Artificial em Piratininga – Eu Tô Nessa Onda!

A Associação de Surf de Niterói e a ONG PREAMMAR, coordenadora do projeto de recifes artificiais em Piratininga, convidam a todos os amigos, surfistas e amantes do mar para a reunião de lançamento da campanha “Recife Artificial em Piratininga – Eu Tô Nessa Onda!”, que se realizará no dia 30 de novembro (última terça-feira do mês), às 20 horas, no Pampo Clube, localizado na Avenida Beira Mar, 205, em Itacoatiara.
Nesta reunião serão expostas as estratégias e os desafios para a realização dos primeiros estudos necessários à implantação do recife artificial.

Razão da campanha:
Diante da lentidão do poder público, que se comprometeu com a realização do projeto, e da curta visão do setor empresarial, que se beneficia com o crescimento de Piratininga, a ASN e a PREAMMAR decidiram arregaçar as mangas e trabalhar objetivamente para a realização dos estudos que darão as licenças ambientais para a implantação do projeto.

Por Associação de Surf de Niterói / ASN Biênio 2009/2010 / www.asn.org.br

Matheus Toledo busca em casa o título do Maresia Paulista Surf Pro 2010

Surfista de Ubatuba lidera o ranking e leva vantagem nas duas etapas que serão realizadas na praia de Itamambuca, a partir de quinta-feira

São Paulo (SP) - A vitória na primeira e única prova realizada nesta temporada, em junho, no Guarujá, coloca Matheus Toledo como favorito ao título do Maresia Paulista Surf Pro 2010, que terá as duas últimas etapas realizadas de quinta-feira até domingo, na praia de Itamambuca, em Ubatuba (SP). Além de liderar o ranking, o ubatubense ainda tem a vantagem de competir em "casa", nas ondas que costuma surfar quase que diariamente.
Matheus Toledo
A briga maior de Matheus Toledo, 20 anos, para ver quem levanta a taça de campeão paulista de 2010 é contra Robson Santos, de São Sebastião, e Emerson Silva, do Guarujá, segundo e terceiro colocados na praia guarujaense das Pitangueiras, respectivamente. "Não tem nada definido, muito pelo contrário. Mas o fato de as duas etapas serem realizadas em Ubatuba me ajuda", afirmou o filho de Ricardo Toledo, campeão brasileiro em 1991 e em 1993.
Pódio da 1ª etapa
As duas etapas do Maresia Paulista Surf Pro 2010 - a segunda ocorre quinta e sexta-feiras, e a terceira, sábado e domingo - contarão com a presença de alguns dos melhores surfistas do País, já que definirão o ranking de atletas que disputarão a elite do Circuito Brasileiro de 2011. Todas as 96 vagas abertas para ambas as disputas foram preenchidas por competidores de nove estados. Além de São Paulo, serão representados o Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, Ceará, Espírito Santo e Paraíba.
Entre os surfistas de outros estados inscritos, estão nomes importantes do surfe brasileiro, como Vítor Ribas (RJ), Gustavo Fernandes (RJ), Marcos Fernandez (BA), Luel Felipe (PE), Krystian Kimmerson (ES), Tiago de Souza (CE), Ulisses Meira (PB), Robson Gobatto (RS) e Rafael Becker (SC), quarto colocado na etapa de abertura. O campeão paulista de 2009, Ricardo Ferreira, da Praia Grande (SP), também confirmou presença nos dois eventos.
Gustavo Fernandes (RJ)
O Maresia Paulista Surf Pro 2010, que tem a chancela da marca de moda surfe genuinamente brasileira Maresia, é patrocinado pela Tent Beach, Surf Trip, Overboard, Waves Star e Nias Tour. O apoio é da Sun Rocha, Zona Neutra, Akaloko, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer, além das prefeituras do Guarujá, São Sebastião e Ubatuba. A organização é da Federação Paulista de Surf em conjunto com a Associação de Surf do Guarujá, Associação de Surf de São Sebastião e Associação Ubatuba de Surf.

Ranking do Maresia Paulista Surf Pro 2010
1º Matheus Toledo (Ubatuba), 1.000 pontos
2º Robson Santos (S. Sebastião), 910
3º Emerson Silva (Guarujá), 860
4º Rafael Becker (SC), 670 pontos
5º Saulo Júnior (Ubatuba) e Miguel Pupo (S. Sebastião), 610
7º Igor Morais (RJ) e Antônio Eudes (CE), 555

Por Roberto Pierantoni / piera@zdl.com.br /

NA ALLTV: Programa Abusados Boards, hoje

Nesta segunda-feira (29.11) no Abusados Boards, (programa da TV on-line ALLTV), Renato Taroba entrevista o skatista profissional Marcos Hiroshi falando um pouco de suas viagens recentes e internacionais para a Europa e Argentina.
Abusados Boards é um programa de esportes radicais (entre eles o skate) sendo exibido toda segunda-feira das 15 às 16 horas, apresentado por Renato Taroba e seus novos integrantes de bancada (Alessandro McGregor, Marisa Levino e Lobão - Banda Mó-H) que irão abordar assuntos relacionados ao universo dos esportes radicais, entre eles música, arte e comportamento.
Participe também dos sorteios de brindes para os internautas neste final de ano. Se você gosta de mídia alternativa, skate e de assuntos relacionados aos esporte de prancha vale conferir.
Acesse ALLTV e faça cadastro para logar o chat do programa.

Por Marcos Bollmann / Comunica Skate / marcos@comunicaskate.com.br

Circuito Estadual Cyclone Sub 18 defini os campeões de 2010

Etapa da Barra da Tijuca fechou com chave de ouro o ano de 2010 com mais um dia perfeito de sol e agua cristalina.

A praia estava cheia e o sol brilhava forte sobre as areias da Barra da Tijuca, onde foi disputado o decisivo dia da quarta e última etapa do Circuito Estadual Cyclone Sub 18, apresentado por Matte Leão. O palco das finais foram as ondas do Posto 4, que - apesar de pequenas - apresentavam condições para os jovens surfistas mostrarem tudo o que sabem. O público estava presente e vibrava conforme seus atletas favoritos correspondiam as expectativas dentro d'água.
DEFINIÇÕES

Na categoria Junior a emoção da decisão foi toda no domingo. Apenas o quarto colocado do Ranking, Arthur Souza, conseguiu classificar-se no sábado para as semifinais de domingo. Apesar de depender apenas dele mesmo, a pressão parece não ter feito bem a Arthur, que foi eliminado nas semis, ficando com a terceira colocação na etapa. Assim, ele deixou o título de campeão estadual nas mãos de Daniel Golçalves, quinto colocado da etapa - o suficiente para sair com o caneco.
Facundo Arreyes
Na mirim, Daniel Munhoz já havia garantido o lugar mais alto do pódio do circuito, pois faturou as 3 primeiras etapas e somou 3.000 pontos. “Tive vantagem, pois a primeira etapa foi no meu quintal de casa, no Recreio, onde surfo todos os dias. Pulei na frente e consegui jogar a pressão para os adversários. E esse bom resultado foi fruto de um treinamento intensivo que faço desde o ano passado,” disse ele.
Luciana Sushi foi a grande vencedora do circuito na categoria Feminino Junior, somando 2.800 pontos no ranking. A apreensão de Luciana foi até o último momento, pois terminou em terceiro nesta etapa e teve que torcer para Isabela Lima vencer Carol Fernandes, sua concorrente direta ao título. No fim da bateria, Isabela levou a melhor, o que garantiu o título para Luciana, que já está com sede de vitória para o ano que vem. “Estou muito feliz, porque é a primeira vez que sou campeã do circuito! Ano que vem tem mais, pois será meu último ano no Sub 18 e quero muito ganhar,” concluiu ela.
Anderson Silva
A turma do pranchão teve uma menina como lider do ranking. A disputa que era aberta para homens e mulheres com menos de 18 anos, teve Chloé Calmon como a grande vencedora do circuito. Ela mostrou toda a força do surfe feminino, sendo a única menina a participar da categoria, e conseguindo no circuito uma vitória e dois vices, terminando com um somatório de 2.800 pontos. “Acho que esse resultado foi da experiência que tenho. Estou acostumada a competir com meninas do dobro da minha idade e isso ajuda a adquirir maturidade em competições,” afirmou Chloé.
Angelo Moura
Entre os Surdos, Angelo Moura foi o grande campeão da etapa, o que garantiu a ele também o título do circuito. Após a vitória ele saiu da água aplaudido e carregado pelos amigos. Angelo somou 2.900 pontos, conseguidos com duas vitórias e um vice, garantindo a liderança do ranking.

4ª ETAPA

JUNIOR
As pequenas ondas não foram suficientes para segurar o surf de Samuel Igo, que demonstrou todo seu potencial e venceu a final da categoria Junior, deixando Rodrigo Cardoso com a segunda colocação.
1. Samuel Igo
2. Rodrigo Cardoso
3. Arthur Souza e Igor Moraes

MIRIM
Pedro Henrique, na categoria Mirim, demonstrou um surf sólido durante toda a etapa e deixa claro que vai dar trabalho para seus adversários no circuito do ano que vem. Ele derrotou na final o surfista de Búzios Facundo Arreyes, que foi vice campeão do circuito.
1. Pedro Henrique
2. Facundo Arreyes
3. Pedro Meireles e Dávio Figueiredo

FEMININO JUNIOR
Isabela Lima foi bastante competitiva e levou a melhor no Feminino Junior. Ela deixou para trás as duas líderes do circuito, e garantiu o título da etapa. Carol Fernandes foi a vice campeã do circuito e também a vice da etapa. Luciana Sushi terminou em terceiro e Chloé Calmon em quarto. “Fiquei 6 meses surfando em Gold Coast na Austrália. Voltei para o Brasil preparada para ganhar e cumpri meu objetivo,” exclamou muito feliz Isabela.
1. Isabela Lima
2. Carol Fernandes
3. Luciana Sushi
4. Chloé Calmon

LONGBOARD JUNIOR
Na Longboard Junior, Anderson Silva mostrou o melhor desempenho e somou 12.95 pontos durante a bateria, contra os 7.95 pontos de Chloé, vice campeã da etapa. O terceiro lugar ficou com Patrick Ribeiro e o quarto com Thalles Tavares.
1. Anderson Silva
2. Chloé Calmon
3. Patrick Ribeiro
4. Thalles Tavares

SURDOS
Angelo Moura faturou dois canecos de uma vez entre os Surdos. Ele foi campeão da etapa e faturou de quebra o circuito estadual. Para conseguir o título da etapa da Barra da Tijuca, ele deixou para trás André Menezes (segundo), Fábio Quintella (terceiro) e Jadher Mariz (quarto).

1. Angelo Moura
2. André Menezes
3. Fábio Quintella
4. Jadher Mariz

O Circuito Estadual Cyclone Sub 18 2010, apresentado por Matte Leão, tem o patrocínio da Cyclone e co-patrocinio da Qix e Matte Leão, com o apoioda Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Time Brazil. Também apóiam o evento a Seqüencial Eventos, Rhyno Foam, A Lopes e Elyon Artes Gráficas. A divulgação é da Fluir e Waves. A realização é da Feserj.

Por Daniel Vianna / MidiaBacana / www.midiabacana.com.br / Fotos Alan Simas